A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Monitoramento de longo prazo da biota e das propriedades físico-químicas da água e do sedimento em dois pontos fixos numa praia estuarina da Baía de Paranaguá.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Monitoramento de longo prazo da biota e das propriedades físico-químicas da água e do sedimento em dois pontos fixos numa praia estuarina da Baía de Paranaguá."— Transcrição da apresentação:

1 Monitoramento de longo prazo da biota e das propriedades físico-químicas da água e do sedimento em dois pontos fixos numa praia estuarina da Baía de Paranaguá Introdução A macrofauna bêntica é utilizada como indicadora da qualidade da água e do sedimento devido à sua rápida resposta ao estresse antrópico (ZETTLER et al., 2007). Monitoramentos da macrofauna bêntica e de parâmetros abióticos de longo prazo são importantes para avaliações de impactos ambientais e gestão dos ambientes estuarinos. Estudos dessa natureza são inexistentes no país. Objetivo Analisar a variação temporal da macrofauna bêntica, de características sedimentares e da água, ao longo de dois anos, em dois locais fixos de uma praia estuarina da Baía de Paranaguá. Apesar dessas diferenças, elas não se mostraram significativas (Tab.1), assim como em relação aos períodos e estações do ano. Metodologia. A praia da Ponta do Poço (25º32'46"S 48º22'45"O) foi analisada em dois locais (L1 e L2), distantes 100 metros entre si e próximos a área de instalação do futuro Porto de Pontal do Paraná (Fig. 1). Estes pontos foram monitorados quinzenalmente, com avaliação da abundância e riqueza da macrofauna bêntica, além de salinidade e pH da água, granulometria, teores de carbonato de cálcio e matéria orgânica do sedimento. As amostras de sedimento foram coletadas, lavadas em campo e fixadas em formaldeído 8%. Os indivíduos foram identificados até o menor nível taxonômico possível. As análises estatísticas aplicadas compreenderam MDS, para análise dos padrões temporais da fauna, e PCA, para análise dos padrões temporais das variáveis abióticas. Foi considerado o período de amostragem entre novembro de 2010 e novembro de Conclusões Os parâmetros abióticos estudados não explicam a variação, entre anos, encontrada na macrofauna bêntica. Sugere-se que o monitoramento prossiga e que outros fatores sejam incorporados ao estudo, para que se compreenda melhor a variabilidade temporal da macrafauna bêntica local. Bryan Renan Müller - Iniciação Científica UFPR/TN Maurício Garcia de Camargo e Fernanda Maria de Souza Figura 1 – área de estudo, identificando o Complexo Estuarino de Paranaguá, a região de futuras instalações do Porto de Pontal do Paraná e a Praia da Ponta do Poço, com L1 e L2. Figura 2 – variação da abundância e da riqueza total de espécies, em L1 e L2, no período de novembro de 2010 a novembro de Tabela 1- Resultados da ANOSIM. R: valos da estatística do teste; P: significância do teste, em percentual; N: número de permutações executadas pelo teste. Resultados e Discussão Nestes dois anos, indivíduos foram coletados e os dez táxons com maior abundância foram: Scolelepis chilensis, Poecilochaetus serpens, Dispio remanei, Aricidea sp., Armandia sp., Mysidopsis sp., Gammarus sp., Bathyporeia sp., Kalliapseudes schubartii e Branchiostoma sp. L1 e L2 foram heterogêneos quanto à abundância e riqueza dos indivíduos, com L2 responsável por 62% da abundância total verificada. Quanto à riqueza total, L1 apresentou riqueza média de 3,71 espécies e L2 de 6,11 espécies (Fig. 2). Figura 3 - Gráficos MDS que representam a distribuição das amostras em A= Local, B = Ano, C = Estação e D = Período. Referências ZETTLER, M. L.; SCHIEDEK, D.; BOBERTZ, B. Benthic biodiversity indices versus salinity gradient in the southern Baltic Sea. Marine Pollution Bulletin. v. 55. p. 258– Figura 4 - PCA dos parâmetros granulométricos das amostras em relação ao fatores A= Ano, B= Período, C= Quinzena, D= Local. Figura 3 - Gráficos de variação dos parâmetros abióticos ao longo do tempo: A = salinidade, B = pH, C = matéria orgânica, D = carbonato de cálcio. Contudo, houve diferenças significativas entre o primeiro ano de estudo (novembro de 2010 a novembro de 2011) e o segundo (novembro de 2011 a novembro de 2012) (Tab. 1 e Fig. 3B). Os dados abióticos não apresentaram grande variação, nem um padrão claro, exceto nos teores de matéria orgânica e carbonato de cálcio, que demonstram uma leve redução dos seus valores, ao longo do tempo (Fig.4). Nas análises de PCA não foram observados padrões de distribuição dos pontos em relação aos parâmetros granulométricos (Fig. 5).


Carregar ppt "Monitoramento de longo prazo da biota e das propriedades físico-químicas da água e do sedimento em dois pontos fixos numa praia estuarina da Baía de Paranaguá."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google