A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Garantia Mútua Instrumentos de apoio às Empresas Engenharia Financeira 26 de junho de 2013 | Auditório da CAP, Lisboa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Garantia Mútua Instrumentos de apoio às Empresas Engenharia Financeira 26 de junho de 2013 | Auditório da CAP, Lisboa."— Transcrição da apresentação:

1 1 Garantia Mútua Instrumentos de apoio às Empresas Engenharia Financeira 26 de junho de 2013 | Auditório da CAP, Lisboa

2 2 Missão / Principais Características Segmentos de actuação Linhas de Oferta e Atividade Apresentação Argumentário / Vantagens Casos Práticos

3 3 Missão / Principais Características

4 4 Garantia Mútua Missão Apoiar o correto financiamento das PME: dimensão Reduzindo constrangimentos de dimensão colaterais Reduzindo a importância de colaterais melhores taxas de juro Conseguindo melhores taxas de juro

5 5 Garantia Mútua Principais Características vocacionado para Pequenas e Médias Empresas A Garantia Mútua é um produto vocacionado para Pequenas e Médias Empresas (PME) disponibilizado por Sociedades de Garantia Mútua; prestação de garantias Traduz-se na prestação de garantias que asseguram o bom cumprimento das obrigações assumidas por parte das PME perante terceiros; dívida Atua sobre a componente de dívida (capital alheio financeiro) da estrutura de financiamento das PME; É um instrumento com capacidade para influenciar positivamente o mercado de crédito em dois vetores principais: acesso ao crédito Promove o acesso ao crédito, nomeadamente em falhas de mercado; Melhora as condições de financiamento Melhora as condições de financiamento (preço, prazo e reembolso).

6 6 Garantia Mútua Principais Características Instituições de Crédito As SGM são Instituições de Crédito (supervisão BdP); garantias autónomasà primeira solicitação Prestam garantias autónomas on first demand (à primeira solicitação); PME Facilitam o acesso das PME ao crédito; Promovem a obtenção de melhores condições de financiamento: Acesso a crédito (prazo, contra garantia) Custos económicos melhores (TAE) Reduzem a necessidade de prestação de garantias reais (da empresa) e pessoais (dos sócios / acionistas); viabilidade Apoiam empresas com viabilidade (escrutínio com base na valia dos projetos);

7 7 Garantia Mútua Principais Características Garantem em regra 50% dos financiamentos, podendo ascender a 75% em operações de MLP (prazo igual ou superior a 3 anos). Desenquadram o risco dos plafonds de crédito, alavancando o envolvimento; 750 mil. Garantia máxima por Empresa ou Grupo de Empresas dos sectores de Agricultura e Pecuária de 750 mil. 1,25 Milhões, podendo ascender a 2,5 Milhões em operações PME Crescimento por sindicação entre SGM; Garantia máxima por Empresa ou Grupo de Empresas nos outros sectores de Atividade de 1,25 Milhões, podendo ascender a 2,5 Milhões em operações PME Crescimento por sindicação entre SGM; 2% As empresas têm de adquirir uma participação mutualista (ações da SGM no valor de 2% da garantia prestada).

8 8 Garantia Mútua Principais Características

9 9 Segmentos de Actuação

10 10 Garantias a Empréstimos Financiamentos bancários e leasing Destinatários: Empresas ou ENI Com 2 anos de atividade completa Novos financiamentos para investimento ou apoio à atividade Limites de intervenção: Exposição máxima 1.25 M CAE enquadráveis Situação regular Fisco e S. Social

11 11 A) Financiamentos de Médio e Longo Prazo 1) Financiamentos bancários Finalidades: Investimento Internacionalização Fundo de maneio Consolidação de passivo Vantagens: Melhoria de custos Substituto de garantias Prazos adequados à finalidade Garantia Máxima: 750 mil por SGM

12 12 2) Leasings Mobiliário e Imobiliário Finalidades: Instalações Equipamentos Vantagens: Melhoria de condições Alavancagem de financiamento Melhoria de relação financiamento/avaliação Garantia Máxima: 500 mil por SGM A) Financiamentos de Médio e Longo Prazo

13 13 B) Financiamentos de Curto Prazo Finalidades: Apoio de tesouraria Intercalar de incentivos CDI Plafonds desconto de cheques Vantagens: Melhoria de condições Alavancagem de financiamento (aumento de plafond) Garantia Máxima: 500 mil por SGM

14 14 Linhas de Oferta e Atividade (Enquadramento e CAE`s, ProDer, PME Crescimento )

15 15 Empresas Enquadráveis - AGROGARANTE Sectores: agricultura, pecuária, agro-indústria, comércio por grosso de produtos agrícolas e florestas e outros consignados nos protocolos com Entidade Dotadora do FCGM. Dimensão: ser PME ! Definição comunitária de PME *: Nº trabalhadores: < 250 Volume de negócios: < ou Balanço: < * Incluindo microempresas e empresários em nome individual (ENI).

16 16 Sectores elegíveis - AGROGARANTE (consultar CAE – Rev.3) -Agricultura, produção animal, caça, silvicultura e florestas (CAE`s a 02400) -Indústrias transformadoras (agro-indústria) (CAE`s entre e 16295, com respetivas observações) -Comércio por grosso de produtos agrícolas (CAE`s entre e 46731, com respetivas observações) -Serviços prestados às empresas (CAE`s e 74900, com respetivas observações) -Outros sectores, desde que enquadrados pelo FCGM

17 17 Apoios a Projetos no âmbito do ProDer e atividade corrente Formas de apoio: Apoios ao Investimento em MLP; Apoios de CP para antecipação dos subsídios (crédito intercalar); Reforço de fundo de maneio; Prestação de garantias para recebimento dos subsídios; Prestação de garantias para reembolso de IVA.

18 18 Apoios a Projetos no âmbito do ProDer Como? Assegurando as fontes de financiamento necessárias para a conclusão do Projeto Apoios ao Investimento em MLP Prazos adequados com o retorno do Projeto, podendo o prazo ser superior a 7 anos. Apoios de CP para: antecipação dos subsídios (INR) em prazos até 2 anos sob a forma de crédito de curto prazo ou Conta Corrente não mobilizável, a amortizar/liquidar com o recebimento das INR (crédito intercalar); Reforço de fundo de maneio (Livrança; CCC, etc.) Garantias para adiantamento dos INR.

19 19 PME Crescimento 2013 As operações de CAE`s elegíveis para enquadramento na Agrogarante estão identificados no protocolo: - Agricultura - Produção animal - Caça - Floresta - Indústrias extrativas - Agro-indústria - Comércio por Grosso de Produtos Agrícolas - Pesca, Preparação, Congelação, Conservação e Salga de Produtos da Pesca e Aquicultura

20 20 Documentação necessária para análise de operação * Formulário de Solicitação da Garantia para Empresa ou ENI * Ficha de Informações Individuais (sócios / acionistas / avalistas) e IRS * Cópias dos Bilhetes de Identidade e Cartões de Contribuinte * Balanços, Demonstração de Resultados e Anexos dos últimos 3 anos (mod. IES) * Balancete Analítico mais recente e do ano anterior (= mês) * Breve Historial da Empresa e Licenciamento da Atividade * Projeto de Investimento (ex: ProDer), ou Plano de Negócios * Cópia da Certidão do Registo Comercial * Declaração das Finanças e Segurança Social

21 21 Atividade - Agrogarante A

22 22 Atividade - Agrogarante Dotação FCGM: 12M Montante Contragarantido; 59M Montante de Garantias Prestadas: 82M Financiamentos Apoiados: 114M

23 23 Atividade - Agrogarante A ConcretizaçõesMontante GarantiaN.º Garantia Linhas Especiais , IEFP ,75 14 Linhas Crédito ,00 6 Protocolo Geral , Protocolo Linha AGRO , Total ,

24 24 Argumentário / Vantagens

25 25 Argumentário Descontamos parte do risco que assumimos num Fundo de Contra Garantia Mútuo (FCGM) dotado pelo Estado Descontamos parte do risco que assumimos num Fundo de Contra Garantia Mútuo (FCGM) dotado pelo Estado, o que assegura a sustentabilidade financeira do Sistema no longo prazo, com rácios de alavancagem de capitais próprios sustentáveis, superiores à maior parte dos Bancos a atuar em Portugal; Conseguimos ser competitivos pelo nosso cariz mutualista Conseguimos ser competitivos pelo nosso cariz mutualista, temos como missão permitir aos nossos mutualistas o acesso ao crédito em cada vez melhores condições, e não o lucro; Somos uma instituição de crédito regulada pelo Banco de Portugal Somos uma instituição de crédito regulada pelo Banco de Portugal, em igualdade de circunstâncias com qualquer Banco, entre as normas a cumprir asseguramos sigilo no acesso a elementos económico financeiros das empresas.

26 26 Argumentário A nossa intervenção reduz constrangimentos de dimensão A nossa intervenção reduz constrangimentos de dimensão no acesso a crédito, adequando montantes de crédito, respetivo prazo e preço às necessidades da empresa associadas ao seu ciclo de exploração ou de investimentos; Atuamos sobre a componente dedívida Atuamos sobre a componente de dívida (capital alheio financeiro) da estrutura de financiamento das PME, numa perspetiva de adequação das suas fontes financiamento ao ciclo de exploração e ativos detidos, estruturando o balanço das empresas, e destas forma melhorando a sua perceção de risco para o sistema financeiro; Garantimos a maioria dos diferentes tipos crédito prestados pelo Banco, Garantimos a maioria dos diferentes tipos crédito prestados pelo Banco, dos quais destacamos financiamento de Médio Longo prazo, Leasing, Desconto comercial, linhas especificas de curto prazo de apoio à atividade, garantias bancárias as Clientes, fornecedores, Estado entre outros; Somos em alguns casos a única alternativa no acesso ao crédito Somos em alguns casos a única alternativa no acesso ao crédito para as empresas, em projetos start up, Investimentos de grande dimensão, ausência de garantias reais;

27 27 Argumentário Somos sociedades maioritariamente privadas, os nossos acionistas maioritários são as próprias empresas mutualistas Somos sociedades maioritariamente privadas, os nossos acionistas maioritários são as próprias empresas mutualistas, para além dos principais Bancos a atuar em Portugal, organismos públicos, IFAP, etc; Estamos há 19 anos a atuar no mercado em Portugal Estamos há 19 anos a atuar no mercado em Portugal, atingindo uma carteira superior a mutualistas e cerca de 3 mil milhões de euros em montante de garantias vivas no final de 2012; Presidimos há três mandatos consecutivos a Associação Europeia de Caucionamento Mútuo (AECM), Presidimos há três mandatos consecutivos a Associação Europeia de Caucionamento Mútuo (AECM), representante dos sistemas de garantia mútua Europeus que em conjunto representam uma quota de mercado superior a 20% das PME´s europeias; Os Mutualistas estão representados nos nossos órgãos Os Mutualistas estão representados nos nossos órgãos sociais por associações empresariais, com um papel ativo na definição da estratégia das SGM, com vista a beneficiar cada vez mais os mutualistas com os nossos produtos e serviços

28 28 Vantagens para a empresa Custo do crédito Custo do crédito mais competitivo; Prazos e montantes Prazos e montantes mais adequados às necessidades da empresa; Evita / reduz necessidade de prestação de outras garantias Evita / reduz necessidade de prestação de outras garantias reais / pessoais; Diversifica relação com o sistema financeiro Diversifica relação com o sistema financeiro, libertando plafonds de crédito no Banco, permitindo mais alternativas futuras de financiamento; Melhora a perceção de risco da empresa Melhora a perceção de risco da empresa perante o sistema financeiro; Credibiliza a empresa Credibiliza a empresa no mercado; Apoio na negociação Apoio na negociação com os Bancos.

29 Vantagens para o Banco Garantia on first demand: Garantia on first demand: a SGM responde ao pedido do Banco à 1º solicitação; Partilha de risco com a SGM Partilha de risco com a SGM, alavancando envolvimento potencial com o cliente; Criação de novas oportunidades de negócio Criação de novas oportunidades de negócio, inviáveis sem a intervenção da SGM por limitações de plafond, ou inexistência de outras garantias; Vantagem relativa às garantias reais Vantagem relativa às garantias reais: celeridade e eficácia na contratação, evitando avaliações, escrituras e outras limitações burocráticas que penalizam o prazo de execução das operações; Efeitos positivos nas Provisões para Riscos Gerais de Crédito Efeitos positivos nas Provisões para Riscos Gerais de Crédito: os Bancos não têm de constituir estas Provisões para os créditos garantidos pelas SGM; Efeito positivo no rácio de solvabilidade e na rentabilidade da operação Efeito positivo no rácio de solvabilidade e na rentabilidade da operação (o crédito com garantia de uma SGM pondera apenas 20% para este rácio); Liquidez total em cenário de default Liquidez total em cenário de default, para parte significativa do crédito prestado; 29

30 30 Casos Práticos

31 31 Uma EMPRESA pretende contrair um empréstimo bancário de para financiar investimentos que está a realizar num prazo igual ou inferior a 7 anos. A SGM aprova à taxa de 2% para 75% do empréstimo O BANCO aceita a garantia e propõe taxa EURIBOR + 3,5% EURIBOR + 3,5% + custo garantia 1% + 3,5% + (2% x 75%) = 6% x 6% = 6000 / ano Custo oportunidade 1500 ações 1% x 1500 = 15 /ano O BANCO prescinde da hipoteca Hip. 2 : Com Garantia Mútua O BANCO está disposto a financiar à taxa EURIBOR +6% Exige garantias reais EURIBOR + 6% = 7% x 7% = 7000 / ano Hipoteca das instalações Hip. 1 : Sem Garantia Mútua 1º Caso Prático

32 32 Perspetiva da empresa Com garantia da SGM Custo inferior Inexistência da prestação de hipoteca e dos custos inerentes Redução do envolvimento com o banco e aumento da capacidade negocial Perspetiva do banco Com garantia da SGM Aumento da rentabilidade Garantia mais liquida Partilha do risco do cliente 1º Caso Prático

33 33 Uma EMPRESA pretende contrair um empréstimo bancário de para financiar investimentos que está a realizar por um prazo superior a 7 anos. A SGM aprova à taxa de 2,5% para 75% do empréstimo O BANCO aceita a garantia e propõe taxa EURIBOR + 4,5% EURIBOR + 4,5% + custo garantia 1% + 4,5% + (2,5% x 75%) = 7,375% x 7,375% = 7 375/ ano Custo oportunidade 1500 ações 1% x 1500 = 15 /ano O BANCO partilha a hipoteca com a SGM Hip. 2 : Com Garantia Mútua O BANCO está disposto a financiar à taxa EURIBOR + 7,5% Exige garantias reais EURIBOR + 7,5% = 8,5% x 8,5% = / ano Hipoteca das instalações Hip. 1 : Sem Garantia Mútua 2º Caso Prático

34 34 Perspetiva da empresa Com garantia da SGM Custo inferior no financiamento Possibilidade de contratação de financiamentos com prazos mais alargados Possibilidade aprovação de financiamentos superiores adequados às suas necessidades Redução do envolvimento com o banco e aumento da capacidade negocial Perspetiva do banco Com garantia da SGM Aumento da rentabilidade Possibilidade de aumento de envolvimento face à introdução da garantia da SGM Aumento de contragarantias na operação: 75% de risco zero + 25% do valor do imóvel Partilha do risco do cliente 2º Caso Prático

35 35 Uma EMPRESA pretende contrair um financiamento bancário de Curto Prazo no montante de para Créditos Documentários à Importação. O Banco propõe à SGM um plafond de com garantia de 50% A SGM aprova à taxa de 2% para 50% do empréstimo O BANCO aceita a garantia e propõe taxa EURIBOR + 3,5% EURIBOR + 3,5% + custo garantia 1% + 3,5% + (2% x 50%) = 5,5% x 5,5% = / ano Custo oportunidade ações 1% x 3000 = 30 /ano O BANCO partilha o risco com a SGM mantendo exposição de ( ou x 5,5% = 8 250) Hip. 2 : Com Garantia Mútua O Banco está disposto a financiar apenas por limitações de plafonds com a empresa O BANCO está disposto a financiar à taxa EURIBOR + 6% EURIBOR + 6% = 7% x 7% = / ano Exposição ao risco de 100% da operação ( x 7% = / ano) Hip. 1 : Sem Garantia Mútua 3º Caso Prático

36 36 Perspetiva da empresa Com garantia da SGM Custo inferior no financiamento Aumento de limites de tesouraria disponíveis, mais adequados às necessidades da empresa com manutenção da exposição bancária Aumento da capacidade negocial Perspetiva do banco Com garantia da SGM Aumento da rentabilidade Possibilidade de aumento de envolvimento face à introdução da garantia da SGM Partilha do risco do cliente 3º Caso Prático

37 37 Uma EMPRESA solicita uma garantia de para levantamento de incentivos e uma para reembolso de IVA de A SGM aprova estas garantias. Partilha de risco do cliente com a SGM Manutenção do apoio normal ao cliente Utilização do plafond aprovado internamente em produtos potencialmente mais rentáveis Perspectiva do banco Custo eventualmente inferior Liberta plafond bancário para operações correntes, que a SGM não pode prestar Normalmente, redução de colaterais reais ou pessoais Perspectiva da empresa 4º Caso Prático

38 38 AGROGARANTE – Sociedade de Garantia Mútua, S.A. NORTE e CENTRO Rua João Machado, Nº Coimbra Telef.: Fax: OESTE e SUL Praceta João Caetano Brás, nº 10, 1º Andar Santarém Telef.: / Fax: / Diretor Geral: Carlos Oliveira Diretor Comercial: Artur Mendes (Âmbito Nacional)

39 39 AGROGARANTE – Sociedade de Garantia Mútua, S.A. Rua João Machado, Coimbra Tel Fax Diretor Geral: Carlos Oliveira Diretor Comercial: Artur Mendes L inha Verde Garantia Mútua: Contactos

40 40 Obrigado


Carregar ppt "1 Garantia Mútua Instrumentos de apoio às Empresas Engenharia Financeira 26 de junho de 2013 | Auditório da CAP, Lisboa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google