A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Roberto Cristóvão Aula 17 Séries de Potências e Representações de Funções.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Roberto Cristóvão Aula 17 Séries de Potências e Representações de Funções."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Roberto Cristóvão Aula 17 Séries de Potências e Representações de Funções

2 Série de Potências Uma série de potências é uma série da forma onde é uma variável e são constantes chamadas coeficientes da série.

3 Observação Para cada fixado, a série de potências é uma série de constantes que podemos testar quanto a convergência ou divergência. Uma série de potências pode convergir para alguns valores de e divergir para outros valores de.

4 Observação A soma da série é uma função cujo domínio é o conjunto de todos os para os quais a série converge. Note que se assemelha a um polinômio. A única diferença é que tem infinitos termos.

5 Observação Se tomarmos, a série de potências se torna a série geométrica que converge quando e diverge quando.

6 Série de Potências em (x-a) A série da forma é denominada série de potências em ou série de potências centrada em ou série de potências em torno de.

7 Observação Adotamos a convenção de que mesmo quando Note também que, quando, todos os termos são 0 para e assim a série de potências sempre converge.

8 Exemplo 1 Para que valores de a série é convergente? Solução: Usando o teste da Razão para temos

9 Exemplo 2 Para quais valores a série converge? Solução: Seja Então,

10 Teste de Comparação no Limite Exemplo 2 Pelo Teste da Razão, a série dada é absolutamente convergente, e portanto convergente quando e é divergente quando Note que, de modo que a série converge quando e diverge quando ou

11 Observação O Teste da Razão não fornece informação quando ; assim, devemos Considerar e separadamente. Para a série se tornará a série harmônica que é divergente. Para a série é que converge pelo teste da série alternada. Então a série dada converge para

12 Exemplo 3 Encontre o domínio da função de Bessel de ordem 0 definida por Solução: Seja Então,

13 Exemplo 4 Então, pelo Teste da Razão, a série converge para todos os valores de

14 Teorema Seja uma série de potências. Existem apenas três possibilidades: (i)A série converge apenas quando (ii)A série converge para todo (iii)Existe um número positivo tal que a série converge se e diverge se

15 Raio de Convergência Em (iii) é chamado raio de convergência da série de potências. Por convenção, o raio de convergência é: no caso (i); no caso (ii).

16 Intervalo de Convergência No caso (i) o intervalo consiste em apenas um único ponto; No caso (ii) o intervalo é No caso (iii) existem quatro possibilidades:

17 Resumo Série Raio de convergência Intervalo de convergência Série geométrica Exemplo 1 Exemplo 2 Exemplo 3

18 Exemplo 4 Encontre o raio de convergência e o intervalo de convergência da série Solução: Seja Então,

19 Exemplo 4

20 Pelo Teste da Razão, a série dada converge se e diverge se Isso significa que o raio de convergência é A série converge em. Se

21 Exemplo 4 Se converge pelo Teste da série alternada. Logo, o intervalo de convergência da série é

22 Exemplo 5 Encontre o raio de convergência e o intervalo de convergência da série Solução: Se então,

23 Exemplo 5 Assim a série converge se e diverge se Então, o raio de convergência é

24 Exemplo 5 Para

25 Representações de Funções

26 Exemplo 1 Expresse como a soma de uma série de potências e encontre o intervalo de convergência. Solução: Trocando por em, temos

27 Exemplo 1 Como essa é uma série geométrica, ela converge quando isto é, ou Logo, o intervalo de convergência é (-1,1).

28 Exemplo 2 Encontre uma representação em série de potências para Solução: Note que

29 Exemplo 2 A série converge quando isto é, Logo, o intervalo de convergência é (-2,2).

30 Exemplo 3 Encontre uma representação em série de potências para Solução: Note que

31 Exemplo 3 Outra maneira de escrever essa série é a Seguinte: Como no Exemplo 2, o intervalo de convergência é (-2,2).

32 Derivação e Integração de Séries de Potências Teorema. Se tiver raio de convergência então definida por é diferenciável em e

33 Observação As equações (i) e (ii) podem ser reescritas na forma

34 Exemplo 4 Função de Bessel

35 Exemplo 5 Expresse como uma série de potências pela derivaçao de. Qual o raio de convergência? Solução: Derivando cada lado da equação: obtemos

36 Exemplo 5 Podemos trocar por e escrever a resposta como

37 Exemplo 6 Encontre uma representação em série de potências para e seu o raio de convergência? Solução: Integrando ambos lados de temos:

38 Exemplo 6 Para achar o valor de, colocamos na equação anterior e obtemos Então e

39 Observação Note que quando colocamos, como vemos que

40 Exemplo 7 Encontre uma representação em série de potências para Solução: Note que logo

41 Exemplo 7 Para achar o valor de, colocamos na equação anterior e obtemos Portanto,

42 Exemplo 8 (a)Calcule (b)Use a parte (a) para aproximar com precisão de Solução: (a)

43 Exemplo 8 Integrando termo a termo:

44 Exemplo 8 (b) Ao aplicar o T.F.C. podemos considerar

45 Exemplo 8 Se pararmos de somar depois do termo com o erro é menor que o termo com Assim, temos,

46


Carregar ppt "Prof. Roberto Cristóvão Aula 17 Séries de Potências e Representações de Funções."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google