A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTRODUÇÃO À SOCIOLINGÜÍSTICA DO CONTATO DE LÍNGUAS: LATINISMOS E GALICISMOS NO INGLÊS Prof a Dr a Samantha de Moura Maranhão Universidade Federal do Piauí.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTRODUÇÃO À SOCIOLINGÜÍSTICA DO CONTATO DE LÍNGUAS: LATINISMOS E GALICISMOS NO INGLÊS Prof a Dr a Samantha de Moura Maranhão Universidade Federal do Piauí."— Transcrição da apresentação:

1 INTRODUÇÃO À SOCIOLINGÜÍSTICA DO CONTATO DE LÍNGUAS: LATINISMOS E GALICISMOS NO INGLÊS Prof a Dr a Samantha de Moura Maranhão Universidade Federal do Piauí samanthamaranhao.blogspot.com

2 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. Programa 1. A Sociolingüística de Weinreich. 2. O conceito de comunidade lingüística. 3. O contato de línguas. 4. Bilingüismo e diglossia. 5. O fenômeno da interferência lingüística. 6. O contato de línguas na constituição do léxico inglês: contribuições latinas e francesas.

3 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. Reflexão inicial Bilingüismo – A capacidade de falar duas línguas. Na sociedade ocidental moderna, a capacidade de falar duas línguas é freqüentemente considerada um feito notável, particularmente nos países de língua inglesa. Ainda assim, acredita-se que mais de 70% da população da Terra seja bilíngüe ou multilíngüe – capaz de falar três línguas ou mais –, e há boas razões para acreditar que o bilingüismo ou o multilingüismo foram a norma para a maioria dos seres humanos, pelo menos durante os últimos milênios (...). [TRASK, 2006, p. 47, grifo nosso]

4 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. E ainda: (...) no Brasil de hoje são falados por volta de 200 idiomas. As nações indígenas do país falam cerca de 170 línguas (chamadas de autóctones ), e as comunidades de descendentes de imigrantes outras 30 línguas (chamadas de alóctones ). Somos, portanto, como a maioria dos países do mundo – em 94% dos países do mundo é falada mais de uma língua – um país de muitas línguas, plurilíngüe. [OLIVEIRA, 2000, p , grifo nosso]

5 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. Perguntas 1. Se o contato de línguas é um fato inquestionável, que conseqüências acarreta para os sistemas lingüísticos envolvidos? 2. Sistemas em contato se influenciam mutuamente? 3. Fatores extralingüísticos, como o maior prestígio de uma língua face a outra, condicionam a direção da influência?

6 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. 1. A Sociolingüística de Weinreich Simpósio Direções para a Lingüística Histórica Universidade do Texas, 29 e 30 de abril de 1966 Divulgação do texto (com publicação posterior, em 1968) Fundamentos Empíricos para uma Teoria da Mudança Lingüística Autores Uriel Weinreich Tese de doutoramento sobre o bilingüismo na Suíça (1951) Livro Línguas em Contato (1953) (contato lingüístico intercomunitário)

7 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. Labov Dissertação de mestrado sobre o inglês em Marthas Vineyard. Tese de doutoramento sobre a stratificação social do inglês em Nova Iorque (1966) (Sociolingüística urbana) Herzog Tese de doutoramento sobre a língua iídiche no norte da Polônia (1965) (dinâmica da interação dialetal) Juntos, e a partir de dados colhidos em pesquisa de campo, reuniram conhecimentos suficientes para refutar o pressuposto da língua homogênea difundido pelos estruturalistas.

8 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. De acordo com Saussure (CLG, 1916): LÍNGUAvs. FALA sistemaUso do sistema [ de itens lingüísticos e de regras de combinação ] socialindividual homogêneaheterogênea potencialidaderealidade

9 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. De acordo com Weinreich, Labov e Herzog, a partir de dados empíricos colhidos em suas pesquisas individuais: LÍNGUA inerentemente variável e ordenada [heterogeneidade e estrutura não são características excludentes] A heterogeneidade ordenada integra a competência lingüística do falante monolíngüe A mudança não altera o caráter estruturado das línguas [as línguas funcionam enquanto a estrutura muda]

10 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. Além disso, as isoglossas não delimitam claramente os dialetos, mas diversos traços são compartilhados de forma assistemática por aqueles geograficamente próximos (FARACO, 2006, p. 27). Logo, As línguas não podem ser descritas e analisadas como um objeto idealizado (e irreal), mas considerando-se o seu caráter heterogêneo.

11 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. 2. O conceito de comunidade lingüística COMUNIDADE DE FALA vs. COMUNIDADE DE LÍNGUA Conceito mais abrangente Conceito que desconsidera a natural variação das línguas e o bi- ou multilingüismo nas sociedades Considera traços extralingüísticos: étnicos, religiosos, culturais, sociais e políticos Usos lingüísticos particulares de subgrupos da comunidade são os marcadores da fala

12 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. (...) Essas crianças [filhos de imigrantes] podem rejeitar a cultura dos pais, que lhes parece estranha e retrógrada, o que pode levar a conflitos familiares ferozes; ao mesmo tempo, as crianças podem sofrer a rejeição dos vizinhos, na cultura dos quais estão procurando integrar-se. (...) Considere-se o caso da segunda geração de falantes de árabe no sul da França. De um lado, seu árabe modificado por influência do francês é, às vezes, muito diferente do árabe de seus pais, que, por isso mesmo, podem encarar o árabe das gerações mais novas como errado e inaceitável. Por outro lado, rejeitados pelos falantes de francês circunstantes, os jovens cultivam – muitas vezes de forma deliberada – um estilo de francês que é grandemente incompreensível para os outros, num esforço provocativo de darem a si próprios um sentido de identidade. [TRASK, 2006, p. 163]

13 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. Tipologia das congruências lingüísticas e sócio-culturais (WEINREICH, 1967, p ): 1. áreas geográficas 2. indigenidade 3. grupos culturais ou étnicos 4. religião 5. raça 6. sexo 7. idade 8. status social 9. ocupação 10. Natureza urbana/rural da população

14 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. 3. O contato de línguas Define-se contato de línguas como uma situação em que línguas ou variedades de língua se influenciam, em decorrência principalmente de contigüidade geográfica (áreas de fronteira), proximidade social (interação entre grupos sociais distintos) ou conquistas e migrações, quando os falantes podem inclusive se misturar em uma única comunidade, e secundariamente em virtude de viagens ou exposição a meios de comunicação de massa (CRYSTAL, 1988, p. 64; TRASK, 2006, p ; NEUVEU, 2008, p. 80).

15 Introdução à Sociolingüística do Contato de Línguas: Latinismos e Galicismos no Inglês. Trask (2006, p ) apresenta uma escala em graus das conseqüências do contato de línguas, consoante o alcance da interferência: 1. se mais elementar, ocorrem a adoção de palavras e a incorporação destas, geralmente designativas de referentes novos, mas também podem resultar de prestígio; 2. se mais longe, afeta a gramática e a pronúncia; 3. se extremo, resulta no abandono de uma língua em favor de outra (morte da língua).


Carregar ppt "INTRODUÇÃO À SOCIOLINGÜÍSTICA DO CONTATO DE LÍNGUAS: LATINISMOS E GALICISMOS NO INGLÊS Prof a Dr a Samantha de Moura Maranhão Universidade Federal do Piauí."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google