A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UESC Comunicação Social [ Telemática ] Prof. Dr. Rogério Vargas

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UESC Comunicação Social [ Telemática ] Prof. Dr. Rogério Vargas"— Transcrição da apresentação:

1 UESC Comunicação Social [ Telemática ] Prof. Dr. Rogério Vargas

2 DEFINIÇÃO  A Telemática é o conjunto de tecnologias da informação e da comunicação, resultante da junção entre os recursos das telecomunicações (telefonia, satélite, cabo, fibras ópticas etc.) e da informática (computadores, periféricos, softwares e sistemas de redes). Essa união das referidas áreas possibilitou o processamento de grandes quantidades de dados, em curto espaço de tempo, entre usuários localizados em qualquer ponto do Planeta.

3 DEFINIÇÃO  A telemática pode ser definida como a área do conhecimento humano que reúne um conjunto e o produto da adequada combinação das tecnologias associadas à eletrônica, informática e telecomunicações, aplicados aos sistemas de comunicação e sistemas embarcados e que se caracteriza pelo estudo das técnicas para geração, tratamento e transmissão da informação, na qual estão preservadas as características de ambas, porém apresentando novos produtos derivados destas.

4 ORIGEM DA PALAVRA  A palavra Telemática foi criada em Janeiro de 1978, por Simon Nora e Alain Minc, no relatório-livro intitulado "L’informatisation de la Societe" (A Informatização da Sociedade), encomendado pelo presidente da França, Valery Giscard d’Estaing, em 1976, para detalhar e dimensionar o impacto que a informática teria na sociedade nos anos seguintes.

5 ORIGEM DA PALAVRA  A palavra telemática origina-se de TELE que significa comunicação e do sufixo MÁTICA que é uma seção da palavra informática. Assim, telemática trata da manipulação e utilização da informação através do uso combinado de computador e meios de telecomunicação.

6 PERFIL DO PROFISSIONAL  Ter afinidade com as disciplinas que envolvem conhecimentos na área de exatas, como Física e Matemática. Liderança, raciocínio lógico e paciência são requisitos importantes para atuar na profissão, pois será necessário planejar e implementar serviços e equipamentos de redes, bem como criar protocolos e aplicações para comunicação de dados associando recursos de informática e telecomunicações.

7 MERCADO DE TRABALHO  Os profissionais da Telemática podem atuar nas diversas áreas da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), abrangendo empresas de telecomunicações e de desenvolvimento de sistemas de informação em geral. Entre as principais habilidades do tecnólogo em Telemática, destacamos: desenvolver protótipos de sistemas embarcados, móveis, telecomandados, dedicados e de comunicação de dados; instalar, configurar, certificar e elaborar projetos lógicos e físicos de Redes de Comunicação.

8 MERCADO DE TRABALHO  O profissional em Telemática poderá atuar em empresas de telefonia fixa e móvel, empresas de TV a cabo e por assinatura, provedores de acesso à Internet e empresas com redes de computadores e sistemas embarcados. Outra possibilidade para atuação é o empreendedorismo, ou seja, ter seu próprio negócio segundo a demanda do mercado local.  Ocupações relacionadas à área de Tecnologia em Telemática:  Analista de Suporte  Administrador de Redes de Computadores  Coordenador de CPD  Gerente de TI  Consultor de Telecomunicação.

9 TELEMÁTICA E EDUCAÇÃO  As tecnologias da Informac ̧ a ̃ o e comunicac ̧ a ̃ o, e em especial a Telematica, te ̂ m merecido destaque no cenario do progresso mundial, como um dos mais promissores recursos para aproximar pessoas e desenvolver o potencial cognitivo dos seres humanos.  O correio eletro ̂ nico e uma das aplicac ̧ o ̃ es da telematica que vem se difundindo rapidamente. Nasceu na passagem dos anos setenta aos oitenta e permite a troca de informac ̧ o ̃ es, atraves de mensagens, entre pessoas dispersas geograficamente, via uma rede de computadores ligados por uma linha telefo ̂ nica comum, por fibra otica, por radio ou satelite.

10 TELEMÁTICA E EDUCAÇÃO  O correio eletro ̂ nico conjuga as vantagens do telefone com as do correio tradicional, superando com sucesso algumas das desvantagens destes meios de comunicac ̧ a ̃ o. Em primeiro lugar, o envio de mensagens por estes meios eletro ̂ nicos e, sem duvida, mais rapido do que pelo correio tradicional; alem disso, permite as consultas das mensagens por parte do emissor e receptor sempre que for necessario, o que na ̃ o acontece com o telefone. Mais ainda, e possivel enviar uma mensagem a varios destinatarios ou a um grupo identificado dentro do sistema de utilizadores, sem ter que reescrever ou duplicar a referida mensagem. Considere-se, tambem, que o destinatario ou receptor e avisado, ao consultar seu sistema, da existe ̂ ncia de novas mensagens, podendo enviar resposta automatica sem indicac ̧ a ̃ o do destinatario, pois o sistema faz o devido enderec ̧ amento. Finalmente, os sistemas permitem a emissa ̃ o de mensagens na ̃ o apenas sob o formato de textos, mas atraves de outras formas de codificac ̧ a ̃ o e compactac ̧ a ̃ o.

11 TELEMÁTICA E EDUCAÇÃO  A aplicac ̧ a ̃ o da telematica difundiu-se nos paises desenvolvidos, sendo utilizada principalmente pelas universidades. No Brasil, sua implantac ̧ a ̃ o e bem recente (1986) nas diversas universidades e orga ̃ os de pesquisa. A sua difusa ̃ o acelerada foi resultante da eficacia das comunicac ̧ o ̃ es entre seus usuarios e a reduc ̧ a ̃ o dos custos de processamento e comunicac ̧ a ̃ o a longa dista ̂ ncia.  As escolas comec ̧ aram a utiliza-lo a partir de 1980, simultaneamente na Europa e nos Estados Unidos, visando a um maior interca ̂ mbio entre seus diretores, professores e alunos.

12 TELEMÁTICA E EDUCAÇÃO  A comunicac ̧ a ̃ o entre as escolas fica extremamente dina ̂ mica e torna-se uma pratica pedagogica importante, uma vez que oportuniza aos seus participantes a multi e a interdisciplinaridade; estimula e fomenta o funcionamento de processos no tratamento da informac ̧ a ̃ o, alem de construir um ambiente de amplitude indeterminado, pois, a cada novo contato ou mensagem, cria-se uma mudanc ̧ a ambiental, tanto em nivel cognitivo como psicossocial.

13 PERGUNTAS – TELEMÁTICA EM EAD  Mas por que utilizar meios de comunicação eletrônicos ou mesmo outros meios para se passar uma mensagem que deveria ser dada presencialmente?  Educação não é um processo presencial?  Não é necessária a presença do professor para se fazer educação de qualidade?

14 RESPOSTAS - TELEMÁTICA EM EAD  A própria existência da telemática demonstra que este paradigma está sendo fortemente solapado, e a perspectiva de se fazer educação começa a romper com uma das grandes barreiras do paradigma clássico da educação - o paradigma da distância - que considerava a necessidade de não haver separação física entre o aluno e o professor como um elemento “obrigatório”para se fazer educação.  Hoje podemos começar a pensar em termos de uma forma de interoperação virtual que substitui o conceito de integração virtual.

15 MAS QUAL A DIFERENÇA ENTRE ESTES DOIS CONCEITOS?  integração virtual - tem como objetivo adaptar, acomodar e integralizar determinados conceitos a uma origem definida, no caso aos elementos que o "professor" determina.  interoperação virtual - supõe uma transcendência da integração a níveis mais profundos admitindo que o aluno estabeleça uma relação bidirecional ou multidirecional, isto é, com direitos de reconstrução das temáticas apresentadas em uma perspectiva de troca de saberes a distância entre os professores e alunos.

16 INTERAÇÃO VIRTUAL  O elemento virtual também representa um novo conceito de construção do meio ambiente onde ocorrem as trocas de saberes entre os protagonistas interagentes. Este meio não é concreto e nem está sujeito às variáveis de contato entre os interagentes, mas é real e construído a partir de elementos do mundo concreto, transitando seus conceitos entre este mundo - chamado de virtual - e o real.  Não devemos confundir a ideia de "mundo virtual" com a idéia de um mundo imaginário. Acreditamos que nem mesmo a idéia de traduzir virtual como um conceito que encerra elementos potenciais traduz a verdadeira essência desta nova perspectiva da realidade com a qual estamos lidando.

17 MUNDO VIRTUAL  O mundo virtual existe e é construído a partir de elementos digitais, no nosso ambiente, o que leva a uma expansão dos conceitos de realidade embasados em paradigmas que também devem ser reconstruídos, pois se utilizarmos apenas a visão mecanicista de mundo careceremos de uma compreensão mais social e cultural desta perspectiva que se forma.

18 TELEMÁTICA EM EAD  utilização da telemática é a possibilidade de interoperação entre grupos de estudos distribuídos e interconectados independentemente do continente onde os interagentes estejam fisicamente. Esta realidade propiciada pelo "mundo virtual" caracteriza uma forte perspectiva de troca que, sem dúvida, traduz-se como um elemento muito importante no novo paradigma do fazer educativo.  Sem dúvida ainda teremos muitas barreiras a serem ultrapassadas em diversas frentes de atuação, como por exemplo a problemática de linhas de comunicação, formação da cultura de trabalho virtual, conquista de autonomia por parte de professores e alunos, equipamento e outros.  Contudo, não existe mais espaço para a dúvida sobre a validação ou não deste processo - utilização da telemática no ensino - mas, sim para a busca e esta se dá sobre a problemática metodológica e didática e sobre a evolução tecnológica que permitirá um crescendo de utilização deste meio como um agente de possibilidades para a construção do conhecimento.

19 NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO  Chamamos NTIC as tecnologias e métodos para comunicar surgidas no contexto daRevolução Informacional, "Revolução Telemática" ou Terceira Revolução Industrial, desenvolvidas gradativamente desde a segunda metade da década de 1970 e, principalmente, nos anos  A imensa maioria delas se caracteriza por agilizar, horizontalizar e tornar menos palpável (fisicamente manipulável) o conteúdo da comunicação, por meio da digitalização e da comunicação em redes (mediada ou não por computadores) para a captação, transmissão e distribuição das informações (texto, imagem estática, vídeo e som).

20 SÃO CONSIDERADOS NTIC  os computadores pessoais (PCs, personal computers)  as câmeras de vídeo e foto para computador ou webcams  a gravação doméstica de CDs e DVDs  os diversos suportes para guardar e portar dados como os disquetes (com os tamanhos mais variados), discos rígidos ou hds, cartões de memória, pendrives, zipdrives e assemelhados  a telefonia móvel (telemóveis ou telefones celulares)  a TV por assinatura  TV a cabo  TV por antena parabólica  o correio eletrônico ( )  as listas de discussão (mailing lists)

21 SÃO CONSIDERADOS NTIC  a internet  a world wide web (principal interface gráfica da internet)  os websites e home pages  os quadros de discussão (message boards)  o streaming (fluxo contínuo de áudio e vídeo via internet)  o podcasting (transmissão sob demanda de áudio e vídeo via internet)  esta enciclopédia colaborativa, a wikipedia, possível graças à Internet, à www e à invenção do wiki  as tecnologias digitais de captação e tratamento de imagens e sons  a captura eletrônica ou digitalização de imagens (scanners)  a fotografia digital  o vídeo digital  o cinema digital (da captação à exibição)  o som digital  a TV digital e o rádio digital

22 SÃO CONSIDERADOS NTIC  as tecnologias de acesso remoto (sem fio ou wireless)  Wi-Fi  Bluetooth  RFID

23 BLOG   Vamos elaborar o blog?

24 REFERÊNCIAS  %20novo%20canal.pdf %20novo%20canal.pdf  cursos-ofertados/cursos-em-fortaleza/185-tecnologia-em- telematica.html cursos-ofertados/cursos-em-fortaleza/185-tecnologia-em- telematica.html  nicação nicação  


Carregar ppt "UESC Comunicação Social [ Telemática ] Prof. Dr. Rogério Vargas"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google