A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Brasília, 31 de janeiro a 2 de fevereiro de 2011 Salomão Quadros IBRE/FGV.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Brasília, 31 de janeiro a 2 de fevereiro de 2011 Salomão Quadros IBRE/FGV."— Transcrição da apresentação:

1 Brasília, 31 de janeiro a 2 de fevereiro de 2011 Salomão Quadros IBRE/FGV

2 Sumário O artigo tem como objetivo a comparação analítica entre as fórmulas de cálculo de IPCs de Könus – Byushgens (BK), utilizada pela FIPE, e Laspeyres (L), utilizada pelo BLS (e por quase todos os institutos de estatística do mundo). Faz também um cálculo comparativo com dados da FIPE (mas poucas explorações a respeito).

3 Sumário O autor dedica aproximadamente 2/3 do texto a uma revisão abrangente da teoria dos números índices. Aborda (com detalhamento variável) os três enfoques consagrados: Axiomático – conjunto de axiomas (os desejáveis e os necessários) para a validação de uma fórmula de cálculo. Impossibilidade de atendimento a todos os axiomas. Índices superlativos. Estocástico - Se os relativos de preço possuem uma distribuição aleatória, um índice de inflação é uma medida de tendência central e pode ser estimada através de métodos estatísticos. Econômico - preços e quantidades não são independentes. A quantidade dos bens consumidos é a solução de um problema de maximização de utilidade por parte dos consumidores. Könus (1924) mostra que para cada forma da função utilidade existe um índice exato, isto é, a compensação mínima necessária para o consumidor atingir o mesmo nível de utilidade do período anterior. Se a função utilidade do consumidor é Leontieff, a fórmula a ser utilizada é a de Laspeyres (L). Se a função utilidade for Cobb-Douglas o índice é o de Könus-Byushgens (KB).

4 Sumário No 1/3 restante do texto o autor especifica e estima modelos de IPCs baseados em L e KB com microdados da FIPE (jan00 a nov10). Conclui que no período mencionado, L = 95,31% e KB = 85,76%. A variação anual de KB é em média 0,46% inferior à de L. A divergência está associada à dispersão de preços relativos.

5 IPC- FIPE/IPC - RJ Fontes: Fipe e FGV

6 BK/L (preços Fipe) Fonte: Carmo

7 Observações Qual é a função utilidade do população objetivo? Por que (L-IS) > (IS-KB)? Superestimar ou subestimar: o que é pior? CPI-UC-CPI-U 20003,42, ,61, ,42, ,91, ,33, ,42, ,52, ,13, ,10, ,73, ,5 1,4 Fonte: BLS

8 Observações Pesquisa histórica: Por que a FIPE decidiu em 1973 usar BK? De que maneira a fórmula BK pode ampliar o campo de observação do BC no monitoramento da inflação?


Carregar ppt "Brasília, 31 de janeiro a 2 de fevereiro de 2011 Salomão Quadros IBRE/FGV."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google