A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

S ISTEMA N ERVOSO Prof. Regis Romero. O sistema nervoso é o mais complexo e diferenciado do organismo, sendo o primeiro a se diferenciar embriologicamente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "S ISTEMA N ERVOSO Prof. Regis Romero. O sistema nervoso é o mais complexo e diferenciado do organismo, sendo o primeiro a se diferenciar embriologicamente."— Transcrição da apresentação:

1 S ISTEMA N ERVOSO Prof. Regis Romero

2 O sistema nervoso é o mais complexo e diferenciado do organismo, sendo o primeiro a se diferenciar embriologicamente e o último a completar o seu desenvolvimento João Manoel Chapon Cordeiro – 1996.

3 T ECIDO NERVOSO Principal tecido do sistema nervoso Tipos celulares: - Neurônios – condução de impulsos nervosos - Células da Glia – manutenção dos neurônios

4 Corpo celular – núcleo e maioria das organelas citoplasmáticas Dendritos – ramificações do corpo celular. Função: captar estímulos Axônio – maior prolongamento. Presença de vesículas com neurotransmissores na porção terminal Bainha de Mielina – células de Schwann que se enrolam no axônio. Isolante elétrico Nódulo de Ranvier – regiões do axônio não recobertas por bainha

5

6

7 TIPOS DE NEURÔNIOS MULTIPOLARES APRESENTAM UM ÚNICO AXÔNIO E VÁRIOS DENDRITOS BIPOLARES APRESENTAM UM ÚNICO AXÔNIO E UM ÚNICO DENDRITO PSEUDO-UNIPOLARES APRESENTAM UM ÚNICO AXÔNIO COM UMA SÓ NEUROFIBRA

8

9 NEURÔNIOS SENSORIAIS (SENSITIVOS OU AFERENTES) NEURÔNIOS QUE CONDUZEM O IMPULSO NERVOSO PARA O SNC NEURÔNIOS ASSOCIATIVOS (INTERNEURONIOS) LOCALIZAM-SE NA MEDULA ESPINHAL NEURÔNIOS MOTORES (EFERENTES) NEURÔNIOS QUE CONDUZEM O IMPULSO NERVOSO DO SNC PARA OS ÓRGÃOS EFETUADORES

10

11 C ÉLULAS DA G LIA Também chamadas de neuróglia ou gliócitos Menores que os neurônios Mais numerosas Várias funções: Sustentação do tecido Produção de mielina Remoção de excretas Fornecimento de substancias nutritivas aos neurônios Fagocitose de restos celulares Isolamento dos neurônios

12 T IPOS DE GLIÓCITOS ASTRÓCITOS – Gliócitos de maior tamanho com grandes quantidades de prolongamentos citoplasmáticos. Dão sustentação física ao tecido. OLIGODENDRÓCITOS - são menores e possuem poucos prolongamentos. Situam-se tanto na substância branca como na cinzenta. Nesta, localizam-se preferencialmente próximo aos corpos celulares dos neurônios, constituindo células satélites, que formam uma relação simbiótica com esses neurônios. Já na substância branca, os oligodendrócitos estão organizados em fileiras, entre as fibras nervosas,e produzem a mielina do SNC. CÉLULA DE SCHAWNN – Gliócitos presente no sistema nervoso periférico com papel semelhante aos oligodedrocitos. MICRÓGLIAS - São macrófagos que fagocitam dentritos e restos celulares do tecido nervoso.

13

14 o APRESENTAM BAINHA DE MIELINA o AUMENTAM A VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DE IMPULSOS NERVOSOS o APRESENTAM O NÓDULOS DE RANVIER ESCLEROSE MÚLTIPLA o DEGENERAÇÃO GRADUAL DO ESTRATO MIELÍNICO NEUROFIBRAS MIELINIZADAS

15

16 o NÃO APRESENTAM BAINHA DE MIELINA o DIMINUEM A VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DE IMPULSOS NERVOSOS NEUROFIBRAS NÃO-MIELINIZADAS

17 ENDONEURO NEUROFIBRAS + GLIÓCITOS PERINEURO NEUROFIBRAS + ENDONEURO EPINEURO NEUROFIBRAS + PERINEURO CAMADA DAS NEUROFIBRAS MIELINIZADAS

18

19 CONDUÇÃO DO IMPULSO NERVOSO Sentido: dendrito corpo celular axônio Estado de repouso: neurônio polarizado Alta [ ] de Na+ e baixa [ ] de k+ no meio extracelular Baixa [ ] de Na+ e alta [ ] de k+ dentro do axônio Na+ K+

20 Condução do impulso nervoso Na presença de estímulo – despolarização da membrana, aumento de permeabilidade da membrana pelo Na+ e entrada deste no axônio Na+ K

21 Condução do impulso nervoso Re-polarização da membrana: aumento de permeabilidade da membrana pelo K+ e saída deste no axônio Na+ K

22 Condução do impulso nervoso Bomba de Na+ e K+: restabelece as concentrações de Na+ e K+ dentro e fora do axônio após a passagem do impulso – transporte ativo Alta [ ] de Na+ e baixa [ ] de k+ no meio extracelular Baixa [ ] de Na+ e alta [ ] de k+ dentro do axônio Na+ K+

23

24 CONDUÇÃO DO IMPULSO NERVOSO

25 TIPOS DE CONDUÇÃO Contínua: o impulso passa por toda extensão do axônio. Ocorre em neurônios sem bainha de mielina e é mais lenta. Saltatória: ocorre em neurônios com bainha de mielina, há despolarização da membrana apenas nos nódulos de Ranvier. É mais rápida

26 S INAPSES Interneuronais: neurônio – neurônio Neuromusculares: neurônio – músculo Neuroglandulares: neurônio – célula glandular

27 Neurotransmissores estão presentes em vesículas na terminação do axônio. Chegada do impulso na terminação resulta na liberação dos neurotransmissores na fenda sináptica Os neurotransmissores atingem o outro neurônio desencadeando impulso nervoso 27

28 S ISTEMA N ERVOSO Função: ajustar o organismo animal ao ambiente. Perceber e identificar as condições ambientais externas e as condições internas do organismo.

29 29 NEUROTRANSMISSORES São substâncias encontradas em vesículas próximas as sinapses, de natureza química variada, que ao serem liberadas pela fibra pré-sináptica na fenda sináptica estimulam ou inibem a fibra pós-sináptica. CLASSE I Acetilcolina Noradrenalina (neurônios pós-ganglionares) CLASSE II Adrenalina (medula da adrenal e cérebro) Dopamina Serotonina (TIROSINA DOPA DOPAMINA NORADRENALINA ADRENALINA) CLASSE III AMINOÁCIDOS - Glicina, Glutamato CLASSE IV PEPTÍDEOS HIPOTALÂMICOS, HIPOFISÁRIOS, DE AÇÃO INTESTINAL E CEREBRAL e OUTROS

30 DIVISÃO SNC Encéfalo Medula SNP Nervos Gânglios Periférico Autônomo Cérebro Cerebelo Mesencéfalo Ponte Bulbo

31 SNC Função: processamento e integração das informações. Formado pelo encéfalo (alojado no cranio) e pela medula espinhal (interior das vértebras – coluna vertebral).

32 M ENINGES Membranas que protegem o SNC de choques mecânicos. - Dura-máter: mais espessa e externa. - Aracnóide: esponjosa por onde circula o líquor (liquido cefalorraquidiano) - Pia-máter: aderida ao encéfalo e medula. Tem vasos sanguíneos, que levam O 2 e nutrientes para as células do SNC.

33

34

35 ÓRGÃOS DO SNC

36 C ÉREBRO Parte mais desenvolvida do encéfalo Relacionado com o pensamento, memória, fala, inteligência, sentidos, emoções. Hemisfério direito: criatividade e habilidades artísticas Hemisfério esquerdo: habilidades analíticas e matemáticas

37 Córtex cerebral massa cinzenta presença de corpos de neurônios Medula cerebral massa branca presença de axônios

38

39 Cerebelo : manutenção do equilíbrio corporal e do tônus muscular Mesencéfalo : coordenação das informações referentes ao estado de contração dos músculos e postura corporal Bulbo : presença de centro nervosos relacionados com batiementos cardíacos, movimentos respiratórios e do tubo digestivo Ponte: A função da ponte é transmitir as informações da medula e do bulbo até o córtex cerebral.

40 M EDULA ESPINHAL Liga o encéfalo aos nervos espinhais Relacionada com os atos reflexos – respostas rápidas sem participação do encéfalo.

41

42 S ISTEMA N ERVOSO P ERIFÉRICO Constituído de nervos e gânglios - Nervos: feixes de fibras nervosas envoltas por tecido conjuntivo - Gânglios: aglomerados de corpos de neurônios fora do SNC Função: conectar o SNC as diversas partes corpo do animal.

43

44 T IPOS DE NERVOS Quanto ao sentido do impulso nervoso. Nervos sensoriais (aferentes): contém apenas fibras sensoriais. Impulso do órgão receptor para o SNC Nervos motores (eferentes): contém apenas fibras motoras. Impulso do SNC para o órgão efetuador Nervos mistos: contém fibras motoras e sensoriais. Impulso do SNC para o órgão e do órgão para o SNC

45 T IPOS DE NERVOS Quanto ao local de origem Nervos cranianos: - Ligados ao encéfalo - 12 pares em mamíferos e aves - Inervam órgão do sentido, músculos e glândulas da cabeça e alguns órgãos internos

46

47 47 Nervo craniano Função I-OLFATÓRIOsensitivaPercepção do olfato. II-ÓPTICOsensitivaPercepção visual. III-OCULOMOTORmotoraControle da movimentação do globo ocular, da pupila e do cristalino. IV-TROCLEARmotoraControle da movimentação do globo ocular. V-TRIGÊMEOmista Controle dos movimentos da mastigação (ramo motor); Percepções sensoriais da face, seios da face e dentes (ramo sensorial). VI-ABDUCENTEmotoraControle da movimentação do globo ocular. VII-FACIALmista Controle dos músculos faciais – mímica facial (ramo motor); Percepção gustativa no terço anterior da língua (ramo sensorial). VIII-VESTÍBULO- COCLEAR sensitiva Percepção postural originária do labirinto (ramo vestibular); Percepção auditiva (ramo coclear). IX-GLOSSOFARÍNGEOmista Percepção gustativa no terço posterior da língua, percepções sensoriais da faringe, laringe e palato. X-VAGOmista Percepções sensoriais da orelha, faringe, laringe, tórax e vísceras. Inervação das vísceras torácicas e abdominais. XI-ACESSÓRIOmotora Controle motor da faringe, laringe, palato, dos músculos esternoclidomastóideo e trapézio. XII-HIPOGLOSSOmotoraControle dos músculos da faringe, da laringe e da língua. NERVOS CRANIANOS

48 T IPOS DE NERVOS Nervos espinhais (raquidianos): 31 pares que saem ao longo da medula, um par por vértebra. Apresenta 2 raízes: - Dorsal sensorial informação do órgão para o SNC - Ventral motora informação do SNC para o órgão

49

50 A TO REFLEXO Permitem a reação rápido do organismo em casos de emergência Resposta rápida sem a participação do encéfalo Participam o nervo sensorial, medula (nervoso associativo) e nervo motor.

51

52


Carregar ppt "S ISTEMA N ERVOSO Prof. Regis Romero. O sistema nervoso é o mais complexo e diferenciado do organismo, sendo o primeiro a se diferenciar embriologicamente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google