A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Economia Política do Poder – capítulos 6 e 7 Maria Alice Neves

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Economia Política do Poder – capítulos 6 e 7 Maria Alice Neves"— Transcrição da apresentação:

1 Economia Política do Poder – capítulos 6 e 7 Maria Alice Neves

2 Capítulo 6 - a organização cientifica do trabalho: o enfoque clássico A concepção de Frederick W. Taylor A concepção de Henry Ford A concepção de Henri Fayol

3 Capítulo 7 - o enfoque das relações Humanas A concepção de G. Elton Mayo A concepção de Chester I. Barnard A concepção de Douglas McGregor A concepção de Abraham H. Maslow

4 Capítulo 6 - a organização cientifica do trabalho: o enfoque clássico A concepção de Frederick W. Taylor A concepção de Henry Ford A concepção de Henri Fayol

5 A organização cientifica do trabalho (OCT) François (1982) conclui que a OCT provém de técnicas e de métodos próprios para conceber, executar de maneira eficaz, regularizar e controlar a produção moderna.

6 Tarefas Descritas em minúcias nos planos e cargos e nos manuais de organização e método, sendo a racionalização a palavra-chave.

7 Quadro de Distribuição do trabalho O conjunto de operações no processo de trabalho O tempo de trabalho de cada unidade A seqüência de processo A necessidade de matéria prima e de estoque Os instrumentos de analise comparativa das tarefas

8 Quadro de Distribuição do trabalho As medidas de aferição da capacidade do profissional e do individuo Os procedimentos necessários ao estabelecimentos de padrões absolutos e de desempenho

9 OU seja... A racionalização organizacional, nos moldes da OCT, impõe desta forma um esquema de controle da organização dos trabalhadores nos locais de trabalho

10 A concepção de Frederick W. Taylor Princípios da gerencia cientifica Encarava o trabalho como uma obrigação A disciplina como um valor Mais trabalho -> mais merecimento recompensas espirituais Alguns são possuidores da dádiva de pensar (comandar) Alguns são possuidores da dádiva de executar (serem comandados)

11 Trabalhador ideal (padrão de operário) Fisicamente forte Pouco inteligente Submisso Dependente

12 Divisão do trabalho Várias operações Treinou ao limite Máxima produção & mínimo de tempo Objetivos melhoria na execução Intensificação

13 Conseqüências Fadiga Monotonia Não-iniciativa

14 Discurso do capitalismo industrial Máximo de prosperidade ao capitalista e ao assalariado Aproveitamento total do homem, exploração racional do trabalhador pela extração da mais-valia

15 Ciência do trabalho (dos outros...) Não é a melhor maneira de trabalhar em geral, que Taylor busca,mas uma resposta ao problema específico de como controlar melhor o trablho alienado – isto é a força de trablho comprada e vendida (Braveman, 1977)

16 Gerência científica Divisão do trabalho entre gerencia e os trabalhadores, ou seja, a separação fundamental entre cérebro e mão. Os divide e os torna hostis

17 Controle grandes dimensões Gerencia impõe como o trabalho será executado, ou seja: Planejando Organizando Dirigindo controlando

18 A concepção de Henry Ford A produção deve basear-se na eliminação do desperdício e é peloo produto que deve começar. Depende da padronização da habilidade do trabalhador Da qualidade da máquina (redução de material e de mão de obra)

19 Capacidade mental Operários incapazes de pensar e pensar com rapidez Elites que tem o dever de conduzir o destino do mundo e ajudar os mais fracos.

20 Controle Interno e externo Físico Comportamento Ideológico Simbólico Fisico subjetivo Politico e economico Por resultados Vinculos Normativo Seducao monopolista

21 Ford Inovador (pressupostos gerencialistas) Ideólogo do poder do capital, da desumanização, da exploração extrema da força de trabalho, do nacionalismo e do preconceito.

22 A concepção de Henri Fayol... Que operário saiba muito a respeito de pouca coisa (Tragtenberg, 1977) Apenas a parte que lhe corresponde Capacidade técnica

23 Princípios administrativos Divisão do trabalho Autoridade e responsabilidade Disciplina Unidade de comando Unidade de direção Interesse geral prevalece o particular Remuneração do pessoal

24 Princípios administrativos Centralização Hierarquia Ordem Equidade Estabilidade do pessoal Iniciativa União

25 A concepção de G. Elton Mayo Condução da sociedade por uma elite que evita conflitos Foi o primeiro a utilizar o modelo clinico de investigação diagnóstica Interesse em estudar os fatores ou condições externas que interferiam no processo de trabalho

26 Conclusão Condições físicas não tem correlação mas... Fatores mentais e relacionamento informal exercem influencia no rendimento do trabalho

27 A gerência Compreensão ou Manipulação ? Taylorismo -> gestão autoritária Humanismo -> manipulação de atitudes mentais e de sofisticação gerencial

28 A concepção de Chester Barnard Ser único Cooperam para superar as limitações físicas e biológicas sem perder sua individualidade O conflito pode ser controlado Treinamento Atividades Incentivos

29 Segundo Barnard o individuo participante de um sistema cooperativo especifico -> o individuo funcional, cujos esforços são despersonalizados. A organização é um sistema de atividades de duas ou mais pessoas conscientemente coordenadas.

30 Crítica Ambíguo Amplo, Generalista e Específico Apenas quanto as atividades são coordenadas por adm e lid é que se tem alguma organização ou seja... Não há organização duradoura sem estrtutura hierárquica, sem normas de conduta e sem autoridade, a limitar a amplitude de ação.

31 A concepção de Douglas McGregor Abolir teoria X (Taylor), de direção a coerção e controle rígido por uma teoria Y, com métodos liberais e justos, para dirigir o comportamento dos trabalhadores.

32 Novos pressupostos O ser humano: não detesta o trabalho está disposto a se autocontrolar por comprometimento Compromisso depende de das recompensas Aceita e procura responsabilidades Potencialidades intelectuais estao sendo parcialmente usadas

33 Gestão Os limites da colaboração não são de natureza humana, mas da engenhosidade da direção em descobrir como fazer atuar o potencial representado pelos seus recursos humanos.

34 Crítica Manipulação do comportamento do trabalhador, para aceitar com mais satisfação a direção do outro sobre o seu trabalho e sobre sua própria vida.

35 A concepção de Maslow Hierarquia das necessidades humanas Se um nível de necessidade é atendido, o nível seguinte emerge como dominante

36 Crítica Um vendedor não pode atingir suas metas de vendas se estiver com problemas no casamento? Não podemos estar parcialmente satisfeitos? Diferentes sociedades apresentam as mesmas estruturas de necessidades?

37 Gestão Gerência passa a trabalhar estas necessidades com o efeito de controlar os estados de motivação, ou seja... Prática gerencial de controle das necessidades como forma de dominação (quem tem os objetos de satisfação são os detentores do poder)

38 Conclusão - Humanista Presença de mecanismos de controle Técnica de evitar atritos diminuir desgastes Impor decisões Sem que a maquina administrativa diminua a sua efetividade!


Carregar ppt "Economia Política do Poder – capítulos 6 e 7 Maria Alice Neves"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google