A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 II - As Estratégias e Gestão da Supervisão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 II - As Estratégias e Gestão da Supervisão."— Transcrição da apresentação:

1 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 II - As Estratégias e Gestão da Supervisão

2 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Importante instrumento para a organização do processo de trabalho, evitando desperdício de esforços e de recursos, bem como o desgaste da imagem institucional e profissional, buscando os objetivos propostos pelo programa. Mantém sempre o respeito e valorização do trabalho. Planejamento Estratégico

3 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 O ciclo de supervisão às Escolas prevê atividades específicas, que envolve toda Equipe de Supervisão (CEM, Supervisão Regional e Supervisão de Campo). Com periodicidade mensal. Processo de Supervisão

4 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Fases do processo: Preparatória; In loco; Consolidação dos Dados. Processo de Supervisão

5 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de Coordenação de Execução e Monitoramento - CEM Objetivos Propor ações e elaborar diretrizes para efetivar as atividades de supervisão; Planejamento, coordenação, gerenciamento e monitoramento da supervisão nas instituições executoras. Equipe do Processo de Supervisão

6 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de Supervisão Regional – SR Processo de Supervisão Responde por uma ou mais Regiões de Saúde (DRSs), é responsável pelo processo de trabalho desenvolvido por todos os supervisores de campo, na sua área de abrangência.

7 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Atribuições / SR Monitorar as informações recebidas das Escolas e do Supervisor de Campo; Realizar visitas de supervisão in loco nas escolas e unidades de saúde (instrumentos próprios); Processo de Supervisão

8 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Acompanhar o Supervisor de Campo em visitas aos Núcleos de Ensino, quando necessário; Promover reuniões periódicas com sua equipe de Supervisores de Campo; Apresentar relatórios e participar de reuniões mensais com CEM; entre outras. Processo de Supervisão

9 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Responsável pela supervisão in loco dos Cursos no âmbito do TecSaúde; Monitoramento e a avaliação das atividades dos Núcleos de Ensino que mantém os Cursos Técnicos – Módulo de Habilitação. 3. Supervisor de Campo – SC Processo de Supervisão

10 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Orientado pelo Supervisor Regional deve: Verificar no sistema SIGES-RH o período determinado para a visita; Compartilhar com o Supervisor Regional o planejamento de visita, bem como os instrumentos que serão utilizados; Supervisor de Campo – SC Processo de Supervisão

11 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Agendar junto à escola a visita de supervisão via Eletrônica e/ou por telefone com os Coordenadores e Secretários da escola, solicitando confirmação; Processo de Supervisão

12 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Providenciar listagem atualizada dos alunos pelo SIGES-RH; Ter em mãos o relatório de supervisão inserido no SIGES-RH, referente à visita; Levar a proposta de execução do curso; Processo de Supervisão

13 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 A primeira visita deve ser realizada até 15 dias após o início da turma, conforme apresentado na proposta de execução do curso; Obrigatoriedade das presenças dos SR e SC; Processo de Supervisão

14 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Preocupação e atenção da equipe de supervisão em proporcionar relação empática com o grupo estabelecendo ambiente de tranquilidade, parceria e confiança. Processo de Supervisão

15 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Realizar controle da situação dos alunos através do diário de classe, observando e anotando datas em branco ou períodos em que o aluno deixou de frequentar às aulas; Checar horário de início e término das aulas; Durante a 1ª visita: Processo de Supervisão

16 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Observar a utilização e questionar sobre qualidade e uso do material pedagógico (Guias); Visitar as dependências do Núcleo de Ensino (Laboratório, Biblioteca, Secretaria e Salas de Aula), observando estrutura física, materiais e equipamentos; Durante a 1ª visita: Processo de Supervisão

17 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Entrevistar/dialogar com os discentes e docentes; Reunião com Coordenador Pedagógico e Local, se necessário com mantenedor, para as devidas orientações; Aplicar instrumentos de supervisão (supervisão campo / regional); Durante a 1ª visita: Processo de Supervisão

18 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Solicitar : # Plano de curso; # Matriz Curricular; # Cronograma anual do curso; Durante a 1ª visita: Processo de Supervisão

19 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 # Cronograma de estágios; # Termo de Compromisso; # Seguro Obrigatório; Durante a 1ª visita: Processo de Supervisão

20 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 # Prontuários dos alunos (Documentos Pessoais, Histórico do Ensino Médio, Histórico da Qualificação do Auxiliar de Enfermagem/GDAE ou publicação em Diário Oficial, Carteira de Vacinação); # Solicitar livro ata para registro do termo de visita. Processo de Supervisão

21 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Devem ser realizadas, preferencialmente, até o 7º dia a partir da data de início da turma; Iniciar a análise de toda documentação pertinente ao Núcleo de Ensino e dos alunos, comparando com proposta de execução; A partir da 2ª até 9ª visita: Processo de Supervisão

22 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Iniciar a análise do histórico da Qualificação do Auxiliar de Enfermagem, para avaliação da necessidade do módulo complementação. Mínimo de 400h de estágio e 1110h total; Checar as pendências referentes às visitas anteriores; Processo de Supervisão

23 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Verificar registro nos diários de classe (assinaturas, registros de atividades, estratégias metodológicas, avaliações, presença de aluno, reposição de aula); Entrevistar docentes, Coordenador Local, Pedagógico e discentes, questionando a forma como se tem trabalhado o currículo integrado; Processo de Supervisão

24 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Analisar os livros tipo ata em relação a registro de reuniões com docentes, discentes e outras anotações pertinentes ao programa naquele Núcleo de Ensino; Visitar salas de aula ou campos de estágios; Realizar chamada dos alunos, comparando com a listagem do SIGES-RH. Processo de Supervisão

25 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Campos de estágios: # Aplicar os instrumentos de supervisão; # Analisar planta física; # Verificar recepção dos colaboradores da instituição com o grupo de alunos; Processo de Supervisão

26 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Campos de estágios: # Presença de rotinas de serviço; # Dinâmica da unidade; # Proporção discente/docente; # Campo de estágio x Conteúdo Teórico Processo de Supervisão

27 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Reunião com os Coordenadores Pedagógico e Local. Se necessário, com mantenedor, para as devidas orientações. Processo de Supervisão

28 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 SR aplica instrumentos específicos de supervisão: 1º Infra-estrutura do Núcleo de Ensino; 2º Monitoramento da Execução do Módulo de Complementação; 3º Avaliação do Campo de Estágio na área Hospitalar e Rede Básica. A partir da 2ª a 9ª visita: Processo de Supervisão

29 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Reavaliar / analisar documentação pertinente ao Núcleo de Ensino e discentes; Visitar salas de aula ou campos de estágios; Reunião com Coordenador Pedagógico e Local. Se necessário, com mantenedor, para as orientações de fechamento de turmas. 10ª visita: Processo de Supervisão

30 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Analisar as documentações pendentes, para o encerramento da turma. Sendo a última visita de supervisão realizada pelo Supervisor de Campo. Observação: Não deve existir pendência para o encerramento. Última visita : Processo de Supervisão

31 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Elaborar o preenchimento do relatório de supervisão (SIGES-RH); Registrar os pontos relevantes da visita de supervisão no Livro tipo ata, existente no Núcleo de Ensino; Orientar os Coordenadores Local e Pedagógico, sobre as pendências. Após cada visita in loco: Processo de Supervisão

32 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Atualizar a listagem dos alunos e preenchimento do relatório de supervisão no SIGES-RH (atendendo a data); Elaborar o relatório síntese; Todos os instrumentos elaborados pelo Supervisor de Campo são enviados ao Supervisor Regional para ciência e análise; Processo de Supervisão

33 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Após a ciência e análise de todos os instrumentos, pelo Supervisor Regional, os instrumentos retornam ao Supervisor de Campo, que enviará a CEM, por e/ou via correio dependendo do instrumento. Após cada visita: Processo de Supervisão

34 Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 Obrigada Processo de Supervisão Trabalho árduo, mas prazeroso !!!!!!!! Cristiane de Souza Vitor Dalva Apda Federich da Silva Kátia Abranches


Carregar ppt "Processos de Supervisão – Vivências e Desafios Fundap – São Paulo, 6 de dezembro de 2010 II - As Estratégias e Gestão da Supervisão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google