A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROFESSOR: Marco Antonio Chaves de Almeida O Autor, Escritor e Professor é Mestre em Educação pela UFF, Doutor em Educação pela AWU - EUA,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROFESSOR: Marco Antonio Chaves de Almeida O Autor, Escritor e Professor é Mestre em Educação pela UFF, Doutor em Educação pela AWU - EUA,"— Transcrição da apresentação:

1

2

3

4

5

6

7

8 PROFESSOR: Marco Antonio Chaves de Almeida O Autor, Escritor e Professor é Mestre em Educação pela UFF, Doutor em Educação pela AWU - EUA, Especialista em Administração Escolar - UCAM, Especialista em Sexologia - UCAM, Especialista em Ergonomia - FGV, Especialista em Administração Hospitalar - UERJ, Especialista em Planejamento de Saúde - FTESM. Em 1984 começou a exercer a Docência Superior das disciplinas Metodologia da Pesquisa Científica, Abordagem Sócio-jurídica da Sexualidade Humana, Práticas Curriculares em Educação, Gestão Escolar, Avaliação Educacional e Escola e Currículo. DISCIPLINA: OFICINA DE MONOGRAFIA I Coordenador de Ensino de Pós-Graduação da Faculdade Internacional Signorelli.

9 As pessoas não constroem conhecimento; elas, na verdade, reconstroem a partir do que já existe e já se sabe. O que o aprender significa? Não é só reconstruir conhecimento, é também forjar o sujeito capaz de ser o dono do seu conhecimento, ser autônomo em seu conhecimento. (Pedro Demo, Jornal do Brasil, 08/10/00)

10 Porque passamos muito tempo de nossas vidas na escola, devemos ser felizes nela. A felicidade na escola não é uma questão de opção metodológica ou ideológica. É uma obrigação essencial dela. Moacir Gadott A Disciplina OFICINA DA MONOGRAFIA põe em prática as atividades concebidas em complementação às disciplinas de Introdução à Prática de Pesquisa I e II, Elaboração de Projetos, Metodologia da Pesquisa: Abordagens Quantitativa e Qualitativa e demais atreladas a Metodologia da Pesquisa e do Trabalho Científico do Curso de Graduação em Pedagogia.

11 A disciplina é um momento acadêmico de reflexão e aplicação dos conhecimentos metodológicos onde cada aluno, como pesquisador e, sobretudo autor de sua própria comunicação acadêmica, pode apreciar e comentar livremente as experiências mútuas de composição e solucionar as suas dificuldades na preparação e elaboração da sua monografia. A aula não precisa ser descartada, mas não é o centro da aprendizagem. O centro da aprendizagem é saber reconstruir, elaborar, questionar. Pedro Demo

12 É uma disciplina concebida para atender a demanda em assistir a cada pesquisador-iniciante nos seguintes aspectos: - no seu esforço individual para aproveitar os seus levantamentos de dados, nos quadros conceituais de sua abordagem principal; - bem como assisti-lo no seu esforço para apreciar, comparar e comentar, em modo compreensivo, suas leituras dos textos da sua bibliografia específica, já selecionada ou em vias de seleção. O aluno muito informado apenas na teoria tem muita dificuldade de enfrentar a prática. Menga Ludke

13 A Disciplina OFICINA DA MONOGRAFIA permite ao pesquisador-iniciante aplicar-se nos procedimentos de observação e registro bem como diferenciá-los em níveis ou em etapas no curso da elaboração do texto e composição da sua monografia, como forma de comunicação da pesquisa. Para passar a informação, há muitos meios. Estão aí a internet, o computador, a televisão, publicações. Mas para criar senso crítico, ajudar o aluno a refletir, a se perguntar, o professor é imprescindível. Menga Ludke

14 OBJETIVO apresentar e discutir coletivamente os resultados parciais/finais das pesquisas realizadas; iniciar a elaboração do relatório final da pesquisa (sob a forma de monografia). Quem decora, memoriza, não aprende; só há vontade de aprender algo quando nos desperta a curiosidade, o interesse, ou se há necessidade ou um desafio de vencer. Roberto Dornas

15 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO O relatório de pesquisa e sua estruturação (monografias, ensaios, artigos, resenhas, relatórios Introdução: justificativa, objetivos, delimitação do problema, descrição da metodologia e citação do referencial teórico. Corpo do relatório: definição do problema; apresentação, exposição e discussão do referencial teórico e dos dados que fundamentam a explicação do problema; uso das citações, dos argumentos e dos dados na fundamentação teórica e na demonstração dos resultados; organização das divisões do corpo do relatório científico. Conclusão: retomada do problema de investigação e apresentação dos resultados finais; apresentação das limitações da investigação e das novas questões levantadas. Normas da ABNT relacionadas à apresentação dos relatórios de investigação. Apresentação gráfica. Apresentação à banca examinadora. Apresentação e discussão dos resultados parciais/finais da pesquisa.

16 BIBLIOGRAFIA BÁSICA CHAVES, Marco Antonio. Projeto de pesquisa. guia prático para monografia. 5. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: WAK, LINHARES, C.FAZENDA, I. TRINDADE, V. (Orgs.). Os lugares dos sujeitos na pesquisa educacional. Campo Grande, MS: Ed. UFMS, MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia cientifica. 6. ed. 7. reimp. São Paulo: Atlas, 2009.

17 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação: referências e elaboração. Rio de Janeiro, 2002a. _____________. NBR 6024: informação e documentação: numeração progressiva das seções de um documento escrito: apresentação. Rio de Janeiro, 2003a. _____________. NBR 6027: informação e documentação: sumário: apresentação. Rio de Janeiro, 2003b. _____________. NBR 6028: informação e documentação: resumo: apresentação. Rio de Janeiro, 2003c. _____________. NBR 6029: apresentação de livros e folhetos. Rio de Janeiro, 2006a. _____________. NBR 10520: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002b. _____________. NBR 10719: apresentação de relatório técnico-científicos. Rio de Janeiro, 1989a. _____________. NBR 12676: métodos para análise de documentos - Determinação de seus assuntos e seleção de termos de indexação. Rio de Janeiro, 1992.

18 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR _____________. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 17.abr _____________. NBR 15287: informação e documentação: projeto de pesquisa: apresentação. Rio de Janeiro, 2005b. _____________. NBR 10520: Informação e documentação – citações em documentos – apresentação: Rio de Janeiro, _____________. NBR 12225: Informação e documentação – lombada - apresentação ALVES, Magda. Como escrever teses e monografias. Lisboa: Campus, MEDEIROS, João Bosco. Redação científica: a prática de fichamento, resumos, resenhas. São Paulo: Atlas, 2005 PEREIRA, A.e POUPA, C. Como apresentar em público. Lisboa: Edições Sílabo, 2004.

19 O que você sabe sobre...

20 O termo oficina tem origem no latim officina, que significa lugar onde se exerce um ofício. Significações para o verbete oficina: Lugar onde se exerce um ofício Laboratório ou lugar onde trabalham os oficiais e aprendizes de algum ofício ou arte Significações para o verbete oficina: Lugar onde se exerce um ofício Laboratório ou lugar onde trabalham os oficiais e aprendizes de algum ofício ou arte

21 Oficina é o lugar onde se trabalha e se elabora o conhecimento para ser utilizado, ressaltando que nesse local há a ação de construir e reconstruir o conhecimento, ou seja, aprender através da produção de pesquisa. Prof. Dr. Marco Antonio Chaves

22 oficina é o espaço de trabalho, de ensino e de aprendizagem.

23 A Oficina de Monografia é um diversificado laboratório em que a relação de mediação entre alunos e professores vivenciam e trocam papéis, experimentam, compartilham, arriscam, criam, constroem a relação e o conhecimento através de ações mediadas a partir de situações-problema a serem resolvidas, a produção de algo e a possibilidade de refazer sempre que academicamente necessário.

24 Em todos os momentos da Oficina de Monografia, há uma legítima ação de produção, há a mediação, há aprendizagem, há ensino, há dificuldades e há a expressão de pensamentos, idéias e conceitos a respeito de um conhecimento científico a ser construído, a partir de uma situação-problema a ser resolvida.

25 O Professor-Orientador exerce um papel fundamental, ativo e dinâmico, instrumentalizando os alunos que participam da oficina a agir, pensar e sentir, também de modo ativo e dinâmico, estimulando o alcance da autonomia. O produto final de uma Oficina de Monografia é a apresentação do conhecimento que foi produzido a partir das relações que ali se estabeleceram entre os sujeitos e o conhecimento acadêmico.

26 REVENDO CONCEITOS EPISTEMOLOGIA: é a doutrina dos fundamentos e dos métodos do conhecimento científico. Igualmente conhecida como gnosiologia, o seu objeto de estudo é a produção e validação do conhecimento científico. Desta forma, a epistemologia analisa os critérios pelos quais se justifica o conhecimento, para além de considerar as circunstâncias históricas, psicológicas e sociológicas que levam à sua obtenção.

27 REVENDO CONCEITOS AXIOLOGIA: é o ramo da filosofia que estuda os valores, etimologicamente significa "Teoria do valor", "estudo do valor" ou "ciência do valor". As definições mais comuns de axiologia são as seguintes: ramo da filosofia que estuda os valores; ciência dos valores; padrão dominante de valores em determinada sociedade.

28 REVENDO CONCEITOS TAXIONOMIA Estudo dos princípios gerais da classificação científica.

29 Monografia é uma dissertação (em sentido lato) sobre um ponto particular de uma ciência, de uma arte, de uma localidade, sobre um mesmo assunto ou sobre assuntos relacionados. Normalmente escrito apenas por uma pessoa. É o principal tipo de texto científico. Trabalho Acadêmico que apresenta o resultado de investigação pouco complexa e sobre tema único e bem delimitado. Fonte: Acessado em 10 abr 2012

30 A monografia é um trabalho científico que se caracteriza pela especificação, ou seja, a redução da abordagem a um só assunto, a um só problema. Desta maneira, monografia é um trabalho com tratamento escrito de um tema específico que resulte de interpretação científica com o escopo de apresentar uma contribuição relevante ou original e pessoal à ciência. abr 2012

31 "tratamento escrito de um tema específico Armando Asti Vera

32 tratamento escrito de um tema específico que resulte de interpretação cientifica com escopo de apresentar uma contribuição relevante ou original e pessoal à ciência". Decio Vieira Salomon

33 escrever a respeito de um único assunto. Decio Vieira Salomon

34 um estudo sobre um tema específico ou particular de suficiente valor representativo e que obedece a rigorosa metodologia. LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade

35 é uma dissertação que trata de um assunto particular, de forma sistemática e completa. J.B. Medeiros

36 A origem da palavra Monografia vem do grego, onde: mónos = um só; graphein = escrever, o que significa escrever sobre um único tema ou assunto. Uma monografia sugere especificação, uma abordagem direta sobre um problema específico.

37

38 O estudo deve debruçar-se sobre um objeto reconhecível e definido, ou seja, que possa ser reconhecido pelos outros, e não apenas pelo pesquisador; o estudo deve dizer algo de novo sobre o objeto pesquisado, ou rever sobre uma ótica diferente o que já foi dito sobre ele; o estudo deve ser útil para as pessoas em geral, ou pelo menos para um grupo específico; o estudo deve fornecer elementos para a verificação e a contestação das hipóteses apresentadas, permitindo uma continuidade da própria pesquisa. Umberto Eco


Carregar ppt "PROFESSOR: Marco Antonio Chaves de Almeida O Autor, Escritor e Professor é Mestre em Educação pela UFF, Doutor em Educação pela AWU - EUA,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google