A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REVISÃO 1.ORAÇÃO SUB. SUBSTANTIVA 2. PRONOME RELATIVO 3. ORAÇÃO SUBORDINADA ADJETIVA 4. FIGURAS DE LINGUAGEM.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REVISÃO 1.ORAÇÃO SUB. SUBSTANTIVA 2. PRONOME RELATIVO 3. ORAÇÃO SUBORDINADA ADJETIVA 4. FIGURAS DE LINGUAGEM."— Transcrição da apresentação:

1

2 REVISÃO 1.ORAÇÃO SUB. SUBSTANTIVA 2. PRONOME RELATIVO 3. ORAÇÃO SUBORDINADA ADJETIVA 4. FIGURAS DE LINGUAGEM

3 RELEMBRANDO...

4 COMPREENDENDO... PARA COMPREENDER COMO A ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA DESEMPENHA A FUNÇÃO PRÓPRIA DE UM SUBSTANTIVO, BASTA COMPARAR AS DUAS FRASES QUE SEGUEM: Ninguém lamentou sua partida. SUJEITO VERBO TRANSI- TIVO DIRETO OBJETO DIRETO Nesse caso, temos um período simples, uma oração absoluta. Nessa oração o OBJETO DIRETO vem representado basicamente por um substantivorenúncia.

5 Mas o objeto direto pode ser constituído por uma oração inteira, como no caso que segue: Ninguém lamentou / que você renunciasse. SUJEITO VERBO TRANSI- TIVO DIRETO OBJETO DIRETO No caso, o período é composto (duas orações): a oração 2 encaixa-se como objeto direto do verbo lamentou da oração 1. Portanto, classifica-se como: 1ª ORAÇÃO 2ª ORAÇÃO SUBORDINADA: porque funciona como um termo da 1; SUBSTANTIVA: porque desempenha uma função própria do substantivo (objeto direto).

6 O. S. SUBSTANTIVAS... Orações subordinadas substantivas ligadas ao verbo da oração principal. Se uma oração subordinada substantiva vem ligada ao verbo da oração principal, pode, teoricamente, funcionar como: sujeito subjetiva objeto direto objetiva direta objeto indireto objetiva indireta

7 ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA SUBJETIVA É aquela que funciona como sujeito do verbo da oração principal. Ex: Interessa-me / que você compareça à reunião. oração principal ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA SUBJETIVA Quando a oração substantiva é subjetiva: O verbo da oração principal está sempre na 3ª pessoa do singular (interessa-me); Não ocorre sujeito dentro dos limites da oração principal (o sujeito é a própria oração subordinada).

8 ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA OBJETIVA DIRETA É aquela que funciona como OBJETO DIRETO do verbo da oração principal. Eles não permitem / que os índios vivam em paz. 1ª oração2ª oração oração principal ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA OBJETIVA DIRETA A oração objetiva direta: sempre se liga a um verbo da oração principal sem preposição; indica o alvo sobre o qual recai a ação desse verbo.

9 ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA OBJETIVA INDIRETA É aquela que funciona como OBJETO INDIRETO da oração principal. Ex: Ninguém desconfiava de que o plano fracassasse. 1ª oração 2ª oração Oração principal ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA OBJETIVA INDIRETA A oração objetiva indireta: liga-se ao verbo da oração principal, com preposição. indica o alvo ou o destinatário do processo verbal.

10 Se uma oração subordinada substantiva vem ligada a um nome da oração principal, pode, teoricamente, funcionar como: Predicativo do sujeito substantiva predicativa Complemento nominal..... Substantiva completiva nominal Aposto substantiva apositiva ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS LIGADAS AO NOME DA ORAÇÃO PRINCIPAL

11 ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA PREDICATIVA É aquela que funciona como PREDICATIVO DO SUJEITO da oração principal. Ex.: O problema é / que o prazo já se esgotou. 1ª ORAÇÃO 2ª ORAÇÃO Oração principal ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA PREDICATIVA A oração subordinada substantiva predicativa se liga: Ao sujeito da oração principal; Através do verbo de ligação (verbo ser, na grande maioria dos casos.

12 ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA COMPLETIVA NOMINAL É aquela que funciona como COMPLEMENTO NOMINAL de um nome da oração principal. Ex: Chego à conclusão de que o contrato é legal. 1ª ORAÇÃO 2ª ORAÇÃO Oração principalO. S. S. COMPLETIVA NOMINAL A oração subordinada substantiva completiva nominal sempre se liga: A um nome da oração principal; Através de preposição (a, de, com, por, para, em, etc)

13 DIFERENÇA ENTRE OBJETIVA INDIRETA E COMPLETIVA NOMINAL Apesar de muita semelhança no plano formal, a substantiva completiva nominal não se confunde com a objetiva indireta porque: A substantiva completiva nominal liga-se a um nome da oração principal. Ex.: Ninguém teve dúvida de que ela mentiu. Nome A objetiva indireta liga-se a um verbo da oração principal. Ex.: Ninguém duvidou de que ela mentiu. Verbo

14 ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA APOSITIVA É aquela que funciona como aposto de um nome da oração principal. Ex.: Existe nos presídios esta lei: (que) ninguém denuncia ninguém. A oração subordinada substantiva apositiva sempre se liga: A um nome da oração principal; Sem preposição e sem a mediação de um verbo de ligação

15 CLASSIFIQUE AS ORAÇÕES DESTACADAS a)Na delegacia, a agressora declarou ao delegado que de nada se lembrava. b) Não sei se ela estranhou o calor da minha alegria. c) Aqui ninguém duvida de que saci existe. d) A verdade é que ela não amava nenhum deles. e) Desejava realizar um grande sonho: que todos os homens vivessem pacificamente. f)É pouco provável que a economia brasileira caminhe para uma recessão.

16 Emprego e Função Sintática dos Pronomes Relativos

17 Pronomes Relativos São aqueles que retomam um substantivo (ou um pronome) anterior a eles, substituindo-o no início da oração seguinte. Exemplo: O jogo será no domingo. O jogo decidirá o campeonato. Reunindo as duas orações em um só período composto, temos: O jogo que decidirá o campeonato será no domingo. Observe que, nesse exemplo, a segunda oração se intercala na primeira, pois o pronome sempre tem que ficar próximo do seu antecedente.

18 Para que saber? Conhecer o papel desempenhados pelos relativos é importante porque: 1. Esses pronomes exercem um papel fundamental nas relações de vínculo e coesão(ligação) entre as partes da frase, no texto; 2. Sua identificação na estrutura da frase é um pré- requisito para o estudo das orações subordinadas adjetivas.

19 O QUADRO A SEGUIR APRESENTA OS PRONOMES RELATIVOS Variáveis o/a qual; os/as quais Cujo(s); cuja(s) Quanto(s); quanta(s) Invariáveis Que Quem Onde / aonde

20 A DUPLA FUNÇÃO DOS PRONOMES RELATIVOS Os relativos caracterizam-se pelo duplo papel que, simultaneamente, desempenham na estrutura da frase: Substituem um termo antecedente (nome ou pronome); Iniciam sempre uma nova oração. Vocês, que sempre nos criticaram, agora pedem nosso apoio 2ª oração 1ª oração CARACTERÍSTICAS E EMPREGOS DOS PRONOMES RELATIVOS

21 Pronome relativo precedido de preposição Em certos casos, é necessário introduzir uma preposição antes do pronome relativo. A preposição a ser empregada é, geralmente, exigida por um verbo ou por um nome presente na oração iniciada pelo relativo. Veja nestas frases: a = preposição que= pronome relativo referem= verbo A preposição a é exigida pelo verbo: referir-se a alguma coisa. Não é esse o lugar a que eles se referem?

22 Função do Pronome Relativo Para sabermos a função sintática que o pronome relativo desempenha na oração, basta substituí-lo por seu antecedente (palavra que é substituída pelo pronome) e verificar que função ela teria na oração adjetiva: 1. Gostei do vestido /que você estava usando. (Você estava usando ______________.) No exemplo acima, vestido seria o _______________ da oração adjetiva; portanto, o pronome que tem a função de ____________.

23 2. Comprei o vestido /que estava em liquidação. (_____________) estava em liquidação) No caso acima, vestido seria o _______________ da oração adjetiva. Assim, a função do pronome que é de ___________. 3. A loja /em que comprei o vestido/ estava em liquidação. (Comprei o vestido ______________) No exemplo acima, na loja seria ________________ de lugar. Portanto, o pronome que funciona como _____________________.

24 O livro /de que preciso /é este. (Preciso ________________.) Nesta oração, o livro seria um ____________________. Assim, a função do pronome que é de objeto indireto. Voltarei a ser a boa aluna /que eu era. (Eu era boa aluna.) No exemplo acima, boa aluna seria predicativo do sujeito. Portanto, o pronome que funciona como predicativo do sujeito.

25 Pronome Relativo Cujo O pronome relativo cujo é empregado em circunstâncias diferentes dos demais pronomes relativos. Ele liga dois termos estabelecendo entre eles uma relação de posse. Marcelo,/cuja casa foi reformada,/quer comprar móveis. Desmembrando as orações temos: Marcelo quer comprar móveis. A casa de Marcelo foi reformada

26 Pronome Relativo Cujo Na frase anterior a expressão de Marcelo, que o pronome cujo substitui, é um adjunto adnominal. Como o pronome cujo sempre acompanha um nome, sua função é de adjunto adnominal.

27 PRONOME RELATIVO ONDE Como o pronome relativo onde substitui um antecedente que indica lugar, sua função sintática é sempre de adjunto adverbial de lugar. Pronome Relativo onde é empregado somente para indicar um lugar concreto, nunca uma situação. A escola/ onde estudo/ é excelente.

28 FIGURAS DE LINGUAGEM

29 Chama-se de metonímia ou transnominação uma figura de linguagem que consiste no emprego/substituição de um termo por outro, dada a relação de semelhança ou a possibilidade de associação entre eles. figura de linguagem

30 Marca pelo Produto...

31 A METONÍMIA OCORRE QUANDO EMPREGAMOS: O efeito pela causa ou vice-versa: Conseguiu sucesso com determinação e suor (trabalho). O nome do autor pela obra: Ler Guimarães Rosa é um projeto desafiador (a obra).Ler projeto O continente (o que está fora) pelo conteúdo (o que está dentro): Bebeu só dois copos e já saiu cambaleando (a bebida). O substantivo concreto pelo abstrato: Tratava-se de um papo-cabeça (intelectual). O abstrato pelo concreto: Era difícil resistir aos encantos daquela doçura (pessoa meiga, agradável). A marca pelo produto: Comprei uma caixa de Gilette (lâmina de barbear). O instrumento pela pessoa: Quantos quilos ela come por dia? Quilos? Não sei, mas ela é boa de garfo (o instrumento utilizado para comer). (Luiz Vilela)

32 O lugar pelo produto: Queria tomar um Porto fervido com maçãs (o vinho). O sinal pela coisa significada: O trono inglês está abalado pelas recentes revelações sobre a família real (o governo exercido pela monarquia). O singular pelo plural: O brasileiro tenta encontrar uma saída para suportar a crise (um indivíduo por todos). A parte pelo todo: Enormes chaminés dominam os bairros fabris da cidade inglesa. (fábricas) A classe pelo indivíduo: Depois desse episódio, não acredito mais no Juizado brasileiro (os juízes). A matéria pelo objeto: O jantar foi servido à base de porcelanas e cristais (matéria de que é feito o objeto).

33 A ironia é uma figura de pensamento que consiste em usar uma palavra para expressar uma ideia contrária àquilo que realmente se pretende dizer. O elemento irônico no cartum acima aparece no último quadrinho, por meio da resposta dada pelo amigo do personagem Hamlet (Você é tão romântico). O personagem esperava que o menino, invés de analisar o vocábulo como uma classe de palavra – substantivo simples, masculino e abstrato - explicasse o que era o sentimento amor.

34 ANTÍTESE …É a aproximação de termos ou frases que se opõem pelo sentido.

35 Comparação: consiste em aproximar dois seres pela sua semelhança de modo que as características de uma sejam atribuídas a outro. Exemplo: O amor é como o fogo Metáfora: é uma espécie de comparação implícita entre dois seres, já que o elemento comparativo fica subentendido. A palavra empregada fora do seu sentido literal Exemplo: O amor é fogo!

36

37 Prosopopéia ou personificação: consiste em atribuir atitudes inanimadas ou humanas a seres inanimados ou irracionais. Exemplo: histórias em quadrinhos.

38 Onomatopéia: é a reprodução de sons e ruídos por meio dos sons das palavras. Exemplo: POOMP!!!

39 Eufemismo: é o uso de uma forma mais amena para dizer algo que possa chocar o interlocutor. Exemplo: Um senhor pegou seu carro sem lhe avisar e sem a intenção de devolver!

40 BOA PROVA...PROF. BENEDITO


Carregar ppt "REVISÃO 1.ORAÇÃO SUB. SUBSTANTIVA 2. PRONOME RELATIVO 3. ORAÇÃO SUBORDINADA ADJETIVA 4. FIGURAS DE LINGUAGEM."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google