A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O SISTEMA NERVOSO Centro de controle. O Sistema nervoso no controle do organismo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O SISTEMA NERVOSO Centro de controle. O Sistema nervoso no controle do organismo."— Transcrição da apresentação:

1 O SISTEMA NERVOSO Centro de controle

2 O Sistema nervoso no controle do organismo

3 O sistema nervoso e endócrino capacitam o organismo a perceber as variações do meio (interno e externo)a difundir as modificações que essas variações produzem e a executar as respostas adequadas para que seja mantido o equilíbrio interno do corpo (homeostase). O sistema nervoso e endócrino capacitam o organismo a perceber as variações do meio (interno e externo)a difundir as modificações que essas variações produzem e a executar as respostas adequadas para que seja mantido o equilíbrio interno do corpo (homeostase).

4 Funções Sensitiva – sente as alterações dentro e fora do corpo. Sensitiva – sente as alterações dentro e fora do corpo. Integradora – analisa a informação sensitiva, armazena uma parte e toma decisões. Integradora – analisa a informação sensitiva, armazena uma parte e toma decisões. Motora – Responde aos estímulos iniciando contrações musculares ou secreções glandulares. Motora – Responde aos estímulos iniciando contrações musculares ou secreções glandulares.

5 ORGANIZAÇÃO Sistema nervoso central – encéfalo Sistema nervoso central – encéfalo e medula espinhal Sistema nervoso periférico – nervos Sistema nervoso periférico – nervos cranianos e espinhais

6 Não é possível considerar o aprendizado sem memória e memória sem o aprendizado. Não é possível considerar o aprendizado sem memória e memória sem o aprendizado.

7 A maior parte do armazenamento de informações aprendidas ocorre no córtex cerebral.

8 HISTOLOGIA Neuróglia – sustentação e proteção para os neurônios Neuróglia – sustentação e proteção para os neurônios Neurônios – conduzem impulsos de uma parte a outra. Os impulsos nervosos são pequenas correntes elétricas que passam ao longo dos neurônios. Resultam do movimento de íons para dentro e para fora da membrana plasmática do neurônio. Neurônios – conduzem impulsos de uma parte a outra. Os impulsos nervosos são pequenas correntes elétricas que passam ao longo dos neurônios. Resultam do movimento de íons para dentro e para fora da membrana plasmática do neurônio.

9

10

11 Os neurônios são as células responsáveis pela recepção e transmissão dos estímulos do meio (interno e externo) possibilitando ao organismo a execução de respostas adequadas para a manutenção da homeostase. Os neurônios são as células responsáveis pela recepção e transmissão dos estímulos do meio (interno e externo) possibilitando ao organismo a execução de respostas adequadas para a manutenção da homeostase.

12 TERMOS IMPORTANTES Fibra nervosa – refere-se a um axônio e sua bainha. Fibra nervosa – refere-se a um axônio e sua bainha. Nervo – grupos de fibras nervosas mielínicas no SNP. Nervo – grupos de fibras nervosas mielínicas no SNP. Trato – grupo de fibras nervosas no SNC Trato – grupo de fibras nervosas no SNC Substância branca – grupos de axônios mielínicos de muitos neurônios. Substância branca – grupos de axônios mielínicos de muitos neurônios. Substância cinzenta – corpos celulares, dendritos e axônios não mielínicos. Substância cinzenta – corpos celulares, dendritos e axônios não mielínicos. Gânglios – grupos de corpos celulares no SNP Gânglios – grupos de corpos celulares no SNP Núcleo – grupos de corpos celulares no SNC Núcleo – grupos de corpos celulares no SNC

13 Potencial de membrana Meio intracelular – acúmulo de cargas negativas – proteínas, sulfato e outros íons Meio intracelular – acúmulo de cargas negativas – proteínas, sulfato e outros íons Meio extracelular – acúmulo de cargas positivas – íons sódio Na+ e outros íons Meio extracelular – acúmulo de cargas positivas – íons sódio Na+ e outros íons Potencial de repouso – diferença de potencial que no interior da fibra chega a Potencial de repouso – diferença de potencial que no interior da fibra chega a -90mV. -90mV.

14

15 NEURÔNIO EM REPOUSO -70mV K + K + K + Na + Na + Na + Na + Na + Na + Na +

16 FATORES QUE LEVAM AO POTENCIAL DE MEMBRANA Bomba Na+K+ATPase Bomba Na+K+ATPase Canais de vazamento para Na+ e K+ Canais de vazamento para Na+ e K+ Acúmulo de moléculas e íons negativos no interior Acúmulo de moléculas e íons negativos no interior

17 Potencial de ação neural Fase 1 – despolarização – difusão de íons sódio para o meio intracelular devido a abertura dos canais de sódio sensíveis à voltagem.O PR chega a valores positivos. Fase 1 – despolarização – difusão de íons sódio para o meio intracelular devido a abertura dos canais de sódio sensíveis à voltagem.O PR chega a valores positivos. Fase 2 – repolarização – difusão de íons potássio para o meio extracelular devido a abertura dos canais de potássio sensíveis a voltagem.O PR volta a valores negativos Fase 2 – repolarização – difusão de íons potássio para o meio extracelular devido a abertura dos canais de potássio sensíveis a voltagem.O PR volta a valores negativos Hiperpolarização – saída excessiva de íons potássio.A negatividade se torna maior que no repouso. Hiperpolarização – saída excessiva de íons potássio.A negatividade se torna maior que no repouso.

18

19 Estímulo limiar – qualquer fator (químico, mecânico ou elétrico) que produza a difusão de íons sódio através da membrana celular para o interior da fibra, a ponto de ocasionar uma alteração no potencial de membrana da ordem de 15 a 30 mV (ex: de -70mV à -50mV). Aciona a abertura dos canais iônicos sensíveis à voltagem. Estímulo limiar – qualquer fator (químico, mecânico ou elétrico) que produza a difusão de íons sódio através da membrana celular para o interior da fibra, a ponto de ocasionar uma alteração no potencial de membrana da ordem de 15 a 30 mV (ex: de -70mV à -50mV). Aciona a abertura dos canais iônicos sensíveis à voltagem. Velocidade de condução do PA – fibras amielinizadas e mielinizadas. Velocidade de condução do PA – fibras amielinizadas e mielinizadas.

20 (1)Potencial de repouso – (2) estímulo limiar – (3) despolarização local – (4) abertura dos canais de sódio sensíveis a voltagem - despolarização propagada – (5) inativação dos canais de sódio e abertura dos canais de potássio sensíveis à voltagem (6) – repolarização propagada – (7) hiperpolarização

21 SINAPSES Comunicação entre células. Comunicação entre células. Sinapse elétrica e sinapse química Sinapse elétrica e sinapse química A sinapse elétrica: A sinapse elétrica: - União de células através das junções comunicantes – junções GAP - Condução em ambas as direções - São particularmente úteis em todas as vias reflexas.

22 A sinapse química Predominam no SNC Predominam no SNC Condução unidirecional Condução unidirecional Ocorre a liberação de uma substância química – neurotransmissor Ocorre a liberação de uma substância química – neurotransmissor Membrana pré-sináptica – despolarização Membrana pré-sináptica – despolarização – abertura dos canais de cálcio sensíveis à voltagem – influxo de íons cálcio – abertura dos canais de cálcio sensíveis à voltagem – influxo de íons cálcio – exocitose de neurotransmissor – exocitose de neurotransmissor – ligação do neurotransmissor ao receptor presente na membrana pós-sináptica – ligação do neurotransmissor ao receptor presente na membrana pós-sináptica-resposta

23 A exocitose de neurotransmissor

24

25 Sinapse excitatória – ocorre a despolarização do neurônio pós-sináptico abertura de canais catiônicos – principalmente de sódio. Sinapse excitatória – ocorre a despolarização do neurônio pós-sináptico abertura de canais catiônicos – principalmente de sódio. Sinapse inibitória – ocorre hiperpolarização do neurônio pós-sináptico – abertura de canais de cloreto ou de potássio. Sinapse inibitória – ocorre hiperpolarização do neurônio pós-sináptico – abertura de canais de cloreto ou de potássio. Funções sinápticas dos neurônios: Funções sinápticas dos neurônios: - O impulso nervoso pode ser bloqueado - O impulso pode ser modificado de impulso único a repetitivo - O impulso pode ser integrado a outros impulsos provenientes de outros neurônios

26 A velocidade de condução do impulso nervoso Neurônios não mielinizados – condução contínua Neurônios não mielinizados – condução contínua Neurônios mielinizados – condução saltatória Neurônios mielinizados – condução saltatória

27 Reciclagem de vesículas.


Carregar ppt "O SISTEMA NERVOSO Centro de controle. O Sistema nervoso no controle do organismo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google