A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Microeconomia A III Prof. Edson Domingues Aula 11 Economia da Informação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Microeconomia A III Prof. Edson Domingues Aula 11 Economia da Informação."— Transcrição da apresentação:

1 Microeconomia A III Prof. Edson Domingues Aula 11 Economia da Informação

2 Referências VARIAN, H. Microeconomia: princípios básicos. Rio de Janeiro: Elsevier, (7.a edição americana) Capítulo 35 SHAPIRO, C., VARIAN, H. A Economia da Informação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

3 Economia da Informação e métodos de análise Novas tecnologias exigem uma nova teoria econômica? Novas análises, mas não uma nova teoria econômica. Teoria econômica é sobre pessoas, escolhas e interação, tipo de bem (informação, serviços ou produtos) não importa. Preferências, tecnologias, custos, estruturas de mercado também são relevantes na economia da informação.

4 Modelos aplicados à Economia da Informação - Exemplos Externalidades, custos de troca e aprisionamento Mercados com Externalidades de Rede Gestão de Direitos

5 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento Computadores, FAX, celulares, redes, … Muitos usuários promovem diversas complementaridades. é útil se muitas pessoas o utilizam -- uma externalidade de rede. computadores são mais úteis se muitas pessoas usam o mesmo software.

6 Mas então, mudar de tecnologia se torna muito custoso: aprisionamento Microsoft Windows. Como os mercados operam quando existem custos de troca ou externalidades de rede? 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

7 Custo de troca Compare Ford v. Volkswagen Macintosh v. PC Windows 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

8 Investimentos permanentes em bens complementares Hardware Software Ofertantes querem aprisionar consumidor Consumidor quer evitar aprisionamento Princípio básico: Olhe para o futuro e pense no passado 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

9 Custo mensal do provedor em prestar um serviço de rede é c por consumidor Custo de Trocar de provedor do consumidor é s. Provedor oferece um desconto de um mês no valor de d. Taxa de juros é r. 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

10 Todos os provedores estabelecem a mesma taxa mensal de p. Quando a mudança de provedor é racional para o consumidor? 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

11 Valor presente

12

13 Custo de não trocar é 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

14 Custo de não trocar é Custo de trocar é 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

15 Custo de não trocar é Custo de trocar é Troco se 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

16 Custo de não trocar é Custo de trocar é Troco se I.e. se 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

17 Troco se I.e. se Competição entre empresas assegurará no equilíbrio de mercado que consumidores são indiferentes entre trocar ou não 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

18 No equilíbrio, lucro econômico das empresas é zero. I.e. 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

19 No equilíbrio, lucro econômico das empresas é zero. I.e. Como, no equilíbrio 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

20 No equilíbrio, lucro econômico das empresas é zero. I.e. Como, no equilíbrio 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento ou

21 I.e. valor presente do lucro da firma = custo de troca do consumidor. Ou, preço garante mark up de longo prazo: 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

22 Os custos de troca são a norma nos setores de informação Consumidores podem estar mais vulneráveis Como fornecedor, os custos de troca são essenciais para avaliar a sua base instalada Antecipar o ciclo: olhar para investimentos permanentes 1. Externalidades, custos de troca e aprisionamento

23 2. Mercados com Externalidades de Rede Indivíduos v = 1,…,1000 (indexados). Cada pessoa compra uma unidade do bem. v é o preço de reserva do bem para a pessoa Se o preço do bem é p, 1000-p pessoas podem comprar o bem Se p = 200, então D = = 800 Demanda negativamente inclinada O que acontece se houver externalidade de rede?

24 2. Mercados com Externalidades de Rede Indivíduos v = 1,…,1000. Cada um pode comprar uma unidade de um bem provocando uma externalidade de rede. Indivíduo v avalia uma unidade do bem em nv, onde n é o número de pessoas que compram o bem.

25 2. Mercados com Externalidades de Rede Indivíduos v = 1,…,1000. Cada um pode comprar uma unidade de um bem provocando uma externalidade de rede. Indivíduo v avalia uma unidade do bem em nv, onde n é o número de pessoas que compram o bem. Ao preço p, qual é a quantidade demandada do bem? Haverá um comprador marginal indiferente em comprar o bem?

26 2. Mercados com Externalidades de Rede Se v é o comprador marginal, o valor do bem é nv = p, então todo comprador v > v dá maior valor ao bem, e então o compra. Quantidade demandada (número de pessoas que desejam comprar): n = v. Então a relação entre preço e número de usuários é p = n(1000-n). Espécie de curva de demanda, mas com um formato diferente...

27 01000 n Propensão a pagar p = n(1000-n) Curva de demanda 2. Mercados com Externalidades de Rede

28 Apresentam rendimentos constantes de escala Suponha que todos os ofertantes tem o mesmo custo marginal de produção, c. Logo, curva de oferta é uma linha horizontal quando o preço iguala o custo médio. 2. Mercados com Externalidades de Rede - Ofertantes

29 01000 n Curva de Oferta c Propensão a pagar p = n(1000-n) Curva de demanda Equilíbrio de Mercado Equilíbrio: oferta = demanda. Existem três equilíbrios possíveis. Qual deve ocorrer?

30 Qual é o equilíbrio de mercado? Equilíbrio de Mercado

31 Qual é o equilíbrio de mercado? (a) Ninguém compra, ninguém oferta. Se n = 0, então a avaliação nv = 0 para todos os v, então nenhum comprador adquire. Externalidade de rede é baixa. Se nenhum comprador adquire, então nenhum vendedor oferta. A Dinâmica do Mercado

32 01000 n Demanda Oferta (a) c Propensão de pagar p = n(1000-n) A Dinâmica do Mercado

33 01000 n Demanda Oferta n (a) c Propensão de pagar p = n(1000-n) A Dinâmica do Mercado

34 Qual é o equilíbrio de mercado? (b) Um pequeno número, n, de compradores. pequeno n pequeno valor de externalidade de rede nv Pessoas acham que a rede não será muito grande, não estão propensas a pagar muito por ela. A Dinâmica do Mercado

35 01000 n Demanda Oferta n (b) n (c) (a) c Propensão de pagar p = n(1000-n) A Dinâmica do Mercado

36 Qual é o equilíbrio de mercado? (c) Um grande número, n, de compradores compram. Grande n elevado valor de externalidade de rede nv Preço pequeno porque consumidor marginal que compra o bem não o valoriza muito, embora o mercado seja grande. A Dinâmica do Mercado

37 01000 n Demanda Oferta n (b) n (c) (a) c Qual o equilíbrio provável? Propensão de pagar p = n(1000-n) A Dinâmica do Mercado

38 Suponha que o mercado se expanda toda vez que a propensão a pagar das pessoas excede o custo marginal, c. (a) e (c): equilíbrios estáveis (b): equilíbrio instável A Dinâmica do Mercado

39 01000 n Demanda Oferta nn c Instável Propensão de pagar p = n(1000-n) Qual o equilíbrio provável? A Dinâmica do Mercado

40 01000 n Demanda Oferta n c Estável Propensão de pagar p = n(1000-n) Qual o equilíbrio provável? A Dinâmica do Mercado

41 01000 n Demanda Oferta nn c Instável Propensão de pagar p = n(1000-n) Pequena perturbação positiva em n: mercado vai para o equilíbrio estável (c) A Dinâmica do Mercado (c) Estável

42 01000 n Demanda Oferta nn c2c2 Instável Propensão de pagar p = n(1000-n) Queda de custo: perturbação cada vez menor pode levar o mercado ao equilíbrio estável A Dinâmica do Mercado c1c1 Estável

43 A Dinâmica do Mercado Preço Médio por máquina de fax Máquinas de fax entregues (mil)

44 A Dinâmica de Adoção TEMPO USUÁRIOS Lançamento Decolagem Saturação

45 3. Gestão de Direitos Um bem deve ser Vendido diretamente, Licenciado para produção por outros, ou alugado? Como o direito de propriedade sobre o bem deve ser gerenciado?

46 Gestão de Direitos Sejam os custos marginais negligenciáveis (bem digital). Proprietário decide vender y unidades. Demanda de mercado é p(y). Logo, proprietário escolhe a produção e, implicitamente, o preço. A firma deseja maximizar o lucro (receita)

47 Gestão de Direitos

48

49

50 Agora o proprietário permite um período de teste gratuito maior. Isso causa: Aumento no consumo (vendas pagas + vendas gratuitas) Aumento do valor do produto para os consumidores potenciais Provável redução das vendas (devido a alguns usuários que utilizam só o período gratuito)

51 Gestão de Direitos Agora o proprietário permite um período de teste gratuito maior. Isso causa -Uma elevação no consumo (ou seja, uma provável queda de vendas): Consumo Vendas

52 Gestão de Direitos Agora o proprietário permite um período de teste gratuito. Isso causa: - Elevação no valor de todos os usuários elevação na propensão a pagar (nova curva de demanda): Nova curva de demanda

53 Gestão de Direitos

54 O problema da firma agora é

55 Gestão de Direitos O problema da firma agora é Este problema deve ter a mesma solução que

56 Gestão de Direitos O problema da firma agora é Este problema deve ter a mesma solução que Então

57 Gestão de Direitos

58 Maior lucro

59 Gestão de Direitos Menor lucro

60 Gestão de Direitos Proprietário permite um período de teste gratuito Lucros aumentam se a elevação do valor para os consumidores compensar a redução do número de compradores

61 Gestão de Direitos Doar amostras grátis para vender seu conteúdo Assegurar-se que as amostras grátis guiem os clientes de volta a você Para o conteúdo digital, a produção é a reprodução A distribuição imensamente barata pode parecer ameaça, mas oferece grandes oportunidades Aumentar os direitos dos consumidores aumenta o preço, mas reduz as vendas


Carregar ppt "Microeconomia A III Prof. Edson Domingues Aula 11 Economia da Informação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google