A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ESTATÍSTICA Professor Manuel. Ao pesquisarmos uma dada população estatística, freqüentemente, não é possível fazermos um levantamento de todos os elementos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ESTATÍSTICA Professor Manuel. Ao pesquisarmos uma dada população estatística, freqüentemente, não é possível fazermos um levantamento de todos os elementos."— Transcrição da apresentação:

1 ESTATÍSTICA Professor Manuel

2 Ao pesquisarmos uma dada população estatística, freqüentemente, não é possível fazermos um levantamento de todos os elementos que o compõem. Nesse caso, procuramos obter dados diferentes de uma parte da população estatística, que denominaremos Amostra.

3 Distribuição de Freqüência Fez-se uma pesquisa com 25 jovens de um bairro paulista, a respeito do time de futebol para o qual torciam. O resultado obtido aparece na lista seguinte: PalmeirasSão PauloPalmeirasSantosPalmeiras CorinthhiansSantosCorinthhians São Paulo SantosPalmeirasCorinthhiansPortuguesaCorinthhians JuventusCorinthhiansSão PauloSantosCorinthhians Santos PalmeirasSão Paulo

4 Construindo uma tabela... TimeFreqüência Palmeiras5 Corinthhians8 Santos6 Juventus1 São Paulo4 Portuguesa1 Total ƒ = 25 As freqüências são os n os de elementos da população ou amostra pesquisada que correspondem à faixa do fenômeno estudado.

5 Continuando... Chamamos de freqüência relativa (ƒr), a razão entre a freqüência correspondente (ƒ) e o nº total de pesquisados ( ƒ), ou seja: ƒr = ƒ ƒ É comum a apresentação da freqüência relativa em porcentagem: ƒ p = (100. ƒr ) %

6 Continuando... Na situação que estamos examinando, a porcentagem de torcedores do Palmeiras é: ƒ p = (100. 0,2) = 20%

7 Construindo uma nova tabela Time Freqüência (ƒ) Freqüência (ƒ r ) Porcentagem Palmeiras55/25 = 0,2020% Corinthhians88/25 = 0,3232% Santos66/25 = 0,2424% Juventus11/25 = 0,044% São Paulo44/25 = 0,1616% Portuguesa11/25 = 0,044% Total ƒ = %

8 Construindo uma nova tabela Obs.: São sempre válidos os seguintes resultados: ƒ Total ƒ = % Somatório da Freqüência ƒ r ƒ Somatório da Freqüência Relativa Somatório da Freqüência Relativa em Porcentagem

9 Gráfico de Barras ou de Colunas No gráfico de barras, colocamos as freqüências num eixo horizontal usando retângulos de mesma largura, cujos comprimentos são proporcionais às freqüências.

10 Gráfico de Barras ou de Colunas

11 Gráfico de Setores Nos gráficos de setores, desenhamos um círculo e o dividimos em setores que tenham áreas proporcionais às porcentagens (ou freqüências). Corinthians: 32% de 360° é 115,2° Santos: 24% de 360° é 86,4° Palmeiras: 20% de 360° é 72,0° Portuguesa: 4% de 360° é 14,4° Juventus: 4% de 360° é 14,4° São Paulo: 16% de 360° é 57,6°

12 Consideremos uma pesquisa na qual foram obtidos os resultados que constam na lista abaixo: Mediana Chamamos de mediana (Md) de uma distribuição o valor que ocupa o posição central quando todos os valores são colocados em ordem. Exemplo: 21 observações 10 observações de um lado 10 observações do outro lado Md

13 Obs.: Se o nº dos valores da lista for par, a mediana será a média aritmética dos dois valores centrais quando todos eles são colocados em ordem. Exemplo: Consideraremos uma pesquisa na qual foram obtidos os resultados que constam na seguinte lista: Mediana 4 observações do outro lado 4 observações de um lado Temos: 4+5 Md = 2 = 4,5

14 Mediana Nº de PontosFreqüência Total49 Exemplo: Determine a mediana da distribuição da freqüência dada pela tabela abaixo: Solução: Neste caso, em que há 49 valores, a posição central é a 25ª, observando as freqüências, percebemos que: ; logo, temos: Md = 4.

15 Média Chamamos de média (M) de uma distribuição a média aritmética dos valores dados. Exemplo: Numa pesquisa foram obtidos os resultados que constam na lista abaixo: M = 8 = 4,5

16 Moda O mais freqüente Exemplo 1: Moda = 3 Exemplo 2: Moda = 2 e 4 Exemplo 3: Moda = Não existe (estado amodal)

17 Desvio Consideraremos a distribuição cujos resultados constam na lista seguinte: Sabemos que a média desta distribuição é: M = 5 = 7 Chamamos de desvio de cada valor a diferença entre esse valor e a média da distribuição. Assim: o desvio do valor 4 é = - 3; o desvio do valor 6 é 6 – 7 = - 1; o desvio do valor 7 é 7 – 7 = 0; o desvio do valor 8 é 8 – 7 = 1; o desvio do valor 10 é 10 – 7 = 3.

18 Desvio Médio Chamamos de desvio médio (DM) de uma distribuição a média aritmética dos módulos dos desvios. No exemplo analisado, o desvio médio: DM = | -3 | + | -1 | + | 0 | + | 1 | + | 3 | 5 =1,6 Generalizando, tendo-se uma distribuição cujos resultados constam na lista abaixo: x 1 x 2 x n E cuja média é M, define-se como desvio médio dessa distribuição a expressão: DM = | x 1 – M| + | x 2 – M| |x n – M| n

19 Variância Chamamos de variância (V) de uma distribuição a média aritmética dos quadrados dos desvios. No exemplo em questão, a variância é: V = (-3) 2 + (-1) 2 + (0) = 4 Generalizando, tendo-se uma distribuição cujos resultados constam na lista seguinte: x 1 x 2 x n e cuja média é M, define-se com variância dessa distribuição a expressão: V = (x 1 – M) 2 + (x 2 – M) (x n – M) 2 n

20 Desvio - Padrão Chamamos de desvio-padrão (DP) de uma distribuição a raiz quadrada da variância: DP = V v No nosso exemplo, o desvio-padrão é: DP = V v = V 4 = 2

21 Exercícios MODA = 3MEDIANA = MÉDIA = = 3,1

22 = 42% de 360º = 42 x 360º = = 151,2%

23 Ma Gols = = 2,25

24 23 x x x x x 3, Ma = 351,1 60 Ma = 5,85

25 rp = 45% 45% 37,5 17,5% A r = = 0, B 360º 100 % 135º X % 135 x X = X = 37,5% 37,5% + 45% = = 82,5% 100% - 82,5% = = 17,5% C 17,5% de 1280 = = 224

26

27

28

29


Carregar ppt "ESTATÍSTICA Professor Manuel. Ao pesquisarmos uma dada população estatística, freqüentemente, não é possível fazermos um levantamento de todos os elementos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google