A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS Secretaria de Avaliação Institucional - SAI Prof. Dr. Gilberto Dias da Cunha Titular da Secretaria de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS Secretaria de Avaliação Institucional - SAI Prof. Dr. Gilberto Dias da Cunha Titular da Secretaria de."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS Secretaria de Avaliação Institucional - SAI Prof. Dr. Gilberto Dias da Cunha Titular da Secretaria de Avaliação Institucional – UFRGS Enade A Prova de História

2 Apresentar informações de interesse à comunidade acadêmica sobre o Exame de Nacional de Desempenho de Estudantes – Enade Divulgar informações sobre a realização das provas das áreas que participam do Enade 2011 Discussão sobre a natureza da avaliação dos cursos através do Enade Objetivos da Apresentação

3 Trata-se de uma obrigação de Estado implicitamente prevista na Constituição, pois é função do mesmo zelar pela Qualidade da Educação É também um compromisso de Estado, assumido pelo país diante de organismos internacionais (ONU), atividade afeta ao Sistema Educacional do país Não se trata, portanto, de imposição de Programa de Governo Aplica-se a todos os níveis de Ensino Educação envolve Ensino, Pesquisa e Extensão Os instrumentos de avaliação são definidos em legislação Por que o governo avalia a Educação ?

4 Para as instituições e estudantes abrangidos pelo Sistema Federal de Educação, através do SINAES - Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Lei Federal nº 10861/04 Sistema Federal de Educação Superior: compõe- se das instituições públicas federais e de todas as instituições privadas ( estaduais não fazem parte) Foco no subsídio à captação de informações para geração de políticas educacionais. Respeito à diversidade das instituições atuantes em educação superior (IES). Integração da Avaliação da Educação Superior em todos os seus níveis (graduação e e pós- graduação). Como é feita esta avaliação na Educação Superior ?

5 Formas de avaliação da Educação Superior no SINAES: Avaliação institucional Auto-avaliação institucional Avaliação institucional externa (avaliadores Inep) Avaliação da Graduação: ACG - avaliação externa de cursos de graduação (avaliadores Inep) ENADE (avalia os cursos indiretamente, através da avaliação direta dos alunos) Avaliação da Pós-Graduação: Avaliação de Programas de Pós-Graduação (avaliadores CAPES) Quais os instrumentos de avaliação do SINAES ?

6 Legislação: O ENADE está previsto na própria lei do SINAES Anualmente, são editadas portarias regulatórias específicas do exame daquele ano, estabelecendo prescrições sobre itens tais como os seguintes: Procedimentos que o MEC/Inep adotará para a prova do ano Definição das áreas que serão examinadas no ano Estabelecimento das comissões de assessoramento das diversas áreas que prestarão o exame ENADE - Fundamentos

7 Legislação (portarias / continuação ): Estabelecimento das comissões de assessoramento das diversas áreas que prestarão o exame Essas comissões, por sua vez, estabelecem as prescrições da prova de cada área, a qual será, depois, elaborada por uma empresa contratada para esta finalidade e também responsável pela sua aplicação em todo o país Observação importante: As comissões de assessoramento somente têm acesso à prova após a sua aplicação aos estudantes Até esta aplicação, as comissões vêem apenas algumas questões-espelho ENADE - Fundamentos

8 Legislação (portarias / continuação ): Estabelecimento das diretrizes da prova, conforme uma parte das prescrições elaboradas pelas comissões Há uma parte das prescrições que é pública (tornadas portarias); outra parte é entregue exclusivamente à agência que elaborará as provas (sigilosas) O contato entre a comissão e a banca proposta pela empresa que elabora e aplica a prova dá-se exclusivamente na pessoa do presidente desta banca A comissão não conhece os demais membros da banca; porém, estabelece os critérios para que a pessoa possa ser membro desta banca (verificação é feita pelo próprio Inep) ENADE - Fundamentos

9 Diferenças entre os princípios de avaliação do ENADE e do ENC (Provão): ENADE avaliação dinâmica: avalia o processo (e o produto) é mais justo com a IES que recebe alunos menos qualificados permite avaliar um número bem maior de cursos, em menos tempo ENC (Provão) avaliava somente o produto (avaliação estática) é mais favorável à IES que recebe o estudante de nível médio mais bem preparado ENADE - Fundamentos

10 Componente pedagógica: Avaliação do ganho de valor (análise de mudança) obtido pela exposição do estudante à Educação provida pela IES Tem de ser avaliado o mesmo grupo de estudantes na condição inicial de ingressantes e na condição final de concluintes Avaliação do processo e do produto final Componente psicométrica: Provas têm de ser pautadas pelo princípio da comparabilidade Necessidade de avaliar a entrada e a saída do processo Intervalo de tempo padrão: 3 anos ENADE - nova proposta de avaliação por exame

11 Ingressantes Concluintes 2011 ENADE – Análise de Mudança Aquisição de Competências Desenvolvimento de Habilidades Qual a efetiva influência da educação recebida pelo estudante no processo de aprendizado ? Processo de Aprendizado Ação da IES ?

12 O Enade provê os seguintes resultados: Nota do estudante: é secreta e é fornecida apenas ao estudante, mediante senha, não sendo divulgada publicamente ou utilizada para qualquer finalidade Nota do curso, calculada de forma relativa (ao desempenho geral de todos os participantes da prova num determinado tipo de curso) Esta nota é transformada num conceito, numa escala de 1 a 5 (Conceito do Curso) Projeção esperada para a nota do curso, calaculada através de um índice, o IDD Este IDD é transformado, também, num conceito, numa escala de 1 a 5 (Conceito-IDD) Avaliação do questionário sócio-econômico para o curso Avaliação do questionário preenchido pelo coordenador do curso ENADE – resultados

13 O INEP em 2011 seleciona os alunos concluintes de cada curso, com base em critérios estatísticos e nas definições de inscrição adotadas pelo ENADE: O INEP em 2011 seleciona os alunos concluintes de cada curso, com base em critérios estatísticos e nas definições de inscrição adotadas pelo ENADE: estudantes do primeiro ano dos cursos (ingressantes): estudantes do primeiro ano dos cursos (ingressantes): aqueles que tenham iniciado o curso com matrícula no ano de realização do ENADE aqueles que tenham iniciado o curso com matrícula no ano de realização do ENADE esses estudantes estão dispensados da participação na prova deste ano. Portanto, a sua dispensa será exibida por meio da funcionalidade Estudantes não-selecionados, sendo inviabilizada a possibilidade de opção pessoal do estudante ingressante pela participação no Enade ENADE – Elementos do desenho da amostra

14 O INEP em 2011 seleciona os alunos concluintes de cada curso, com base em critérios estatísticos e nas definições de inscrição adotadas pelo ENADE: O INEP em 2011 seleciona os alunos concluintes de cada curso, com base em critérios estatísticos e nas definições de inscrição adotadas pelo ENADE: estudantes de último ano dos cursos (concluintes): estudantes de último ano dos cursos (concluintes): aqueles que tenham expectativa de conclusão do curso no ano de realização do ENADE, assim como os que tiverem concluído mais de 80% da carga horária mínima do currículo do curso da IES. aqueles que tenham expectativa de conclusão do curso no ano de realização do ENADE, assim como os que tiverem concluído mais de 80% da carga horária mínima do currículo do curso da IES. a avaliação do ganho (análise de mudança) advém do desempenho comparado entre o mesmo grupo de estudantes nas condições de ingressantes e de concluintes a avaliação do ganho (análise de mudança) advém do desempenho comparado entre o mesmo grupo de estudantes nas condições de ingressantes e de concluintes ENADE – Elementos do desenho da amostra

15 O INEP em 2011 seleciona os alunos concluintes de cada curso, com base em critérios estatísticos e nas definições de inscrição adotadas pelo ENADE: O INEP em 2011 seleciona os alunos concluintes de cada curso, com base em critérios estatísticos e nas definições de inscrição adotadas pelo ENADE: Em resumo: Em resumo: Ingressantes são inscritos no exame, mas não comparecem, não fazem a prova. Ingressantes são inscritos no exame, mas não comparecem, não fazem a prova. Dados dos ingressantes obtidos com o ENEM serão utilizados na avaliação do ENADE do curso. Dados dos ingressantes obtidos com o ENEM serão utilizados na avaliação do ENADE do curso. Concluintes são inscritos e estão obrigados a comparecer ao exame. Concluintes são inscritos e estão obrigados a comparecer ao exame. ENADE – Elementos do desenho da amostra

16 Exame apenas aos concluintes de cada curso São 40 questões, a resolver em 4h00min. Há uma parte da prova (primeiras 10 questões), comum a todos os estudantes que prestam o exame, independentemente do seu curso: avaliação de formação geral; esta parte da prova tem peso de 25% sobre a nota O restante da prova (30 questões) destina-se à avaliação dos conteúdos, habilidades e competências inerentes à área do curso; com peso de 75% sobre a nota Há tanto questões discursivas, quanto de múltipla escolha, podendo ambas serem de grau baixo, médio ou elevado de dificuldade. O peso relativo de cada tipo de questão na prova varia de acordo com a deliberação de cada comissão de assessoramento, não podendo, porém, ultrapassar os 5% por questão. ENADE – Elementos do desenho da Prova

17 O comparecimento do estudante concluinte selecionado é obrigatório para que a prova tenha validade estatística, já que a nota é relativa (e não, absoluta) Por isso, a lei obriga ao comparecimento (para estudantes concluintes selecionados)! ENADE – Comparecimento à Prova

18 Os estudantes ingressantes e concluintes em situação irregular de anos anteriores do Enade, inscritos no Enade 2011, nos termos da Portaria Normativa Nº 8/2011, serão dispensados da prova a ser aplicada em 2011 e sua situação de regularidade será atestada por meio de relatório específico a ser emitido pelo INEP. Assim, a lista de estudantes inscritos, gerada pelo sistema de inscrição do ENADE, constitui requisito suficiente para comprovar a regularidade dos estudantes em tela junto ao ENADE O relatório de regularidade junto ao ENADE, a ser emitido pelo Inep em dezembro, ratificará a dispensa já atribuída aos estudantes irregulares.

19 Arquitetura e Urbanismo Artes Visuais (licenciatura) Ciências Sociais Biologia Computação Educação Física (licenciatura) Filosofia Física Geografia História Letras Matemática Música (licenciatura) Pedagogia (licenciatura) Química Engenharia (todos os ramos) ENADE 2011: Cursos participantes

20 Cursos Superiores de Tecnologia (Tecnólogos): Alimentos Construção de Edifícios Automação Industrial Gestão da Produção Industrial Manutenção Industrial Processos Químicos Fabricação Mecânica Analise e Desenvolvimento de Sistemas Redes de Computadores Saneamento Ambiental ENADE 2011: Cursos participantes

21 O Enade é baseado nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) dos cursos (inclusive, para efeito de divisão das áreas em que são realizadas as diferentes provas) As DCN estão baseadas em conceitos da Psicopedagogia A atividade docente é baseada no ato de avalizar o processo cognitivo por parte do estudante, isto é, em se garantir que o estudante, efetivamente, aprendeu Aprender, aqui, significa desenvolver atitudes, habilidades e competências no eventual contexto da assimilação de conteúdos Enade – Fundamentos Psicopedagógicos

22 Por isso, é necessário conhecer algumas definições subjacentes à prova, advindas da Psicopedagogia: Atitude – predisposição à execução de alguma atividade com determinado padrão de recorrência. Habilidade – domínio do uso do intelecto (eventualmente, agregado à destreza) de modo a executar tarefas específicas. Competência – capacidade de execução de atividades compostas pela execução de várias tarefas (requerendo, portanto, a presença de múltiplas habilidades ). Enade – Fundamentos Psicopedagógicos

23 A formação da competência supõe a assimilação de saberes e requer a existência de habilidades e a presença de atitudes previamente desenvolvidas Habilidade Atitude + Formação da Competência Assimilação de Conhecimento + Enade – Fundamentos psicopedagógicos =

24 Como consequência desses conceitos e da legislação vigente, a prova do ENADE não é uma prova meramente conteudista, mas, sim, uma prova destinada a avaliar habilidades, atitudes e conteúdos, de forma a culminar com a formação de competências! Assim, o conjunto das questões da prova é elaborado de modo a que todo o conjunto de competências que se espera desenvolver nos egressos da área (previstas nas DCN) sejam cobertos. Enade – Fundamentos Psicopedagógicos

25 Tipo de questões respondidas pelos estudantes que realizarão as provas da Área de História e da Formação Geral do Enade: Formação Geral : comum aos cursos de todas as áreas 10 (dez) questões, discursivas e de múltipla escolha, que abordarão situações-problema, estudos de caso, simulações e interpretação de textos, imagens, gráficos e tabelas. Componente Específico da área de História, 30 (trinta) questões, sendo 3 (três) discursivas e 27 (vinte sete) de múltipla escolha, envolvendo situação-estímulo. Enade – A Prova de História

26 Conteúdos comuns a todos os cursos participantes do ENADE 2011 (inclusive, cursos de História): 10 questões referentes à formação geral Conteúdos abordados: sociodiversidade: multiculturalismo e inclusão; exclusão e minorias; biodiversidade; ecologia; novos mapas sócio e geopolíticos; globalização; arte e filosofia; políticas públicas: educação, habitação, saúde e segurança; redes sociais e responsabilidade: setor público, privado, terceiro setor; relações interpessoais (respeitar, cuidar, considerar e conviver); vida urbana e rural; inclusão/exclusão digital; cidadania; violência; terrorismo, avanços tecnológicos, relações de trabalho. Enade – A Prova de História

27 Forma de abordagem: situações-problema, estudos de caso, simulações e interpretação de textos, imagens, gráficos e tabelas Habilidades a serem examinadas: analisar, sintetizar, criticar, deduzir, construir hipóteses, estabelecer relações, fazer comparações, detectar contradições, decidir, organizar, trabalhar em equipe e administrar conflitos. Competências a serem examinadas: ética profissional e compromisso com a sociedade Competências a serem examinadas nas questões discursivas: (construção de texto com) clareza, coerência, coesão, estratégias argumentativas, adequação de vocabulário e correção gramatical. Enade – A Prova de História

28 Perfil do profissional da área de História: Ampla formação humanística, científica e crítica, com senso ético, responsabilidade social e apto para: a) atuar em equipe interdisciplinar e multiprofissional; b) compreender processos, tomar decisões e resolver problemas no âmbito da História, com base na realidade sócio-cultural de seu espaço sócio-profissinal; c) refletir acerca de categorias e conceitos pertinentes à área e promover reflexões sobre a historiografia; d) analisar, criticar, produzir e difundir conhecimento na área de História; Enade – A Prova de História

29 Perfil do profissional da área de História: e) exercer atividades profissionais de pesquisa e ensino na área de História, bem como outras modalidades de atuação, que envolvam as informações e instrumentos de trabalho concernentes ao conhecimento histórico (preservação do patrimônio histórico, assessorias a arquivos e museus, a entidades públicas e privadas nos setores culturais e artísticos). Enade – A Prova de História

30 Habilidades & Competências examinadas no contexto da área de História (cf. DCNS de História): Gerais: a) utilizar a linguagem com clareza, precisão, propriedade na comunicação e riqueza de vocabulário; b) refletir, articular e sistematizar conhecimentos teórico metodológicos e empíricos necessários à prática do profissional em história; c) trabalhar com fontes históricas variadas. Enade – A Prova de História

31 Específicas: a) problematizar os processos históricos observados; b) interpretar, por meio de fontes e linguagens diversas, a experiência histórica; c) produzir análises e interpretações, utilizando-se dos conceitos, categorias e vocabulário pertinentes ao discurso historiográfico; d) conhecer o processo de construção da historiografia; e) distinguir história vivida da produção do conhecimento histórico; Enade – A Prova de História

32 f) analisar as relações e tensões entre as ações dos sujeitos e as determinações do processo histórico, percebendo a historicidade das manifestações sociais e culturais; g) compreender as especificidades e as características do conhecimento histórico no conjunto das demais áreas do conhecimento com as quais se relaciona; h) entender a temporalidade do histórico para além da simples sucessão cronológica: suas continuidades, rupturas e ritmos diferentes; i) apreender a diversidade das relações históricas e as inúmeras mediações que as articulam;

33 j) perceber as relações entre as diferentes esferas integrantes de um contexto histórico (cultural, econômica, política, social, etc.); k) incorporar experiências de vida como elementos para o conhecimento histórico; l) estabelecer diálogos com outras disciplinas, articulando as várias áreas do conhecimento com as temáticas da história e suas dimensões temporais e espaciais; m) refletir sobre as práticas didático-pedagógicas inerentes ao profissional de História; n) propor e justificar problemas de investigação, estabelecer suas delimitações temáticas, temporal e espacial, definir as fontes de pesquisa, as referências analíticas, os procedimentos técnicos e expor os resultados de acordo com os requisitos acadêmicos. Enade – A Prova de História

34 Conforme Diretrizes Curriculares dos cursos de História, são considerados conteúdos curriculares básicos dos cursos de História, a serem incluídos nos mesmos conforme as suas especificidades e perfil pretendido para o egresso: TEORIA E METODOLOGIA DA HISTÓRIA História: acontecimento e conhecimento. Categorias e conceitos fundamentais do conhecimento histórico: verdade, tempo, espaço, estrutura, processo, evento, sujeito. As fontes históricas e as técnicas de investigação. As referências teórico-metodológicas e seu papel no processo de produção do conhecimento histórico. O historiador e seu trabalho: a presença da subjetividade e os limites da objetividade. Enade – A Prova de História

35 TEORIA E METODOLOGIA DA HISTÓRIA A função social do historiador. A relação entre memória e história. O fato histórico como construção. A Escola Metódica. O Materialismo Histórico. A Escola dos Annales e a Nova História. A Nova Historiografia Marxista. Micro-História. Enade – A Prova de Hist ó ria

36 TEORIA E METODOLOGIA DA HISTÓRIA A Nova História Cultural. A Historiografia Pós-Estruturalista. História das Mentalidades e do Imaginário. A Nova História Econômica e Política. A História do Tempo Presente. A Historiografia Brasileira Contemporânea. Enade – A Prova de História

37 HISTÓRIA ANTIGA HISTÓRIA ANTIGA Aspectos do povoamento, periodizações e paisagens geográficas da Antiguidade. A civilização egípcia. As civilizações mesopotâmicas. As civilizações orientais da Antiguidade: hebreus, fenícios, hititas e persas. A civilização grega. A civilização romana. A historiografia sobre o mundo antigo.

38 Enade – A Prova de História HISTÓRIA MEDIEVAL O colapso do Império Romano e as sociedades germânicas. As invasões dos povos bárbaros e a formação dos reinos bárbaros. A gênese da sociedade feudal. O feudalismo. O problema demográfico. A expansão mulçumana e a conquista da Península Ibérica. Bizâncio e a expansão turca.

39 Enade – A Prova de História HISTÓRIA MEDIEVAL As cruzadas. O renascimento urbano e comercial. A crise do feudalismo. A Guerra dos Cem Anos. Origem e formação da burguesia. O fortalecimento do poder central. A cultura medieval. A Igreja Católica. A historiografia sobre os tópicos enunciados acima.

40 Enade – A Prova de História HISTÓRIA MODERNA A formação dos estados modernos. O Renascimento e a revolução científica. As Reformas religiosas (católica e protestante). A transição do feudalismo para o capitalismo. O Mercantilismo e o Absolutismo. A expansão marítima européia e a formação dos impérios coloniais. As revoluções inglesas do século XVII. As transformações econômicas na Inglaterra no século XVII.

41 Enade – A Prova de História HISTÓRIA MODERNA A Revolução Industrial. O movimento Iluminista. A crise do Antigo Regime. A historiografia sobre os tópicos enunciados acima. HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA A Revolução Francesa. Os regimes monárquicos restaurados. O nacionalismo, o liberalismo e o romantismo. As revoluções de 1820, 1830 e 1848.

42 Enade – A Prova de História HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA A industrialização européia no século XIX. Os movimentos operários. As unificações da Alemanha e da Itália. O Japão: imperialismo, modernização e industrialização. As relações internacionais na Europa do Século XIX. A expansão colonialista e o imperialismo europeu. A Primeira Guerra Mundial. A Revolução Russa, a Revolução Chinesa e o comunismo no século XX.

43 Enade – A Prova de História HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA Os regimes totalitários. A Segunda Guerra Mundial. O pós-guerra. A descolonização do mundo afro-asiático e a formação do Terceiro Mundo. A crise do capitalismo nos anos setenta. O fim da URSS.

44 HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA As relações internacionais após o fim da Guerra Fria. Os impasses da globalização. Discussões historiográficas concernentes aos conteúdos discriminados acima. HISTÓRIA DO BRASIL Culturas indígenas brasileiras. A conquista da América portuguesa no contexto da expansão européia. A administração colonial e as relações entre o poder local e o poder metropolitano. Enade – A Prova de História

45 HISTÓRIA DO BRASIL A economia exportadora e a produção para o mercado interno. A mineração e a urbanização na América portuguesa. A escravidão indígena e a escravidão africana. Religião e religiosidade na Colônia. Motins, revoltas e conspirações no período colonial. A crise do sistema colonial. A presença da família real no Brasil.

46 HISTÓRIA DO BRASIL A Independência. A organização da monarquia no Brasil: a estrutura política e os movimentos sociais. Escravidão e mudanças nas relações sociais. Economia cafeeira, urbanização e modernização. A política externa. Cultura e sociedade. A crise da monarquia. A organização republicana. Industrialização e urbanização e imigração. Enade – A Prova de História

47 HISTÓRIA DO BRASIL Conflitos sociais na cidade e no campo e processos migratórios. Mudanças e movimentos culturais. A Revolução de Nacionalismo e projetos políticos: Aliança Nacional Libertadora, Integralismo, comunismo, trabalhismo. Estado Novo: economia, sociedade e cultura. A experiência democrática: partidos, planejamento econômico, industrialização, conflitos sociais, experiências culturais. Enade – A Prova de História

48 HISTÓRIA DO BRASIL Os governos militares: modernização e conservadorismo; mudanças sociais e culturais; internacionalização da economia e planejamento econômico. A transição democrática. O Brasil pós-transição democrática. A historiografia sobre os temas indicados. HISTÓRIA DA AMÉRICA A América pré-colonial. As Civilizações Inca, Maia e Asteca. A expansão européia, a conquista e a colonização da América espanhola. Enade – A Prova de História

49 HISTÓRIA DA AMÉRICA A América espanhola: organização social, política e econômica. A colonização inglesa. As independências e a formação dos Estados nacionais na América. Caudilhismo e liberalismo na América Latina. A estruturação das economias americanas no século XIX. A Guerra Civil Norte-Americana. As intervenções dos EUA na América Latina. A crise do Estado oligárquico. Enade – A Prova de História

50 HISTÓRIA DA AMÉRICA A Revolução Mexicana. Estado e populismo na América Latina. A Revolução Cubana. As ditaduras latino-americanas. As crises político-institucionais na América Central. Os processos de democratização na América Latina. A historiografia dos temas indicados acima. Enade – A Prova de História

51 O que acontece com cursos e IES cujo desempenho não foi considerado satisfatório pelo MEC ? O MEC irá exigir que passem por um processo de melhoria, sob supervisão da SESu (órgão do MEC responsável pela regulação da Educação Superior), a fim de continuarem credenciados (IES) ou reconhecidos (cursos) oficialmente pelo Estado. Propósito básico do processo supervisório é suscitar a melhoria da qualidade !! (Fechar cursos e descredenciar IES não é o foco)! Como o Estado exerce a função de supervisão ?

52 As informações de interesse geral sobre o Enade podem ser encontradas no Manual do Enade. O Inep disponibiliza este manual e as portarias referentes ao Enade pelo site p ortal.inep.gov.br/enade, bem como a atualização das informações de interesse geral mais importantes. p ortal.inep.gov.br/enade Informações específicas sobre a inscrição, a seleção de estudantes para a prova, o acesso ao questionário sócio-econômico, ao local de prova, ao cartão de informação e o requerimento de dispensa feito pelo estudante são acessíveis aos coordenadores de curso através do site enadeies.inep.gov.br/enadeIes/ (Acesso IES Coordenador). enadeies.inep.gov.br/enadeIes/ Enade: informações gerais

53 O estudante poderá verificar o seu cartão individual de informação, acessível também pelo site enade.inep.gov.br, onde constará o local de prova e as indicações sobre o modo como o mesmo deverá se identificar aos fiscais de prova para a efetuação da mesma. enade.inep.gov.br O endereço domiciliar e as informações sobre o documento de identidade são aquelas constantes no Portal do Aluno da UFRGS. O Cartão de Informação do Estudante conterá instruções para a correção de dados pessoais. O estudante deverá preencher o formulário com as correções cadastrais e apresentá-lo ao fiscal de prova, no dia e local determinado para o Exame. Os fiscais de prova também fornecerão o instrumento apropriado à correção de dados pessoais, no dia da prova, caso seja necessário. Enade: informações gerais

54 Os estudantes concluintes selecionados para participação no Enade serão distribuídos para a prova em obediência ao município de funcionamento do curso/habilitação, exceto para os casos previstos nos §§ 2º a 4º do art. 6º da Portaria Normativa nº. 8/2011, desde que a IES tenha informado ao Inep, em prazo hábil. Estudantes de mais de um curso de graduação: se o estudante concluinte de mais de um curso de graduação a ser avaliado pelo Enade 2011 for selecionado para mais de um curso, deverá optar por uma das provas e comparecer ao local determinado no respectivo Cartão de Informação do Estudante. Após a realização da prova, o estudante deve enviar correspondência ao Inep detalhando os cursos e as IES que freqüentou, acompanhada de cópia dos respectivos Cartões de Informação do Estudante. Enade: informações gerais

55 Os estudantes habilitados que não tenham sido inscritos ou não tenham realizado o ENADE fora das hipóteses de dispensa referidas na Portaria Normativa nº 40/2007 estarão em situação irregular, não podendo receber o histórico escolar final. Após a realização do Enade, os estudantes habilitados para o Enade que não tenha participado da prova realizada no dia 06 de novembro de 2011 por motivos de saúde, mobilidade acadêmica ou outros impedimentos relevantes de caráter pessoal, terão 10 (dez) dias para apresentar no sistema a justificativa de ausência no Enade O INEP analisará a justificativa e comunicará à instituição o deferimento ou indeferimento da dispensa. O estudante que permanecer em situação irregular deverá ser inscritos no ENADE no ano seguinte, nesta condição.

56 O ENADE destina-se a verificar a qualidade dos cursos oferecidos pelas IES do Sistema Federal de Educação Superior. Em 2011, o ENADE será aplicado apenas aos estudantes concluintes dos cursos os quais são os únicos que deverão comparecer à prova no dia 06/11. O comparecimento é obrigatório e necessário para efeito de geração de nota relativa. Antes do exame, o estudante concluinte também deve responder ao Questionário do Estudante, via web, o qual também é parte integrante do exame e, consequentemente, traz implicações sobre a avaliação final do curso. Os estudantes ingressantes são inscritos apenas para efeito de utilização de seus dados no cômputo da avaliação do curso, mas não fazem a prova!! Conclusões Gerais

57 Como consequência disso, a participação no ENADE torna-se um ato de cidadania, em que o estudante dá a sua parcela de esforço pela melhoria da qualidade da Educação no país! A UFRGS, como Universidade formadora, acima de tudo, de cidadãos conscientes, espera que cada estudante cumpra, da melhor forma possível, com a sua parte, como cidadão, com o esforço de toda a sociedade brasileira em conseguir a melhoria geral da qualidade da Educação, que é o alicerce de uma sociedade mais justa e igualitária! Conclusões Gerais

58 A UFRGS informa a sua comunidade universitária sobre o ENADE através da página eletrônica da SAI: Eventualmente, algumas outras informações são repassadas através de chamadas especiais na página principal da Universidade ou via mensagens postadas no Portal do Estudante As COMGRADs eventualmente irão realizar encontros com os estudantes a respeito do exame Boa prova a todos os estudantes concluintes inscritos no ENADE 2011 !! Conclusões Gerais

59 Equipe da SAI – Secretaria de Avaliação Institucional: Prof. Dr. Gilberto Dias da Cunha Titular da Secretaria de Avaliação Institucional - UFRGS Membro da Comissão Geral de Assessoramento das Engenharias / INEP Coordenador da Comissão de Assessoramento do Grupo VI das Engenharias (Enade) Profª Drª. Cláudia Medianeira Cruz Rodrigues VICE-SECRETÁRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL TAE Débora Trindade De Angelis TAE Antônio Edmar Teixeira de Holanda TAE Fernanda Brasil Mendes TAE Flavia Renata Pinto Barbosa TAE Claudete Lampert Gruginskie Estatístico Gilberto Müller Beuren Bolsista Ana Danielle Santana Cavalheiro Telefone: Enade 2011 – História


Carregar ppt "Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS Secretaria de Avaliação Institucional - SAI Prof. Dr. Gilberto Dias da Cunha Titular da Secretaria de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google