A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

(Joanna de Angelis, in LEIS MORAIS DA VIDA – Lei de Liberdade, subtema 53)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "(Joanna de Angelis, in LEIS MORAIS DA VIDA – Lei de Liberdade, subtema 53)"— Transcrição da apresentação:

1 (Joanna de Angelis, in LEIS MORAIS DA VIDA – Lei de Liberdade, subtema 53)

2

3 É muito difícil dissociar o inconsciente das diferentes manifestações humanas, porquanto ele está a ditar de forma poderosa, as realizações que constituem os impulsos e atavismos existenciais. JOANNA DE ÂNGELIS Vida: desafios e soluções, p. 85

4 Indubitavelmente, neste oceano encontram-se guardadas todas as experiências do ser, desde as suas primeiras expressões, atravessando os períodos de desenvolvimento e evolução, até o momento da lucidez do pensamento lógico (...) JOANNA DE ÂNGELIS Vida: desafios e soluções, p. 85

5 INCONSCIENTE (forças propulsoras de todo o comportamento humano)

6 A ponta do iceberg (10%) EGO.

7 ID (parte instintiva) SUPER EGO (ideais moralmente aceitos) EGO Freudiano

8 As heranças coletivas constituem as experiências individuais das reencarnações anteriores, proporcionando o armazenar das conquistas e prejuízos que permanecem na memória extra-cerebral – no perispírito. Joanna de Ângelis, Vida: Desafios e Soluções

9 Persona A persona refere-se ao que é esperado socialmente de uma pessoa e como ela acredita que deve parecer. É como um acordo entre o indivíduo e a sociedade. (Refletindo a Alma – Núcleo de Estudos Psicológicos Joanna de Ângelis)

10

11

12 Penso que uma emoção é um conjunto de reações corporais a certos estímulos. (Antônio Damásio, neurologista, in VIVER – MENTE&CÉREBRO, ed.143)

13 Os sentimentos surgem quando tomamos consciência destas emoções corporais, no momento em que estas são transferidas para certas zonas do cérebro, onde são codificadas sob a forma de uma atividade neuronal. (Antônio Damásio, neurologista, in VIVER – MENTE&CÉREBRO, ed.143)

14 Ato de sentir = sentimento (chacra cardíaco) Ação instintiva, com reações orgânicas = emoção

15 As emoções e o ego

16 EGO

17 CULPA EGO que se pune

18 CIÚME Desejo de posse do EGO

19 INVEJA EGO que não aceita o triunfo alheio

20 RAIVA EGO ferido

21 MEDO EGO que se esconde *

22 TRISTEZA EGO que não aceita a vida como ela é

23 RESSENTIMENTO EGO que não consegue admitir o ocorrido

24 INDIFERENÇA EGO que não quer ver

25 Os interesses recalcados, as aspirações frustradas, os tormentos íntimos, complexos, mal conduzidos, dormem temporariamente no inconsciente do homem, e...

26 ...e assomam quando emoções de qualquer porte fazem-no desbordar, facultando o predomínio de conflitos em formas perturbadoras, gerando neuroses que se incorporam à personalidade, inquietando-a.

27 Da mesma forma, os ideais de enobrecimento, os anelos de beleza, o hábito das emoções elevadas, a mentalização de planos superiores, as aquisições e lutas humanistas repousam nos departamentos da subconsciência,...

28 ... acordando, frequentemente, e produzindo euforia, emulações no homem, ajudando-o no seu programa de paz interior e de realizações externas.

29 O homem é sempre aquilo que armazena, consciente ou inconscientemente, nos complexos mecanismos da mente.

30 Quando se dá o parcial desprendimento da alma através do sono natural, açodado pelos desejos e paixões que erguem ou envilecem, liberam-se as memórias arquivadas que o assaltam, em formas variadas de sonhos nos quais se vê envolvido.

31 Permanecem, nesse capítulo, os estados oníricos da catalogação freudiana, em que as fixações de ordem sexual assumem expressões de realidade, dominando os múltiplos setores psíquicos da personalidade.

32 Além deles, há os que decorrem dos fenômenos digestivos, das intoxicações de múltipla ordem, por consequência dos estados alucinatórios momentâneos que produzem.

33

34 ...e fortemente arrastada por esse anseio de realização, desloca-se do envoltório físico e visita aqueles (locais) com os quais se compraz e onde se sente feliz.

35 Disso decorrem encontros: agradáveis ou desditosos

36 ... experimenta as sensações animalizantes, frui, em agonia, as taças vinagrosas dos desejos inconfessáveis, continuando o comércio psíquico com Entidades vulgares, perversas ou irresponsáveis...

37 ... que se lhe vinculam ao pensamento, dando origem a longos e rudes processos obsessivos de curso demorado e de difícil liberação.

38 Multiplicam-se e perpassam, em todas as direções, ondas mentais que percorrem distâncias imensas, sintonizando com outras que lhe são afins e que buscam intercâmbio.

39

40

41

42 ... onde os Seres ditosos, encarregados dos labores excelentes dos homens, facultam que se mantenham diálogos, recebendo recursos terapêuticos e lições que se incorporam à individualidade, indelevelmente...

43

44

45

46

47 Vive no corpo físico, considerando a possibilidade da desencarnação sem aviso prévio.

48 Cada noite em que adormeces, experimentas um fenômeno consentâneo ao da morte.

49 Dormir é morrer momentaneamente. Desse sono, logo retornas, porque não se te desatam os liames que fixam o Espírito ao corpo.

50 Por tal imperativo, aprimora-te, eleva-te, supera-te, mediante o exercício dos pensamentos salutares e das realizações edificantes.

51


Carregar ppt "(Joanna de Angelis, in LEIS MORAIS DA VIDA – Lei de Liberdade, subtema 53)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google