A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

11 QUÍMICA I – 1 0 SEMESTRE 2011 AULA 5 Profa. Dra. Luciana Farias.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "11 QUÍMICA I – 1 0 SEMESTRE 2011 AULA 5 Profa. Dra. Luciana Farias."— Transcrição da apresentação:

1 11 QUÍMICA I – 1 0 SEMESTRE 2011 AULA 5 Profa. Dra. Luciana Farias

2 2 Aula anterior: Mat é ria, esp é cies e microestrutura da mat é ria.Mat é ria, esp é cies e microestrutura da mat é ria. Mat é ria e mudan ç a de estado. Mat é ria e mudan ç a de estado. Gases, l í quidos e s ó lidos. Gases, l í quidos e s ó lidos. Energia, calor e temperatura. Energia, calor e temperatura. Diagrama de fase. Diagrama de fase.

3 3 Resumo das espécies de matéria: MATÉRIA Substância Pura - Composição determinada. Não podem ser separadas por meios físicos. - Não podem ser separadas por meios físicos. - Temperatura constante durante a mudança de estado. Mistura - Composição variável. Podem ser separadas por meios físicos. - Podem ser separadas por meios físicos. - Temperatura variável durante a mudança de estado. Elementos -Substâncias puras mais simples. mais simples. - Não podem decompostos. decompostos. Compostos -Constituídos de 2 ou mais elementos. - Não podem decompostos por meios químicos. decompostos por meios químicos. Mistura Homogênea (soluções) -Constituída de dois ou mais componentes. - Fase única. Mistura Heterogênea -Constituídos de 2 ou mais componentes. - Duas ou mais fases.

4 4 Tópicos da aula: Id é ias e Modelos atômicos: de Dem ó crito at é a atualidade (Rutherford).Id é ias e Modelos atômicos: de Dem ó crito at é a atualidade (Rutherford). O á tomo: estrutura, s í mbolo, f ó rmulas e equa ç ões.

5 5 ELEMENTOS E Á TOMOS

6 6 QUAL ERA A IDÉIA DOS GREGOS SOBRE OS ÁTOMOS? Alguns fil ó sofos da Gr é cia Antiga j á admitiam que toda e qualquer mat é ria seria formadas por min ú sculas part í culas indivis í veis, que foram denominadas á tomos (a palavra á tomo, em grego, significa indivis í vel).Alguns fil ó sofos da Gr é cia Antiga j á admitiam que toda e qualquer mat é ria seria formadas por min ú sculas part í culas indivis í veis, que foram denominadas á tomos (a palavra á tomo, em grego, significa indivis í vel).

7 7 Demócreto de Abdera ATOMISMO (400 aC) Aristótoles OS 4 ELEMENTOS TERRA TERRA ÁGUA ÁGUA AR AR FOGO FOGO

8 8 De rerum natura (Sobre a Natureza das coisas) 60 aC (Sobre a Natureza das coisas) 60 aC é um poema didático, dentro do género dos periphyseos cultivado por alguns pré-socráticos gregos, escrito no século I a.C. por Tito Lucrécio Caro; dividido em seis livros, proclama a realidade do homem num universo sem deuses e tenta libertá-lo do seu temor à morte. Expõe a física atomista de Demócrito e a filosofia moral de Epicuro. poemapré-socráticosséculo I a.C.Tito Lucrécio CaroDemócritoEpicuropoemapré-socráticosséculo I a.C.Tito Lucrécio CaroDemócritoEpicuro

9 9 1.Todos os materiais da natureza são formados por part í culas extremamente pequenas, denominadas á tomos. 2.Os á tomos são indivis í veis. 3.H á um n ú mero relativamente pequeno de diferentes á tomos na natureza. 4.Agrupando á tomos iguais ou diferentes, em diferentes quantidades, formamos todos os materiais presentes na natureza. TEORIA DA BOLHAR DE BILHAR (1808)

10 10 TEORIA DA BOLHAR DE BILHAR (1808)

11 11 ANOTAÇÕES DE DALTON

12 12

13 13 Consideremos um tubo de vidro contendo g á s no seu interior e munido de dois eletrodos. Quando o tubo cont é m g á s sob pressão normal, verifica-se que não h á descarga el é trica no seu interior, mesmo quando a diferen ç a de potencial é da ordem de V. Rarefazendo-se o g á s, por meio de bombas de v á cuo, at é atingir a pressão da ordem de 10 mmHg, aparece um fluxo luminoso partindo do c á todo (p ó lo negativo) e dirigindo-se ao ânodo (p ó lo positivo).

14 14 Continuando a rarefa ç ão at é a pressão seja da ordem de mmHg, desaparecer á o feixe luminoso, permanecendo apenas uma mancha luminosa esverdeada na parede do tubo oposta ao c á todo. Os tubos especiais para se conseguir v á cuo quase perfeito são chamados de Ampolas de Crookes. Como o raio parte do c á todo, ele é chamado de Raio Cat ó dico.

15 15 Veja algumas das "ações" dos raios catódicos ( elétrons ) no nosso dia-a-dia: Televisão: O tubo de imagem dos televisores é uma ampola de Crookes ( alto vácuo ) com certas adaptações. Os raios catódicos incidem na superfície interna do vidro, que é revestida com tinta fluorescente. Durante a descarga, a tela fica iluminada. Lâmpada Fluorescente: Lâmpada fluorescente contém vapor de mercúrio(Hg) como gás residual. A parede interna do vidro da lâmpada é revestida de tinta fluorescente. Pela descarga no interior da lâmpada, o vapor de mercúrio (Hg), a essa pressão emite luz ultravioleta ( invisível ), a qual excita a tinta fluorescente, que emite luz visível característica dessa lâmpada.

16 16 OBSERVA Ç ÕES FEITAS POR THOMSON: 1)Os raios cat ó dicos se propagam em linha reta. 2)Os raios cat ó dicos ao baterem na "ventoinha", fazem-na girar. Essas part í culas, portanto, possuem massa e, conseq ü entemente são mat é ria. 3)O feixe de raios cat ó dicos é atra í do por um campo el é trico positivo. Portanto, os raios cat ó dicos possuem carga negativa. 4)Descobriu tamb é m que as part í culas carregadas eram sempre as mesmas, independentemente do metal usado para o catodo. Ele concluiu que eram part í culas constitutivas de todos os á tomos.

17 17 O valor e/m (carga/massa) encontrado por Thomson foi e/m = 1, C/kg. O valor aceito atualmente é e/m = 1, C/kg.

18 18 TEORIA DO PUDIM DE AMEIXAS


Carregar ppt "11 QUÍMICA I – 1 0 SEMESTRE 2011 AULA 5 Profa. Dra. Luciana Farias."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google