A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer (CEL) do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO 3º. Congresso Ibero Americano de Instalações.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer (CEL) do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO 3º. Congresso Ibero Americano de Instalações."— Transcrição da apresentação:

1 Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer (CEL) do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO 3º. Congresso Ibero Americano de Instalações Esportivas e Recreativas (CIDyR) (CIDyR) 17-19/09/2011 – Barcelona, Espanha Luiz Carlos Marcolino e Antonio Carlos Bramante

2 EXPERIÊNCIAS DE LAZER NO BRASIL Quatro pilares de natureza administrativa distintas: 1. Setor Público - Governo Federal (26 Estados mais o Distrito Federal) e seus Municipios; 2. Semi-Público, representado pelo Sistema S, (instituições criadas e mantidas pelo empresariado nacional), oferecem serviços complementares ao setor público, nas áreas da educação, saúde e lazer, contando com mais de mil instalações esportivas e recreativas espalhadas por todo país; 3. Semi-Privado, constituído pelos clubes sociais, esportivos e recreativos; hoje com a estimativa de 15 mil unidades; 4. Iniciativa Privada, cresce de maneira exponencial em vários setores. Por exemplo: os Jogos Mundiais Militares/2011, a Copa de Futebol das Confederações, os Jogos Mundiais dos Trabalhadores/2013, a Copa do Mundo de Futebol/2014, os Jogos Olímpicos/2016. Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

3 MISSÃO DO Serviço Social da Indústria (SESI) Promover a qualidade de vida do trabalhador e de seus dependentes, com foco em educação, saúde e lazer, e estimular a gestão socialmente responsável da empresa industrial.qualidade de vida Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

4 Objetivo Geral do PROJETO Oferecer às indústrias, aos seus trabalhadores e familiares espaços adequados para a vivência das artes, das experiências físico-esportivas e da convivência social, valorizando a educação permanente e o estilo de vida saudável, dentro da perspectiva da responsabilidade social. Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

5 MT RS SP AMPE GO DF DF MG SC BA CEPA RJ ES RNMARO MS PB TO AC APRRAL SE PR PI Quatro ETAPAS do Primeiro Ciclo ( ) Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

6 Sensibilização: reuniões com representantes das Unidades dos DRs envolvidos com o projeto (in loco); Mobilização: aplicação de Pesquisa Diagnostica em todas as Unidades; Capacitação: Curso de 24 horas, em três dias de duração, dirigido para gestores de Unidades, com ênfase na gestão dos espaços de CEL no SESI; Implementação de ações: Aplicação dos recursos provenientes do próprio DR ou através da Linha de Fomento disponibilizado pelo DN para potencializar o uso dos espaços de CEL com o devido monitoramento dos resultados; Acompanhamento e avaliação dos resultados: Seminários Regionais e Seminário Nacional anuais onde os resultados obtidos pelos DRs participantes são apresentados. Publicação de Boletim Informativo Virtual (BIV) mensal e de três Cadernos Técnicos. Cinco FASES do Primeiro Ciclo ( ) Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

7 Retrospectiva do Primeiro Ciclo / Visitas Técnicas de sensibilização nos DRs; +50 Instalações de CEL visitadas; 27 Cursos para Gestores de CEL (24 h). Participação de mais de 800 técnicos de diversas áreas do SESI; Duas vídeoconferências, oito Seminários Regionais e três Seminários Nacionais; Realização de duas Pesquisas Diagnósticas (participação de 240 e 245 Unidades de CEL do SESI, respectivamente); Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

8 Retrospectiva do Primeiro Ciclo / Caderno Técnico: Volume 1, destriduido; Volume 2, editado e Volume 3, no prelo; 50 Boletins Informativos Virtuais editados; Formação da REDE de GESTORES com mais de 800 pessoas; Inserção internacional: participação no I Congresso Ibero- Americano de Instalações Esportivas e Recreativas (I CIDyR/2009); sede do II CIDyR em São Paulo (2010) e participação no III CIDyR Criação do Índice de Viabilidade Múltipla de CEL no SESI; Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

9 Transformar, cada vez mais, as Unidades de CEL em espaços de bem- estar e qualidade de vida, voltadas para a educação não formal, por meio da educação para o lazer e apoio para a educação formal, por meio da educação pelo lazer; Universalizar a aplicação do IVICEL/SESI em todas as Unidades de CEL; Criar e aplicar novas ferramentas de gestão que mapeiem a freqüência das indústrias nas Unidades assim como conhecer o grau de satisfação desses estabelecimentos com os ambientes de CEL do SESI; Perspectivas do Segundo Ciclo / Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

10 Promover uma maior aproximação com os estabelecimentos industriais; Ampliar os esforços para que haja uma maior transversalidade com outros projetos e programas do SESI/DN visando potencializar a otimização dos espaços e instalações nessas áreas de serviços dentro das Unidades; Estimular o intercâmbio de conhecimentos e de experiências bem sucedidas através de trocas informais e de participações em eventos técnico-científicos nacionais e internacionais. Manter a proximidade com os DRs (Comitê Regional, 14 Oficinas de Trabalho, Seminário Regional, IV Seminário Nacional, Boletim Informativo Virtual e Caderno Técnico. Perspectivas do Segundo Ciclo / Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

11 1. O lazer como campo de estudos e pesquisas no Brasil é relativamente novo (sua sistematização tem início somente nos últimos 40 anos) e a produção de conhecimentos na área tem privilegiado mais as suas dimensões conceituais do que as aplicadas; 2. Certa resistência na compreensão de um possível paradoxo pertinente a gestão do lazer numa perspectiva de provedor de soluções, a qual implica a sistematização de procedimentos gerenciais, em relação a natureza de sua vivência, a qual fortalece a liberdade de expressão; Desafios Futuros Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

12 3. A diversidade do lócus da vivência da experiência de lazer, tanto quanto a sua natureza, nos mais distintos conteúdos culturais quanto às características da sua base administrativa, transitando entre as ações do poder público à exploração da iniciativa privada; 4. O impacto da hiperconectividade na atualidade, fortalecendo muito mais a abrangência e a simultaneidade da vivência das experiências do lazer do que a desejada profundidade o necessário foco em determinados conteúdos culturais numa perspectiva sócio-educativa, resultando em múltiplas adesões com a mínima aderência; 5. O fascínio do gestor pela construção do novo em curto prazo sem o devido plano diretor de expansão da base física, se desejável, em médio e longo prazo; Desafios Futuros Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

13 6. A ausência de uma cultura de manutenção preventiva em relação a manutenção curativa, que dirá a manutenção propositiva, que não só antecipa as necessidades como intervém, deliberadamente, baseada em pesquisas, para promover alterações significativas nas instalações; 7. O descompasso entre a rede de equipamentos de lazer instalada no país, especialmente nas décadas de 1970, 80 e 90 em relação às demandas deste início de século, causando crescente esvaziamento nos ambientes específicos de lazer, notadamente os centros esportivos e culturais do setor público, os centros de atividades do Sistema S e, especialmente, a falência da maioria dos clubes sociais-recreativos. Desafios Futuros Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

14 Índice de Viabilidade Múltipla das Instalações de Cultura, Esporte e Lazer do SESI (IVICEL/SESI) Exemplo de Ferramenta Gerencial em Uso Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

15 FATORES para a elaboração do ÍNDICE com os respectivos pesos FATORESPESOS Proximidade da Comunidade Industrial10 Atendimento aos usuários25 Utilização dos Espaços/Instalações Específicos de CEL20 Manutenção dos Espaços/Instalações de CEL15 Recuperação financeira25 Perspectivas Futuras05 TOTAL100 Exemplo de Ferramenta Gerencial em Uso Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

16 FATORESPeso ponderado 1. Proximidade da comunidade industriaria Atendimento aos usuário 25 A) Pessoas (10) a) População do Município [05] b) Categoria do usuário [05] B) Empresas (15) 3. Utilização das instalações específicas de CEL Manutenção das instalações de CEL 15 A) Análise subjetiva (05) B) Análise objetiva (10) 5. Recuperação financeira Perspectivas futuras 05 TOTAL100 PONTOS FATORES para a elaboração do ÍNDICE com os respectivos pesos Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

17 Distribuição das Unidades de CEL nos DRs e respectivos percentuais DRQtde% AC10,4% AL31,1% AM10,4% AP10,4% BA82,8% CE41,4% DF41,4% ES103,5% GO93,2% MA62,1% MG5318,8% MS41,4% MT62,1% PA72,5% PE124,3% PI31,1% PR227,8% RJ196,7% RN31,1% RO31,1% RR10,4% RS3713,1% SC103,5% SE31,1% SP5419,1% TO20,7% TOTAL286100,0% Índice de Viabilidade Múltipla das Instalações de CEL do SESI (IVICEL/SESI) Resultados Gerais (N=286 Unidades de CEL) Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

18 Níveis de Viabilidade Múltipla FONTUAÇÃOQtde% 20 pontos ou menos135% 21 a 40 pontos4114% 41 a 60 pontos9934% 61 a 80 pontos11239% Mais de 80 pontos217% TOTAL286100% Totalmente viável a Totalmente inviável Mais de 80 pontos 61 a 80 pontos 41 a 60 pontos 21 a 40 pontos 20 pontos Ou menos Índice de Viabilidade Múltipla das Instalações de Cultura, Esporte e Lazer do SESI Resultados Gerais (N=286 Unidades de CEL) Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

19 Recomendações Gerais a partir dos dados do IVICEL Mapear cuidadosamente os resultados de 2011 e projetar melhorias contínuas de curto (2012), médio ( ) e longo ( ) prazo; Em princípio, estabelecer um crescimento do índice em CINCO pontos anuais, de forma que todo o sistema obtenha a pontuação mínima de 50 pontos em 2016; Identificar todas as Unidades com IVICEL acima de 80 pontos e conhecer os detalhes de suas boas práticas (benchmarking); Identificar todas as Unidades com IVICEL inferior a 20 pontos e projetar ações que elevem esse patamar para, no mínimo, 30 pontos ao final de 2012; Desenvolver um Manual de Orientação para que o IVICEL seja preenchido sem dúvidas; Criar um programa informatizado para alimentação atualizada de dados Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO

20 LUIZ CARLOS MARCOLINO ANTONIO CARLOS BRAMANTE OBRIGADO! Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO


Carregar ppt "Projeto Gestão e Otimização de Espaços de Cultura, Esporte e Lazer (CEL) do SESI: UM MODELO EM DESENVOLVIMENTO 3º. Congresso Ibero Americano de Instalações."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google