A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO JANEIRO 2014 ROBERTO RODRIGUES ARRAES Controlador Geral do Município GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO JANEIRO 2014 ROBERTO RODRIGUES ARRAES Controlador Geral do Município GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS."— Transcrição da apresentação:

1 CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO JANEIRO 2014 ROBERTO RODRIGUES ARRAES Controlador Geral do Município GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS

2 MANUTENÇÃO DA REGULARIDADE JURÍDICA, FISCAL, ECONÔMICO-FINANCEIRA E ADMINISTRATIVA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL Abordagem do Decreto Municipal nº , de 05 de maio de 2013

3 Regularidade Fiscal, Econômica, Financeira e Administrativa MONITORAMENTO Receita Federal/ PGFN DCTF IRPJ DIRF CND DÍVIDA ATIVA RFB PREVIDÊNCIA Controle divergências: GPS GFIP CND INSS CAIXA ECONÔMICA FEDERAL FGTSCRF FGTS SICONV/ SIAFI PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CONVÊNIOS ACOMPANHAR SITUAÇÃO NO SICONV CADIN Pendências de obrigação pecuniária ACOMPANHAR SITUAÇÃO DO CADIN Objetivo – manter a regularidade evitando inscrições no CAUC

4 Manutenção da Regularidade O Titular do Órgão ou Entidade do poder executivo municipal deverá manter atualizadas as provas de regularidade jurídica, fiscal, econômico-financeiras e administrativa, bem como atender a todas as exigências previstas no Sistema Auxiliar para Transferências Voluntárias (CAUC) do Governo Federal. Decreto Municipal nº , de 05 de maio de 2013 Art. 1º caput

5 I ) Aos Órgãos e Entidades da Administração Direta; II ) Às Entidades da Administração Indireta, inclusive aos fundos; III ) Às empresas municipais públicas que não recebem recursos financeiros do tesouro municipal para pagamento de despesas com pessoal, de custeio em geral ou de capital, nos termos do artigo 2º da Lei Complementar nº 101/2000, independente de estarem ou não arroladas no CAUC, no cadastro municipal, ou de não receberem transferências voluntárias. Manutenção da Regularidade A quem se aplica? Decreto Municipal nº , de 05 de maio de 2013 Art. 1º parágrafo único

6 Regularidade Jurídica É a permanente atualização da inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica. Atualização Cadastral do Órgão ou Entidade CNPJNOME ENDEREÇO AUTORIDADE LEGAL RESPONSÁVEL Decreto Municipal nº /2013, Art. 2

7 A CGM fica autorizada a editar, por meio de recomendação e/ou orientação técnica, procedimentos básicos de controle interno a serem implantados no âmbito dos Órgãos ou das Entidades, com o objetivo de manter a regularidade administrativa. Regularidade Administrativa Decreto Municipal nº de 05 de maio de 2013 Art. 1º parágrafo único Decreto Municipal nº /2012, Art. 4º no §1º.

8 Responsável pelo acompanhamento da regularidade Designar um responsável para responder pela manutenção da atualização da regularidade Titular do Órgão ou Entidade Verificar e acompanhar a validade dos documentos ou restrições no CAUC e cadastros municipais Promover as atualizações e regularizações que se fizerem necessárias Responsável designado Decreto Municipal nº de 05 de maio de 2013 Art. 6º parágrafo único

9 Procedimentos para Manutenção da Regularidade 1. Solicitação de nova certidão ou certificado (emissão com 30 dias de antecedência em relação ao termo final) CERTIDÃO CRF-FGTS CND contribuições previdenciárias e de terceiros CND tributos federais e divida ativa da União VALIDADE 30 dias 180 dias RENOVAÇÃO Últimos 10 dias de validade Últimos 90 dias de validade

10 Procedimentos para Manutenção da Regularidade 2. Verificação diária ao CAUC

11 Procedimentos para Manutenção da Regularidade 3. Medidas Administrativas ou Judiciais Assessoria Jurídica Relação atualizada de todos os processos que possam influir na regularidade fiscal do respectivo Órgão ou Entidade, além do estágio atual e o valor estimado de cada ação. Titular do Órgão ou Entidade Esgotadas as instâncias judiciais e decidindo-se pela procedência do débito, o Titular do Órgão ou Entidade deverá tomar as medidas administrativas para seu pagamento ou parcelamento. Programação Orçamentária e financeira Caso o débito não esteja contemplado na programação orçamentária e financeira do Órgão ou Entidade, deverá ser pleiteada a respectiva inclusão junto à Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG) e ao Conselho de Política Financeira Decreto Municipal nº , de 05 de maio de 2013 Art. 8º, §§ 1º, 2 e 3.

12 Controle dos Cadastros Extinção de Órgão ou Entidade Caberá ao sucessor das respectivas competências, ex officio, até o 5º (quinto) dia útil do segundo mês subsequente à ocorrência, adotar as providências necessárias à efetivação da baixa nos seguintes Órgãos ou Entidades: CNPJ e INSS Receita Federal do Brasil - RFBCaixa Econômica Federal - CEF Localização da sede do Órgão ou Entidade extinto Município Decreto Municipal nº , de 05 de maio de 2013 Art. 16 caput

13 O descumprimento dos preceitos do presente Decreto sujeita o Servidor ou Funcionário responsável pela regularização, na esfera de suas atribuições, e, solidariamente, os titulares dos Órgãos e Entidades, à responsabilidade administrativa e civil, nos termos do Estatuto dos Servidores Públicos do Município aprovado pela Lei nº de julho de 1985 e alterações. Das sanções: Decreto Municipal nº , de 05 de maio de 2013 Art. 11.

14 Fluxo da notificação de pendências (registro no CAUC) Compete à CGM, por meio da Chefia de Regularidade Fiscal e Administrativa – SRF, da Gerência de Orientação, Normas e Procedimentos – GONP, enquanto órgão fiscalizador, a verificação diária ao CAUC: CAUC Inclusão do Órgão e Entidade CGM Notificar o Titular do Órgão ou Entidade Titular do Órgão ou Entidade Prazo de 3 dias para regularizar as pendências Prazo expirado Titular não regularizou as pendências ou restrições Funcionário ou Servidor e Titular Responderão a Processo Administrativo Disciplinar PAD CGM Notificará o Órgão ou Entidade solicitando abertura de PAD CGM Comunicará o fato ao Conselho de Política Financeira Decreto Municipal nº Art. 10, caput e §§ 1º e 2º, Art. 11 Lei Municipal nº Art. 190

15 Sistema de acompanhamento de Regularidade Web Regularidade Gerenciado pela CGM e disponibilizado aos gestores mediante cadastramento e uso de senha pessoal. Decreto Municipal nº , de 05 de maio de 2013

16 Para maiores informações e esclarecimentos: Gerência de Orientação, Normas e Procedimentos – GONP Telefone: (81) Setor de Regularidade Fiscal e Administrativa - SRF Telefone: (81)


Carregar ppt "CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO JANEIRO 2014 ROBERTO RODRIGUES ARRAES Controlador Geral do Município GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google