A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Técnicas acessórias às técnicas de reprodução medicamente assistida e DSTs Escola Secundária de Arganil Trabalho realizado por: Joana Oliveira, nº9 Joel.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Técnicas acessórias às técnicas de reprodução medicamente assistida e DSTs Escola Secundária de Arganil Trabalho realizado por: Joana Oliveira, nº9 Joel."— Transcrição da apresentação:

1 Técnicas acessórias às técnicas de reprodução medicamente assistida e DSTs Escola Secundária de Arganil Trabalho realizado por: Joana Oliveira, nº9 Joel Correia, nº10 Mafalda Oliveira, nº12 Ricardo Dias, nº16 12ºC

2 Técnicas acessórias às técnicas de reprodução medicamente assistida Diagnóstico pré-implantatório, biópsia de embriões ou PGD (Perimplantation Genetic Diagnosis). As técnicas citogenéticas actuais permitem realizar um diagnóstico genético a uma única célula num período tão curto como 4 ou 5 horas (os métodos clássicos, geralmente, requerem 10 a 15 dias e um elevado número de células).

3 O PGD consiste na extracção de um único blastómero de um embrião com 6 ou 8 células, sem o danificar (biópsia do embrião) e na sua caracterização cromossómica, antes de o transferir para o útero. Desta forma, pode-se efectuar o rastreio de aneuploidias, doenças resultantes de mutações cromossómicas.

4 Crioconservação de gâmetas e de embriões A conservação de espermatozóides e embriões excedentários por congelação a baixas temperaturas (geralmente recorrendo a azoto líquido, obtendo-se temperaturas abaixo dos -196 °C) é muito útil, sobretudo em situações de declínio de fertilidade. Em relação aos oócitos, ainda não existe uma técnica de crioconservação clinicamente satisfatória.

5 Doenças sexualmente transmissíveis ou DST São doenças infecciosas que se transmitem essencialmente (porém não de forma exclusiva) pelo contacto sexual. Existem vários tipos de agentes infecciosos (vírus, fungos, bactérias e parasitas) estes estão envolvidos na contaminação por DST, gerando diferentes manifestações, como feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas.

6 Certas DST, quando não diagnosticadas e tratadas a tempo, podem evoluir para complicações graves como infertilidade. Algumas doenças sexualmente transmissíveis: SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida ); Hepatite B; Herpes genital; Gonorreia;Sífilis;Candidíase;Tricomoníase.

7 SIDA A SIDA é provocada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH), que penetra no organismo por contacto com uma pessoa infectada. A transmissão pode acontecer de três formas: relações sexuais; contacto com sangue infectado; de mãe para filho, durante a gravidez ou o parto e pela amamentação.

8 O VIH é um vírus bastante poderoso que, ao entrar no organismo, dirige-se ao sistema sanguíneo, onde começa de imediato a replicar-se, atacando o sistema imunológico, destruindo as células defensoras do organismo e deixando a pessoa infectada (seropositiva), mais debilitada e sensível a outras doenças, as chamadas infecções oportunistas que são provocadas por micróbios e que não afectam as pessoas cujo sistema imunológico funciona convenientemente.

9 HEPATITE B A hepatite B, provocada pelo Vírus da Hepatite B (VHB), descoberto em 1965, é a mais perigosa das hepatites e uma das doenças mais frequentes do mundo, estimando-se que existam 350 milhões de portadores crónicos do vírus. Estes portadores podem desenvolver doenças hepáticas graves, como a cirrose e o cancro no fígado, patologias responsáveis pela morte de um milhão de pessoas por ano em todo o planeta;

10 Contudo a prevenção contra este vírus está ao nosso alcance através da vacina da hepatite B que tem uma eficácia de 95 por cento. O vírus transmite-se através do contacto com o sangue e fluidos corporais de uma pessoa infectada.

11 CANDIDÍASE A candidíase genital é uma infecção causada por uma levedura (fungo) que afecta a vagina ou o pénis e é habitualmente causada por Candida albicans. Normalmente, este fungo reside na pele e nos intestinos. A partir destas zonas, pode propagar-se para os órgãos genitais e causar vaginite na mulher. Esta DST tem-se tornado muito frequente, principalmente devido ao uso cada vez maior de antibióticos, contraceptivos orais e outros medicamentos que modificam as condições da vagina de modo a favorecer o crescimento do fungo.

12

13 TRICOMONÍASE Tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível que pode ser tratada e que não ocasiona problemas de saúde mais graves. É uma infecção causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis, que se aloja no colo do útero, na vagina e/ou na uretra. O contágio é por meio de secreções durante a relação sexual sem preservativo, com parceiro contaminado.

14 Herpes Genital O herpes genital é uma doença de transmissão sexual da zona genital. Existem dois tipos de vírus do herpes simples, chamados VHS-1 e VHS-2. O VHS-2 costuma transmitir-se por via sexual, enquanto o VHS-1 em geral infecta a boca. Ambos os tipos podem infectar os órgãos genitais e a pele que rodeia o recto ou as mãos e podem ser transmitidos a outras partes do corpo,como a superfície dos olhos.

15 As úlceras herpéticas não se infectam habitualmente com bactérias, mas algumas pessoas com herpes têm também dentro das úlceras outros microrganismos transmitidos por via sexual, como por exemplo os agentes da sífilis ou da úlcera mole.

16 GONORREIA A gonorreia é uma doença de transmissão sexual causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, que infecta o revestimento mucoso da uretra, do colo uterino, do recto e da garganta, por exemplo…

17 A bactéria pode propagar-se através da corrente sanguínea para outras partes do corpo, especialmente a pele e as extremidades. Nas mulheres, pode subir pelo tracto genital para infectar as membranas que se encontram dentro da bacia, causando dor pélvica e problemas reprodutivos. Esta DST pode levar à infertilidade na mulher, pois pode infectar a vagina, e também pode espalhar-se para o útero e trompas de Falópio.

18 Sifílis A sífilis é uma doença de transmissão sexual causada pela bactéria Treponema pallidum, a qual penetra no organismo através das membranas mucosas, como as da vagina ou da boca, ou então através da pele. Horas depois chega aos gânglios linfáticos e em seguida propaga-se por todo o organismo através do sangue. A sífilis também pode infectar um feto durante a gravidez, causando defeitos congénitos ou outros problemas. Esta DST pode mesmo levar à infertilidade na mulher. Normalmente ocorre nos órgãos genitais, mas também se pode verificar em outras partes do corpo como lábios, língua, dedos, cara, etc. Uma pessoa que tenha sido curada de sífilis não fica imune e pode voltar a infectar-se.

19 Conclusão O avanço da ciência e da tecnologia tem aberto perspectivas que tendem a modificar a qualidade de vida dos cidadãos. Por outro lado, as tecnologias de reprodução assistida põem em causa princípios e valores, até a própria natureza dos fenómenos biológicos. Toda a informação sobre Técnicas assistidas e as DST, abordadas neste trabalho, têm como objectivo alertar o Homem para uma melhor qualidade de vida. Toda a informação sobre Técnicas assistidas e as DST, abordadas neste trabalho, têm como objectivo alertar o Homem para uma melhor qualidade de vida.

20 Bibliografia Livros: -MATIAS, Ósório; MARTINS, Pedro – Biologia 12- Areal Editores, 2008 Sites:http://www.brasilescola.com/doencas/tricomoniase.htm 6cn%3D1830


Carregar ppt "Técnicas acessórias às técnicas de reprodução medicamente assistida e DSTs Escola Secundária de Arganil Trabalho realizado por: Joana Oliveira, nº9 Joel."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google