A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AULA 6 Planejamento Como Princípio Pedagógico do Trabalho Coletivo Prof a. Dr a. Rita Borges.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AULA 6 Planejamento Como Princípio Pedagógico do Trabalho Coletivo Prof a. Dr a. Rita Borges."— Transcrição da apresentação:

1 AULA 6 Planejamento Como Princípio Pedagógico do Trabalho Coletivo Prof a. Dr a. Rita Borges

2 Vamos Estudar... Os diferentes atores e sujeitos que fazem parte do ambiente escolar. Pressupostos para o desenvolvimento do trabalho pedagógico coletivo e suas principais dificuldades.

3 Iniciando!! O que você sabe sobre o planejamento como princípio do trabalho pedagógico coletivo?

4 Observe a imagem abaixo. O que esta representa? Imaginemos, que você more sozinho (a), e vai realizar uma obra, na cozinha da sua casa.

5 Para essa razão, será necessário que você mude sua geladeira de lugar. O que você faz? Tenta carregar sozinho? Ou busca ajuda de amigos, parentes ou vizinhos?

6 . Uma constatação que fazemos sempre é que não somos seres isolados. Vivemos em grupos sociais, e por essa razão, devemos estabelecer relações de cooperação com aqueles que nos cercam?

7 Sabemos que nem sempre essa convivência é fácil, porém com uma boa dose de solidariedade e amor ao próximo, tudo é possível, pois como ilustra a imagem abaixo, a união faz a força não acham?

8 Agora, como será que as ações coletivas, ocorrem na escola? É o que veremos a partir de agora!!!

9 Os diferentes atores e sujeitos que fazem parte do ambiente escolar Todas as ações da escola partem do pressuposto que são de natureza coletiva, mesmo que estas sejam decididas e executadas de forma individualizada, elas tem por objetivo, a formação do aluno.

10 Um exemplo disso são as ações dos professores, que embora ocorram de forma individualizada, pois cada um está em sua sala de aula, estas buscam a formação dos alunos, no que se refere aos valores, idéias e conhecimentos dos mesmos, que ao final, serão o objeto de sua formação.

11 Na prática diária, percebemos que, nem sempre as ações educativas, ocorrem de forma ordenada, pois existe a ausência de um planejamento coletivo. Por essa razão, é de grande importância se pensar neste que é um elemento importante na organização do trabalho pedagógico.

12 Aí vem a questão: Como desenvolver um planejamento coletivo na escola, se esta é composta por pessoas com diferentes trajetórias profissionais e pessoais, diferentes expectativas com relação à profissão, níveis de compromisso e de frustrações em relação ao trabalho, além da existência de situações em que há competição entre esses sujeitos?

13 Esse é com certeza um grande desafio!

14 Fica claro, que devemos considerar o coletivo de uma escola, como um ambiente complexo, portanto somente a realização de um planejamento participativo, permite experimentar o desafio de lidar e liderar as diferenças, e a partir daí, se construir uma que aproveite tais diferenças em prol do coletivo.

15 O planejamento em três princípios Conforme afirma Vasconcelos (2006), todos têm oportunidade de se expressar, inclusive aqueles que geralmente não falam, mas que estão acreditando, estão querendo.

16 Planejamento como princípio prático A participação e o envolvimento de todos nas decisões relativas ao planejamento não se reduz as questões de ordem técnica e operacional, mas se constitui na ação que atribui sentido ao trabalho pedagógico, o leva todos os envolvidos a ter compromisso com as opções feitas.

17 Planejar o trabalho pedagógico significa, portanto, repensar a própria prática para que ela se produza de forma coletiva, isto passa, necessariamente, pelo exercício coletivo da reflexão e da proposição de alternativas.

18 Porém, para repensar esse planejamento, deve-se ir além, e pensar em um projeto educativo que compreenda a escola e suas finalidades.

19 Assim, conseguiremos planejar as ações pedagógicas, inclusive, de forma coletiva significa, buscando encontrar unidade na diversidade, isto é, trabalhar, ao mesmo tempo com a identidade e com a diferença.

20 Dando continuidade a tais questões, vamos agora abordar pressupostos para o desenvolvimento do trabalho pedagógico coletivo Vamos lá???

21 Pressupostos para o desenvolvimento do trabalho pedagógico coletivo e suas principais dificuldades Entende-se por trabalho coletivo, aquele que é realizado pelo grupo de pessoas que compõe a escola – diretores, coordenadores, professores, funcionários, alunos, membros do Conselho de Escola e demais representantes da comunidade

22 A realização do trabalho coletivo, não pressupõe somente a existência de profissionais que atuem lado a lado numa mesma Escola, mas exige educadores que tenham princípios e objetivos comuns.

23 Vale ressaltar que... A prática pedagógica atual seja marcada por elementos contraditórios, por pertencerem as diferentes das diferentes tendências da Educação Escolar. Por essa razão, é necessário, assim, que os educadores discutam e reflitam sobre alguns elementos curriculares básicos: educador, professor, aluno, Escola, sociedade, objetivos, conteúdos, métodos de ensino e avaliação.

24 É preciso também haver um certo consenso entre os docentes, pois estes elementos são percebidos de acordo com correntes pedagógicas diferentes como a da escola tradicional, da escola nova, o tecnicismo e as tendências progressistas, pois estas apresentam divergências entre si.

25 Deve-se buscar construção do trabalho coletivo, para que este deixe de ser dado pelo Estado, passe necessariamente, pela cidadania dos educadores escolares. Assim, o coletivo existente no interior das unidades escolares, passa a fazer parte do coletivo do contexto social e vice-versa.

26 Precisamos ressaltar que o trabalho coletivo é fruto de da elaboração de um planejamento, que contribua para a elaboração da Proposta Educacional da Escola, que precisa ser incorporada à ação de cada educador e, bem como, deve estar registrada em um documento, fruto de um processo de planejamento coletivo.

27 Principais dificuldades do trabalho pedagógico coletivo nas escolas Ao se pensar em um trabalho coletivo nas escolas de ensino básico, deve-se levar em consideração alguns elementos que atrapalham, ou até inviabilizam o desenvolvimento dessa proposta atualmente, segundo Pimenta (2005).

28 Vivemos em uma sociedade que valoriza o individualismo das pessoas, pois essa é uma idéia difundida pelo capitalismo vigente. Já que essa conduta é vigente na sociedade, automaticamente também se reflete no ambiente escolar.

29 Percebemos que os cursos de formação para a licenciatura, não realizam suas propostas pedagógicas de forma coletiva, e acabam recebendo uma formação fragmentada, e com pouca visão da totalidade do currículo escolar.

30 A inexistência de um trabalho coletivo articulado entre os órgãos que a Secretaria Estadual de Educação, o que acaba levando a solicitações contraditórias, ou idênticas vindas de órgãos diferentes.

31 Falta de professores nas escolas públicas, ocasionando uma improvisação e alta rotatividade de profissionais nas unidades escolares, o que dificulta a organização administrativa pedagógica;

32 Com isso... Falta de lideranças no ambiente escolar que coordenem o trabalho coletivo, fundamentado na formação de um tipo de cidadão.

33 Planejamento participativo Faltam professores que vivenciem uma proposta curricular interdisciplinar, na qual esta seja uma prática real, não um conceito abstrato, contribuindo assim, para a elaboração de uma proposta pedagógica coletiva e concreta.

34 E também... O grande desestímulo por seguir a profissão do magistério atualmente, e que já vem se manifestando de longa data.

35 Portanto Estes são alguns pontos que merecem uma reflexão por parte de todos os educadores atuais, pois a melhoria em nosso sistema educacional depende também de nossas atitudes diante da profissão.

36 E agora, finalizando... Aprendemos que: A educação, ocorre em um ambiente marcado pela diversidade e heterogeneidade. Cada elemento que participa desse processo, tem uma experiência, uma expectativa, um desejo. É preciso, no entanto, unir essa diversidade em prol de um planejamento coletivo, pois assim poderemos tornar real, a escola democrática e inclusiva que desejamos

37 Como nos diz Paulo Freire As chamadas minorias, por exemplo, precisam reconhecer que, no fundo, elas são a maioria. O caminho para assumir-se como maioria está em trabalhar as semelhanças entre si e não só as diferenças e assim criar a unidade na diversidade, fora da qual não vejo como aperfeiçoar-se e até como construir-se uma democracia substantiva, radical.

38

39 Vamos aos textos complementares????


Carregar ppt "AULA 6 Planejamento Como Princípio Pedagógico do Trabalho Coletivo Prof a. Dr a. Rita Borges."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google