A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 3- Impacto Ambiental da Conversão e Transporte da Energia 1 Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 3- Impacto Ambiental da Conversão e Transporte da Energia 1 Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012."— Transcrição da apresentação:

1 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 3- Impacto Ambiental da Conversão e Transporte da Energia 1 Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia

2 Um dos maiores desafios da humanidade neste século será descobrir o caminho para reestruturar seu modo de produção, transporte e consumo da energia, de maneira que não seja autodestrutivo e que não impacte o meio ambiente. 2 de acordo com o Relatório Brundtland ou Nosso Futuro Comum apresentado em 1987 à ONU, o desenvolvimento sustentável é proposto como: aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade das gerações futuras atenderem às suas necessidades.

3 3 Impacto Ambiental Qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente, que afetem: a saúde, a segurança e o bem-estar da população; as atividades sociais e econômicas; a biota (vegetação e fauna); as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente; a qualidade dos recursos ambientais Resolução do CONAMA n.º001 de 23/01/86 a produção de energia é considerada atividade modificadora do meio ambiente pela legislação incidente.

4 4 Impacto Ambiental da Conversão de Energia

5 Impactos Ambientais da Conversões de Energia 1. Energia hídrica (potencial e cinética) Energia elétrica 5 os impactos ambientais provocados pela construção de uma usina hidrelétrica são irreversíveis.

6 6 Impactos com o alagamento para a construção dos reservatórios: A.geologia e geomorfologia estabilidade das encostas na variação sazonal dos níveis de água (escorregamentos, deslizamentos); assoreamento (estudo em função curso dágua, materiais e formação local); aspectos paisagísticos (vegetação e relevo); recursos minerais (ficam a maior profundidade, ex: olarias submersas);

7 hidrogeologia alteração do regime de águas subterrâneas, com a elevação do lençol freático, podem criar novas nascentes e zonas úmidas em propriedades rurais; aumento de águas subterrâneas; possível contaminação do aquífero por resíduos agrotóxicos. qualidade das águas devido à inundação de propriedades, áreas agrícolas e vegetação; devido a agrotóxicos de atividades agrícolas anteriores. solos (ligados à obras de engenharia, canteiros de obras, estradas de serviço, depósitos de resíduos, formação do reservatório) perda de produção agrícola; perda de recursos minerais. 7

8 8 vegetação e fauna (com a formação do reservatório): perda da vegetação remanescente nas faixas pequenas e descontínuas da mata ciliar e várzea; perda de pequenas matas em propriedades particulares. visando a preservação dos ecossistemas: o impacto acima pode ser positivo se houver um programa de reintrodução de espécies nativas, criação de faixas e de santuários ecológicos. diminuição de mamíferos e aves: devido a perda de vegetação para abrigo, aninhamento e como fonte de alimento; pois morrem, na impossibilidade de resgate total. que peixes de hábitos mais sedentários sejam os predominantes

9 9 INDICADOR DE IMPACTO AMBIENTAL: relação entre potência fornecida e área de alagamento quanto menor o indicador, maior será o impacto causado pela usina em questão

10 10 Potência produzida por hectare de área inundada de usinas hidrelétricas brasileiras (INDICADOR DE IMPACTO AMBIENTAL) Xingó

11 11 26 geradores - total de 18,2 GW; barragem de 2.309m x 185 m; US$28 bilhões; projeto de 17 anos (2009); altura da água: 175 m; 632 km 2 alagados; ha de terras (agricultura); 1300 sítios arqueológicos; 1,2 milhões de pessoas deslocadas; 1599 indústrias; melhoria da navegação; aumento na oferta eletricidade; controle de vazão. Usina Três Gargantas China

12 12 Vista aérea de Três Gargantas – China

13 13 potência instalada será de MW; mas, por operar com reservatório muito reduzido, deverá produzir efetivamente cerca de MW (10% consumo nacional), por operar com reservatório reduzido; O lago da usina terá uma área de 516 km²(1/ da área da Amazônia Legal), ou seja 0,115 km² por MW efetivo; terceira maior hidrelétrica do mundo em potência instalada, atrás apenas da chinesa Três Gargantas ( MW) e da brasileira e paraguaia Itaipu ( MW). BELO MONTE maior usina hidrelétrica inteiramente brasileira maior empreendimento do PAC

14 14 ATIVIDADE Calcular os índices de impacto ambiental para as usinas de Belo Monte e Três Gargantas na China.

15 15 B. Socioeconomia deslocamento populacional; não se consegue reconstruir um cotidiano idêntico ao que já existia; famílias, comércios, igrejas, que antes eram próximos, tem suas rotinas alteradas devido às distâncias que surgem após a construção da barragem; tribos indígenas precisam encontrar outro lugar para cultivar suas crenças e tradições ou passam a sofrer com a vida na zona urbana devido ao processo de aculturação a que são submetidas; aqueles que são deslocados por barragens tem que reconstruir tudo o que já tinham construído durante suas vidas e até mesmo durante a vida de seus antepassados; Continuação dos impactos com o alagamento para a construção dos reservatórios:

16 16 a eutrofização das águas, que é o excesso de nutrientes, aumenta a proliferação de microorganismos, causa comum de poluição de águas, podendo causar consequências para o homem, como, por exemplo, epidemias. o maior valor de mercado das terras da região, dificultará a permanência dos desapropriados em suas atividades econômicas originais; em alguns casos o reassentamento é feito em terras não produtivas e as pessoas esperam muito tempo pelas indenizações. C. Gases de efeito estufa durante suas construções e seu funcionamento, as usinas hidrelétricas emitem gás carbônico (CO 2 ) e metano (CH 4 ).

17 o velho discurso oficial de que as usinas hidrelétricas sempre foram um modelo de geração de energia limpa, ou seja, que não contribuíam para o aquecimento global, caiu por terra. 17 O que fazer para redução de Impactos Ambientais e Sociais na construção de Usinas Hidrelétricas?

18 algumas idéias são mostradas: 18 a redução do problema relacionado aos impactos causados na fauna pode ser feita com o remanejamento antecipado das espécies, mesmo assim, algumas delas correm o risco de não se adaptarem ao novo habitat. no caso da ictiofauna (conjunto das espécies de peixes que existem numa determinada região ) pode-se fazer o salvamento das espécies quando da drenagem do leito do rio em determinadas áreas. para tentar minimizar o problema do ciclo migratório dos peixes, conhecido como piracema, são construídas escadas nas barragens para que os mesmos possam circular de um lado a outro da barragem. no caso do reservatório, é essencial a retirada de toda a matéria orgânica do fundo antes de inundar a área, evitando-se tanto o processo de eutrofização das águas como o desprendimento de gases do fundo.

19 19 escadas para peixes são armadilhas ecológicas para espécies tropicais???

20 20 ATIVIDADE: apesar do impacto relacionado ao deslocamento populacional ser quase impossível de ser eliminado, a) buscar algumas soluções mitigadoras para o impacto social; b) escolher uma usina e mostrar o trabalho social e ambiental que é, e o que foi desenvolvido no local em função da criação do reservatório. um detalhado trabalho antropológico pode criar ferramentas e subsídios para salvaguardar uma herança cultural visando a preservação dos ecossistemas, o impacto na vegetação e fauna pode ser positivo se houver um programa de reintrodução de espécies nativas, criação de faixas e de santuários ecológicos.

21 21 Nascente do Rio Amazonas na Cordilheira dos Andes. Construção de hidrelétricas em cinco países pode afetar conectividades dos rios e ameaçar biodiversidade local. (Foto: Rede Globo)

22 22


Carregar ppt "CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 3- Impacto Ambiental da Conversão e Transporte da Energia 1 Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google