A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AULA - 2 FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO. O processo de educação é fruto da sociedade em que está mergulhado. Cada sociedade desenvolve para si um modelo específico.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AULA - 2 FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO. O processo de educação é fruto da sociedade em que está mergulhado. Cada sociedade desenvolve para si um modelo específico."— Transcrição da apresentação:

1 AULA - 2 FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO

2 O processo de educação é fruto da sociedade em que está mergulhado. Cada sociedade desenvolve para si um modelo específico de educação que atende e corresponde as expectativas culturais de maneira mais ou menos clara. EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E ESTADO

3 A escola espelha o rosto do Estado que lhe criou; lhe servindo e se colocando de modo a propagandear o seu ideário. Não há educação pública ou privada que não esteja de alguma maneira presa ao seu Estado, mesmo existindo como contestação ela estará presa a uma lógica específica. EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E ESTADO

4 Segundo, Luckesi (1990), as têndendicas pedagógicas, presentes hoje no Brasil, derivam de uma caracterização geral das tendências liberal e progressista podendo ser observadas na prática docente; EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E ESTADO

5 Segundo o autor (LUCKESI, 1995) o termo liberal, não pode ser confundido como uma tendência democrática, avançada ou aberta, pois nasce para justificar a sociedade capitalista. LIBERALISMO

6 As tendências liberais estão no Brasil há pelo menos cinquenta anos e se fazem presente nas práticas escolares e no ideário de muitos docentes, mesmo sem que estes se dêem conta. LIBERALISMO

7 A pedagogia liberal sustenta a ideia de que a escola tem a tarefa de preparar o indivíduo para desempenhar funções sociais, de acordo com as suas aptidões pessoais. Nesse caso o indivíduo necessita de adaptar-se aos valores e as normas vigentes na sociedade de classes por meio do desenvolvimento da cultura de classe. LIBERALISMO E EDUCAÇÃO:

8 Dentro da tendência liberalista surgiram alguns ramos que ao longo dos anos se suscederam e se complementaram, porém mantendo a sua proposta inicial; As pricipais correntes foram a escola tradicionalista (empirismo e historicismo), escola nova e tecnicismo. LIBERALISMO E EDUCAÇÃO

9 Por meio dos seus conhecimentos, apontem qual o papel do Estado brasileiro em relação a educação. Quanto as políticas regionais como classificariam o sistema educacional paulista? ATIVIDADE

10 Pedagogia provinda do Iluminismo, surgida a partir da ascensão da burguesia e dos Estados nacionais no território europeu (séc. XVI e XIX); ESCOLA TRADICIONALISTA: EMPIRISMO E HISTORICISMO

11 Os valores principais dessa abordagem centravam-se no desenvolvimento intelectual do indivíduo, baseado no desenvolvimento histórico do homem, além do raciocínio científico e empírico; ESCOLA TRADICIONALISTA: EMPIRISMO E HISTORICISMO

12 Esse tipo de abordagem é formado por duas linhas divergentes, mas que historicamente se evocavam e se completavam (ARAÚJO, 2011). ESCOLA TRADICIONALISTA: EMPIRISMO E HISTORICISMO

13 Se o empirismo valoriza a ciência como meio e fim educativo, reportando a educação à instrução e esta para a formação da mente interpretada no sentido cognitivo e epistemológico, o historicismo fixa o valor da história como habitat da formação, como centro da cultura, mas também como modelo de formação, que implica a construção da personalidade enquanto entremeada de cultura e caracterizada pelo pensamento como atividade crítica (CAMBI, 1999 p ). EMPIRISMO E HISTORICISMO

14 O papel da escola nesta tendência pedagógica se restringe em preparar o educando para exercer ou ocupar um papel na sociedade. A ênfase é dada para o enculcamento no indivíduo da cultura e seus valores intrínsecos. EMPIRISMO E HISTORICISMO

15 Os conteúdos, assim como os valores sociais acumulados pela sociedade são passados aos educandos como verdades. EMPIRISMO E HISTORICISMO

16 O conteúdo das matérias são controlados pela legislação e visam preparar os alunos para a vida em sociedade, porém, não há conexão desse conteúdo e a vida do educando, valendo apenas por seu lado intelectual. EMPIRISMO E HISTORICISMO

17 O método principal de ensino é a exposição verbal de ideias em que o poder se fixa na fala e na figura do professor; EMPIRISMO E HISTORICISMO

18 Por ter o poder coercitivo o professor decide o que é melhor para o aluno, exigindo deste uma atitude receptiva e submissa. EMPIRISMO E HISTORICISMO

19 O pressuposto básico é o de repassar ao indivíduo o conhecimento acumulado pela sociedade. EMPIRISMO E HISTORICISMO

20 Com base no que foi apresentado, tracem uma avaliação do tradicionalismo, apontando quais os benefícios e os malefícios para a educação dos dias atuais. ATIVIDADE

21 Surgida na Inglaterra no final do século XIX, a Escola Nova propunha que não há uma essência humana desde o nascimento, mas sim construída durante toda a sua existência (CAMBI, 1999). Assim, a aprendizagem deveria seguir o ritmo da vida, variando de indivíduo para indivíduo. A ESCOLA NOVA

22 Ganhou muito espaço na Europa, nos Estados Unidos e no Brasil, foi impulsionada pela ação de Ruy Barbosa e do Manisfesto dos Pioneiros da Escola Nova, proposto por intelectuais como Lourenço Filho ( ) e Anísio Teixeira ( ). A ESCOLA NOVA

23 A abordagem geral dessa escola de pensamento propunha um ensino não massificante, ou seja, que adequasse melhor o educando dentro da escola incentivando-o a livre troca de ideias, com o intuito de melhor prepará-lo à vida em comunidade, transformando, assim, a sala de aula em uma espécie de pequena sociedade. A ESCOLA NOVA

24 Nesta abordagem dá-se mais ênfase ao desenvolvimento do plano cognitivo em acordo com o ambiente. Trata-se de aprender a aprender. O mais importante é aquisição do processo de saber do que o saber em si. A ESCOLA NOVA

25 O método de ensino é o de aprender fazendo. Para isso o educando é exposto em situações que o impulsionem à descoberta e a elaboração de soluções para os problemas apresentados. Tudo isso levando em conta a natureza e as estapas do desenvolvimento do educando. A ESCOLA NOVA

26 O papel do educador centra-se em auxiliar o educando no processo de construção do conhecimento dando forma ao seu raciocínio. É incentivado o relacionamento positivo entre educador e educando. A ESCOLA NOVA

27 Ao propor uma atividade, o educador deve levar em conta se a proposta atende as disposições internas do aluno. A ESCOLA NOVA

28 Essa abordagem tem grande aceitação nos cursos de licenciatura, porém é pouco utilizada na prática diária devido a grande influência que a escola tradicionalista exerce sobre a sociedade. A ESCOLA NOVA

29 Alguns métodos são utilizados principalmente em escolas particulares, tais como: Dewey e Montessori, assim como métodos baseados na Psicologia Genética de Piaget. A ESCOLA NOVA

30 Na concepção do grupo, quais os motivos que impedem os modelos propostos pela Escola Nova de vigorarem como modelos padrões nas escolas públicas estaduais? ATIVIDADE

31 Desenvolvido primeiramente nos Estados Unidos, o Tecnicismo foi introduzido no Brasil nas décadas de como modelo ideal para suprir as novas necessidades por trabalhadores qualificados para indústria. TECNICISMO

32 O objetivo principal é preparar indivíduos competentes para o mercado de trabalho por meio da transmissão de informação de maneira rápida, eficiente, objetiva e precisa. Esse modelo via o aluno como depositário de conhecimentos que deveriam ser acumulados na mente por meio de associações (MATUÍ, 1995 apud. ARAÚJO, 2011). TECNICISMO

33 Tecnicismo significa abuso ou valorização execessiva dos recursos tecnológicos. A ênfase na aprendizagem, portanto, centra-se em desenvolver bons técnicos que possam dar conta das novas demandas impostas pelo avanço da sociedade industrial capitalista. O ensino é visto como algo que deve se pautar pela utilidade objetiva e imediata, sem abrir muito espaço para abstrações intelectuais; TECNICISMO

34 Essa linha teórica ganha plena força durante o governo militar justamente por seu potencial formador de corpos dóceis (FOUCAULT, 1987). A proposta era formatar o pensamento do aluno educando-o para o trabalho e para a vida como um bom cidadão, ciente de suas obrigações para com a sociedade. TECNICISMO

35 Em um contexto de busca por um sistema social harmônico, essa tendência propõe uma escola que funciona como modeladora do comportamento humano; TECNICISMO

36 A sua principal prerrogativa aponta para o controle e modelamento dos indivíduos. A escola deve atuar no aprimoramento da ordem social vigente (o capitalismo) articulando-se diretamente ao sistema produtivo (LUCKESI, 1995). TECNICISMO

37 Os métodos de ensino baseam-se em técnicas apropriadas ao arranjo e ao controle do conteúdo a ser assimilidado. Com isso, os educandos são direcionados a um comportamento adequado. Esse método visa principalmente programar passo a passo as etapas do ensino/aprendizagem. TECNICISMO

38 Dentro de um ambiente controlado os papéis também são bastante claros. O educador exerce a sua função e o educando restringe-se ao seu lugar, ora fixado. Depende, portanto, dessa relação hierarquizada a estabilidade das aulas e a disposição dos conteúdos. TECNICISMO

39 Há que se ressaltar que, mesmo tendo papéis determinados por uma hierarquia o educador não detém o poder absoluto sobre o educando. Esse poder mantém-se na ciência. Assim, tanto o educador quanto o educando estão presos a lógica científicista, sendo o primeiro o elo que liga o segundo a essa lógica. TECNICISMO

40 Segundo Luckesi (1995, p.62), o tecnicismo é o ensino é um processo de condicionamento através do uso de reforçamento das respostas que se quer obter.; TECNICISMO

41 Sob esse prisma os saberes científicos que embasam a Pedagogia devem buscar leis naturais sobre o organismo que aprende, visando sempre o controle. TECNICISMO

42 Pensando no atraso do Brasil em relação a qualificação e preparação de profissionais para o mercado de trabalho, como o grupo analisa a atuação da escola tecnicista no país? VAMOS DISCUTIR O ASSUNTO?

43 ARAÚJO, Pedrina Rosa. Concepções do disigner educacional sobre aprendizagem para o desenvolvimento de recursos multimídia. Dissertação de mestrado. PUC São Paulo, CAMBI, Franco. História da pedagogia; tradução de Álvaro Lorencini. São Paulo: Fundação Editora da UNESP (FEU), LUCKESI, Luciano Cipriano. Filosofia da Educação. São Paulo: Editora Cortez – (escola da ponte parte 1) (escola da ponte parte 2) (pinkfloyd) REFERÊNCIAS


Carregar ppt "AULA - 2 FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO. O processo de educação é fruto da sociedade em que está mergulhado. Cada sociedade desenvolve para si um modelo específico."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google