A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FORMAS DE CONHECIMENTO João Paulo Magna Júnior Vulgar Científico Filosófico Religioso Mitológico.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FORMAS DE CONHECIMENTO João Paulo Magna Júnior Vulgar Científico Filosófico Religioso Mitológico."— Transcrição da apresentação:

1 FORMAS DE CONHECIMENTO João Paulo Magna Júnior Vulgar Científico Filosófico Religioso Mitológico

2 INTRODUÇÃO O CONHECIMENTO Complexo de ser definido; Pode ser definido pela relação sujeito-objeto, onde o sujeito cognoscente se apropria, de certo modo, do objeto conhecido sujeitoobjeto conhecimento Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

3 INTRODUÇÃO O CONHECIMENTO Conhecimento sensível: apropriação física ou sensível. Ex: representação de um som. Conhecimento intelectual: apropriação não sensível. Ex: conceitos, princípios e leis. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

4 INTRODUÇÃO OS DIFERENTES TIPOS DE CONHECIMENTO O sujeito apropria-se do objeto de diferentes formas e níveis de apropriação, o que gera interpretações diversas sobre uma mesma realidade. Ex: homem. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

5 INTRODUÇÃO OS DIFERENTES TIPOS DE CONHECIMENTO O homem pode ser analisado considerando seu aspecto externo e aparente (vulgar); investigando experimentalmente as relações existentes entre certos órgãos e suas funções (científico); questionando sua origem, sua liberdade e destino (filosófico); investigando o que dele foi dito por Deus através dos profetas e Jesus Cristo (religioso). Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

6 CONHECIMENTO VULGAR (empírico ou senso-comum) É o conhecimento do povo, obtido ao acaso após inúmeras tentativas, ou seja, o conhecimento obtido através de ações não planejadas. Esse conhecimento é resultado de suposições e de experiências pessoais Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

7 CONHECIMENTO VULGAR (empírico ou senso-comum) Características: superficial: conforma-se com a aparência, com aquilo que se pode provar simplesmente estando junto das coisas. Expressa-se por frases como porque o vi, porque o senti, porque o disseram, porque todo mundo diz; subjetivo: o próprio sujeito que organiza suas experiências e conhecimentos, tanto os que adquirem por vivência própria, quanto os por ouvir dizer; Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

8 CONHECIMENTO VULGAR (empírico ou senso-comum) Características: sensitivo: referente as vivências, estados de ânimo e emoções da vida diária; assistêmico: a organização das experiências não visa a uma sistematização de idéias, nem a forma de adquiri- las, nem na tentativa de validá-la; acrítico: verdadeiros ou não, a pretensão de que esses conhecimentos o sejam não se manifesta sempre de uma forma crítica. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

9 CONHECIMENTO VULGAR (empírico ou senso-comum) Exemplo: a chave está emperrando na fechadura e, de tanto experimentarmos abrir a porta, acabamos por descobrir (conhecer) um jeitinho de girar a chave sem emperrar. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

10 CONHECIMENTO CIENTÍFICO É o conhecimento racional, sistemático, exato e verificável na realidade. Sua origem está nos procedimentos de verificação baseados na metodologia científica. O conhecimento científico vai além do empírico, procurando conhecer, além do fenômeno, suas causas e leis Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

11 CONHECIMENTO CIENTÍFICO Características: amplo e profundo: o indivíduo não tem um conhecimento superficial de algo e sim mais amplo e profundo, sabendo o porquê das coisas; não sensitivo e objetivo: suas conclusões não são baseadas em vivências ou emoções da vida diária, ou seja, não é sensitivo e não tem caráter subjetivo; sistemático: suas idéias são sistematizadas, tanto na forma de adquiri-las, como na forma de validá-las; Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

12 CONHECIMENTO CIENTÍFICO Características: crítico: possuiu um senso crítico apurado; real: lida com ocorrências ou fatos; experimental: as proposições ou hipóteses tem sua veracidade ou falsidade conhecida através de experimentação e não apenas pela razão; verificável: as informações (hipóteses) que não podem ser comprovadas não pertencem ao âmbito da Ciência. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

13 CONHECIMENTO CIENTÍFICO Características: falível: não é definido como definitivo, absoluto ou final, e por esse motivo é aproximadamente exato, porque novas proposições e o desenvolvimento de novas técnicas podem reformular o acervo da teoria existente. Exemplo: descobrir uma vacina que evite uma doença. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

14 CONHECIMENTO FILOSÓFICO É fruto do raciocínio e da reflexão humana. É o conhecimento especulativo sobre fenômenos gerais do universo, ultrapassando os limites formais da Ciência. Filosofia (philein e sophia) equivale a amor pela sabedoria ou, o que quer dizer o mesmo que desejo de saber, de conhecimento. A Filosofia é uma tentativa do espírito humano para chegar a uma concepção de universo por meio de auto-reflexão sobre as suas funções de valor teóricas e práticas. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

15 CONHECIMENTO FILOSÓFICO Características: racional: se baseia na razão, os conceitos são formados a partir da reflexão sobre a realidade; não experimental e valorativo: não exige experimentação, é valorativo, pois, seu ponto de partida consiste em hipóteses que não poderão ser submetidas a observação; Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

16 CONHECIMENTO FILOSÓFICO Características: não verificável: os enunciados das hipóteses filosóficas, ao contrário do que ocorre no campo da ciência, não podem ser confirmados ou refutados; sistemático: as hipóteses e enunciados visam a uma representação coerente da realidade estudada, numa tentativa de aprendê-la na sua totalidade; infalível e exato: os postulados, assim como suas hipóteses, não são submetidos ao decisivo teste de observação (experimentação), ao contrário do que ocorre na Ciência. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

17 CONHECIMENTO FILOSÓFICO Exemplo: o homem é a parte entre o animal e o além-homem. (NIETZSCHE ) Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

18 CONHECIMENTO RELIGIOSO (teológico) É aquele conjunto de verdades a que os homens chegam, não com o auxílio de sua inteligência, mas mediante aceitação dos dados da revelação divina. Esse conhecimento baseia-se no puro sentimento e minimamente na razão. Quando conhecimentos religiosos são organizados e sistematizados em um corpo coerente de doutrina, transforma-se em religião mais ou menos institucionalizada, como o budismo, o judaísmo, o catolicismo e o islamismo. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

19 CONHECIMENTO RELIGIOSO (teológico) Características: inspiracional e não verificável: por não se basear na razão, nem buscar fundamentação nos sentidos; aceitação plena: não admite dúvidas, a aceitação é a única atitude possível ao sujeito; valorativo, infalível, indiscutível e exato: o conhecimento religioso é valorativo, pois se apóia em doutrinas que contém proposições sagradas e estas, por serem consideradas verdades absolutas, são infalíveis e indiscutíveis, portanto são exatas; Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

20 CONHECIMENTO RELIGIOSO (teológico) Características: sistemático: é um conhecimento sistemático do mundo (origem, significado, finalidade e destino) como obra de um criador divino. Exemplo: acreditar que alguém foi curado por um milagre; acreditar em Duende; acreditar em reencarnação. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

21 CONHECIMENTO MITOLÓGICO O conceito de mito é bastante ambíguo, dependendo do enfoque em que é analisado: pejorativo (falso, irreal, sem valor); significativo (linguagem qeu revela do sentido real verdadeiro). Algumas definições: narrativas dos tempos fabulosos ou heróicos; narrativa de significação simbólica, geralmente ligada à cosmologia e relativa a deuses encarnadores das forças da natureza e/ou de aspectos da condição humana; representação de fatos ou personagens reais, exagerados pela imaginação popular, pela tradição, etc. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

22 CONHECIMENTO MITOLÓGICO O conhecimento mitológico é fruto da interpretação humana baseado em personagens históricos como os Deuses e semideuses da antiguidade, ou exagerados pela imaginação popular. Nas épocas antigas, entre os povos primitivos, o mito como forma de conhecimento tinha a função de descrever, explicar, dar normas, dizer as origens, desempenhar o papel da teologia, de filosofia, de ciência, saberem que foram estruturados ao longo da história. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

23 CONCLUSÃO O ser humano pode dispor-se de diversas formas de conhecimento sem que uma interfira ou exclua a outra. As configurações de conteúdo e de método são por demais suficientes para que as pessoas possam se comportar como cientistas, filósofos, crentes e como pessoas comuns. Formas de conhecimento: vulgar, científico, filosófico, religioso e mitológico

24 Fim da apresentação...


Carregar ppt "FORMAS DE CONHECIMENTO João Paulo Magna Júnior Vulgar Científico Filosófico Religioso Mitológico."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google