A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 1 Introdução Conceitos Básicos Custo de oportunidade X Custos Contábeis Conceito de Externalidade Maximização do.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 1 Introdução Conceitos Básicos Custo de oportunidade X Custos Contábeis Conceito de Externalidade Maximização do."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 1 Introdução Conceitos Básicos Custo de oportunidade X Custos Contábeis Conceito de Externalidade Maximização do Lucro Total Exercícios - Produção

2 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 2 Introdução Teoria da Firma Curva de Oferta Teoria da Produção Teoria dos Custos de produção Inclui os preços dos insumos Relações entre a quantidade produzida e as quantidades de insumos utilizados.

3 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 3 Produção – Conceitos Básicos Produção é o processo pelo qual uma firma transforma os fatores de produção adquiridos em produtos ou servi- ços para a venda no mercado. inputs Combinação dos Fatores de Produção outputs Compra insumos Vende produtos no Mercado

4 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 4 Produção – Conceitos Básicos Mão-de-obra (N) Capital Físico (K) Área, Terra (T) Matéria-prima (M p ) Insumos Processo de Produção Produto (q) Obs.: Intensivo – Fator que é utilizado em maior quantidade Em função da eficiência

5 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 5 Produção Função de Produção É a relação técnica entre a quantidade física de fatores de produção e a quantidade física do produto em determinado período de tempo. q = f (N, K, M, T) quantidade do produto = f (quantidade dos fatores de produção) quantidade produzida/t mão-de-obra utilizada/t capital físico utilizado/t matérias-primas utilizadas/t área cultivada/t

6 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 6 Produção Distinção entre Fatores de Produção Fixos e Variáveis Fatores de Produção Fixos – Permanecem inalterados quando a produção varia. Fatores de Produção Variáveis – Se alteram, com a quantidade produzida. Ex.: O capital físico e as instalações da empresa Ex.: Mão-de-obra e as matérias-primas utilizadas

7 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 7 Produção Produção com um fator variável e um fixo: Uma análise de curto prazo. q = f ( N, K ) Dois fatores de produção =>Mão-de-obra Capital Supondo constante ou fixo no curto prazo. q = f ( N ) O nível do produto varia apenas em função de alterações na mão-de-obra, a curto prazo, ceteris paribus.

8 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 8 Produção Rendimentos de escala ou economia de escala Análise das vantagens e desvantagens que a empresa tem, a longo prazo, em aumentar sua dimensão, seu tamanho, demandando mais fatores de produção. Rendimentos crescentes de escala Rendimentos decrescentes de escala Rendimentos constantes de escala

9 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 9 Produção Rendimentos crescentes de escala Se todos os fatores de produção crescerem numa mesma proporção, a produção cresce numa proporção maior. 10% na qte. de mão-de-obra 10% na qte. de capital A produção aumenta em mais de 10% Ex.: Devido à : Indivisibilidade na produção Divisão do trabalho Operações de pesquisa e marketing Facilidades de empréstimos, etc. Economia de escala técnica Eco. de escala pecuniária

10 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 10 Produção Rendimentos decrescentes de escala Ocorre quando todos os fatores de produção crescem numa mesma proporção, e a produção cresce numa proporção menor. 10% na qte. de mão-de-obra 10% na qte. de capital A produção aumenta em 5%. Ex.: Motivo provável: A expansão de uma empresa pode provocar uma dificuldade de comunicação entre a direção e as linhas de montagem.

11 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 11 Produção Lei dos rendimentos decrescentes Algum fator de produção é fixo (curto prazo) Rendimentos constantes de escala Se todos os fatores de produção crescerem numa mesma proporção, a produção cresce na mesma proporção. A produtividade média dos fatores de produção são constantes.

12 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 12 Custos de Produção Avaliação privada e avaliação social Avaliação Privada – Avaliação financeira, específica da empresa. Avaliação social – Custos (e benefícios) para toda a sociedade, derivados da produção da empresa. Aumenta a produção da indústria extrativa de madeira Há perdas ecológicas derivadas do desmatamento

13 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 13 Custos de Produção Avaliação privada e avaliação social Externalidades ou Economias externas Externalidade positiva – Comerciantes de lustres próximos um do outro. - Alterações de custos e benefícios para a sociedade, derivadas da produção da empresa, ou então as alterações de custos e receitas da empresa, devidas a fatores externos à empresa. Externalidade negativa – Indústria química poluidora dos rios, impõe à indústria pesqueira.

14 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 14 Custos de Produção Custo Fixo Total (CFT) – Mantém-se fixa, quando a produção varia. Ex.: Aluguéis, depreciação, etc. Custo Variável Total (CVT) – Varia com a produção. Depende da quantidade produzida. Ex.: gastos c/ folha de pagamento, despesas com matérias-primas, etc. Custo Total (CT) = Soma do Custo Variável Total com o Custo Fixo total.

15 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 15 Custos de Produção Custos declinantesCustos a taxas crescentes Lei dos rendimentos decrescentes = Lei dos custos crescentes

16 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 16 Custos de Produção Custos a Curto Prazo Custo Fixo Médio (CFMe) = CFT / q Custo Variável Médio (CVMe) = CVT / q Custo Médio (CMe ou CTMe ) = Custos totais = CT Qtd produzida q CTMe = CVMe + CFMe

17 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 17 Custos de Produção Obs.: O formato de U das curvas CTMe e CVMe também se deve à lei dos rendimentos decrescentes, ou lei dos custos crescentes. Inicialmente: Custos médios declinantes: Pouca mão-de-obra p/ grande capital. Vantajoso absorver mão-de- obra e aumentar a produção, pois o custo médio cai. Em certo ponto, satura-se a utilização do capital (que é fixo) e a admissão de mais mão-de-obra não trará aumentos proporcionais de produção (custos médios ou unitários começam a elevar-se).

18 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 18 Custos de Produção CUSTO MARGINAL – Diferentemente dos custos médios, os custos marginais referem-se às variações de custo, quando se altera a produção. Custo Marginal (CMg) = variação do CT = variação do q CT q É o custo de se produzir uma unidade extra do produto.

19 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 19 Custos de Produção Custos a Curto Prazo - Custo Marginal Cmg = CT q

20 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 20 Custos de Produção Maximização dos Lucros (concorrência perfeita e curto prazo) Teoria Microeconômica ( Teoria Neoclássica ou Teoria Marginalista) Empresas têm como objetivo maior a maximização dos lucros (a curto ou a longo prazo) LT = RT – CT LT = Lucro total; RT = Receita total de vendas; CT = Custo total de produção.

21 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 21 Custo produção Maximização dos Lucros –Receita total (RT) - É produto das quantidades produzidas pelo respectivo preço de venda –Custo Total (CT) - É a soma do CFT + CVT –Lucro Total (LT) - É a Receita Total (RT) menos o Custo Total (CT) –Fórmula LT = Q x MC - CF (Rendimentos Constantes) Margem de Contribuição (MC) - É a diferença entre o preço de venda e o custo variável

22 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 22 Custos de Produção Maximização dos Lucros Deverá escolher o nível de produção para qual a diferença positiva entre RT e CT seja a maior possível (máxima). Receita Marginal (RMg) = é o acréscimo da receita total pela venda de uma unidade adicional do produto. Custo Marginal (CMg) = é o acréscimo do custo total pela produção de uma unidade adicional do produto. Definição:

23 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 23 Custos de Produção Pode demonstrar que a empresa maximizará seu lucro num nível de produção tal que a receita marginal da última unidade produzida seja igual ao custo marginal desta última unidade produzida. RMg = CMg Se RMg > CMg Há interesse de aumentar a produção, pois cada unidade adicional fabricada aumenta o lucro. Se RMg < CMg Há interesse de diminuir a produção, pois cada unidade adicional que deixa de ser fabricada aumenta o lucro. Se RMg = CMg Lucro total será máximo.

24 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 24 Custos de Produção Relação entre Custo Marginal, Receita Marginal e o Custo Total Ex.: 40 unidades de um produto. Custo Total = R$58,00Cmg=Rmg=R$10,00 Se 45ª unidade = Custo Total = R$70,00 e Cmg= R$ 12,00 ( > Rmg) => (Cmg = R$ 70,00 - R$ 58,00 = R$12,00) Lucro máximo = LT = R$ 22,00 Rendimentos decrescentes = LT = R$ 20,00

25 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 25

26 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 26

27 Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 27


Carregar ppt "Prof. Ivaldir Vaz ECONOMIA – Produção 1 Introdução Conceitos Básicos Custo de oportunidade X Custos Contábeis Conceito de Externalidade Maximização do."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google