A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Programa de Educação Continuada do Serviço de Neurologia do Hospital São Lucas da PUCRS Ligia Motta Fonoaudiologia- HSLPUCRS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Programa de Educação Continuada do Serviço de Neurologia do Hospital São Lucas da PUCRS Ligia Motta Fonoaudiologia- HSLPUCRS."— Transcrição da apresentação:

1 Programa de Educação Continuada do Serviço de Neurologia do Hospital São Lucas da PUCRS Ligia Motta Fonoaudiologia- HSLPUCRS

2 Acidentes Vasculares Encefálicos Reabilitação Fonoaudiológica Fga.MS.Ligia Motta Unidade de Fonoaudiologia da PUCRS Centro de Reabilitação da PUCRS

3 Acidentes Vasculares Encefálicos Distúrbios de linguagem Fala Deglutição

4 Linguagem É uma das bases do intelecto humano e tem papel importantíssimo na formulação do pensamento e na forma como imprimos significado ao mundo que nos rodeia (Mac-Kay,2005).

5 Linguagem Constitui parte dos mecanismos de raciocínio, solução de problemas e estruturação de crenças, além de possibilitar uma das maneiras mais eficazes de comunicação entre os homens (Mac-kay, 2005).

6 Linguagem Processadores de linguagem ativam as representações lingüísticas para as modalidades oral e escrita Palavras selecionadas de acordo com o tema e interlocutor

7 Linguagem Organização em seqüência gramatical aplicada a uma curva melódica Movimentos de laringe e órgãos fonoarticulatórios Três palavras por segundo

8 Linguagem O sistema cerebral da linguagem trabalha relacionado com outros sistemas cognitivos e motores Áreas específicas no cérebro relacionadas a linguagem (Caplan,2003).

9 Lesão Cerebral Focal Distúrbios de linguagem > Afasia Distúrbios motores da fala> Dispraxia e Disartria

10 Acidentes Vasculares Encefálicos Afasia- Disfasia Distúrbio que afeta todos os aspectos da linguagem (compreensão e expressão) Sintoma complexo relacionado a uma desordem neurofisiológica que envolve os mecanismos cerebrais (Mac-Kay, 2005).

11 Distúrbio de Linguagem Modificações no comportamento esferas intelectuais Atitudes e personalidade

12 Afasia Os distúrbios afásicos não são relativos somente à localização, extensão e severidade da lesão (hábitos, experiências, educação e inteligência).

13 Afasia Perda total da linguagem Redução da fala intencional/fala automática (tudo bem, ai meu Deus) Dificuldade de iniciar a fonação/diálogo

14 Afasia Jargonofasia Disprosódia/comprometimento da mensagem Substituições fonêmicas/alteração articulatória e fonológica Anomia Parafasia

15 Afasia Estereotipias/ fala sem conteúdo comunicativo Linguagem perseverativa Redução sintática Dificuldade de compreender significado, interpretar e perceber reversibilidade Distúrbios pragmáticos e discursivos/situações dialógicas/narração

16 Produção e compreensão de linguagem Estado emocional Fadiga dificuldades de memória Medicação Qualidade dos desvios de atenção Presença de estados de agitação/ depressão e saúde geral (Woods,2003).

17 Avaliação da Afasias Anamnese/entrevista Avaliação Diagnóstico diferencial Linguagem e fala Planejamento terapêutico

18 Avaliação das Afasias Testes e protocolos de avaliação Teste de afasia de Schuell Teste de Boston Protocolo de avaliação motora oral Protocolo de avaliação motora da fala

19 Teste de repetição Nomeação Leitura Relato de estória ou texto descritivo de figura Conversa espontânea Testes e protocolos de avaliação

20 Terapia fonoaudiológica Observações profissionais e os dados de comunicação do paciente Dados do interesse da vida do paciente

21 Rotina e hábitos Preferências de lazer Tipo de trabalho Qualidade de comunicação

22 Tratamento Fonoaudiológico Interesses, áreas de motivação e estratégias – comunicativas e lingüisticas Delineamento e estratégias terapêuticas direcionadas a englobar aspectos do universo do paciente

23 Distúrbios motores da Fala As desordens motoras da fala afetam o componente motor da linguagem oral- Fala

24 Distúrbios Motores da Fala Disartrias Dispraxias-Apraxia

25 Disartrias Dispraxias

26 Apraxia (Dispraxias).Ausência de organização da sequência dos movimentos/ origem neurogênica.Desorganzação da sequência desses movimentos. Redução do inventário dos sons da fala. Disprosódia (diminuição da velocidadeda fala/prolongamentos e pausa)

27 Tratamento Fonoaudiológico Depende da gravidade inicial do quadro Compensação: recursos de fala Atividades Planejadas: articulações mais simples mais complexas monitoramento intervenção precoce motivação (Darley et al_2002)

28 Apraxia x Dispraxias Tratamento Fonoaudiológico: Estratégias repetitivas e intensivas Planejamento das tarefas seguido grau de complexidade Monitorar a própria fala Terapia mais concentrada nas palavras usadas no dia-a-dia

29 Apraxia Verbal -sequência dos movimentos musculares para a fala Apraxia Orofacial *Exercícios seqüencializado envolvendo as estruturas dos órgãos fonoarticulatórios

30 Disartria Desordem da fala Distúrbio no controle muscular dos mecanismos da fala Lesão no Sistema Nervoso Central ou Periférico Paralisia, incoordenação ou fraqueza da musculatura da fala

31 Disartria Características observadas: Imprecisão na articulação das consoantes Monoaltura Monointensidade Velocidade lenta da fala

32 Disartria x Disartrofonia Articulação Respiração Fonação Ressonância Articulação Prosódia

33 Tratamento Fonoaudiológico Etiologia da Disartria

34 DISARTRIA O que pode influenciar no tratamento Estado neurológico e história Idade Presença e ajustes automáticos Tratamento multidisciplinar Personalidade do Sujeito Sistema de suporte – familiares, amigos

35 Tratatamento Fonoaudiológico (Netsell, R.; Daniel,B.-2004) Músculos e estruturas da respiração Laringe/Fonação Véu Palatino/Ressonância Base de língua Ponta de língua Lábios Mandíbula/Articulação

36 Tratatamento Fonoaudiológico Respiração Fonação Ressonância – hipo e hipernasalidade Articulação (Percepção auditiva) Prosódia (Ativa e Intensidade)

37 ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO Distúrbios de Deglutição Disfagia

38 Avaliação Clínica da Deglutição Exame Nasofibrolaringoscopia Exame de Videofluoroscopia

39 DISFAGIA Fase Oral Fase Faríngea Fase Esofágica

40 DISFAGIA Leve Moderada Intensa Tratamento Fonoaudiológico Terapia Indireta da Deglutição Terapia Direta da Deglutição

41 Estimar a voz e linguagem significa buscar o equilíbrio com a natureza humana, ao mesmo ponto em que a descoberta de um padrão mais adequado de comunicação reintegra o indivíduo ao seu auto-conceito e à sua auto-estima". (Ligia Motta, 2000)

42 Obrigada pela atenção! Profa. Lígia Motta Fone: (51) (51)


Carregar ppt "Programa de Educação Continuada do Serviço de Neurologia do Hospital São Lucas da PUCRS Ligia Motta Fonoaudiologia- HSLPUCRS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google