A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IV Interpólos de Futebol Society AESABESP Sustentabilidade Ambiental e a Prática de Esportes Centro de Convenções Serra Negra – 16/05/08 Marcelo Morgado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IV Interpólos de Futebol Society AESABESP Sustentabilidade Ambiental e a Prática de Esportes Centro de Convenções Serra Negra – 16/05/08 Marcelo Morgado."— Transcrição da apresentação:

1 IV Interpólos de Futebol Society AESABESP Sustentabilidade Ambiental e a Prática de Esportes Centro de Convenções Serra Negra – 16/05/08 Marcelo Morgado – Assessor de Meio Ambiente da Presidência

2 A questão do Meio Ambiente?

3 A evolução do homem Coletor Caçador Cultivador Criador Estocar, modificar,...

4 Resultado desta evolução Domínio do homem sobre os demais seres Urbanização Desmatamento Quebra do equilíbrio entre os seres vivos e o ambiente em que vivem Ex: domínio do fogo 1ª poluição atmosférica

5 50,3% GESP Valor de Mercado Por que ocorre este desequilíbrio?

6 Planeta Terra - Sistema Fechado MEIO AMBIENTE REDUÇÃOAUMENTO Recursos naturais Rejeitos

7 Quais são os reflexos destes erros?

8 PRINCIPAIS PROBLEMAS AMBIENTAIS DO MUNDO ATUAL EFEITO ESTUFA – aumento da temperatura ambiente BURACO NA CAMADA DE OZÔNIO DESMATAMENTO & PERDA DA BIODIVERSIDADE POLUIÇÃO DO SOLO, DO AR E DAS ÁGUAS POLUIÇÃO SONORA E INTRUSÃO VISUAL EXCESSO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

9 Contaminação da Água Formas de contaminação da água: Detergentes, desinfetantes, solventes e metais pesados jogados no esgoto e nos rios pelas indústrias Lixo e detrito jogados nos rios e lagos Uso de fertilizantes, inseticidas, herbicidas e fungicidas utilizados nas plantações, que se infiltram na terra Produtos derivados de petróleo que vazam e são arrastados pela água da chuva (um litro de óleo de fritura pode contaminar mais de litros de água) Restos de animais mortos Chuva ácida Exemplo de conseqüências da poluição: Proliferação de algas nas lagoas e represas, causada pelo despejo de esgoto e fertilizantes

10 Geração de lixo A quantidade de lixo produzida por um ser humano varia de 1 a 5 kg / dia; Em uma semana dá para encher um estádio para pessoas com o lixo produzido por uma cidade como São Paulo; O lixo é uma fonte de riquezas. No Brasil são desperdiçados cerca de R$ 4,6 bilhões por ano por não se reciclar tudo que é reciclável;

11 IMPACTO DO MODELO TRADICIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO NA NATUREZA

12 ATUALMENTE, CERCA DE METADE DOS RIOS DO MUNDO ESTÃO SERIAMENTE DEGRADADOS OU CONTAMINADOS...

13 ESTÃO AMEAÇADOS DE EXTINÇÃO: ESPÉCIES DE MAMÍFEROS (~ 25 % total); ESPÉCIES DE AVES (~ 12 % total); ~ ESPÉCIES PLANTAS ( ~ 10 % total)

14 SP - Capital METADE DOS MANGUEZAIS FORAM PERDIDOS NO SÉCULO PASSADO, PRINCIPALMENTE POR LOTEAMENTOS E OCUPAÇÃO DA COSTA...

15 APROXIMADAMENTE 2,4 BILHÕES DE PESSOAS NÃO TÊM SANEAMENTO BÁSICO ADEQUADO...

16 SP - Capital 1,1 BILHÃO DE PESSOAS NÃO TEM ACESSO A ÁGUA POTÁVEL SEGURA

17 5 % DAS DOENÇAS E MORTES NO MUNDO SÃO CAUSADAS PELA POLUIÇÃO DO AR

18 ... o Córrego Carajás no bairro do Carandirú Onde você quer estar?

19 Não herdamos o mundo de nossos pais, mas o tomamos emprestados de nosso filhos Cacique Seattle, EUA, Séc. XIX Cacique Seattle, EUA, Séc. XIX

20 Tempo de Decomposição do Lixo ProdutoTempo de decomposição JornaisDe 14 a 42 dias PapelDe 1 a 4 meses Guardanapos3 meses Restos OrgânicosDe 2 meses a 1 ano Madeira6 meses Cigarro e Fósforos2 anos Chiclete5 anos NailonAcima de 30 anos PlásticoAcima de 100 anos Latas de AlumínioAcima de anos Vidro Acima de 1 milhão de anos Depende das condições em que o material estiver mantido. Ex.: exposto ao sol, chuva, água do mar etc.

21 PROGRAMAS AMBIENTAIS Ecologia com Economia. A coleta seletiva é uma forma de cada funcionário atuar no seu cotidiano como cidadão consciente na busca de melhor qualidade de vida para as próximas gerações. COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS A Coleta Seletiva visa a reciclagem de materiais, minimizando os impactos ambientais ao poupar matéria-prima, água e energia e reduzir o envio de lixo para aterros. Exemplos: papel reciclado significa menor abate de árvores. Metal reciclado menor extração de minerais e consumo de combustível e geração de poluição nos fornos siderúrgicos. Além disto, é possível doar os recicláveis para cooperativas e obras beneficentes, ajudando muitas pessoas carentes. Para viabilizar o reprocessamento industrial é essencial segregar na fonte os materiais. A mistura faz cair o valor de venda, pode trazer prejuízo para a qualidade dos produtos obtidos, ou até inviabilizar a reciclagem. O descarte de itens fora de uso e sucatas deve ser feito nos recipientes identificados com legenda e cores padronizadas.

22 PAPEL / PAPELÃO PLÁSTICO VIDRO METAL RESÍDUOS PERIGOSOS LIXO COMUM COLABORE COM A COLETA SELETIVA !

23 COLETA SELETIVA Conheça algumas medidas importantes para não poluir o meio ambiente na hora de jogar fora o seu lixo PLÁSTICOVIDROPAPEL / PAPELÃO METAL

24 Já é inquestionável hoje a importância da reciclagem de materiais, que assume uma posição cada vez mais estratégica em qualquer ação envolvendo cidadania e meio ambiente. É preciso a conscientização de todos no sentido de entendermos que nosso planeta é a nossa "casa". Sendo assim, não existe "botar fora o lixo", pois tudo o que produzimos, de bom ou de ruim, fica aqui mesmo em nosso planeta. No que se refere aos resíduos domésticos, a coleta seletiva é o primeiro estágio para a reciclagem e o que mais simboliza o ato de cidadania. Aqui, vamos entender um pouco como funciona e seus benefícios para todos.

25 Materiais recicláveis Garrafas, frascos em geral, potes e copos de qualquer cor. Não recicláveis: vidros planos e espelhos (a reciclagem existe entre os fabricantes); lâmpadas (contém mercúrio e se paga para envio a recicladores especializados); tubos de TV e de vídeo Lixeira verde - Vidros Lixeira azul - Papéis Jornais, revistas, cadernos, papéis de escritório, embalagens e papelão. Não recicláveis: papel higiênico, papéis encerados, parafinados, aluminizados e plastificados.

26 26 O que é a coleta seletiva? A coleta seletiva, realizada pelas empresas de recolhimento de lixo e por PEVs em apenas em algumas cidades no país, representa um grande passo para a melhoria das condições de higiene e adiar a saturação dos aterros sanitários. A coleta seletiva e a reciclagem permitem economizar energia e água usadas nos processos de fabricação e os recursos naturais de onde provêm as matérias-primas. Basicamente, cada cidadão deve ensacar o seu lixo separando os produtos recicláveis de acordo com estas quatro categorias principais: plásticos, metais, papéis e vidros ou na maior parte dos programas em lixo seco (recicláveis) e não recicláveis (lixo úmido). Um desafio: implantar a coleta seletiva em todas as instalações da Associação Sabesp ! A coleta seletiva em todas as plantas da Sabesp é uma das 10 diretrizes da Presidência.

27 O processo de reciclar materiais está baseado nestas três condições: Reduzir Reduzir consiste em diminuir a quantidade do lixo produzido, desperdiçar menos, consumir só o necessário, sem exageros. Reutilizar Reutilizar é dar nova utilidade a materiais que na maioria das vezes consideramos inúteis e são jogados no lixo. Existem inúmeras formas de reutilizar os materiais como por exemplo: o caso das embalagens de comestíveis, que após vazias passam a servir de recipientes para fins diversos. Reciclar Entrega voluntária dos materiais às cooperativas de catadores ou empresa municipal de recolhimento, para estes serem destinados às indústrias recicladoras e posterior transformação em novos materiais. 3Rs

28 Central de Resíduos Local de estocagem dos resíduos. Não fumar. Manter limpo.

29 Atenção na segregação de resíduos As empresas que recolhem lixo recomendam que a separação seja feita em sacos transparentes e preferencialmente nas cores padrão, para que o responsável pelo processo possa identificar o material reciclável. Importante: - Os materiais recicláveis devem estar limpos e livres de lixo, como restos de comida, que podem atrair insetos e roedores; - Objetos cortantes (agulhas, cacos de vidro etc.) deverão estar embalados em jornal, para evitar ferimentos nos manipuladores; - Baterias de celular devem ser devolvidas ao fabricante, ou depositadas em cestos especiais (cor laranja) na cidade. Algumas empresas recolhem pilhas (Ex: Banco Real e Drogaria São Paulo).

30 Materiais recicláveis Lixeira vermelha - Plásticos Garrafas, sacos, sacolas, potes, tampas e utensílios domésticos. Não recicláveis: plástico aluminizado (Ex: salgadinhos) Lixeira amarela - Metais Latas em geral, peças de alumínio, peças de cobre, chumbo, bronze, fios e pequenas sucatas. Caso haja compradores para cada tipo, convém separar pois o cobre e o alumínio tem valor bem maior. O metal prevalece num resíduo (Ex: mangueira plástica com reforço de aço: o plástico será queimado no forno siderúrgico).

31 Materiais recicláveis Garrafas, frascos em geral, potes e copos de qualquer cor Não recicláveis: vidros planos e espelhos (a reciclagem existe entre os fabricantes); lâmpadas (contém mercúrio e se paga para envio a recicladores especializados); tubos de TV e de vídeo Lixeira verde - Vidros Lixeira azul - Papéis Jornais, revistas, cadernos, papéis de escritório, embalagens e papelão. Não recicláveis: papel higiênico, papéis encerados, parafinados, aluminizados e plastificados.

32 Materiais não recicláveis Borrachas em geral É possível reciclar borrachas não vulcanizadas mas somente no mercado industrial. Barbantes e cordas & porcelanas e louças quebradas Podem porém ser usados em artesanato. Baquelites Cabos de panela. Celofane Componentes eletrônicos Algumas embalagens de doces (não esticam como os plásticos). Apenas em grandes quantidades e no mercado industrial

33 Usar jato dágua na limpeza de calçadas é inadmissível e proibido por lei nos países desenvolvidos e alguns municípios no Brasil. Além do desperdício de água potável, o lixo é carreado para as galerias pluviais, provocando entupimento. Use a vassoura !! Limpe sua Calçada, mas não suje os Rios! Cada sabespiano um agente ambiental Água para beber, não para varrer

34 ÁREAS VERDES: ÁREAS VERDES: A Sabesp têm grande orgulho das áreas verdes de todas as unidades. Colabore com sua conservação, não pisando na grama, não jogando lixo nos gramados e não molestando pássaros. Vamos plantar árvores em todos espaços em que isto for possível. A água não nasce em árvores, mas sem árvores não se tem água... PREVENÇÃO DE ACIDENTES AMBIENTAIS: PREVENÇÃO DE ACIDENTES AMBIENTAIS: Recipientes de produtos químicos devem ser estocados em locais providos de contenção, para evitar que vazamentos ou derramamentos atinjam a rede de esgotos ou pluvial. É FALTA MUITO GRAVE DESPEJAR SOBRAS DE PRODUTOS QUÍMICOS OU DE LAVAGEM DE PEÇAS E EMBALAGENS EM BUEIROS E BOCAS-DE-LOBO. Pequenas quantidades são suficientes para matar os peixes. Em caso de derramamentos, acione a Chefia e procure conter o produto com serragem ou outro recurso que impeça o escorrimento para bueiros de águas pluviais.

35 RESTAURANTES/BARES/CANTINAS: RESTAURANTES/BARES/CANTINAS: - Evite desperdício de alimentos retirando apenas as porções que pretende comer. Jogar fora alimentos é não pensar na Natureza, nem nas pessoas pobres do país e do mundo. Pense na sua fome antes de encher o prato e pense na fome dos pobres antes de devolvê- lo; -Não saia com alimentos dos restaurantes, nem consuma alimentos ou bebidas quando estiver manipulando produtos químicos de limpeza ou inseticidas; - Recicle óleo de fritura. Pode ser usado para produzir sabão, biodiesel, tintas etc. Que tal reciclarmos todo o óleo de fritura que geramos na Associação Sabesp ??

36 ECONOMIA DE PAPEL A4: ECONOMIA DE PAPEL A4: Não desperdice papel. Lembre-se que cada tonelada de papel representa 16 árvores (eucaliptos). Você pode adotar atitudes simples como: 1) não imprima mensagens e textos desnecessariamente. Corrija na tela antes de imprimir; 2) Use papel reciclado ao invés de papel branco; 3) Imprima frente & verso e use o verso como rascunho ou papel para anotações. Colabore com sugestões e dê sua colaboração para combatermos os desperdícios. DESTINAÇÃO DE PANOS DE LIMPEZA: DESTINAÇÃO DE PANOS DE LIMPEZA: Panos de limpeza podem ser reusados. Ao lavá-los descarte a água na rede de esgotos e não na galeria pluvial.

37 ECONOMIA DE ENERGIA: ECONOMIA DE ENERGIA: Num mundo ameaçado pelo aquecimento global poupar energia (eletricidade, combustíveis etc.) é a grande prioridade !!! Isto se faz com pequenas atitudes: ao sair apague a luz, não deixe computadores e impressoras ligadas ao fim do expediente. Use a luz e ventilação naturais sempre que possível. Não faça fogueiras ! Não solte balões ! (é crime ambiental). Mantenha seu carro regulado ! ÁREAS VERDES: ÁREAS VERDES: A Sabesp tem grande orgulho das áreas verdes de todas as unidades. Colabore com sua conservação, não pisando na grama, não jogando lixo nos gramados e não molestando pássaros. Vamos plantar árvores em todos espaços em que isto for possível ! Vamos compostar as sobras de poda e rastelagem dos gramados, borra de café e cascas de frutas e produzir fertilizante ! A água não nasce em árvores, mas sem árvores não se tem água...

38 Esportes & Natureza Qualidade de vida As atividades desportivas são fundamentais para a saúde e bem estar e funcionam como um alívio para o estresse da vida moderna. Espírito de equipe A prática de jogos em equipe forja nos jovens o companheirismo e um espírito de competição sadia e solidariedade. Valores Alcançar resultados exige esforço, disciplina e auto-superação, valores que o esporte incute na juventude.

39 Esportes & Natureza Fonte de renda Os esportes podem constituir ainda uma fonte de renda para muitos atletas. Atletas como agentes ambientais Os praticantes dos chamados esportes radicais são dedicados vigilantes de unidades de conservação, zelando para prevenir e denunciar as agressões ambientais a também atuando como agentes de educação ambiental pelos mais longínqüos e inacessíveis regiões do globo.

40 Programa da 4ª Audiência de Sustentabilidade – 19/02/08 Associação Sabesp: Esportes & Natureza Claudio Antonio Borges – Presidente - Associação Sabesp Programa Adote uma Montanha Maurício Moreira de Souza – Coordenador do Programa – FEMESP – Federação de Montanhismo do Est. de S. Paulo Ciclismo como Forma de Integração do Esportista à Natureza André Barbieri – Dir. Marketing – FPC – Federação Paulista de Ciclismo Dificuldades na Realização de Provas na RMSP Frederico Paukoski Wilche – Presidente – FPTri – Fed. Paulista de Triathlon Patrulhamento Aéreo da Serra do Mar Luiz Carlos Laghi Filho – Presidente – ABVL – Assoc. Bras. de Vôo Livre Trabalho com Crianças da Comunidade São Remo Adalberto Carvalho de Almeida – Coord. Geral de Esportes FPCa – Fed. Paulista de Canoagem

41 Muito Obrigado! e Bom Jogo! Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo Marcelo Morgado - Assessor de Meio Ambiente - Presidência R. Costa Carvalho, 300 – Pinheiros – CEP – São Paulo, SP Tel. (11) – Fax (11)


Carregar ppt "IV Interpólos de Futebol Society AESABESP Sustentabilidade Ambiental e a Prática de Esportes Centro de Convenções Serra Negra – 16/05/08 Marcelo Morgado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google