A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Processos de Fabricação I Prof. Jorge Marques.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Processos de Fabricação I Prof. Jorge Marques."— Transcrição da apresentação:

1 Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Processos de Fabricação I Prof. Jorge Marques dos Anjos Aula 9 Torneamento – Cabeçote móvel, furação Slides gentilmente cedidos pelo prof. Vitor, com adaptações minhas.

2 Cabeçote Móvel O cabeçote móvel é a parte do torno que se desloca sobre o barramento

3 Cabeçote Móvel - Funções Suporte para contra-ponta Apoia uma das extremidades da peça

4 Cabeçote Móvel - Funções Fixar mandril Prender brocas, alargadores, machos

5 Cabeçote Móvel - Funções Suporte para operações de rosqueamento manual

6 Cabeçote Móvel - Funções Deslocamento da contra-ponta para usinagem de formatos cônicos

7 Tipos de furos Furos de centro Furos para fixar a peça entre duas pontas do torno Passo prévio para fazer furo com broca comum

8 Tipos de furos Furos cilíndrico Furo de preparação para rosquementos internos, alargamentos e broqueamentos

9 Tipos de furos Superfícies cilíndricas internas Podem ser passantes ou não Furos cilíndricos para buchas, polias, engrenagens

10 Etapas para Furo de Centro 1.Centralizar a peça 2.Executar faceamento 3.Fixar a broca no mandril 4.Aproximação do cabeçote móvel à peça 5.Fixar o cabeçote 6.Ajustar o RPM de acordo com material 7.Realizar furo de centro 8.Utilizar fluído de corte 9.Afastamento da broca para saída do cavaco

11 Etapas para Broqueamento 1.Trocar a broca adequada ao broqueamento 2.Ajuste do RPM de acordo com o material e broca 3.Movimentos de alternados da broca para ajudar na saída do cavaco 4.Utilização do fluído de corte 5.A profundidade deve ser controlada e medida pelo anel graduado ou por paquimetros 6.O furo não leva em conta a parte cônica da peça

12 Etapas para Rebaixos Internos 1.Utilizar ferramenta especial 2.Ferramenta desloca-se profundidade de corte

13 Etapas para Rebaixos Internos 1.Trocar a ferramenta para torneamento de acabamento (0,2mm) 2.Verificação das medidas finais


Carregar ppt "Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Processos de Fabricação I Prof. Jorge Marques."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google