A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Biodiversidade. Biodiversidade é a diversidade da natureza viva. Refere-se à variedade de vida no planeta Terra, incluindo a variedade genética dentro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Biodiversidade. Biodiversidade é a diversidade da natureza viva. Refere-se à variedade de vida no planeta Terra, incluindo a variedade genética dentro."— Transcrição da apresentação:

1 Biodiversidade

2 Biodiversidade é a diversidade da natureza viva. Refere-se à variedade de vida no planeta Terra, incluindo a variedade genética dentro das populações e espécies, a variedade de espécies da flora, da fauna, de fungos macroscópicos e de microrganismos, a variedade de funções ecológicas desempenhadas pelos organismos nos ecossistemas; e a variedade de comunidades, habitats e ecossistemas formados pelos organismos. Não se sabe quantas espécies vegetais e animais existem no mundo. As estimativas variam entre 10 e 50 milhões, mas até agora os cientistas classificaram e deram nome a somente 2 milhões de espécies. Entre os especialistas, o Brasil é considerado o país da "megadiversidade": aproximadamente 20% das espécies conhecidas no mundo estão aqui. É bastante divulgado, por exemplo, o potencial terapêutico das plantas da Amazônia. A diversidade biológica está presente em todo lugar: no meio dos desertos, nas tundras congeladas ou nas fontes de água sulfurosas. A diversidade genética possibilitou a adaptação da vida nos mais diversos pontos do planeta.

3 As plantas, por exemplo, estão na base dos ecossistemas. Como elas florescem com mais intensidade nas áreas úmidas e quentes, a maior diversidade é detectada nos trópicos, como é o caso da Amazônia e sua excepcional vegetação. A poluição, o uso excessivo dos recursos naturais, a expansão da fronteira agrícola em detrimento dos habitats naturais, a expansão urbana e industrial, tudo isso está levando muitas espécies vegetais e animais à extinção. A cada ano, aproximadamente 17 milhões de hectares de floresta tropical são desmatados. As estimativas sugerem que, se isso continuar, entre 5% e 10% das espécies que habitam as florestas tropicais poderão estar extintas dentro dos próximos 30 anos.

4 A matéria orgânica que cai no solo da florestas é continuamente decomposta em nutrientes minerais disponíveis para a reutilização pelas plantas. O solo da Floresta Amazônica, por exemplo, é pobre: sem a cobertura vegetal. Deixa de ocorrer a reciclagem da matéria, fundamental para a sobrevivência da floresta. Áreas florestais desmatadas sem cuidados posteriores entram em acelerado processo de desertificação. Alterações ambientais são mais facilmente corrigidas em ecossistemas de maior biodiversidade; quando um ecossistema tem poucas espécies, a redução drástica da população de uma delas pode afetar todos os elos da teia alimentar. Assim, a biodiversidade é fator de estabilidade e de manutenção do equilíbrio ecológico. Além disso, a preservação da biodiversidade permite numerosas aplicações de interesse:

5 *turismo ecológico: fonte promissora de recursos, que pode ocasionar a degradação ambiental, se praticado incorretamente; *fonte de matérias-primas: medicamentos, corantes, resina e outros; *reserva genética: enorme potencial graças ao desenvolvimento da biotecnologia e da engenharia genética.

6 Durante os últimos 600 milhões de anos existiram 20 episódios de extinção massiva, cinco dos quais estiveram a ponto de fazer desaparecer a vida sobre o planeta. Por exemplo, durante o período Permiano, deu-se a maior extinção de todas, que culminou com quase 95% da vida sobre o planeta e da qual ainda não se sabe porque ocorreu. Outro exemplo é a extinção dos dinossauros, que viveram durante milhões de anos e então desapareceram. Existem diversas teorias e, ainda que não se conheça realmente o motivo nem a forma de como isso ocorreu, a mais aceita é a queda de um meteorito sobre a Terra próximo à Península de Yucatán, no México. A colisão ocasionou um esfriamento do planeta, causando a morte dos dinossauros.

7 A extinção faz parte do processo de evolução, já que os organismos conseguem se adaptar às mudanças ambientais. Ou seja, conseguem desenvolver as características necessárias, internas, externas ou de comportamento. Por outro lado, aqueles organismos que não puderam adaptar-se extinguiram-se. Entretanto, no passado, essas mudanças climáticas eram produzidas de forma relativamente lenta, ao longo de milhares ou milhões de anos. Atualmente, o ser humano provocou grandes alterações ambientais em períodos curtos ou depredou diversas espécies, limitando sua capacidade de reproduzir-se com a velocidade necessária para se manter o equilíbrio. Isto levou à extinção de milhares de espécies.

8 Existem diferentes atividades humanas que provocam o desaparecimento de uma espécie. É importante destacar que o grau de raridade das espécies, que depende de sua distribuição e abundância sobre a superfície terrestre, determina a suscetibilidade à extinção definitiva deste. Existem três características das espécies que determinam seu nível de raridade: A amplitude de sua distribuição geográfica, que vai de espécies que se distribuem de uma maneira muito ampla à espécies que se encontram unicamente em uma área somente (endêmicas). A especificidade do habitat, que se define como a possibilidade de que a espécie possa adaptar-se em ambientes diferentes ou somente se encontre sobre condições específicas. O tamanho das populações, que depende da quantidade de indivíduos da espécie que não se encontrem em cada região. Inclui aquelas que se encontram em populações numerosas em qualquer lugar de sua área de distribuição e aquelas onde a espécie se encontra em populações pequenas.

9 Com o surgimento do Homo Sapiens, a velocidade de desaparecimentos de espécies aumentou. Nas últimas década de século XX, a atividade humana reduziu a biodiversidade da Terra a uma taxa de 27 mil espécies ao ano. Nesse ritmo, chegaremos ao ano de 2020 com menos de 70% das espécies que são atualmente conhecidas. As extinções antropogênicas têm duas causas principais: *Alteração de habitat: eventualmente, a atividade humana altera de tal forma o hábitat que impossibilita a vida de algumas espécies. Um exemplo é a introdução, no ecossistema, de um competidor ou predador de espécies endêmicas. *destruição predatória e indiscriminada: acontece, por exemplo, quando os membros de um grupo animal são intensamente caçados, ou as árvores de uma espécie de plantas são derrubadas para a obtenção de madeira.

10 Os biomas terrestres estão sujeitos a variações de luminosidade, umidade, intensidade e direção dos ventos e temperatura, as quais influenciam o tipo de vegetação e, conseqüentemente, as espécies de seres vivos que neles se desenvolvem. *Tundras: localizadas em altas altitudes do Alasca e do Canadá, em partes da Europa e da Ásia. A precipitação pluviométrica é baixa.

11 Taigas (ou florestas de coníferas): Encontradas ao sul da tundra, em regiões da América do Norte, da Europa e da Ásia.

12 Florestas temperadas (ou de folhas decíduas): Encontradas no nordeste e meio-oeste dos Estados Unidos, partes da Europa e da china.

13 Florestas pluviais tropicais: localizam-se em baixas latitudes, incluindo regiões da América Central, da América do Sul, da África, da Índia, as Ásia e da Austrália.

14

15 *Formações de herbáceas (ou campos): caracterizada pelo predomínio de plantas herbáceas, classificam-se em estepes, savanas, pradarias, pampas, cerrado.

16

17 *Desertos: encontradas no Chile, nos Estados Unidos, na África, na Ásia e na Austrália, geralmente em latitudes em torno de 30° ou nas proximidades de montanhas que barram o vento carregado de umidade.

18


Carregar ppt "Biodiversidade. Biodiversidade é a diversidade da natureza viva. Refere-se à variedade de vida no planeta Terra, incluindo a variedade genética dentro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google