A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Plano de Ação Curricular na Escola Baseado em texto do curso de formação pedagógica em Educação Profissional na Área de Saúde: Enfermagem - PROFAE Maria.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Plano de Ação Curricular na Escola Baseado em texto do curso de formação pedagógica em Educação Profissional na Área de Saúde: Enfermagem - PROFAE Maria."— Transcrição da apresentação:

1 O Plano de Ação Curricular na Escola Baseado em texto do curso de formação pedagógica em Educação Profissional na Área de Saúde: Enfermagem - PROFAE Maria Cristina Abrão Nachif

2 E agora?... E agora?... O que fazer?... O que fazer?... Tudo isso não pode ficar como mera constatação... Tudo isso não pode ficar como mera constatação... Não podemos simplesmente saber que é assim... Não podemos simplesmente saber que é assim... Como trabalhar para que o ensino faça mais do que excluir e contribuir para formar sujeitos submissos, conformados e individualistas? Como trabalhar para que o ensino faça mais do que excluir e contribuir para formar sujeitos submissos, conformados e individualistas? Como contribuir para formar sujeitos capazes de questionar um mundo onde impera a desigualdade, a violência e o deseja de levar vantagem em tudo? Como contribuir para formar sujeitos capazes de questionar um mundo onde impera a desigualdade, a violência e o deseja de levar vantagem em tudo?

3 Se... Se... Já sabemos que: Já sabemos que: Não existe uma proposta curricular milagrosa e salvadora. Não existe uma proposta curricular milagrosa e salvadora. Não é possível considerar que a escola possa ser autônoma, separada do contexto social. Não é possível considerar que a escola possa ser autônoma, separada do contexto social.... Essa consciência não deve gerar imobilismo... Ao contrário deve nos fortalecer, pois não somos mais ingênuos Primeiros Passos Primeiros Passos No planejamento curricular: pensar a escola como local de debates, conflitos No planejamento curricular: pensar a escola como local de debates, conflitos

4 Não pensar o planejamento como uma atividade burocrática, cumprida para atender exigências oficiais, mas como uma atividade dinâmica, de reflexão sobre o que se faz Não pensar o planejamento como uma atividade burocrática, cumprida para atender exigências oficiais, mas como uma atividade dinâmica, de reflexão sobre o que se faz Não planejar sem levar em conta o cotidiano da instituição, as condições de trabalho, as relações estabelecidas... Mesmo que seja para romper com ela Não planejar sem levar em conta o cotidiano da instituição, as condições de trabalho, as relações estabelecidas... Mesmo que seja para romper com ela Entender que não é possível que o plano seja concebido por um pequeno grupo, e os demais meros executores de tarefas pré-definidas Entender que não é possível que o plano seja concebido por um pequeno grupo, e os demais meros executores de tarefas pré-definidas Entender o planejamento em uma perspectiva crítica: a favor da democracia e da cidadania formar pessoas capazes de lutar contra as injustiças e das desigualdades sociais Entender o planejamento em uma perspectiva crítica: a favor da democracia e da cidadania formar pessoas capazes de lutar contra as injustiças e das desigualdades sociais

5 Para tanto, o Plano de Ação Curricular precisa: Para tanto, o Plano de Ação Curricular precisa: ser essencialmente participativo ser essencialmente participativo ter por pressuposto básico o estudo da realidade ter por pressuposto básico o estudo da realidade que as lideranças do processo de planejamento sejam representativas – representem interesses do grupo que as lideranças do processo de planejamento sejam representativas – representem interesses do grupo que os que participam do plano tenham conquistado esse espaço político – ninguém concede a ninguém o direito de participar – a participação é fruto de organização política que os que participam do plano tenham conquistado esse espaço político – ninguém concede a ninguém o direito de participar – a participação é fruto de organização política

6 Devem ser considerados como objetivos de um Plano de Ação Curricular: Devem ser considerados como objetivos de um Plano de Ação Curricular: 1 – Desvelar o currículo oculto da escola – aquilo que é propiciado aos alunos sem estar formalmente planejado – compõe – se de: 1 – Desvelar o currículo oculto da escola – aquilo que é propiciado aos alunos sem estar formalmente planejado – compõe – se de: Rituais e práticas Rituais e práticas Relações hierárquicas na instituição Relações hierárquicas na instituição Regras e procedimentos a serem cumpridos Regras e procedimentos a serem cumpridos Características físicas do ambiente escolar Características físicas do ambiente escolar Formas de organização dos grupos Formas de organização dos grupos Mensagens implícitas – de professores e livros didáticos Mensagens implícitas – de professores e livros didáticos

7 2 – Diferenciar um conhecimento de caráter meramente técnico e instrumental de outro voltado para reflexão e análise - ambos se complementam - base filosófica que proporciona questionar o propósito do conhecimento 3 – Desenvolver nos alunos a consciência crítica e política As pessoas precisam ser formadas para pensar além de suas vidas particulares cotidianas – precisam estar aptas a atuarem ativamente na transformação da sociedade – em defesa da democracia e da justiça social Esses são os macroobjetivos do Plano que devem ser articulados com os microobjetivos Desenvolvimento de habilidades

8 Princípios gerais para um (bom) Plano de Ação Curricular: Princípios gerais para um (bom) Plano de Ação Curricular: 1 – Analisar o cenário político, social, econômico e cultural do país, da região e da comunidade na qual a escola se inscreve 1 – Analisar o cenário político, social, econômico e cultural do país, da região e da comunidade na qual a escola se inscreve Para organizar um plano de ação curricular, é preciso compreender a sociedade na qual vivemos, a quem ela favorece, por que ela se estrutura da forma como se estrutura Para organizar um plano de ação curricular, é preciso compreender a sociedade na qual vivemos, a quem ela favorece, por que ela se estrutura da forma como se estrutura Igual importância tem conhecer os alunos e suas famílias, como vivem, onde moram, quais seus problemas Igual importância tem conhecer os alunos e suas famílias, como vivem, onde moram, quais seus problemas 2 – Repensar as concepções de cultura, conhecimento/saber, cotidiano e ciência Deve estar claro para todos os envolvidos com o Plano o que significam esses conceitos, e as concepções a serem formadas nos alunos Deve estar claro para todos os envolvidos com o Plano o que significam esses conceitos, e as concepções a serem formadas nos alunos

9 3 – Definir as finalidades educacionais 3 – Definir as finalidades educacionais Refletir por que, e para que ensinamos – essa é a base que estrutura o Plano Refletir por que, e para que ensinamos – essa é a base que estrutura o Plano 4 – Pensar com base em uma perspectiva pluralista de cultura Isso não significa dizer que qualquer coisa deva ser ensinada, mas sim que são várias as possibilidades e que estas devem ser analisadas antes que se faça as escolhas Isso não significa dizer que qualquer coisa deva ser ensinada, mas sim que são várias as possibilidades e que estas devem ser analisadas antes que se faça as escolhas 5 – Entender que o currículo é uma construção histórica, fruto de uma seleção condicionada por múltiplas questões sociais, internas e externas à escola O que significa que o currículo deve ser constantemente avaliado e modificado O que significa que o currículo deve ser constantemente avaliado e modificado

10 6 – Debater a relevância dos conteúdos ensinados 6 – Debater a relevância dos conteúdos ensinados Lembrar que a relevância não é consensual, nem todos tem a mesma idéia do que são conteúdos relevantes Lembrar que a relevância não é consensual, nem todos tem a mesma idéia do que são conteúdos relevantes Exemplo: 1. São relevantes os conteúdos que permitem atuação profissional tecnicamente correta Exemplo: 1. São relevantes os conteúdos que permitem atuação profissional tecnicamente correta 2. São relevantes os conteúdos que permitem atuação ética e política 2. São relevantes os conteúdos que permitem atuação ética e política Provavelmente, quando o debate é estabelecido os conteúdos se complementam Provavelmente, quando o debate é estabelecido os conteúdos se complementam 7 – Os conteúdos devem ser selecionados e organizados de modo a contribuírem com o fortalecimento e autonomia de grupos que estejam submetidos a qualquer forma de exploração, opressão e discriminação Não é possível pensar apenas em conteúdos técnicos sobre como fazer Não é possível pensar apenas em conteúdos técnicos sobre como fazer Incluir conteúdos denominados antimarginalização – não devem ser tratados de maneira isolada, turisticamente Incluir conteúdos denominados antimarginalização – não devem ser tratados de maneira isolada, turisticamente

11 8 – Considerar que por meio de atividades curriculares são adquiridos conhecimentos, habilidades, consciência, disposição e sensibilidades 8 – Considerar que por meio de atividades curriculares são adquiridos conhecimentos, habilidades, consciência, disposição e sensibilidades Por isso é importante refletir sobre a identidade pessoal e coletiva que se deseja formar Por isso é importante refletir sobre a identidade pessoal e coletiva que se deseja formar 9 – É preciso pensar em estruturar a organização do conhecimento, visando a maior integração possível entre os saberes 10 – Buscar distribuição igualitária de conhecimento para diferentes classes sociais, gênero, etnias, alunos provenientes de diferentes locais de moradia e com diferentes valores Desconstruir práticas pedagógicas discriminadoras (dentro e fora da sala de aula) Desconstruir práticas pedagógicas discriminadoras (dentro e fora da sala de aula) Questões do gênero e etnia devem ser consideradas Questões do gênero e etnia devem ser consideradas Vigilância constante a visões preconceituosas Vigilância constante a visões preconceituosas Estimular debate sobre essas questões – discutir como são estabelecidos preconceitos em função da sexualidade das pessoas, como são tratados negros, brancos, ricos, pobres? Estimular debate sobre essas questões – discutir como são estabelecidos preconceitos em função da sexualidade das pessoas, como são tratados negros, brancos, ricos, pobres?

12 11 – O processo de construção curricular envolve, também, a transformação dos diferentes saberes sociais em saberes escolares 11 – O processo de construção curricular envolve, também, a transformação dos diferentes saberes sociais em saberes escolares Não considerar que o saber escolar deve ser apenas o saber científico Não considerar que o saber escolar deve ser apenas o saber científico 12 – É elemento estruturante desse processo a forma como a escola organiza o tempo e o espaço escolar. Mudanças curriculares implicam mudanças na divisão do tempo e do espaço, segundo os objetivos que se pretende alcançar A organização do tempo e do espaço estão facilitando ou cerceando processos pedagógicos? Estimulando ou não a integração e o debate? A organização do tempo e do espaço estão facilitando ou cerceando processos pedagógicos? Estimulando ou não a integração e o debate?


Carregar ppt "O Plano de Ação Curricular na Escola Baseado em texto do curso de formação pedagógica em Educação Profissional na Área de Saúde: Enfermagem - PROFAE Maria."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google