A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO V Encontro Estadual dos Tecnólogos - SP Prof. Marco Juliatto Assessor SETEC/MEC Outubro de 2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO V Encontro Estadual dos Tecnólogos - SP Prof. Marco Juliatto Assessor SETEC/MEC Outubro de 2011."— Transcrição da apresentação:

1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO V Encontro Estadual dos Tecnólogos - SP Prof. Marco Juliatto Assessor SETEC/MEC Outubro de 2011

2 Sequência da apresentação Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Conceito de Graduação Tecnológica Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia Indicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia Perspectivas para as Graduações Tecnológicas

3 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas LDB - Lei nº 9.394/1996 Art. 44. A educação superior abrangerá os seguintes cursos e programas: I - cursos sequenciais por campo de saber, de diferentes níveis de abrangência (...), desde que tenham concluído o ensino médio ou equivalente; II - de graduação, abertos a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente e tenham sido classificados em processo seletivo; III - de pós-graduação, compreendendo programas de mestrado e doutorado, cursos de especialização, aperfeiçoamento e outros, abertos a candidatos diplomados em cursos de graduação (...); IV - de extensão, abertos a candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos em cada caso pelas instituições de ensino. Conceito de Graduação Tecnológica

4 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas LDB - Lei nº 9.394/1996 (redação Lei nº /2008) Art. 39. A educação profissional e tecnológica (...), integra-se aos diferentes níveis e modalidades de educação e às dimensões do trabalho, da ciência e da tecnologia § 2o A educação profissional e tecnológica abrangerá os seguintes cursos: I – de formação inicial e continuada ou qualificação profissional; II – de educação profissional técnica de nível médio; III – de educação profissional tecnológica de graduação e pós-graduação. § 3o Os cursos de educação profissional tecnológica de graduação e pós-graduação organizar-se-ão, de acordo com as diretrizes curriculares nacionais estabelecidas pelo Conselho Nacional de Educação.

5 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas LDB - Lei nº 9.394/1996 Art. 43. A educação superior tem por finalidade: I - estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo; II - formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais e para a participação no desenvolvimento da sociedade brasileira, e colaborar na sua formação contínua; III - incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica, visando o desenvolvimento da ciência e da tecnologia e da criação e difusão da cultura...; IV - promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar o saber através do ensino, de publicações ou de outras formas de comunicação;

6 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas LDB - Lei nº 9.394/1996 Art. 43. A educação superior tem por finalidade: (continuação) V - suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional e possibilitar a correspondente concretização, integrando os conhecimentos que vão sendo adquiridos numa estrutura intelectual sistematizadora do conhecimento de cada geração; VI - estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os nacionais e regionais, prestar serviços especializados à comunidade e estabelecer com esta uma relação de reciprocidade; VII - promover a extensão, aberta à participação da população, visando à difusão das conquistas e benefícios resultantes da criação cultural e da pesquisa científica e tecnológica geradas na instituição.

7 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Lei nº 4.024/61: autoriza cursos em caráter experimental e cria os Cursos de Engenharia de Operações, em atendimento às demandas do setor produtivo; Lei Federal nº 5.540/68: implanta a reforma universitária, criando cursos profissionais de curta duração, que proporcionavam habilitações intermediárias de nível superior. Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia DÉCADA DE 60

8 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia DÉCADA DE – Criação da primeira Faculdade de Tecnologia do Brasil em Bauru Parecer CFE Nº 1.060/73: denominação de Curso de Formação de Tecnólogos para Curso Superior de Tecnologia, conferindo a denominação de tecnólogos para egressos. Entre 1973 e 1975 foram criados 28 CST; extinção dos cursos de engenharia de operações

9 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia DÉCADA DE 80 Parecer CFE nº 364/80: ressaltava o exercício livre de profissões, salvo aquelas prescritas em lei Resolução nº 313/86 (CONFEA): regulamentava o exercício profissional dos tecnólogos na sua esfera de atuação

10 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia DÉCADA DE : realização do 1º Encontro Nacional de Educação Tecnológica em Curitiba-PR Decreto Federal nº /88: criou o 1º curso em hotelaria (SENAC/SP), sendo um CST no setor terciário da economia

11 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia DÉCADA DE 90 Desativação da Coordenação Geral de Cursos Superiores de Tecnologia no âmbito da SESU (anos 1990); Portaria MEC Nº 1.647/99 - Transfere para a SEMTEC (atual SETEC) os procedimentos de autorização de CST

12 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia DECADA DE 90 Decreto nº 2.406/97: possibilitou a existência de Centros de Educação Tecnológica (CET) privados, potencializando a expansão dos CST, mas, na prática, não se efetivou e somente em 2004 tiveram denominação alterada para Faculdade de Tecnologia, figurando como Instituição de Ensino Superior

13 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia PRIMEIRA DÉCADA DESTE SÉCULO Parecer CNE/CES nº 436/01: reafirmou o CST como Curso de Graduação Resolução CNE/CP nº 3/02: estabeleceu as Diretrizes Curriculares dos CST

14 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia Decreto nº 5.154/04: define a Educação Profissional de Graduação (EPT) Lei nº /05: retira o impedimento legal à criação de unidades federais de EPT, iniciando-se, assim, o processo de expansão da Rede Federal. PRIMEIRA DÉCADA DESTE SÉCULO

15 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Histórico dos Cursos Superiores de Tecnologia 2006: publicação do Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia, a fim de se normatizar as denominações destes cursos e conferir visibilidade 2007: CST passaram a participar do ENADE, se integrando ao SINAES PRIMEIRA DÉCADA DESTE SÉCULO

16 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Indicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia Dados: INEP/MEC

17 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Indicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia Dados: INEP/MEC

18 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Indicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia * 2010 – Dados provisóriosDados: INEP/MEC

19 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Indicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia Dados: SISTEC/MEC

20 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Indicadores dos Cursos Superiores de Tecnologia * 2011 – Dados provisóriosDados: SISTEC/MEC

21 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Indicadores dos Cursos Superiores

22 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Responsabilidade do poder público no reconhecimento, inserção e valorização dos tecnólogos Que ações devem ser incrementadas? Valorização da Formação Valorização Profissional

23 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Valorização da Formação Ampliação da oferta de cursos Projetos Pedagógicos mais amadurecidos Busca pela qualidade ENADE, Regulação, Supervisão dos cursos Sensibilização de docentes para os CST Valorização da educação profissional Maior interesse da mídia

24 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Valorização Profissional Projeto de Lei 2.245/07 - regulamenta o exercício das profissões dos tecnólogos Alinhamento com os Conselhos Profissionais Necessidade do desenvolvimento tecnológico Crescimento do país e da oferta de empregos

25 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Como inserir os tecnólogos nos órgãos e empresas públicas? SETEC – criou 808 cargos de tecnólogos/formação e 100 cargos de tecnólogos/cooperativismo PETROBRÁS – abriu concurso para a área de TI e permite a participação dos tecnólogos Responsabilidade do poder público no reconhecimento, inserção e valorização dos tecnólogos

26 Graduação Tecnológica – Realidade e Perspectivas Obrigado Agradeço pela atenção Prof. Marco Antônio Juliatto Assessor SETEC/MEC


Carregar ppt "MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO V Encontro Estadual dos Tecnólogos - SP Prof. Marco Juliatto Assessor SETEC/MEC Outubro de 2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google