A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Modernismo A arte como representação do mundo. O Brasil nas primeiras décadas do século XX - São Paulo torna-se o centro econômico-cultural do país. -

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Modernismo A arte como representação do mundo. O Brasil nas primeiras décadas do século XX - São Paulo torna-se o centro econômico-cultural do país. -"— Transcrição da apresentação:

1 Modernismo A arte como representação do mundo

2 O Brasil nas primeiras décadas do século XX - São Paulo torna-se o centro econômico-cultural do país. - Contradições entre o velhoe o novo: política do café-com-leite versus descontentamento de camadas sociais marginalizadas do poder – a burguesia industrial incipiente, o Exército, as classes médias. - Greve geral de Tenentismo ( ). - Coluna Prestes (1925).

3 CONTEXTO HISTÓRICO Primeira Guerra Mundial Proximidade do 1º Centenário da Independência Jovens intelectuais de São Paulo Necessidade de uma atualização das artes. Busca de identidade nacional, através do retorno às raízes culturais do país.

4 MOVIMENTOS DE VANGUARDA

5 As vanguardas vindas da Europa vão confluir com esta necessidade de renovação. Alguns eventos e exposições marcam este período e antecedem a eclosão do MODERNISMO BRASILEIRO,na SEMANA DE ARTE MODERNA de Lasar Segall, 1928 contato com vanguardas alemãs. Anita Malfatti, 1917 instiga os artistas e jovens intelectuais a se organizar como grupo e promover A ARTE MODERNA NACIONAL.

6

7 Victor Brecheret,1920 as estilizações das figuras monumentais e o vigor e expressividade da tensões musculares.

8 POR QUE SÃO PAULO COMO CENTRO DE IDÉIAS MODERNISTAS? - Crescimento industrial. - Imigração. - Urbanização. - Combinação do capital das lavouras cafeeiras com o capital industrial. - Fusão das elites dominantes ( casamentos entre burgueses imigrantes e filhas de fazendeiros).

9 PSICANÁLISE FILOSOFIA DA INTUIÇÃO MOVIMENTOS DE VANGUARDA É nesse contexto que vão eclodir os chamados movimentos de VANGUARDA européia.A maioria desses movimentos foram efêmeros, viveram mais de manifestações do que de produções artísticas-, mas todos eles deixaram ligados que, depurados dos exageros e radicalismos, formam a base do que chamamos genericamente de MODERNISMO.

10 Analise e aprecie as características mais relevantes dos principais movimentos de vanguarda. EXPRESSIONISMO – ALEMANHA 1910 Abandono do conceito clássico de beleza. Deformação do real em nome da expressão direta e veemente da subjetividade. Inquietação religiosa e social, arte engajada. Utilização, na literatura, do fluxo de consciência (apreensão da consciência em operação)

11 FUTURISMO- ITÁLIA – MARINETTI 1909

12 Culto da vida moderna, da velocidade, da agressividade. Desprezo pelo passado. Uso das palavras em liberdade: destruição da sintaxe tradicional. Busca de síntese. Antidiscursivismo.

13 Ode Triunfal Tenho os lábios secos, ó grandes ruídos modernos. De vos ouvir demasiadamente de perto. E arde-me a cabeça de vos querer cantar com um excesso De expressões de todas as minhas sensações, Com um excesso contemporâneo de vós, ó máquinas. (... ) Ah, poder exprimir-me todo como um motor se exprime! Ser completo como uma máquina! Poder ir na vida triunfante como um automóvel último-modelo! - Fernando Pessoa -

14 CUBISMO – FRANÇA APOLLINARE 1913

15 Representação do essencial, reprodução dos objetos em suas geométricas básicas. Prática do realismo intelectual: o artista deve representar, não só o que vê, mas também o que não vê e sabe que existe. Multiplicação de planos e focos narrativos. Subversão da lógica aparente no tratamento do tempo e espaço.

16

17 Leia um texto cubista: Poema de Sete Faces Quando nasci, um anjo torto desses que vivem na sombra disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida. As casas espiam os homens que correm atrás de mulheres. A tarde talvez fosse azul, não houvesse tantos desejos. O bonde passa cheio de pernas: pernas brancas pretas amarelas. Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração. Porém meus olhos não perguntam nada.

18 O homem atrás do bigode é sério, simples e forte. Quase não conversa. Tem poucos, raros amigos o homem atrás dos óculos e do bigode. Meu Deus, por que me abandonaste se sabias que eu não era Deus se sabias que eu era fraco. Mundo, mundo vasto mundo se eu me chamasse Raimundo, seria uma rima, não seria uma solução. Mundo, mundo vasto mundo, mais vasto é meu coração.

19 Mundo, mundo vasto mundo, mais vasto é meu coração. Eu não devia te dizer mas essa lua mas esse conhaque botam a gente comovido como o diabo. Gauche: termo francês, quer dizer torto, desajeitado

20 DADAÍSMO – SUÍÇA TZARA 1916 Desconfiança em relação a todos os sistemas. Agressividade, ceticismo, anarquia, irreverência, niilismo. Expressão do nojo do homem diante da guerra. Antiarte, antiliteratura.

21 Para fazer um poema dadaísta Pegue um jornal. Pegue a tesoura. Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema Recorte o artigo. Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco. Agite suavemente. Tire em seguida cada pedaço um após o outro Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco. O poema se parecerá com você. E ei-lo um escritor infinitamente original e de uma sensibilidade graciosa, ainda que incompreendido. (Tristan Tzara)

22 SURREALISMO – FRANÇA BRETON Arte como expressão do inconsciente. Libertação de qualquer crítica da razão, preconização da escrita automática. Interesse pelos sonhos e mitos. Anticonvencionalismo, humor negro. Reivindicação de um papel humanizador e libertador para a ARTE.

23

24

25 O PASTOR PIANISTA Soltaram os pianos na planície deserta Onde as sombras dos pássaros vêm beber. Eu sou o pastor pianista, Vejo ao longe com alegria meus pianos Recortarem os vultos monumentais Contra a lua. Acompanhado pelas rosas migradoras Apascento os pianos que gritam E transmitem o antigo clamor do homem (Murilo Mendes)

26 A SEMANA DE ARTE MODERNA A semana é ao mesmo tempo PONTO DE CHEGADA e PONTO DE PARTIDA. Representa uma tomada de posição dos artistas novos diante do público, um assumir conscientemente o propósito de buscar caminhos renovadores para a CULTURA e a ARTE brasileiras. O GRUPO Ronald de Carvalho DE VANGUARDA Mário de Andrade Oswald de Andrade Sérgio Melliet Guiomar Novaes Villa-Lobos Victor Brecheret Anita Malfetti Di Calvalcanti

27 PROPÓSITOS DEFINIDOS Oposição ao PASSADO, à eloqüência e ao formalismo Parnasiano: POÉTICA Estou farto do lirismo comedido Do lirismo bem comportado Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente protocolo e manifestações de apreço ao Sr. Diretor Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o cunho vernáculo de um vocabulário.

28 Abaixo os puristas Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais Todas as construções sobretudo as sintaxes de exceção Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis. Estou farto do lirismo namorador Político Raquítico Sifilítico De todo lirismo que capitula ao que quer que seja fora de si mesmo.

29 De resto não é lirismo Será contabilidade tabela de co-senos secretário do amante exemplar com cem modelos de cartas e as diferentes maneiras de agradar às mulheres. Quero antes o lirismo dos loucos O lirismo dos bêbedos O lirismo difícil e pungente dos bêbedos O lirismo dos clows de Shakespeare - Não quero mais saber do lirismo que não é libertação. BANDEIRA, Manuel.Libertinagem.In: Poesia Completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1985.p.207.

30 Defesa do direito à pesquisa estética, que conduzisse à mudança e atualização da ARTE BRASILEIRA. Consciência da necessidade de valorização do Nacional.

31 GRUPOS MODERNISTAS Corrente DINAMISTA: preocupação com o progresso material, com o movimento e a velocidade. Corrente PRIMITIVISTA: preocupação com motivos primitivos. Corrente NACIONALISTA: nacionalização – movimentos verde-amarelo, movimento da Anta e movimento da Bandeira- anti-europeísmo. Corrente ESPIRITUALISTA:herança simbolista, conciliação do passado e futuro e universalidade de temas.

32 Corrente DESVAIRISTA: Descentralização: liberdade de pesquisa estética, renovação da poesia, criação da língua nacional. Corrente do SENTIMENTALISMO INTIMISTA E ESTETICISTA. Alguns escritores, como Manuel Bandeira, NÃO se filiaram a nenhum grupo.

33 FASES DO MODERNISMO BRASILEIRO A crítica, em geral, distingue três momentos na evolução do MODERNISMO BRASILEIRO. PRIMEIRA FASE: de 1922 a Características: Busca de inspiração nas raízes da nacionalidade: Brasil pré-cabralino, índio; cultura provinciana de faixa litorânea com tradições coloniais, marcha para o oeste. Influência das correntes de vanguarda européia e americana. Espírito polêmico e destruidor: anarquia, irracionalismo, manifestos. Luta contra a tradição, mais destruição que construção. Nacionalismo intransigente.

34 Principais Conquistas da 1ª Geração Modernista Verso livre. Associação mais analógica que lógica entre as palavras. Preferência por substantivos e verbos, em vez de adjetivos e advérbios. Blague( poema-piada), bom humor, ironia. Mistura entre poesia e prosa. Utilização de linguagem coloquial. Temáticas tradicionalmente consideradas não- poéticas.


Carregar ppt "Modernismo A arte como representação do mundo. O Brasil nas primeiras décadas do século XX - São Paulo torna-se o centro econômico-cultural do país. -"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google