A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

29 de outubro de 2009. OBJETIVOS GERAIS Assistir, no domicílio, pacientes de baixa complexidade hospitalizados ou em PS, que requeiram cuidados acima.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "29 de outubro de 2009. OBJETIVOS GERAIS Assistir, no domicílio, pacientes de baixa complexidade hospitalizados ou em PS, que requeiram cuidados acima."— Transcrição da apresentação:

1 29 de outubro de 2009

2 OBJETIVOS GERAIS Assistir, no domicílio, pacientes de baixa complexidade hospitalizados ou em PS, que requeiram cuidados acima do ambulatorial

3 PÚBLICO ALVO Pacientes hospitalizados nas unidades da rede pública com serviço ID Pacientes nas unidades de Urgência / Emergência com serviço ID

4

5 Assegurar um padrão de qualidade na execução dos serviços de saúde e atendimento a população Metas Implantar um modelo de gerência voltado para resultados Ampliar o número de desospitalização precoce de pacientes Melhorar a qualidade do serviço ofertado ao usuário SUS Reduzir o tempo de permanência nas unidades hospitalares e serviços de urgência/emergência Reduzir o índice de retorno do paciente aos serviços de urgência/emergência e internações hospitalares Utilizar os recursos de forma racional, visando redução de custos Garantir a humanização da assistência Reduzir os índices de infecção hospitalar Melhorar a qualidade de vida dos pacientes em ID

6 PORTARIA GM2529/2006 Institui a Internação Domiciliar no âmbito do SUS BASE LEGAL RESOLUÇÃO CIB Nº115/2007 Aprova a emissão de parecer favorável ao Projeto de Internação Domiciliar na rede de Hospitais da SESAB Portaria Sesab nº 1669 de 28/06/2008 Institui e regulamenta a Internação Domiciliar no âmbito da SESAB

7 PDR-2008 FEIRA DE SANTANA L. FREITAS ILHÉUS P.SEGURO 2009 V.CONQUISTA JEQUIÉ ALAGOINHAS BARREIRAS 2009 CAMAÇARI-2009 JUAZEIRO GUANAMBI 2009 STO. ANTONIO DE JESUS 2009 SSA

8 Distritos Sanitários do Município de Salvador Centro Histórico 2 - Itapagipe 3 - São Caetano / Valéria 4 - Liberdade 5 - Brotas 6 - Barra / Rio Vermelho 7 - Boca do Rio 8 - Itapuã 9 - Pau da Lima 10-Cabula / Beiru 11-Subúrbio Ferroviário 12-Cajazeiras Distritos Sanitários

9 ACOMPANHAMENTO DOMICILIAR Equipe Multiprofissional VISITA DE ELEGIBILIDADE EnfermeiroMédicoAssist. Social SELEÇÃO DE PÚBLICO ALVO PassivaProativaDirigida SERVIÇOS OFERTADOS

10 Perfil do Público Alvo Idoso* Portadores de doenças crônico- degenerativas agudizadas* Portadores de patologias que necessitem de cuidados paliativos* Portadores de incapacidade funcional, provisória ou permanente* Outros, a serem estabelecidos localmente* * Port MS

11 Até 30/04/09

12 NÃO ELEGIBILIDADE Fora da abrangência Falta de água corrente no domicílio Falta de energia elétrica no domicílio Inacessibilidade para a equipe de apoio e retaguarda Não aceitação do programa Falta de cuidador contínuo identificado* * Port MS

13 NÃO ELEGIBILIDADE Cuidados de enfermagem por mais de 12 horas/dia Cuidados contínuos de enfermagem / necessidade de enfermagem intensiva* Risco de efeitos colaterais graves à medicação Medicação complexa ou de difícil aplicação Ventilação mecânica* Monitorização contínua* Hemodiálise * Port MS

14 NÃO ELEGIBILIDADE Tratamento cirúrgico em caráter de urgência* Procedimentos diagnósticos seqüenciais com urgência* Hemodinamicamente instáveis Sangramento ativo com repercussão clínica Com procedimentos hospitalares agendados (cirurgias, transferências, CATE, etc.) Outros critérios definidos localmente* * Port MS

15 CASOS ESPECIALIZADOS A solicitação médica deverá conter: História clínica* Terapêutica instituída Exames realizados Intercorrências Prescrições* / Plano terapêutico especializado Plano de exames de controle Equipamento(s) necessário(s) Fluxo de oxigênio, S/N Fatores de alarme Frequência do retorno ao ambulatório Data, local e profissional * RDC ANVISA No 11 26/01/06

16 Horário de funcionamento: 07 às 19h MODELO OPERACIONAL Equipe Básica: Médico (generalista)* Enfermeiro* Técnico/Auxiliar de enfermagem* Motorista Equipe Matricial: Fisioterapeuta* Nutricionista* Assistente Social* * Port MS

17

18

19 30 pacientes mês por equipe básica Média de permanência de 30 dias Margem de tolerância: 20% (cumprimento de 80% da meta) META DE PRODUÇÃO

20 INDICADORES Técnicos Administrativos Financeiros Estratégicos

21 Taxa de infecção domiciliar* Índice de altas - geral* e por motivos Visitas médias por profissional (por hora trabalhada) Índice de satisfação do beneficiado Distribuição dos pacientes por patologias (geral e específica) Obs.: Indicadores por equipe, serviço, município, macrorregião e total (por dia ou período)

22 Tempo médio de permanência Tempo médio e máximo de atendimento às solicitações Taxa de ocupação Taxa de exames/procedimentos realizados por paciente Custo médio per capita Custo médio da diária Obs.: Indicadores por equipe, serviço, município, macrorregião e total (por dia ou período)

23

24 RESULTADOS No. pacientes avaliados = Índice de elegibilidade = 40% No. pacientes admitidos = 824 Captação Proativa Índice de elegibilidade = 4% No. pacientes assistidos/mês = /10/08 a 31/09/09 HGRS 04 a 17/08/08

25 Até 30/04/09

26

27

28

29

30 Amostra

31 Grande Salvador Amostra

32 10/10/08 a 31/09/09

33 Índice de reinternação geral* = 16,9% Índice de mortalidade geral* = 6,1% * RDC ANVISA No 11 26/01/06 Índice de reinternação média mensal* = 6,7% Índice de mortalidade média mensal* = 2,1% 10/10/08 a 31/09/09

34 VARREDURA HGRS Agosto 09

35

36

37

38 *HGRS

39

40

41

42

43

44 ELEGÍVEIS PLANO ATENÇÃO DOMICILIAR *HGRS

45 O b r i g a d o Dr. Roberval Gonzalez


Carregar ppt "29 de outubro de 2009. OBJETIVOS GERAIS Assistir, no domicílio, pacientes de baixa complexidade hospitalizados ou em PS, que requeiram cuidados acima."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google