A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SAUDE DA FAMILIA E COMUNIDADE PROMOÇÃO DA SAÚDE. As medidas preconizadas não se dirigem a determinada doença mas objetivam aumentar a saúde e o bem estar.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SAUDE DA FAMILIA E COMUNIDADE PROMOÇÃO DA SAÚDE. As medidas preconizadas não se dirigem a determinada doença mas objetivam aumentar a saúde e o bem estar."— Transcrição da apresentação:

1 SAUDE DA FAMILIA E COMUNIDADE PROMOÇÃO DA SAÚDE

2 As medidas preconizadas não se dirigem a determinada doença mas objetivam aumentar a saúde e o bem estar geral. A educação e a motivação sanitária são fundamentais para atingir objetivos;outras medidas de promoção à saúde são bom padrão de nutrição ajustado as fases do ser humano, recreação, lazer,habitação, adequada, desenvolvimento da personalidade, condições agradáveis de trabalho e educação sexual....

3 Proteção específica Combater processos patológicos no meio ambiente, lar, comunidade, ambiente de trabalho. Combateremos os hospedeiros agentes e ambiente através; Imunizações específicas, higiene pessoal, alimentação suplementar proteção de riscos ocupacionais cloração da água melhoria das condições sócio- econômicas e saneamento geral.

4 A identificação da doença quanto mais precoce melhor a cura. A identificação do caso nos primeiros estágios de doença, o tratamento é mais eficaz.O diagnóstico quanto mais precoce a notificação compulsória das doenças, a pesquisa, triagem e exames. ( mais fácil a cura). Limitação da incapacidade é devido a falhas do nível de prevenção anteriores, é o reconhecimento tardio da moléstia, evitar fraturas, seqüelas e processos mórbidos..

5 Reabilitação É a interrupção do processo patoló- gico e da prevenção da incapacidade total após estabilização das alterações Anatômicas e fisiológicas. A reabilitação tem componentes físicos, mentais e sociais com o objetivo de colocar a pessoa afetada na sociedade.

6 Doença é a causa e o efeito da pobreza, desnutrição, más condições de moradia, e ignorância.... O ciclo econômico da doença fecha- se constantemente levando indivíduo a um ser crônico a comunidade e a viver em risco constante e o país em sub desenvolvimento econômico e social.O país que não investe em promoção e prevenção acaba gastando em tratamento e reabilitação do indivíduo.

7 Direito á Saúde Saúde direito de todos e dever do Estado art 196. Constituição federal Direito individual- escolha médico Direito coletivo imunização obrigatoriedade Desenvolvimento Sócio econômico e cultural diminuir a verminose após rede esgoto e água ed. Sanitária. O estado deve promover boas condições de trabalho estudo, transporte, moradia, alimentação e a responsabilidade individual também pela própria saúde

8 A Enfermagem é responsável pela situação de saúde do indivíduo e atua nos 3 níveis de prevenção. As ações primárias de enfermagem Motivar e conduzir a comunidade com medidas de prevenção e promoção de saúde e proteção específica. Divulgar os serviços de saúde e programas desenvolvidos. educar para a saúde higiene pessoal, aleitamento materno, planejamento familiar, dst, saúde mental e bucal.

9 Participação de imunizações individuais e campanhas Participar de programas de saúde ocupacional visando a proteção contra riscos ocupacionais. Promover desinfecção e esterilização de materiais. Colaborar nos programas de saúde para detectar doenças precoces. Prestar cuidado no domicilio e supervisionar cuidados ao doente.

10 Política de Saúde São divididas em 4 períodos históricos Período colonial sistema português que era precário e na época comercializava mercadorias no Brasil, era usada a medicina popular e somente os ricos tinham acesso médicos. Fatos históricos 1685 a ª.campanha sanitária reduzir febre amarela Recife VACINA VARÍOLA introduzida pelo VISCONDE DE BARBACENA

11 Período colonial cont criada a fisicultura mor que tinha toda autoridade sanitária e tinha prioridade regular a prática profissional e combater o charlatanismo.

12 Período Republicano até 1930 Grave crise econômica devido trabalho assalariado escasso epidemias, e recusa de mão de obra européia, más condições de saneamento.gerou instabilidade política e econômica a 1904 oswaldo cruz campanha de febre amarela, peste e varíola. Em 1906 a febre amarela extinta rj

13 1923 1º. congresso Brasileiro de Higiene com medidas preventivas e ed. sanitária Década de 1920 Carlos Chagas implantou a reforma Carlos Chagas com mudanças de propagandas e educação para a saúde expansão de saneamento em âmbito nacional medidas profiláticas febre amarela, veto da admissão de menores 12 anos nas fábricas e licença gestante criação visitadoras sanitárias e 1923 cap aos ferroviários caixas de aposentadorias e pensões.

14 1930 a 1964 êxodo rural e aceleração do ritmo industrial os sindicatos pressionavam os serviços de saúde para prestarem assistência médica de qualidade aos trabalhadores Em 14 de novembro de 1930 ministério da Educação e SAÚDE para desenvolver atividades e serviços de saúde âmbito federal criou o Ministério da Saúde Os principais fatos históricos; Criação do ministério do Trabalho Criação dos institutos de aposentadorias e pensões e ao passar dos anos começou a assistência médica

15 Obrigatoriedade da CIPA Comissão interna de prevenção de acidentes nas industrias mais de 100 empregados Criação da Fundação Especial de saúde pública SESP para combater a malária na Região Norte e atividade saúde pública. »De 1964 em diante »Período da ditadura militar e marcado pelo milagre econômico brasileiro, instabilidade no emprego baixa do poder aquisitivo.

16 1964 em diante a saúde é posta em questão através de estatística de mortalidade, morbidade e acidentes de trabalho. Fatores marcantes; Aumento da participação do setor privado nas atividades de saúde. Suspensão da participação dos empregados e empregadores nos programas dos institutos de aposentadoria e pensões (1964) Unificação 1966 dos institutos INPS.

17 Participação ª.REUNIÃO Especial de Ministros de Saúde das Américas cobertura dos serviços de Saúde a população sub atendida até Criado 1978 INAMPS instituto Nacional de Assistência a Previdência Social- ASSISTÊNCIA MÉDICA 1981 CONASP Conselho Consultivo da Administração da Saúde Previdenciária propôs normas adequadas para a prestação de serviços de assist á saúde dos previdenciários locação de recursos e medidas de controle e avaliação das ações de saúde.

18 1983 instituidas AIS Ações Integradas de Saúde atender de forma organizada as prioridades da população de acordo com a política nac. de saúde Ais foi introduzida com critérios epidemiológicos e sociais ª Conferência Nacional de Saúde debate reformular o sistema nacional de saúde com a criação do sus a saúde como direito e o financiamento do setor SUDS sistema descentralizado de saúde para APERFEIÇOAR a AIS.

19 INCLUSÃO DO ART. 196 A 200 REFERENTE A SAÚDE NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E CONSEQUENTEMENTE NAS CONSTITUIÇÕES ESTADUAIS E MUNICIPAIS A ELABORAÇÃO DA LEI ORGÂNICA DA SAÚDE ª conferência Nacional de Saúde veio para avaliar e propor avanços e implantação do sus e o controle social.

20 Sistema de saúde no Brasil Houve uma reforma sanitária para atender as diferenças inter regionais e moralizar o setor público torná-lo eficaz e produtivo. ( SUS) Sus foi criado para descentralizar o poder e devolver as unidades federadas e municípios o poder político, administrativo e financeiro.

21 Atualmente preconiza-se a descentralização. considera-se a centralização como um sério obstáculo e subdesenvolvimento O SUS foi discutido na 8ª Conferência Nacional de Saúde março de 1986 esta amparado nos artigos 196 a 200 da constituição federal pelas constituições Estadual e Municipal, pela Lei Orgânica de saúde e rediscutido na 9ª. Conferência nacional agosto de 1992.

22 Os princípios do sus Descentralização na gestão dos serviços, permitindo a participação da comunidade beneficiada através comissão de saúde nas unidades de saúde. Regionalização e hierarquização das unidades prestadoras de serviços organizadas em níveis de complexidade articuladas crescentes entre sí; Fortalecimento do município nas ações de saúde.

23 . Universalização do Atendimento a começar pelas áreas carentes ou desassistidas, sem discriminação de qualquer ordem de vínculo emprego, categoria social e atender as necessidades da população. Integralização inter-institucional para progressivamente a dualidade de ações e a superposição de esforços prevalecendo a unidade na condução das políticas setoriais. Articulação entre os diferentes sistemas com a unidade básica responsável pelo atendimento integral de uma determinada população se articulando com os níveis mais complexos para todos terem direito ao acesso.

24 Integralização das ações de saúde medidas primárias, secundárias e terciárias devendo superar a dicotomia preventivo curativo Utilização tecnológica de acordo com a necessidade de acordo com o nível de complexidade e procedimentos apropriados. Participação Comunitária através de entidades representativas que estimuladas por mecanismos de informação e divulgação dos conhecimentos sobre saúde irão influir na gestão, execução e avaliação dos serviços que lhe são prestado.

25 Incorporação dos agentes populares de saúde que sob coordenação local irão trabalhar em educação para a saúde e cuidados primários. Sus os três níveis devem estar articulados. Compete ao federal formulação e condução da política nacional de saúde regulamentação de normas acompanhamento e avaliação das ações de saúde e relacionamento entre os setores público e privado programas de emergência administração do FUNDO NACIONAL DE SAÚDE, com transferência para unidades descentralizadas,

26 federal. federal. Vigilância sanitária adequada ao controle e fiscalização dos insumos, equipamentos medicamentos e alimentos e controle dos imunobiológicos, sangue e derivados e pesquisa

27 Estadual Formulação e condução das atividades do sistema regional de saúde, prestação de serviços em coordenação com os sistemas municipais compatibilização das normas e diretrizes com peculiaridades regionais, transferências aos municípios dos serviços básicos de saúde, administração do fundo regional de saúde com transferência para as unidades locais.

28 Municipal e distrital Planejamento, coordenação do sistema municipal ou distrital compatibilização das normas com peculiaridades locais prestação de serviços básicos de saúde e serviços de maior complexidade quando houver recursos administrado fundo municipal de saúde.

29 SUS É financiado com recursos da seguridade social é financiada mediante receitas da união, município e estados e pelas contribuições sociais. Em 1991 os recursos seguridade social 47, 97%Finsocial 22,71% pis pasep 10.98% TRIBUTOS 6,69% pessoas jurídicas 3.86%outros 8.79%

30 A saúde não pode ser financiada somente com recursos das contribuições sociais As diferentes instâncias governamentais destinar recursos de sua receitas fiscais para a área de saúde. União compete fazer a cobertura de eventuais insuficiências financeiras da seguridade social. No sus ocorre a transferência de recursos da união para cada unidade federada, distrito federal e municípios, para custear as ações de saúde e assist. social.

31 A lei de Diretrizes Orçamentárias Estabelece; as metas as prioridades e a destinação dos recursos do orçamento da seguridade social para o ano de 1992 determinou que 30 % desses recursos destinava-se a saúde.

32 ESF ONDE FICA INSERIDO ?????


Carregar ppt "SAUDE DA FAMILIA E COMUNIDADE PROMOÇÃO DA SAÚDE. As medidas preconizadas não se dirigem a determinada doença mas objetivam aumentar a saúde e o bem estar."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google