A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Juliane House is a professor of applied linguistics at Hamburg University. Her research focuses on intercultural communication, cross-cultural pragmatics.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Juliane House is a professor of applied linguistics at Hamburg University. Her research focuses on intercultural communication, cross-cultural pragmatics."— Transcrição da apresentação:

1 Juliane House is a professor of applied linguistics at Hamburg University. Her research focuses on intercultural communication, cross-cultural pragmatics and discourse analysis, translation, and English as a lingua franca. Her publications include A Model for Translation Quality Assessment; Interlingual and Intercultural Communication (with S. Blum-Kulka), Let's Talk and Talk About It: A Pedagogic Interactional Grammar of English (with W. Edmondson), Cross-Cultural Pragmatics (with S. Blum-Kulka and G. Kasper), Misunderstanding in Social Life (with G. Kasper and S. Ross), and English as a Lingua Franca: A Threat to Multilingualism? How do we know when a translation is good? - Como reconhecer uma boa tradução? - Como saber quando uma tradução é boa? 1 Disciplina: Aprendizagem da tradução e competência do tradutor: bases, polêmicas, pesquisa. Geocinara de Faria Ávila Profª.Drª.Heloísa Pezza Cintrão 07 de Maio de 2010

2 SUMÁRIO How do you know when a translation is good? É uma das mais importantes questões da tradução, e para respondê-la é crucial considerar a teoria e a crítica da tradução. A autora apresenta algumas abordagens teóricas para uma análise linguística e avaliação da tradução. Primeiramente, ela faz um breve resumo de como as traduções tem sido discutidas e avaliadas em suas diferentes abordagens teóricas. Depois apresenta um modelo funcional-pragmático para avaliação da tradução E, por último faz uma análise da tradução alemã de um texto literário infantil em inglês para evidenciar as suas hipóteses com base nos modelos apresentados. 2

3 How do we know when a translation is good? As perguntas subjacentes que darão suporte a questão central sobre a boa tradução Qual a relação do texto fonte e a tradução? Qual a relação entre as características do texto fonte e da tradução, e como elas são percebidas pelos agentes envolvidos na tradução (autor, tradutor, leitores) Considerando os dois pontos acima, como podemos dizer quando uma tradução é uma tradução, e quando um texto é resultado de várias operações textuais (adaptações, recriação, por exemplo) 3

4 Avaliação da tradução Diferentes perspectivas teóricas Anecdotal, Biographical and Neo-hermeneutic Views. Abordagens anedóticas, biográficas e neo-hermenêutica As avaliações são de caráter subjetivas e intuitivas envolvendo tradutores profissionais, poetas, escritores, psicológos e filosófos. Nesta abordagem, a compreensão e interpretação do original são atos individuais e criativos que não podem ser generalizados ou sistematizados. A interpretação subjetiva do tradutor e decisões são baseadas em suas experiências e conhecimentos intuitivos. Os textos não contém significados estáveis, pois sofrem mudanças em qualquer momento histórico. Considerando esta relativização do conteúdo e significado, além das questões previamente formuladas pela autora, ela afirma que esta teoria não responde de modo satisfatório quando uma tradução é boa. Alguns estudiosos dentro desta abordagem teórica: Stolze 1992, Buhler

5 Response-oriented, Behavioral Approaches Abordagens orientadas para resposta ou equivalência de resposta – visão behaviorista. Ao contrário das abordagens intuitivas-subjetivas, os adeptos da visão equivalência de resposta, ignoram as ações mentais do tradutor como pertencente a algum princípio desconhecido caixa preta. Basicamente, a preocupação é com as reações dos receptores/leitores como meio de avaliar a qualidade da tradução, adotando o critério behaviourista da informatividade e inteligibilidade. Para House, assumir que uma tradução devesse produzir respostas equivalentes para seu original, deveria antes perguntar imediatamente se é possível medir uma resposta equivalente, somente com informatividade ou inteligibilidade. Se esses fenômenos não possam ser empiricamente medidos, é inútil postulá-los como critérios para avaliação da tradução. Avaliação da tradução Diferentes perspectivas teóricas 5

6 Response-oriented, Behavioral Approaches Abordagens orientadas para resposta ou equivalência de resposta – visão behaviorista. Portanto, baseado nas questões da autora, ela diz que esses adeptos nada tem a dizer sobre a relação entre o original e o texto traduzido, aliás o texto fonte é totalmente ignorado, nem se a tradução é de fato uma tradução ou um outro produto secundário derivado de texto original através de diferentes operações textuais ( adaptação por exemplo) Alguns estudiosos dentro desta abordagem teórica: Nida 1964; Nida and Taber 1969; Carroll 1966; Avaliação da tradução Diferentes perspectivas teóricas 6

7 Literature-oriented Approaches: Descriptive Translation Studies. Abordagem orientada para Literatura: Estudos descritivo da Tradução. Os pesquisadores descritivistas nesta abordagem se baseiam na suposição de que traduzir é uma atividade orientada por normas culturais e históricas. O texto de origem é visto como subordinação privilegiando na tradução a cultura de chegada. A tradução é avaliada predominantemente em suas formas e funções dentro de um sistema da literatura e cultura da língua alvo. Para House, o problema básico nesta abordagem descritivista é como definir quando um texto é uma tradução e que critério a ser usado para avaliar uma tradução. Estudioso dentro desta abordagem teórica: Toury 1995 Avaliação da tradução Diferentes perspectivas teóricas 7

8 Functionalistic, skopos - related approaches Abordagens funcionalistas ou de escopos Dentro de uma teoria funcionalista ou de escopos da tradução, Reiss and Vermeer mencionam que o escopos é uma proposta de tradução de suma importância. É o modo como as normas da cultura alvo são atendidos, é o critério mais importante para avaliar a qualidade da tradução. House questiona como que Escopos de um texto é realizado linguisticamente, e mais crítico ainda, menciona que a adequação da tradução por meio do escopo não é claro. Teoria de escopos não é uma teoria adequada para lidar com a questão da avaliação. Escopos - é um termo utilizado para designar o propósito da tradução Avaliação da tradução Diferentes perspectivas teóricas 8

9 Post-modernist and deconstructionist Approaches. Abordagens Pós-Modernista e desconstrucionista Os teóricos desta abordagem tem tentado examinar de maneira crítica as práticas de tradução de uma posição política e sócio- filosófico a fim de desmascarar a relação de poder na tradução. O foco é levantar os interesses de poder individual ou em grupo ao selecionar o texto a ser traduzido adotando estratégias particulares de re-textualização. Mas, esta abordagem não resolve a questão da avaliação na tradução, mesmo porque não responde quando um texto é uma tradução e quando um texto pertence a diferentes procedimentos textuais. Avaliação da tradução Diferentes perspectivas teóricas 9

10 Linguistically-oriented approaches. Abordagem Linguisticamente- orientada As abordagens da Linguística-Textual considera de maneira importantíssima a relação texto fonte e o texto traduzido, mas fazem distinção de suas competências a fim de estabelecer procedimentos detalhados e técnicas para análise e avaliação. Recentemente, vários trabalhos orientados linguísticamente na tradução, como Hatim and Mason (1990), Bell (1991), Baker (1992), Doherty (1993), Fawcett (1997) e Gerzymisch-Arbogast and Mudersbach (1998) tem trazido muitas contribuições para avaliação da tradução. Embora não estejam preocupados diretamente com a avaliação da qualidade na tradução, abrem campo para o estudo da tradução para incluir questões linguísticas como teoria dos atos de fala, pragmática, sociololinguísstica, estilística e análise do discurso. Avaliação da tradução Diferentes perspectivas teóricas 10

11 Linguistically-oriented approaches. Abordagem Linguisticamente- orientada A tentativa de explicitar o elo entre o texto e contexto, e ao mesmo tempo levar em conta a intervenção humana envolvida na recepção do texto e operação da produção de uma abordagem sistêmico funcional proporciona uma das bases úteis para análise e avaliação dos textos de origem e chegada (Steiner 1998). Tal abordagem tem sido adotada pela House para desenhar o modelo de avaliação da qualidade na tradução (House 1977). Este modelo foi revisado recentemente (House, 1997) Avaliação da tradução Diferentes perspectivas teóricas 11

12 Um modelo funcional pragmático de avaliação da tradução. A functional-pragmatic model of translation evaluation House desenvolve um modelo funcional para tradução baseada na teoria sistêmico-funcional de Halliday e também adapta ao modelo de Crystal e Davy baseado no esquema de análise estilistica constrastiva. O modelo revisado pela House fornece análise para comparação do original e tradução em três diferentes níveis: níveis da linguagem/texto, registro (Field, Mode e Tenor) e Gênero. 12

13 Um modelo funcional pragmático de avaliação da tradução. A functional-pragmatic model of translation evaluation House desenvolveu seu modelo de avaliação de traduções. O primeiro é o de equivalência, considerado um critério fundamental para determinar a qualidade da tradução. A equivalência nesta abordagem é entendida não como conceito absoluto, ao contrário, é relativa em vários aspectos: determinada pelas condições histórico- sociais e pelos vários fatores linguísticos e contextuais, entre eles: língua de partida e chegada com suas estruturas específicas constrastivas, extra-linguística resultando em diferentes representações da realidade nas duas línguas, o original refletindo de modo particular nos recursos linguístico e estilístico nas normas da linguagem, as normas linguísticas do tradutor e a língua e cultura alvo, características estruturais do original, as normas de expectativa dos receptores da língua alvo, a interpretação e compreensão do tradutor do original e sua criatividade, a teoria implícita e/ou explícita do tradutor, interpretação do original pelo seu ator. 13

14 A visão de equivalência simplesmente baseado somente em semelhanças lexicais, sintáticas e formais tem sido criticadas por um longo tempo. Além disso, definição puramente formal de equivalência tem sido revelada como deficiente,pois não explica o uso apropriado no desempenho da comunicação. Por esta razão que a equivalência pragmática e funcional tem sido aceita já que este modelo está relacionado a preservação do significado nas duas diferentes línguas e culturas. Três aspectos do significado são importantes para tradução: o aspecto semântico, pragmático e o textual, a tradução é vista como substituição da linguagem do texto de origem por um equivalente semântico e pragmático na linguagem do texto alvo. Como primeiro requisito para equivalência é se posicionar que a tradução do texto tenha uma função equivalente do seu original. Um modelo funcional pragmático de avaliação da tradução. A functional-pragmatic model of translation evaluation 14

15 O termo função na visão pragmática de House não deve ser confundida com função de linguagem. A função aqui é definida simplesmente como aplicação ou uso que o texto tem no contexto específico de uma situação. Assim, a autora sugere dimensões situacionais (Situational dimensions) que destacam características do contexto situacional a serem observadas durante o processo de constituição da crítica. Para elaborar a categoria de dimensões situacionais, House utilizou o modelo de Crystal e Davy (1969). Um modelo funcional pragmático de avaliação da tradução. A functional-pragmatic model of translation evaluation 15

16 A operação do modelo envolvia inicialmente uma análise do original de acordo com o grupo de dimensões situacionais de correlatos linguísticos estabelecidos. Esses correlatos linguísticos são os meios pelo qual a função textual é concretizado. Para estabelecer a função de um texto é preciso caracterizar o seu perfil textual. Para isso é preciso realizar uma análise detalhada de cada texto, considerando a situação única a qual ele está ligado. Quando a intenção é estabelecer a equivalência funcional entre um texto original e um texto traduzido, o texto original deve ser analisado primeiro, de modo que a equivalência que porventura se busque para o texto traduzido possa ser estabelecida com precisão. Segundo esse modelo, o perfil particular do texto original, é a norma pela qual a qualidade de uma tradução deve ser mensurada. Um modelo funcional pragmático de avaliação da tradução. A functional-pragmatic model of translation evaluation 16

17 O modelo revisado de avaliação da tradução. The revised model of translation evaluation No modelo revisado são usados os conceitos clássicos de Halliday, (field – conteúdo e natureza da atividade social), (tenor – relações entre os participantes) e modo (mode – meio e canal da comunicação). Juntos esses elementos determinam o registro da linguagem e representam o contexto da situação. 17

18 O modelo revisado de avaliação da tradução. The revised model of translation evaluation Embora esta categoria registro (Field, Tenor, Mode) captura o relacionamento entre texto e contexto, as descrições de registro são basicamente limitados para capturar as características individuais na superfície lingüística. Diferentes conceitos são necessários a fim de caracterizar padrões e estruturas textuais mais profundas através do Genêro (Gender). Assim, o gênero é concebido como uma categoria superior ao registro. Enquanto o registro captura a conexão entre textos e microtexto, o Gênero conecta textos como o macro texto da comunidade linguística e cultural. Registro e ^Genêro são ambos sistemas semióticos concretizados pela linguagem. Gênero é o plano de conteúdo do registro / registro é o plano da expressão do genêro e é o plano de conteúdo da linguagem, e a linguagem plano de expressão do registro. (Martin 1993) Vejamos um esquema para avaliação, comparação e análise textual. 18

19 19

20 O modelo revisado de avaliação da tradução The revised model of translation evaluation House propõe um método de avaliação da qualidade da tradução utilizando os conceitos de Lingüística Sistêmico Funcional de Halliday. Ela defende que devemos comparar o texto original e sua tradução em termos de gênero e os três domínios, registro, campo, tenor, e modo Dentre desses três domínios do registro, temos três meios para comparar o original e a sua tradução, léxico, sintático e textual. Ela faz uma distinção entre tradução manifesta (overt) e velada (covert). 20

21 Dois tipos de Tradução Two types of translation Overt t ranslation (tradução manifesta) – o original e sua tradução devem ser equivalente no nível da Linguagem/Texto, Registro e Gênero. Entende-se como as relações tradutórias que se fazem notar. O trabalho do tradutor neste caso é importante e visível. Covert translation (tradução velada) - ser equivalente no nível do Gênero e Função do Texto Individual - A tarefa do tradutor é revelar/desvendar o original e encobrir/ocultar a transformação do original. Aqui, o tradutor é menos visível, senão totalmente ausente. 21

22 Dois tipos de Tradução Two types of translation Na tradução manifesta o texto original é fortemente associado à sua cultura, seja por estar ligado a um evento histórico exclusivo da cultura fonte, seja por possuir um valor único como obra literária que lhe garante um status dentro da cultura receptora e, algumas, vezes, também em outras comunidades. A tradução velada não é marcada como um texto traduzido, podendo ser lido como um texto original. Nesses casos, o texto original e sua tradução são produzidos para atender necessidades similares das comunidades fonte e meta. A possibilidade dessa relação direta entre o original e sua tradução existe porque na tradução velada um texto traduzido é escrito para ser lido como original. Assim, nesses tipo de tradução, o tradutor deve simplesmente limitar-se a transpor o texto original para a língua-alvo de modo que os leitores dessa tradução possam ter acesso ao texto como se tivesse sido escrito originalmente em uma língua estrangeira, mas sem deparar com as características próprias dessa língua e cultura. 22

23 O conceito e função do filtro cultural; The concept and function of a culture filter Para análise comparativa do texto de origem e texto alvo a avaliação da tradução velada (covert) é essencial para levar em conta o conhecimento sobre a diferença cultural entre as comunidades da língua alvo e de origem. Deve salientar que neste ponto que há poucas pesquisas empíricas na área de análise pragmática constrastiva para o par de língua específica. Na verdade, as pesquisas nesta área parecem ser de grande expectativa nos estudos da tradução para o próximo milênio 23

24 Diferença entre traduções e versões Distinguishing between different types of translations and versions Overt versions – são produzidos quando uma função especial é acrescentada no texto traduzido. Há dois diferentes casos de overt version (versão manifesta): 1. quando a tradução é realizada para alcançar um público específico. Ex.: edições especiais para jovens, atividades específicas para determinado público. 2. quando a tradução é realizada para um fim específico. Exemplo, versão interlingual ou traduções lingüísticas, resumes e abstracts, em que a finalidade/objetivo expresso do tradutor (producer) da versão é passar somente o essencial do original (Obs.: vejam que aqui que tradutor foi subsituído pelo producer) Covert versions – quando o tradutor com o objetivo de preservar a função do texto fonte aplica o filtro cultural empreende mudanças na dimensão situacional. House define como uma versão de tradução para funções especiais em que há acréscimos.Se o texto preserva a função da fonte de texto e algumas mudanças são feitas em conformidade com o sistema da língua-alvo, o texto é chamado de 'tradução. 24

25 Há casos em que a escolha overt-covert translation é subjetiva, por exemplo as fábulas que podem ser vista como produto de uma cultura particular. O caso da Bíblia, por exemplo, se for tratado como uma coleta de documentos histórico literários, neste caso aplica-se overt translation, ou se for tratado como uma coleção de verdades humanas diretamente relevantes a toda humanidade, neste caso, aplica-se covert translation por parecer mais apropriado. A tradução se distingue da versão pelos tipos de operações textuais realizadas pelas condições específicas. Filtro cultural baseado nas pesquisa empíricas aplicado nas traduções é julgada mais como covert version. Diferença entre traduções e versões Distinguishing between different types of translations and versions 25

26 26

27 27

28 28

29 ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy Field – Campo É uma pequena estória para crianças de 2 a 06 anos de uma família harmoniosa e afável de ursos : Mr. Bean, Mrs.Bear e Baby Bear. A trama é simples, uma experiência do dia a dia. Mr. Bean não consegue dormir, ele fica perambulando pela casa. Quando finalmente ele vai pra sua cama e cai no sono, o relógio logo desperta, e ele acaba acordando. No entanto, tudo é recompensado quando a Mrs. Bear lhe traz uma xícara de um chá delicioso. 29

30 Field – Campo Ítem Lexical Este ítem é provavelmente parte da competência das crianças desenvolvida nas interações num ambiente hic-et-nunc (aqui e agora) real, por exemplo, em suas casas e vizinhança: tired, go to bed, fall asleep, sleep, snore, Baby Bear´s room, living-room, etc. Ítem Sintático oração curta com estruturas simples no decorrer da estória. Ítem Textual presença forte da coesão textual o que torna o texto de fácil compreensão para crianças pequenas. A coesão é alcançada através de uma série de procedimentos, a maioria pela ligação icônica linkage) e dinâmica temática (theme dynamics) ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 30

31 Field – Campo ligações icônicas (iconic linkage) similaridade das orações que proporciona o reconhecimento das declarações e ações evidenciando os efeitos do drama. 2,3: Mr. Bear was tired. Mrs. Bear was tired; Baby Bear was tired 6,10,13,16,21,27: Oh NO! I can´t stand THIS. 6,11,14,17,22,28: So he got up and went to sleep in Baby Bear´s room (the living room, the kitchen, in the garden, in the car). So he got up and went back into the house. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 31

32 Field – Campo Dinâmica temática (theme dynamics Movimento temático frequentemente organizado nas sequências do movimento rima-tema para assegurar uma nova ordem So he got up and went back into the house / In the house, Baby Bear was fast asleep, and Mrs. Bear had Onomatopéias que também contribui para os efeitos do drama: 9,12,15, etc 9 - to be an aeroplane: NYAAOW! Went to Baby Bear, NYAAOW! NYAAOW! 12- TICK-TOCK... Went the living-room clock...TICK-TOCK, TICK-TOCK, 15-drip,drip...went the leaky kitchen tap. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 32

33 TENOR (relação entre os participantes) Author´s Temporal – não marcado Geographical – contemporâneo Social Provenance : inglês britânico para classe de padrão médio ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 33

34 Tenor Author´s Personal (Emotional and Intellectual) Stance – Atitude pessoal do autor (Emocional e Intelectual) A autora visualiza os personagens que ela criou com senso de humor, empatia e envolvimento, sem sentimentalismo. Os personagens mantém suas dignidades sem serem infantilizados. Item Lexical Os nomes dos personagens (Mr. And Mrs. Bear) revelam modo neutro e imparcial na descrição, mas no decorrer to texto apresentam os efeitos de humor considerando que os personagens são ursinhos de pelúcia. Ítem Sintático Repetição intensa dos sintagmas com efeito humorístico. 34,35: Did you sleep well? – Not VERY well ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 34

35 Tenor Relação da Função Social Autor-leitor: simetria, relação íntima entre os leitores/destinatários envolvidos – adultos (pais ou qualquer outro que toma conta da criança), não apresenta agressão/insulto na fala, não há evidência de uma leitura ideológica, de motivação pedagógica e educacional. Autor-personagens na estória: respeito pela individualidade dos personagens revelado pelos títulos e termos genéricos (Mrs.Bears), simpatia e empatia. Entre os personagens: tolerância, simpatia, ironia e um bom humor. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 35

36 Tenor Relação da Função Social Item Lexical Título e nomes (Mr.Mrs., Bear) no decorrer da estória paraum efeito humorístico Uso do tratamento dear para criar intimidade. Item Sintático 18: Contato direto com os leitores para criar uma relação de envolvimento e intimidade Well you would not believe what noises there are in the garden at night ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 36

37 Tenor Relação da Função Social Ítem Textual 34-35: Presença de um movimento ritualizado How-are- you e na segunda parte (Not very well) em seguida um ato de compreensão (never mind) para contrastar o momento da estória infeliz e de desconforto de Mr. Bear para um efeito de humor. 37 : um curto sintagma final para selar o ato de promessa, fechando e selando também a relação de conforto, intimidade e confidência. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 37

38 Tenor Atitude Social Estilo do nível informal: coloquial, estilo íntimo caracterizando o tipo de conversa em família. Ítem Sintático Simplicidade das orações, mais coordenação que subordinação, simplicidade nos sintagmas, ausência de pré e pós alteração. Ítem Lexical Uso dos itens lexicais marcados de maneira informal e familiaridade. Por exemplo, nas onomatopéias, DRIP, MIAAOW, seguido do verbo informal go no passado (went), e conjunção informal So. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 38

39 Modo Meio : Complexo Escrito para ser lido em voz alta como se não tivesse sido escrito, a idéia é criar uma ilusão de que a estória está sendo inventada no momento da leitura. Segundo as dimensões de Biber características para discurso (oral-escrito): produção com interação vs. produção informacional: referências explícitas vs. referências dependente do contexto Informação abstrata vs. não-abstrata Assim, as gravuras do livro podem ser estabelecidas como envolvimento, referências dependente do contexto e não abstrato. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 39

40 Modo Meio: Complexo Item Sintático Freqüência de orações coordenadas curtas ligadas pelo and; uso de conjunção so caracterizando linguagem oral. Item Fonológico Presença frequente do acento tônico/tonicidade na oralidade marcado na escrita em letras maiúsculas (exemplo: BRBRBRBR quando o alarme do relógio disparou) Item Textual Uso amplo e repetitivo no texto a fim de propiciar fácil compreensão aos leitores/ ouvintes. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 40

41 Modo Participação Complexo: monólogo embutido com diálogos a parte Item Lexical: Uso do well, uma marca/indicação tipicamente usada no início de uma resposta num diálogo (18) Item Sintático: Presença retórica, enunciado dirigido ao leitor. Item Textual: Uso intenso do discurso direto para aumentar o envolvimento do ouvinte/leitor na estória. Este discurso direto inclui considerável animação dos animais e objetos, tais como a torneira e o relógio da sala que são representados pelos barulhos proporcionando a interação com Mr.Bear. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 41

42 GÊNERO O livro ilustrado para as crianças é designado para ler em voz alta pelos adultos, muitas vezes usado como estória de ninar. O propósito comunicativo do livro é entreter as crianças, confortar e tranquilizá-los, e talvez também educá-los. Na tradução inglesa, o livro das crianças frequentemente apresenta humor para socializar de forma suave os jovens na vida familiar e no mundo. O Texto é ilustrativo. Tem sido omitido no anexo já que não há palavras que precisam torná-las explicitas. Na verdade a ilustração é a mesma do original e da tradução alemã. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 42

43 DESCRIÇÃO DA FUNÇÃO A função do texto original consiste de um componente funcional ideacional e interpessoal que pode ser resumido conforme segue: Embora o componente funcional ideacional não esteja marcado, o texto implicitamente revela aos leitores alguns acontecimentos e atividades sociais envolvendo os protagonistas descritos no texto, em outras palavras, contam a estória! No entanto o componente ideacional é menos importante que o interpessoal, que é marcado em todas as dimensões usadas para análise do texto. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 43

44 DESCRIÇÃO DA FUNÇÃO Quanto ao GÊNERO, o livro é escrito e é ilustrado para crianças, determina que a função interpessoal é fundamental, com o propósito de tranqüilizar e auxiliar, um senso de pertences/propriedades e aumento de entendimento de como o mundo funciona ao redor das crianças. FIELD, também é marcado fortemente pelo componente interpessoal: a descrição de uma vida típica em família, em que um membro da família vivencia uma noite em claro, é apresentado de forma bem humorada, sem más intenções, resignação, tornando a estória divertida, interessante e de fácil compreensão. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 44

45 DESCRIÇÃO DA FUNÇÃO TENOR, a posição pessoal do autor assim como relação social e atitude social evidencia no texto uma forte marca do componente funcional interpessoal. O relacionamento entre ambos, leitor e autor e entre (ficcional) os personagens são qualificados pelo bom humor. O estilo informal também sustenta o componente funcional interpessoal pela crescente intimidade e humor do texto. MODE, o meio caracterizado como escrita para ser lido como se não fosse escrito marcado pelo envolvimento, situação dependente e não abstrato, assim como muitos trechos do discurso simulado (monólogo e diálogo) também fortalecido pela função interpessoal por causa do efeito emotivo da integridade e imediações espontâneas. ANÁLISE DO TEXTO ORIGINAL Peace at Last – Jill Murphy 45

46 Comparação do texto original vs. tradução e análise da qualidade Comparison of original and translation and statement of quality Como oposto do original, a tradução está longe de apresentar uma família serena, amorosa, conforme apresentado no título Keine Ruh für Vater Bar, diferente da estória. A tradução transforma a atmosfera positiva do original em negativa. A posição ideológica é expressada forçosamente de maneira irônica e engraçada. A estória do original, inocente, serena/pacífica é modificada por uma série de desastres. Esta impressão é suportada pelos registros não correspondentes ao Field (Campo), Tenor(Relação), Mode (Modo) e Gênero. 46

47 47 Comparação do texto original vs. Comparison of original and translation and statement of quality

48 FIELD (campo) Textual Mismatches (não correspondência textual) Perda de Coesão: o item lexical onomatopéico não é representado/interpretado de forma coerente: (28/29): Um die Sonne chien immer Heller vs (26) SHINE, SHINE went the Sun, presume-se uma tentativa de corrigir o original em que Sun não faz ruídos e por isto, presumidamente não foi apresentado no mesmo vein como outros objetos da estória que faz barulho. Esta não correspondência resulta na perda de humor, precisamente porque a ação do Sun é omitida. O uso coerente de um equivalente da conjunção so no texto não é mantido na tradução: DORT wollte er schlafen no início do texto (7,11,15,18) (22): So he went off to sleep é apresentado (23): Er stand auf ging in den Garten. Comparação do texto original vs. tradução e análise da qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 48

49 FIELD (campo) Não correspondência Sintática O uso da onomatopéia em inglês é baseado padrão normal. Exemplo: verbos lexicalizados (snore, drip, snuffle), na equivalência do alemão frequentemente assemelha-se às estórias em quadrinhos infantilizados pelas interjeições (sch- sch-sch-schnüff-schnüff). Comparação do texto original vs. tradução e análise qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 49

50 TENOR Posição pessoal do autor (Emocional e Intelectual) Perda de humour, sentimentalização e infantilização dos personagens na estória. Não correspondência Lexical Os personagens Mr.Bear, Mrs.Bear e Baby Bear são modificados nas colocações sentimentais e infantilizadas alemã Vater Bar, Mutter BAR, baby Bar. Esta mudança também contribui para a perda de humor em conflito com o que foi criado no inglês para os títulos Mr.Mrs., além do fato de que nós estamos aqui lidando com o bichinho de pelúcia funcionando também como brinquedo das crianças Comparação do texto original vs. tradução e análise da qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 50

51 TENOR Não correspondente Sintático As estruturas das orações estão bem mais simples que a do original em inglês. Duas orações curtas simples são emitidas mais longa do que uma oração coordenada.: (6/7); So he got up and went to sleep in Baby Bear´s room vs. Er stand auf und ging ins Kinderzimmer. DORT wollte er schlafen. Comparação do texto original vs. tradução e análise da qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 51

52 TENOR Relação do Papel Social Entre autor e leitores, entre autor e os protagonistas, e entre os protagonistas. Esses três papéis são claramente interdependentes, tal que a relação entre o protagonista é a reflexão da avaliação do autor de seus leitores e a visão do autor dos seus personagens. Essas relações são modificadas quase que radicalmente na tradução alemã, o que prova a não correspondência. Não correspondente Textual Na tradução alemã o cenário positivo da obra original é transformada em negativa. Para começar, o título do original Peace at last é transformado em Keine Ruh für Vater Bar, uma total contradição do título original. No final da estória, a mãe é amável, carinhosa, amiga (never mind...a Nice cup of tea) e a frase final and she did indica que ela trouxe o chá conforme consolo selado sealing. Na tradução alemã, no entanto, a oração Warte, ich bring dir das Frühstück ans Bett insinua que este ato é parte de uma rotina diária. Comparação do texto original vs. tradução e análise da qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 52

53 TENOR Relação do Papel Social Não correspondente Lexical Estruturado pela manipulação do título e final, o corpo do texto contém um padrão de negativização e problematização, não somente na relação entre pai e filho apresentado de uma maneira negativa e problemática, mas também a relação entre mãe e pai. De forma implícita as relações das funções autoritárias são construídas na versão do tradutor. A primeira sentença: The hour was late é traduzida de uma maneira que evoca a diferença do relacionamento entre os pais e a criança: Es war Schafenszeit, esta oração implica uma norma dos pais (quando está tarde e escuro, as crianças devem ir prá cama), no original em inglês a mensagem permanece neutra. Baby Bear´s room virou das Kinderzimmer, um termo genérico, a sala então não é individual, mas passa a pertencer a alguém na posição da criança. A função do relacionamento entre criança e os pais são marcados de maneira fixa e normativa. Comparação do texto original vs. tradução e análise da qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 53

54 TENOR Relação do Papel Social Não correspondente Lexical.../...Uso das expressões em alemão mein Lieber und meine Liebe (29/30) ajuda a romper a harmonia de uma família feliz representada no original em inglês. Apesar do deceptivo formal equivalente entre my dear and mein(e) Liebe(r), essas sentenças não são pragmaticamente equivalentes. Sentença Macht nichts também não é quivalente a never mind. Na verdade, Macht nichts é muito mais direto, menos gentil. O uso de Macht nichts and warte dá um ar indiferente. Comparação do texto original vs. tradução e análise da qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 54

55 MODE Participation No original (18) e (19) na tradução, a tentativa via retórica, para diretamente envolver os participantes não é mantida na tradução. Em vez disso, a tradução apresenta uma mensagem impessoal, descontraído com início informal, regional tja. Comparação do texto original vs. tradução e análise qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 55

56 GÊNERO Ainda que a tradução apresenta uma obra para crianças, o gênero não mudou. Porém, a estrutura é muito diferente no texto: ambos, título e o final tem um tom diferente: a obra inocente e humorística para ser lido com prazer, diversão e alegria é transformada em uma obra ideológica e pedagógica. A análise mostra que parece ser padronizada as diferenças entre os textos neste gênero em duas comunidades linguística e cultural. Nas obras infantis alemãs parece ser uma tendência descrever um tipo de função na relação entre crianças e adultos da mesma maneira como foi mencionado acima, há mais sentimentalização e infantilização assim como menos humor, maior necessidade de impor idéias pedagógicas e ideológicas nas estórias contadas nos livros infantis alemã. Comparação do texto original vs. tradução e análise qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 56

57 COMENTÁRIOS SOBRE A QUALIDADECOMENTÁRIOS SOBRE A QUALIDADE As análises do original e tradução revelou não correspondências com as dimensões FIELD(Campo), MODE(modo) e em particular TENOR (relação) com conseqüente modificação substancial do componente funcional interpessoal da função do texto. No FIELD, perda de coesão foi encontrado em vários casos. Comparação do texto original vs. tradução e análise qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 57

58 COMENTÁRIOS SOBRE A QUALIDADE TENOR – a mudança mais incisiva foi na relação da função social retratada no original e na tradução. O cenário positivo do original foi transformado em negativo. Se retomarmos o que já foi dito anteriormente sobre as relações, veremos que as diferenças se devem ao fator cultural. Assim, a tradução alemã analisada pode ser descrita como tradução velada(covert) em que o filtro cultural foi aplicado. Por que será que o tradutor ou o editor não optou por uma tradução manifesta (overt).? É uma triste verdade que os tradutores de obras infantis parecem sentir particularmente permitidos a produzir traduções veladas (covert) para fazer as modificações quando lhes pareçam apropriadas, desta forma, impedindo as crianças ao acesso a voz do original. Crianças na maioria das vezes são totalmente subestimadas em suas capacidades de aprender e imaginar. Comparação do texto original vs. tradução e análise qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 58

59 COMENTÁRIO SOBRE A QUALIDADECOMENTÁRIO SOBRE A QUALIDADE Há uma razão para esta tendência de adaptar textos originais para cultura de chegada, o GÊNERO pode ser de um lado recepção-orientada dogmática, ambiente hermenêutico, que necessita, na opinião deste autor, ser submetido pelo texto e contexto baseado nas análises linguísticas. Comparação do texto original vs. tradução e análise qualidade Comparison of original and translation and statement of quality 59

60 POSSIBILIDADES E IMPOSSIBILIDADES DA CRÍTICA DA TRADUÇÃO. Possibilities and impossibilities of translation criticism Algumas considerações: Na crítica da tradução é importante conscientizar sobre a diferença de uma análise linguística e julgamento social. Há uma diferença entre comparação, descrição e explanação das diferenças estabelecidas na análise linguística e de julgamento.how good a translation A abordagem funcional-pragmática foca no texto, ou seja, produtos dos processos de decisão humana. 60

61 Qualquer análise depende de uma série de fatores que necessariamente entra num julgamento avaliativo social. Este tipo de avaliação emana do processo comparativo analítico da critica da tradução, ou seja, a análise lingüística fornece base para argumentar um julgamento avaliativo. A escolha de uma tradução manifesta(overt) ou velada (covert) não depende somente do tradutor ou do texto a ser traduzido, ou ainda de uma interpretação subjetiva do texto, mas também as razões da tradução, os leitores envolvidos, política de marketing e publicidade, fatores que nada tem a ver com procedimentos linguísticos na tradução, são fatores sociais. POSSIBILIDADES E IMPOSSIBILIDADES DA CRÍTICA DA TRADUÇÃO. Possibilities and impossibilities of translation criticism 61

62 No entanto, apesar de todas essas influências externas, a tradução está no núcleo do fenômeno lingüístico-textual e pode ser legitimamente descrito, analisado e avaliado. O interesse fundamental para crítica da tradução permanece na análise lingüística textual e comparativa. Os fatores sociais é vista como segundo plano. A descrição e explanação lingüística não deve ser confundida com afirmações avaliativas com bases nos fatores sociais, políticos, éticos ou individuais. A tradução é vista como operação linguística-textual. A crítica da tradução está preocupada na questão da qualidade na tradução, embora seja um tema problemático considerando a dificuldade para se chegar a um julgamento final que requer objetividade científica, deve ser levado em conta que a crítica da tradução é um campo que vale a pena. POSSIBILIDADES E IMPOSSIBILIDADES DA CRÍTICA DA TRADUÇÃO. Possibilities and impossibilities of translation criticism 62

63 Resumindo e concluindo, a crítica da tradução, como linguagem tem dois componentes funcionais básicos, um ideacional e um interpessoal que são levados a separar as duas fases : Ideacional - refere-se análise linguistica, descrição e explanação baseados nos conhecimentos e pesquisa. Interpessoal – refere-se a julgamentos de valores, social, interpessoal e questões éticas de relevância e gosto pessoal. Sem o primeiro, o segundo é inútil, em outras palavras, julgar é fácil, explicar e entender é menos ainda. Em outras palavras, sabemos quando uma tradução é boa, quando somos capazes de explicitar as bases para nosso julgamento fixado em procedimentos teoricamente estabelecidos. POSSIBILIDADES E IMPOSSIBILIDADES DA CRÍTICA DA TRADUÇÃO. Possibilities and impossibilities of translation criticism 63

64 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS HOUSE, Juliane: How do you know when a translation is good. In: STEINER, Erich; YALLOP, Colin(eds.) Exploring translation and multilingual text production: beyond content. Berlin/New York:Mouton de Gruyter, 2001.p Funcional Funcional 8.pdf?PHPSESSID= pdf?PHPSESSID=


Carregar ppt "Juliane House is a professor of applied linguistics at Hamburg University. Her research focuses on intercultural communication, cross-cultural pragmatics."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google