A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1° ENCONTRO MULTIDISCIPLINAR DO CENTRO DE TERAPIA ONCOLÓGICA DE PETRÓPOLIS ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO MARCIA A. COSTA DE SOUZA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1° ENCONTRO MULTIDISCIPLINAR DO CENTRO DE TERAPIA ONCOLÓGICA DE PETRÓPOLIS ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO MARCIA A. COSTA DE SOUZA."— Transcrição da apresentação:

1 1° ENCONTRO MULTIDISCIPLINAR DO CENTRO DE TERAPIA ONCOLÓGICA DE PETRÓPOLIS ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO MARCIA A. COSTA DE SOUZA Fonoaudióloga/CTO Petrópolis Setembro / 2007

2 ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO Petrópolis Setembro / 2007 A contribuição da Fonoaudiologia é recente dentro da Oncologia e vem crescendo gradativamente de maneira significante. A primordial função do Fonoaudiólogo dentro da clínica de cabeça e pescoço é encontrar meios de minimizar as seqüelas relacionada à patologia ou seu tratamento que venham a interferir na comunicação oral e deglutição, para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

3 ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO Petrópolis Setembro / 2007 PRINCIPAIS SEQUELAS PÓS-RADIOTERAPIA Disfunções da ATM. Fibrose tecidual. Distúrbios de deglutição (disfagia). Xerostomia. Odinofagia. PRINCIPAIS SEQUELAS PÓS-CIRÚRGICAS Glossectomias parciais. Laringectomias. Ressecção mandibular, maxilar, retromolar, palato mole, boca, orofaringe e nasofaringe. Paralisias ou paresias laríngeas.

4 Petrópolis Setembro / 2007 ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO ÁREAS DE ATUAÇÃO Seqüelas cirúrgicas e radioterapêuticas que interfiram na voz, fala e deglutição. VOZ Som produzido pela vibração das pregas vocais na laringe durante a expiração. FALA Processo no qual as estruturas da boca são movidas e modeladas para produzir configurações especificas, gerando assim padrões acústicos da onda sonora, que são a base da linguagem oral. DEGLUTIÇÃO Passagem do alimento da boca ao estomago caracterizada pelas fases preparatórias, oral, faríngea e esofágica.

5 ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO Petrópolis Setembro / 2007 AVALIAÇÃO Funções neurovegetativas. Produção fonêmica. Percepção auditiva. Possibilidade ou qualidade vocal. Qualidade vocal e ressonância. Sensibilidade. Tonicidade e mobilidade dos órgãos fonoarticulatórios. Alterações de forma, massa e posição. Presença ou não de reconstrução. Presença, tipo e retração cicatricial. Sucção. Observação de exames complementares: radiológicos, videofluroscopia, nasovibroscopia, cintilografia da deglutição.

6 REABILITAÇÃO DA VOZ Exercícios respiratórios com emissão de fonemas fricativos surdos. Relaxamento muscular. Alongamentos (laríngeos, faríngeos). Próteses fonatórias (traqueoesofagiana e laringe eletrônica). Treinamento da voz esofágica ou por presença de fístula traqueoesofagiana através da conservação da cartilagem aritenóide. ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO Petrópolis Setembro / 2007

7 ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO Petrópolis Setembro / 2007 REABILITAÇÃO DA FALA Sensibilização com objetos de diferentes texturas. Exercícios de tonicidade dos órgãos fonoarticulatórios. Uso de vogais sustentadas, silabas, palavras, sentenças e textos. Inteligibilidade da fala.

8 ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO Petrópolis Setembro / 2007 REABILITAÇÃO DA DEGLUTIÇÃO (DISFAGIAS) Sensibilização oral com objetos de diferentes texturas. Controle motor oral com exercícios isométrico, isotônicos e isocinéticos.. Estimulação do início da deglutição oral e faríngea. Exercícios de tonicidade, precisão e funcionalidade dos órgãos fonoarticulatórios. Estimulação das vias aferentes para eliciação de um reflexo eficaz. Manobras posturais.

9 No diagnóstico e tratamento do câncer de cabeça e pescoço é de fundamental importância uma equipe multidisciplinar atuando em conjunto, incluindo os familiares e o paciente, que devem participar das decisões sobre seu tratamento. Os profissionais, atuando em suas áreas específicas, podem contribuir no tratamento e levar ao paciente maior acolhimento e qualidade de vida. Os profissionais mais envolvidos são: Cirurgião de cabeça e pescoço, Radioterapeuta, Oncologista, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Enfermeiro, Nutricionista, Clínico Geral, Cirurgião Dentista, Patologista, Cirurgião Plástico, Radiologista, Anestesiologista, Clínico da Dor, Assistente Social. (Cervantes, Abraão e Lacerda, 2005). ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO Petrópolis Setembro / 2007

10 BIBLIOGRAFIA ARAUJO, V. J. F. Patologias cirúrgicas das glândulas salivares. In:___ ARAUJO, V. J. F.; BRANDÃO, G. L.; FERRAZ, A. R. Manual do residente de cirurgia de cabeça e pescoço. São Paulo: Keila e Rosenfeld, p ANGELIS, C. E. et al. A atuação da fonoaudiologia no câncer de cabeça e pescoço. São Paulo: Lovise, p Petrópolis Setembro / 2007


Carregar ppt "1° ENCONTRO MULTIDISCIPLINAR DO CENTRO DE TERAPIA ONCOLÓGICA DE PETRÓPOLIS ATUAÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA NO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO MARCIA A. COSTA DE SOUZA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google