A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Contribuição da Tecnologia da Informação para Sustentação do Modelo de Assistência à Saúde Implementado no Município de Curitiba.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Contribuição da Tecnologia da Informação para Sustentação do Modelo de Assistência à Saúde Implementado no Município de Curitiba."— Transcrição da apresentação:

1

2 Contribuição da Tecnologia da Informação para Sustentação do Modelo de Assistência à Saúde Implementado no Município de Curitiba

3 Modelo de Organização Rede de Atenção às situações de natureza ELETIVA Rede de Atenção às URGÊNCIAS e EMERGÊNCIAS

4 Rede de Atenção Eletiva

5 Rede de Atenção Eletiva Pressupostos Organizacionais Conjunto de UMS Básicas PORTA DE ENTRADA DA REDE ELETIVA Territorialização Responsabilidade Sanitária Atenção básica priorizando ações estratégicas Compromisso com metas / desempenho Viabilização de Acessos

6 Rede de Atenção ELETIVA Contribuição do Sistema Informatizado Conjunto de UMS Básicas Cadastro de Usuário e Domicílios Processos e fluxos internos informatizados Prontuário Eletrônico do Paciente Relatórios de apoio à atenção ( faltosos ) de apoio à gestão ( produtividade ) epidemiológicos ( CID / idade / sexo ) Integração com a CMCE / SADT Integração com o Laboratório Municipal

7 Rede de Atenção Eletiva Pressupostos Organizacionais Conjunto de Ambulatórios Especializados Acesso exclusivamente referenciado Regulação de seu acesso a cargo do gestor Garantia de integralidade das linhas de cuidado Viabilizadores de acesso à atenção ambulatorial de alta complexidade e à atenção hospitalar eletivas

8 Rede de Atenção Eletiva Contribuição do Sistema Informatizado Conjunto de Ambulatórios Especializados CMCE regula acesso a todas as consultas iniciais SMS detém a gestão do sistema da CMCE / SADT CMCE/SADT gera relatórios de suporte aos processos e relatórios gerenciais CMCE/SADT gera um Código de Transação para cada agendamento realizado: rastreamento do usuário em atendimento pré-requisito para emissão de APAC pré-requisito para internamento eletivo

9 Rede de Atenção Eletiva Pressupostos Organizacionais Conjunto de Ambulatórios de Alto Custo 100% dos atendidos devem ser originários de atendimento ambulatorial eletivo do SUS/Curitiba 100% dos procedimentos pré autorizados prestação de serviços monitorada pelo gestor garantia de acesso a procedimentos auxiliares e ou complementares detentora de meios para viabilizar internamentos eletivos

10 Rede de Atenção Eletiva Contribuição do Sistema Informatizado Conjunto de Ambulatórios de Alto Custo Código de Transação pré-requisito para cadastro de Laudo Eletrônico para emissão de APAC Auditoria Eletrônica de Laudos Banco de Dados de Laudos processados vinculado ao Prontuário Eletrônico Número da APAC como chave para abertura do sistema da CMCE/SADT ( referências entre especialistas / exames ) Número da APAC viabiliza cadastro de Laudo Eletrônico para emissão de AIH eletiva

11 Rede de Atenção Eletiva Pressupostos Organizacionais Conjunto de Unidades de Internamento 100% dos internamentos eletivos indicados em consulta eletiva do SUS/Curitiba 100% dos internamentos eletivos pré autorizados Internações e altas monitoradas pelo gestor Garantia de continuidade da atenção após a alta hospitalar

12 Rede de Atenção Eletiva Contribuição do Sistema Informatizado Conjunto de Unidades de Internamento Código de Transação como pré-requisito para cadastro de Laudo Eletrônico para emissão de AIH eletiva Autorização eletrônica da internação ( auditoria ) como pré requisito para registro de internamento eletivo Registro de internação e de alta como pré-requisito para emissão eletrônica de AIH ( Central Eletrônica Leitos: controle de vagas e controle financeiro, em tempo real ) Sistema Informatizado do Controle Hospital ( monitoração integral do processo: da data da internação à emissão da AIH e Relatório de Diferenças ) Central de Leitos ( altas ) integrada com CMCE

13 Rede de Atenção à URGÊNCIA

14 Rede de Atenção à URGÊNCIA Pressupostos Organizacionais Conjunto de UMS básicas Porta de entrada para eventos agudos de baixa complexidade Dotadas de mecanismos viabilizadores de acesso a pontos de atenção aptos para o atendimento de URGÊNCIAS de média e alta complexidade

15 Rede de Atenção à URGÊNCIA Contribuição do Sistema Informatizado Conjunto de UMS básicas Prontuário Eletrônico Histórico do usuário Encaminhamento Eletrônico para CMUM

16 Rede de Atenção à URGÊNCIA Pressupostos Organizacionais Conjunto de CMUM Unidades disponibilizadas para o atendimento resolutivo das urgências médicas de média complexidade ( procura direta ou referenciada ) Vinculadas a Pronto Socorro de Hospital Universitário ( retaguarda )

17 Rede de Atenção à URGÊNCIA Contribuição do Sistema Informatizado Conjunto de CMUM Prontuário Eletrônico - Histórico do Paciente - Registros customizados Pronto Atendimento Sala de Urgência Leito de Observação

18 Rede de Atenção à URGÊNCIA Pressupostos Organizacionais Conjunto de P.S. - Retaguarda Todos vinculados ( na qualidade de retaguarda ) a determinado CMUM Todos instalados nas dependências de um Hospital Universitário e de Ensino Únicos habilitados para realizar / demandar internamentos de urgência

19 Rede de Atenção à URGÊNCIA Contribuição do Sistema Informatizado Conjunto de P.S. - Retaguarda Ficha de Atendimento Ambulatorial de Urgência Eletrônica Número da Ficha de Atendimento Ambulatorial de Urgência chave para o sistema da CMCE - continuidade do atendimento Conclusão da Ficha de Atendimento Ambulatorial de Urgência chave para Central de Leitos Eletrônica - internamento direto Sistema Informatizado de Apoio à equipe de reguladores da Central de Vagas Hospitalares - internamento demandados para outros hospitais

20 Rede de Atenção à URGÊNCIA Pressupostos Organizacionais Conjunto de Unidades de Internamento Apenas hospitais que integram a Rede de Atenção às Urgências podem internar urgências sem autorização prévia do gestor Hospitais que não integram a rede de Urgências internam apenas urgências previamente reguladas, pela auditoria

21 Rede de Atenção à URGÊNCIA Contribuição do Sistema Informatizado Conjunto de Unidades de Internamento Ficha de Atendimento Ambulatorial de Urgência Eletrônica, como chave para o registro da internamentos no próprio Hospital - Central de Leitos on line O registro eletrônico do internamento de urgência como pré- requisito para o cadastro do Laudo para emissão de AIH de Urgência. Central de Vagas ( auditoria ) única autorizadora de internamento de urgência em hospitais não integrantes da rede Auditoria Eletrônica de Laudos com acesso à Ficha Amarela geradora da internação, aos registros da Central de Vagas e ao Prontuário Eletrônico do paciente Internações de Emergência contabilizadas no Sistema do Controle Hospitalar ( regulação financeira, etc )

22 Rosane Tumelero Fanchin Ana Luiza Schneider Gondim SMS Curitiba ( 41 )


Carregar ppt "Contribuição da Tecnologia da Informação para Sustentação do Modelo de Assistência à Saúde Implementado no Município de Curitiba."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google