A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

OFICINAS ANS APLICATIVO TISS PROPOSTA DO GRUPO DE TRABALHO DO RS 20 de dezembro de 2004 20 de dezembro de 2004.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "OFICINAS ANS APLICATIVO TISS PROPOSTA DO GRUPO DE TRABALHO DO RS 20 de dezembro de 2004 20 de dezembro de 2004."— Transcrição da apresentação:

1 OFICINAS ANS APLICATIVO TISS PROPOSTA DO GRUPO DE TRABALHO DO RS 20 de dezembro de de dezembro de 2004

2 OBJETIVO Apresentar as propostas do Grupo de Trabalho do RS e promover o debate sobre a implementação de um padrão para a troca de informações entre operadoras de planos privados de assistência à saúde e prestadores de serviços e ANS. Apresentar as propostas do Grupo de Trabalho do RS e promover o debate sobre a implementação de um padrão para a troca de informações entre operadoras de planos privados de assistência à saúde e prestadores de serviços e ANS.

3 Entidades Participantes UNIDAS RS (Superintendência Estadual da União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde). UNIDAS RS (Superintendência Estadual da União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde). ABRAMGE SUL-(Associação Brasileira de Medicina de grupo do RS). ABRAMGE SUL-(Associação Brasileira de Medicina de grupo do RS). SINDIHOSPA-(Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre RS). SINDIHOSPA-(Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre RS). SINDIBERF-(Sindicato dos Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do RS). SINDIBERF-(Sindicato dos Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do RS). FEDERAÇÃO DAS SANTAS CASAS DO RS FEDERAÇÃO DAS SANTAS CASAS DO RS

4 Metodologia Criação de grupo de trabalho Criação de grupo de trabalho Mais de 15 encontros Mais de 15 encontros Aproximadamente 50 pessoas envolvidas Aproximadamente 50 pessoas envolvidas Divisão do grupo em sub grupos para estudo de assuntos afins Divisão do grupo em sub grupos para estudo de assuntos afins

5 Metodologia Criação de sub grupos de trabalho: Criação de sub grupos de trabalho: 1º sub grupo guias de consulta e SP/SADT´s, guia tratamento odontológico e honorários individuais 1º sub grupo guias de consulta e SP/SADT´s, guia tratamento odontológico e honorários individuais Coordenador -Eduardo Borges- Lab. Weinmann. Coordenador -Eduardo Borges- Lab. Weinmann. 2º sub grupo guias de solicitação de internação, resumo da internação, anexos. 2º sub grupo guias de solicitação de internação, resumo da internação, anexos. Coordenadora Ana Karina Cunha-Unisinos Coordenadora Ana Karina Cunha-Unisinos 3º sub grupo demonstrativos de pagamentos e glosa. Coordenadora-Cláudia Stadtlober -IPA 3º sub grupo demonstrativos de pagamentos e glosa. Coordenadora-Cláudia Stadtlober -IPA

6 Resultado do Estudo das Guias - Campos Avaliados Guias Assistenciais Guias de Faturamento

7 Guias de Assistência Consulta Consulta Serviços profissionais/serviços auxiliar de diagnóstico e terapias (SP/SADT) Serviços profissionais/serviços auxiliar de diagnóstico e terapias (SP/SADT) Solicitação de Internação Solicitação de Internação Tratamento Odontológico Tratamento Odontológico

8 Estudo das Guias –Assistência Consultas Dúvida- Outros procedimentos realizados no decorrer da consulta eletiva, devem ser informados na mesma guia? Outros procedimentos realizados no decorrer da consulta eletiva, devem ser informados na mesma guia?

9 Estudo das Guias –Assistência SADT´s Sugestão- Sugestão- Incluir data da solicitação de exames e previsão de realização (data limite). Incluir data da solicitação de exames e previsão de realização (data limite).Dúvidas- Solicitação de SADTs com receituário individual do profissional deverá ser transcrita para nova guia? Solicitação de SADTs com receituário individual do profissional deverá ser transcrita para nova guia?

10 Estudo das Guias –Assistência SADT´s Dúvidas- Os SADT´s realizada nos pacientes internados - quando usar esta guia sugerida? (Somente quando feito em serviço terceirizado?) Os SADT´s realizada nos pacientes internados - quando usar esta guia sugerida? (Somente quando feito em serviço terceirizado?) Como proceder quando solicitado na mesma guia vários exames e com realização em prestadores diversos? Como proceder quando solicitado na mesma guia vários exames e com realização em prestadores diversos? É necessário referenciar a guia principal? campo 5 da guia de SADT,( quando deve ser preenchido?) É necessário referenciar a guia principal? campo 5 da guia de SADT,( quando deve ser preenchido?)

11 Estudo das Guias- Assistência Solicitação de Internação Sugestão- Criar campo para registro da autorização de acompanhante do paciente na guia da solicitação de internação e no resumo da internação. Criar campo para registro da autorização de acompanhante do paciente na guia da solicitação de internação e no resumo da internação.

12 Estudo das Guias –Assistência Tratamento Odontológico Sugestões- Criar campo específico para perícia e número de guia de autorização na guia de odontologia Criar campo específico para perícia e número de guia de autorização na guia de odontologia Deixar optativo anexar a conta descriminada à guia de odontologia. Deixar optativo anexar a conta descriminada à guia de odontologia.

13 Sugestões - Na guia de odontologia adotar uma codificação expressa em campo anexo, com o intuito de padronizar a descrição das lesões. Na guia de odontologia adotar uma codificação expressa em campo anexo, com o intuito de padronizar a descrição das lesões.Dúvida- Reavaliar padrão da numeração do diagrama de dentes, ( Plano de tratamento guia de odontologia - campo 20) corresponde ao código de REDIER, atualmente existe um plano de tratamento com códigos por quadrantes. Qual o mais usado ? Reavaliar padrão da numeração do diagrama de dentes, ( Plano de tratamento guia de odontologia - campo 20) corresponde ao código de REDIER, atualmente existe um plano de tratamento com códigos por quadrantes. Qual o mais usado ? Estudo das Guias –Assistência Tratamento Odontológico

14 Guias de Faturamento Resumo de Internações Resumo de Internações Honorários Individuais Honorários Individuais Outras despesas Outras despesas Demonstrativos Demonstrativos

15 Estudo das Guias- Faturamento Resumo da Internação Dúvida- Nos campos de 35 a 41 da guia de resumo da internação, os dados são insuficientes para análise de glosas. Qual a co-relação com a guia de outras despesas (itens descriminados item a item)? Nos campos de 35 a 41 da guia de resumo da internação, os dados são insuficientes para análise de glosas. Qual a co-relação com a guia de outras despesas (itens descriminados item a item)?

16 Estudo das Guias- Faturamento Resumo da Internação Sugestão- Deve existir vínculo da guia de resumo da internação com a guia principal de internação, para viabilizar a cobrança e auditoria dos honorários profissionais Deve existir vínculo da guia de resumo da internação com a guia principal de internação, para viabilizar a cobrança e auditoria dos honorários profissionais

17 Rever- Rever- Na guia de honorários individuais não existe coerência entre os campos da guia e a descrição do lay-out. Na guia de honorários individuais não existe coerência entre os campos da guia e a descrição do lay-out.Dúvida- Também deve ser usada a guia de honorários individuais quando profissional contratado pelo prestador (vínculo empregatício)? Também deve ser usada a guia de honorários individuais quando profissional contratado pelo prestador (vínculo empregatício)? Estudo das Guias –Faturamento Honorários Individuais

18 Sugestão- Ampliar o número de profissionais vinculados ao procedimento cirúrgico (4º auxílio cirúrgico, 2º auxílio de anestesia) na guia de resumo da internação. Ampliar o número de profissionais vinculados ao procedimento cirúrgico (4º auxílio cirúrgico, 2º auxílio de anestesia) na guia de resumo da internação. Estudo das Guias- Faturamento Honorários Individuais

19 Estudo das Guias- Faturamento Demonstrativos Sugestões- 1. Incluir as seguintes informações no relatório de glosas: 1. Incluir as seguintes informações no relatório de glosas: Número e valor da fatura Número e valor da fatura Data do atendimento Data do atendimento Valor apresentado por paciente Valor apresentado por paciente Descrição da glosa por paciente Descrição da glosa por paciente Valor pago e glosado por paciente Valor pago e glosado por paciente Especificação do item glosado Especificação do item glosado 2. Ampliar a descrição de glosas

20 Estudo das Guias Necessidades Gerais 1. Campo para registro da co-participação/ fator moderador quando pago pelo associado da operadora no ato do atendimento (à vista no caixa). 2. Disponibilizar campos específicos para senhas múltiplas, por item. 3. Ampliar campo para solicitação de exames e/ou procedimentos (quando solicitação manual).

21 Padronizar a descrição dos tipos de acomodação de leitos hospitalares a nível Nacional (existem padrões regionais). Padronizar a descrição dos tipos de acomodação de leitos hospitalares a nível Nacional (existem padrões regionais). Relacionar todos os profissionais envolvidos no atendimento numa só guia, e não individual por profissional. Relacionar todos os profissionais envolvidos no atendimento numa só guia, e não individual por profissional. Adotar as guias propostas como modelo único entre prestadores e operadoras (eliminando guias individuais existentes hoje). Adotar as guias propostas como modelo único entre prestadores e operadoras (eliminando guias individuais existentes hoje). Estudo das Guias Necessidades Gerais

22 Não obrigatoriedade do envio de laudos do paciente anexados a conta (conforme legislação vigente). Não obrigatoriedade do envio de laudos do paciente anexados a conta (conforme legislação vigente). Estudo das Guias Necessidades Gerais

23 Usar modelo ABRAMGE como referencial para simplificação dos processos, como uma guia única para qualquer tipo de atendimento (SADT, Consultas, Internações, etc.). Usar modelo ABRAMGE como referencial para simplificação dos processos, como uma guia única para qualquer tipo de atendimento (SADT, Consultas, Internações, etc.). Estudo das Guias Necessidades Gerais

24 Estudo das Guias Dúvidas Gerais 1. Como será feita a co-relação do RG e CPF do beneficiário com a codificação das operadoras e o Cartão SUS? 2. Quais os campos obrigatórios e opcionais? 3. Qual o fluxo das guias? 1.Fornecimento do Software? 2.Será permitido o uso das guias em papel ? 3.Preenchimento das guias de SADTs, quem fará? 4.Se faturamento somente eletrônico, é necessário a entrega da conta em papel? 5.Numeração das guias individual por operadora, como será controlado?

25 Estudo das Guias Dúvidas Gerais 4. As guias contemplam somente o CPF do profissional, quando serviço prestado por empresa constituída por profissionais com CNPJ, como proceder? 4. As guias contemplam somente o CPF do profissional, quando serviço prestado por empresa constituída por profissionais com CNPJ, como proceder?

26 Considerações Finais Sistema próximo do ideal. Sistema próximo do ideal. Necessário reavaliar a compatibilidade dos sistemas próprios das operadoras e dos prestadores de serviços. Necessário reavaliar a compatibilidade dos sistemas próprios das operadoras e dos prestadores de serviços. Avaliar os custos de financiamento da implantação. Avaliar os custos de financiamento da implantação. Segurança- Confiabilidade e confidenciabilidade dos dados Segurança- Confiabilidade e confidenciabilidade dos dados

27 Considerações Finais Avaliar custos da implantação e manutenção do padrão (sistema). Avaliar custos da implantação e manutenção do padrão (sistema). Qualificar pessoas para adequação ao novo processo- treinamentos. Qualificar pessoas para adequação ao novo processo- treinamentos. Padronizar os dados das operadoras para os prestadores de serviços (através do cartão SUS). Padronizar os dados das operadoras para os prestadores de serviços (através do cartão SUS).

28 Conclusões do Grupo O grupo de trabalho identificou itens de interesse comum para o desenvolvimento da cadeia de valor O grupo de trabalho identificou itens de interesse comum para o desenvolvimento da cadeia de valor Aproximação e melhoria do relacionamento entre os segmentos Aproximação e melhoria do relacionamento entre os segmentos Oportunidade de discutir assuntos como: linhas de créditos, cadastro único de beneficiários, redução global de custos, melhoria da qualidade, entre outros Oportunidade de discutir assuntos como: linhas de créditos, cadastro único de beneficiários, redução global de custos, melhoria da qualidade, entre outros Necessidade de desenvolver agenda conjunta para assuntos em 2005 Necessidade de desenvolver agenda conjunta para assuntos em 2005


Carregar ppt "OFICINAS ANS APLICATIVO TISS PROPOSTA DO GRUPO DE TRABALHO DO RS 20 de dezembro de 2004 20 de dezembro de 2004."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google