A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Exploração de óleo e gás no Brasil: A visão de uma empresa independente Renato Marcos Darros de Matos Diretor E&P QUANTRA PETRÓLEO AURIZÔNIA PETRÓLEO POTIÓLEO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Exploração de óleo e gás no Brasil: A visão de uma empresa independente Renato Marcos Darros de Matos Diretor E&P QUANTRA PETRÓLEO AURIZÔNIA PETRÓLEO POTIÓLEO."— Transcrição da apresentação:

1 Exploração de óleo e gás no Brasil: A visão de uma empresa independente Renato Marcos Darros de Matos Diretor E&P QUANTRA PETRÓLEO AURIZÔNIA PETRÓLEO POTIÓLEO

2 Agenda 1. ANP e contexto nacional 2.O Processo Exploratório 3.Desafios e Dificuldades 4.Vantagens do Nordeste 5.ABPIP 6. As empresas Quantra, Aurizônia e Potióleo

3 até jazidas da União, concessões livres Lei nº Monopólio estatal do petróleo Lei nº Monopólio estatal do petróleo. Criação da Petrobrás, para exercer o monopólio da União sobre as atividades do setor do petróleo e gás EC nº 9 - União continua com o monopólio das atividades do petróleo, mas essas poderão ser exercidas por empresas brasileiras ou estrangeiras, mediante concessão Lei nº (Lei do Petróleo) Lei nº (Lei do Petróleo). Institui o Conselho Nacional de Política Energética. Cria a Agencia Nacional do Petróleo (ANP) ANP inicia suas atividades em janeiro O monopólio do petróleo - evolução institucional

4 HISTÓRICO DA EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS EM TERRA NO BRASIL A PETROBRAS INICIOU A EXPLORAÇÃO EM TERRA HÁ CERCA DE 50 ANOS NA BACIA DO RECÔNCAVO COM POÇOS DE BAIXA PRODUÇÃO A PETROBRAS INICIOU A EXPLORAÇÃO EM TERRA HÁ CERCA DE 50 ANOS NA BACIA DO RECÔNCAVO COM POÇOS DE BAIXA PRODUÇÃO POSTERIORMENTE A PETROBRAS AMPLIOU A EXPLORAÇÃO PARA AS BACIAS DE SERGIPE-ALAGOAS E POTIGUAR POSTERIORMENTE A PETROBRAS AMPLIOU A EXPLORAÇÃO PARA AS BACIAS DE SERGIPE-ALAGOAS E POTIGUAR COM O ADVENTO DA EXPLORACAO OFFSHORE AS BACIAS TERRESTRES SOFRERAM UM GRANDE DECLÍNIO NA ATIVIDADE EXPLORATÓRIA COM O ADVENTO DA EXPLORACAO OFFSHORE AS BACIAS TERRESTRES SOFRERAM UM GRANDE DECLÍNIO NA ATIVIDADE EXPLORATÓRIA COM A QUEBRA DO MONOPÓLIO NOVOS PLAYERS SURGIRAM NO MERCADO BRASILEIRO INTENSIFICANDO A ATIVIDADE EXPLORATÓRIA COM A QUEBRA DO MONOPÓLIO NOVOS PLAYERS SURGIRAM NO MERCADO BRASILEIRO INTENSIFICANDO A ATIVIDADE EXPLORATÓRIA OS GRANDES OPERADORES CONCENTRARAM SUAS ATIVIDADES NOS GRANDES CAMPOS OFFSHORE ENQUANTO QUE OS MÉDIOS E PEQUENOS PREFEREM A EXPLORAÇÃO EM TERRA OS GRANDES OPERADORES CONCENTRARAM SUAS ATIVIDADES NOS GRANDES CAMPOS OFFSHORE ENQUANTO QUE OS MÉDIOS E PEQUENOS PREFEREM A EXPLORAÇÃO EM TERRA NÃO OBSTANTE A PETROBRAS TER UM BOM CONHECIMENTO DAS BACIAS, IMPORTANTES DESCOBERTAS FORAM REALIZADAS COM A INTENSIFICAÇÃO DO INTERESSE EXPLORATÓRIO. NÃO OBSTANTE A PETROBRAS TER UM BOM CONHECIMENTO DAS BACIAS, IMPORTANTES DESCOBERTAS FORAM REALIZADAS COM A INTENSIFICAÇÃO DO INTERESSE EXPLORATÓRIO.

5 Estudar as bacias sedimentares brasileiras e organizar base de dados Definir e licitar blocos Promover os contratos de concessão de E&P Regular as atividade de E&P Supervisionar os royalties, as participações especiais e taxa de ocupação de área (encargos fiscais) Regular o transporte de petróleo, seus derivados e gás natural e as atividades de refino Regular a importação e exportação de petróleo, seus derivados e do gás natural Atribuições principais da ANP

6 Regular as atividades comerciais de distribuição e revenda de derivados, Garantir o suprimento de derivados Estabelecer as especificações de qualidade dos produtos Fiscalizar o mercado Promover a conservação e uso racional do petróleo, dos derivados e do gás natural, e a preservação do meio ambiente Atribuições principais da ANP

7 Participações Governamentais e de Terceiros Até 1997 Royalties 5% Lei 9.478/97 Participações Governamentais I - Bônus de Assinatura II - Royalties %; III - Participação Especial: alíquotas progressivas: 10%, 20%, 30%, 35% e 40%; IV - Pagamento pela Ocupação ou Retenção de Área. Participação de Proprietários de Terra 0,5% a 1% do valor da produção de petróleo e gás em terra

8 Leilões de áreas exploratórias da ANP

9 Qual o tamanho das empresas que podem participar dos leilões da ANP?

10 Depende dos objetivos da empresa….. Se em Áreas de Bacias Maduras Objetiva oferecer oportunidades a pequenas e médias empresas, em bacias densamente exploradas, possibilitando a continuidade da exploração e produção de petróleo e gás natural nestas regiões onde essas atividades exercem importante papel sócio-econômico; Exemplos no NORDESTE: RIO GRANDE DO NORTE, CEARÁ, BAHIA, SERGIPE E ALAGOAS

11 Qualificação das empresas para Blocos com risco exploratório. OPERADORAS DO TIPO C: Empresas consideradas pequenas para investir em áreas de exploração marítimas, onde os investimentos são muito mais altos.

12 CAMPOS MARGINAIS São as areas compreendendo campos marginais ou campos devolvidos consistindo de Áreas Inativas contendo Acumulações Marginais. São as areas compreendendo campos marginais ou campos devolvidos consistindo de Áreas Inativas contendo Acumulações Marginais. OPERADOR DO TIPO D

13 Cronologia do Processo t Procura Descoberta Avaliação Produção Desenvolvimento da Produção Transporte Processamento Distribuição Comercialização Empresas de E&P Segmento Up Stream Down stream Empresas Integradas

14 PROJETOS DE E&P Capital IntensivoCapital Intensivo Alto RiscoAlto Risco Longa MaturaçãoLonga Maturação

15 INVESTIMENTOS EM E&P ONSHORE O Caminho a percorrer – Compra de Direitos de Produção junto a Petrobras (Campos Maduros) – Suspenso - 2- Licitações de Campos Marginais da ANP. 3 - Licitações da ANP. 4 – Farm-in / Farm-out 5 - Compra / Venda de Ativos 6 - Compra / Venda de Empresas +

16 ETAPAS DE TRABALHO DA INDÚSTRIA Aquisição da Área Exploratória Análise exploratória com escolha da bacia e prospectos Análise de Risco Exploratório Análise de Risco Exploratório Processo Multifásico – Up stream: - $ 1- Conseguir a concessão para a exploração

17 ETAPAS DE TRABALHO DA INDÚSTRIA Aquisição da Área Exploratória Análise exploratória com escolha da bacia e prospectos Análise de Risco Exploratório Análise de Risco Exploratório Fase de Exploração: Processo Multifásico – Up stream: Sucesso no Leilão - $

18 ETAPAS DE TRABALHO DA INDÚSTRIA Aquisição da Área Exploratória Análise exploratória com escolha da bacia e prospectos Análise de Risco Exploratório Análise de Risco Exploratório Fase de Exploração: Aquisição de dados geofísicos/geo- lógicos + Perfuração Exploratória Processo Multifásico – Up stream: Sucesso no Bid - $ - $ $

19 Hoje a exploração de petróleo é muito menos aleatória, e o objetivo é encontrar uma convergência dos elementos geológicos necessários para formar um campo de óleo ou gás. Principais elementos: Rocha fonte para gerar hidrocarbonetos Rocha Reservatório para acumular Trapa para evitar a dispersão dos hidrocarbonetos.

20 Desafio da exploração de petróleo Interpretar o que não se vê diretamente. Silicon Graphics Geologia de Superfície - Fotos aéreas - Mapas Geológicos Análise de Sub- superfície: - Gravimetria - Magnetometria - Sísmica de Reflexão - Poços

21 Imageamento Sísmico de um Anticlinal Vibradores (fonte) Gravação Geofones (receptores) American Petroleum Institute, 1986 Ondas refletidas

22 SEQUÊNCIA DE ATIVIDADES PARA DESCOBRIR OLEO NOVO 1. Identificar potencial bloco 2. Preparar avaliação preliminar 3. Desenvolver modelo geológico preliminar 4. Analisar e preparar oferta 5. Obter área (licitação ou negociação) 6. Assinar contrato de concessão 7. Desenvolver estudo geofísico 8. Licença ambiental para sísmica 9. Aquisição de geoquímica 10. Aquisição de magnometria 11. Aquisição de sísmica 2D ou 3D 12. Processamento dos dados 13. Afinar modelo geológico inter-relacionando com dados existentes 14. Obter locações para poços 15. Executar engenharia do poço 16. Locação de sonda 17. Acordo com superficiário 18. Licença ambiental de perfuração 19. Construção da base 20. Mobilização da sonda 21. Perfuração

23 ETAPAS DE TRABALHO DA INDÚSTRIA Aquisição da Área Exploratória Análise exploratória com escolha da bacia e prospectos Análise de Risco Exploratório Análise de Risco Exploratório Fase de Exploração: Aquisição de dados geofísicos/geo- lógicos + Perfuração Exploratória Processo Multifásico – Up stream: Sucesso no Bid Definição de locais a perfurar - $ - $ $

24 Bomba de lama T Mesa Rotativa Kelly broca Sonda de Perfuração Revestimento Coluna de perfuração

25 EQUIPAMENTOS DE PERFILAGEM DE SUPERFICIE

26 Fase de Perfuração do Poço Pioneiro Poços descobridor

27 ETAPAS DE TRABALHO DA INDÚSTRIA Aquisição da Área Exploratória Análise exploratória com escolha da bacia e prospectos Análise de Risco Exploratório Análise de Risco Exploratório Fase de Exploração: Aquisição de dados geofísicos/geo- lógicos + Perfuração Exploratória Processo Multifásico – Up stream: Sucesso no Bid Descoberta - $ - $ $ Que tamanho é a acumulação?? É economicamente viável proceder com mais investimentos??

28 Fase de Avaliação Poços de delimitação Poços descobridor

29 ETAPAS DE TRABALHO DA INDÚSTRIA Aquisição da Área Exploratória Análise exploratória com escolha da bacia e prospectos Análise de Risco Exploratório Análise de Risco Exploratório Fase de Exploração: Aquisição de dados geofísicos/geo- lógicos + Perfuração Exploratória Processo Multifásico – Up stream: Fase de Avaliação da Descoberta Poços de delimitação Avaliação Econômica, tributáira, Fiscal e Riscos remanescentes do projeto Avaliação Econômica, tributáira, Fiscal e Riscos remanescentes do projeto Declaração de Comercialidade Sucesso no Bid Descoberta - $ - $ $ - $ $ $

30 ETAPAS DE TRABALHO DA INDÚSTRIA Aquisição da Área Exploratória Análise exploratória com escolha da bacia e prospectos Análise de Risco Exploratório Análise de Risco Exploratório Fase de Exploração: Aquisição de dados geofísicos/geo- lógicos + Perfuração Exploratória Processo Multifásico – Up stream: Fase de Avaliação da Descoberta Poços de delimitação Fase de Produção Poços de desenvolvimento Facilidades de Produção e tratamento de residuos Declaração de Comercialidade Sucesso no Bid Descoberta - $ - $ $ - $ $ $

31 Fase de Desenvolvimento da Produção Poços de produção Poços descobridor

32 PRODUÇÃO DE PETRÓLEO

33 Mecanismos de elevação Surgência natural BCS BM BCP

34 Estocagem de óleo Malha sísmica Gas lift BCS Manifold de injeção de gás Surgente Bombeio mecânico Gás de injeçao Gasoduto Estação de compressão BCP Gás produzido Descarte de água Separador Água produzida Manifold de produção Óleo produzido oleoduto Complexo de produção

35 Somente neste momento se estabelece um fluxo contínuo de caixa …………. …. de 3 a 5 anos depois de adquirida a concessão… em terra, (no mar é mais demorado….)

36 Performance Financeira Típica de Investimentos em Petróleo

37

38 Fluxo Monetário ~ Fluxo de Produção TBD Impacto de Novas tecnologias Tecnologia adicionou importantes volumes novos. Declínio Projetado

39 ETAPAS DE TRABALHO DA INDÚSTRIA Logísitica e transporte transporte Refino e Distribuição Processo Multifásico – Down stream: Comercialização

40 PRINCIPAIS RESULTADOS DOS LEILÕES DA ANP

41 Blocos concedidos em 06/08/1998 Blocos em Exploração115 Campos em Desenvolvimento51 Campos em Produção 231 Round 0

42 Round 1 a 9:

43 Declarações de Comercialidade desde a quebra do Monopólio: Fonte: ANP 97 Declarações: 48 em terra 49 no mar

44 Declarações de Comercialidade na Bacia Potiguar

45 EMPRESAS INDEPENDENTES DE PETRÓLEO ATUANDO NO RIO GRANDE DO NORTE

46 1.Aurizônia Petróleo S.A. 2.Quantra Petroleo S.A. 3.Potioleo Ltda 4.Petrosynergy 5.Petrogal Brasil Ltda 6.Starfish Oil & Gás S.A. 7.El Paso Oleo e Gas 8.Partex Brasil 9.Koch Petróleo 10.EnCanBrasil Limitada 11.Phoenix Empreendimentos Petróleo Brasileiro S.A.

47 OPERADORAS DO TIPO C NO RIO GRANDE DO NORTE Petrosynergy (Maritima) Petrosynergy (Maritima) Potioleo Potioleo Partex Partex Aurizonia Aurizonia Quantra Quantra Petrogal Petrogal Koch Koch Starfish Starfish

48 OPERADORAS DO TIPO D NO RIO GRANDE DO NORTE Proen Projetos Engenharia Comércio e Montagens Ltda. Proen Projetos Engenharia Comércio e Montagens Ltda. Rio Proerg Engenharia Ltda. Rio Proerg Engenharia Ltda. Genesis 2000 Exploração e Produção Genesis 2000 Exploração e Produção Arclima Engenharia Ltda. Arclima Engenharia Ltda. Sóllita Engenharia e Construção Ltda. Sóllita Engenharia e Construção Ltda.

49 OPORTUNIDADE HISTÓRICA O Rio Grande do Norte tem as melhores condições de assumir a liderança do mercado de oferta de bens e serviços para a industria de petróleo terrestre devido a apresentar:

50 Uma das bacias sedimentares terrestres com o melhor potencial para novas descobertas Um mercado de serviços, centrado em Mossoró, que atende as necessidades da Petrobras e de todas as outras operadoras,

51 Centro de Tecnologias do Gás – que cumpre um papel decisivo no desenvolvimento sustentado da indústria nacional, incentivando a competitividade empresarial e disseminando o uso de gás natural nos diversos segmentos de mercado.

52 A excelente resposta que o CEFET e a UFRN tem dado aos investimentos da ANP na área de formação de pessoal qualificado para a industria de petróleo. As empresas independentes estão contratando cada vez mais potiguares ao invés de trazer mão de obra de fora do estado

53 Sugestão: Criar mecanismos de incentivos às empresas operadoras de pequeno porte, e empresas de bens e serviços a consolidarem suas sedes regionais no estado do Rio Grande do Norte, fixando os talentos potiguares, e efetivamente acelerando o crescimento do estado.

54 Sugestão: A exemplo da ANP, considerar o tamanho das empresas (volume de produção) na distinsão entres as empresas operadoras no RN.

55 As ameaças presentes e futuras para as independentes

56 Ameaças quanto ao mercado Tratamento das empresas independentes como grandes empresas de petróleo (ou a falta de uma política de incentivo às pequenas empresas). Tratamento das empresas independentes como grandes empresas de petróleo (ou a falta de uma política de incentivo às pequenas empresas). Enfraquecimento político da ANP. Enfraquecimento político da ANP. Comercialização e logística da produção. Comercialização e logística da produção. Novo Cenário com a Autosuficiencia do Brasil. Novo Cenário com a Autosuficiencia do Brasil. Leis ambientais extremamente exigentes em alguns estados Leis ambientais extremamente exigentes em alguns estados Instabilidades nas questões de ICMS e impostos federais. Instabilidades nas questões de ICMS e impostos federais.

57 Ameaças quanto aos custos operacionais Custo, adequação e prazos na oferta de bens e serviços. Custo, adequação e prazos na oferta de bens e serviços. Incentivos por parte do governo quanto a regimes de importação de bens e equipamentos para exploração onshore (Falta de uma política de importação de bens usados de grandes centros produtores). Incentivos por parte do governo quanto a regimes de importação de bens e equipamentos para exploração onshore (Falta de uma política de importação de bens usados de grandes centros produtores). Política de impostos e royalties adequados a pequenos produtores, em campos de economicidade marginal. Política de impostos e royalties adequados a pequenos produtores, em campos de economicidade marginal.

58 O problema do tamanho do mercado Logística e Comercialização

59 Principais custos financeiros em projetos de Exploração & Produção de Petróleo Fase de investimentos em Exploração, Avaliação e Desenvolvimento da Produção ~3 milhões bbl/d poços ~6,2 milhões boe/d Peso relativo das empresas de petróleo independentes nos EUA

60 97% 3% PESO RELATIVO DAS EMPRESAS DE PETRÓLEO INDEPENDENTES NO BRASIL Única empresa Integrada (97% da produção) 3% 2. MERCADO DAS EMPRESAS INDEPENDENTES NO BRASIL

61

62 Logística - comercialização

63 Fortaleza-Pecem Guamaré Areia Branca Recife-Suape Aurizonia – João de Barro Oil Field Nearest Brazilian harbors Cabedelo Natal

64 Estação Coletora Auri-2 ETE/ETO Guamaré Braços de Carregamento Tanques de Armazenamento Guamaré Navio Petroleiro Estrada Medidor Volumétrico Fiscal - ANP Duto Caminhão Tanque Transpetro Petrobrás E & P Aurizônia Fluxograma Esquemático de Escoamento – versão 1 Guamaré: Petrobras facilities – actual option

65 Guamare –Petrobras - Transpetro

66 O caminho a percorrer: Associação das empresas independentes: Operações e contratações conjuntas. Otimização de compras e estoques de equipamentos Logistica e possivelmente comercialização em conjunto.

67 ESTRATÉGIAS Redução de custos Brasil. Fomento da Atividade. Redução do custo operacional setorial. Regulamentação do setor. Promover politica de treinamento voltada para as independentes

68 ABPIP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS PRODUTORES INDEPENDENTES DE PETROLEO E GAS

69 MOTIVAÇÃO PARA A CRIAÇÃO DA ABPIP: As ameaças presentes e futuras para as independentes que atuam no Brasil

70 Ameaças quanto ao mercado Tratamento das empresas independentes como grandes empresas de petróleo (ou a falta de uma política de incentivo às pequenas empresas). Tratamento das empresas independentes como grandes empresas de petróleo (ou a falta de uma política de incentivo às pequenas empresas). Instabilidades de médio e longo prazo das políticas aplicadas na área energética brasileira Instabilidades de médio e longo prazo das políticas aplicadas na área energética brasileira Comercialização e logística da produção. Comercialização e logística da produção. Novo Cenário com a Autosuficiencia do Brasil. Novo Cenário com a Autosuficiencia do Brasil. Leis ambientais extremamente exigentes em alguns estados Leis ambientais extremamente exigentes em alguns estados Instabilidades nas questões de ICMS e impostos federais. Instabilidades nas questões de ICMS e impostos federais.

71 Ameaças quanto aos custos operacionais Custo, adequação e prazos na oferta de bens e serviços. Custo, adequação e prazos na oferta de bens e serviços. Incentivos por parte do governo quanto a regimes de importação de bens e equipamentos para exploração onshore (Falta de uma política de importação de bens usados de grandes centros produtores). Incentivos por parte do governo quanto a regimes de importação de bens e equipamentos para exploração onshore (Falta de uma política de importação de bens usados de grandes centros produtores). Política de impostos e royalties adequados a pequenos produtores, em campos de economicidade marginal. Política de impostos e royalties adequados a pequenos produtores, em campos de economicidade marginal.

72 1) RISCO GEOLÓGICO 1) RISCO GEOLÓGICO 2) RISCO OPERACIONAL 2) RISCO OPERACIONAL 3) RISCO DOS INVESTIDORES 3) RISCO DOS INVESTIDORES - Falta de tradição em petróleo - Falta de tradição em petróleo - Falta de Farm in & Farm outs frequentes entre as independentes - Falta de Farm in & Farm outs frequentes entre as independentes - Falta de um mercado de investimento - Falta de um mercado de investimento - Falta de tradição no mercado de ações - Falta de tradição no mercado de ações Ameaças quanto aos riscos exploratórios e conjunturais

73 (i) Promover, defender e estimular o desenvolvimento da atividade de exploração e produção de petróleo e gás natural nas bacias sedimentares brasileiras, voltada para estímulo às empresas independentes de pequeno e médio porte, nos planos institucional, empresarial, tecnológico e operacional, contribuindo para a consolidação de uma indústria competitiva, sustentável, ética e socialmente responsável;. (i) Promover, defender e estimular o desenvolvimento da atividade de exploração e produção de petróleo e gás natural nas bacias sedimentares brasileiras, voltada para estímulo às empresas independentes de pequeno e médio porte, nos planos institucional, empresarial, tecnológico e operacional, contribuindo para a consolidação de uma indústria competitiva, sustentável, ética e socialmente responsável;. DOS OBJETIVOS

74 DOS ASSOCIADOS Art.5º – A ABPIP é constituída por número ilimitado de associados, cuja admissão será objeto de aprovação da Diretoria Executiva, com enquadramento nas seguintes categorias:. Art.5º – A ABPIP é constituída por número ilimitado de associados, cuja admissão será objeto de aprovação da Diretoria Executiva, com enquadramento nas seguintes categorias:. (i) Empresas de pequeno e médio porte, concessionárias da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, que atuem no Brasil, por excelência, na atividade de exploração e produção de petróleo e gás natural. (i) Empresas de pequeno e médio porte, concessionárias da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, que atuem no Brasil, por excelência, na atividade de exploração e produção de petróleo e gás natural. (ii) Empresas que aspirem à condição expressa na alínea (i) deste artigo, devidamente qualificada pela ANP para participar de rodadas de licitações. (ii) Empresas que aspirem à condição expressa na alínea (i) deste artigo, devidamente qualificada pela ANP para participar de rodadas de licitações.

75 EMPRESAS FUNDADORAS 1- AURIZÔNIA PETROLEO S. A. 2- KOCH PETRÓLEO DO BRASIL LTDA. 3- NORD OIL AND GAS S.A. 4- NORSE ENERGY DO BRASIL LTDA 5- PETROSYNERGY LTDA 6- QUANTRA PETROLEO S. A. 7- RAL ENGENHARIA LTDA 8- W WASHINGTON PETRÓLEO 9- SILVER MARLIN EXPL. E PROD. DE PETRÓLEO LTDA. 10- SEVERO VILLARES P. C. LTDA. 11- ORTENG PROJETOS E SISTEMAS LTDA 12- PETROGAL BRASIL LTDA 1- AURIZÔNIA PETROLEO S. A. 2- KOCH PETRÓLEO DO BRASIL LTDA. 3- NORD OIL AND GAS S.A. 4- NORSE ENERGY DO BRASIL LTDA 5- PETROSYNERGY LTDA 6- QUANTRA PETROLEO S. A. 7- RAL ENGENHARIA LTDA 8- W WASHINGTON PETRÓLEO 9- SILVER MARLIN EXPL. E PROD. DE PETRÓLEO LTDA. 10- SEVERO VILLARES P. C. LTDA. 11- ORTENG PROJETOS E SISTEMAS LTDA 12- PETROGAL BRASIL LTDA

76 PRIORIDADES DA ABPIP 1- Gestão junto a ANP para sensibilizar a agência quanto a necessidade de mudanças nos contratos de concessão para futuros leilões: 1- Gestão junto a ANP para sensibilizar a agência quanto a necessidade de mudanças nos contratos de concessão para futuros leilões: A necessidade da diferenciação entre os contratos onshore em bacias maduras e novas fronteiras, assim como a diferenciação nos contratos offshore quanto a profundidade da lâmina dagua. A necessidade da diferenciação entre os contratos onshore em bacias maduras e novas fronteiras, assim como a diferenciação nos contratos offshore quanto a profundidade da lâmina dagua. A questão conteúdo nacional nos contratos terrestres. A questão conteúdo nacional nos contratos terrestres.

77 PRIORIDADES DA ABPIP 2- A questão de acesso aos dados da ANP- BDEP para os independentes e o controle de qualidade dos dados terrestres 2- A questão de acesso aos dados da ANP- BDEP para os independentes e o controle de qualidade dos dados terrestres 3- As questões ambientais nos diversos estados.O impacto dos conflitos entre os órgãos ambientais estaduais, municipais, e federais no cumprimento dos PEMs das operadoras independentes. 3- As questões ambientais nos diversos estados.O impacto dos conflitos entre os órgãos ambientais estaduais, municipais, e federais no cumprimento dos PEMs das operadoras independentes. 4- Revisão da Lei do Royalties para os independentes em campos de economicidade marginal, considerando- se as dificuldades logísticas de um mercado monopolizado. 4- Revisão da Lei do Royalties para os independentes em campos de economicidade marginal, considerando- se as dificuldades logísticas de um mercado monopolizado.

78 PRIORIDADES DA ABPIP 5- Tratamento de Óleo e Água de Produção. Comercialização conjunta do óleo produzido e tratamento conjunto da água produzida. 5- Tratamento de Óleo e Água de Produção. Comercialização conjunta do óleo produzido e tratamento conjunto da água produzida. 6- As questões fiscais e tributárias nos diversos estados do Nordeste para viabilizar a comercialização conjunta da produção de óleo e gás. 6- As questões fiscais e tributárias nos diversos estados do Nordeste para viabilizar a comercialização conjunta da produção de óleo e gás. 7- O mercado de bens e serviços. 7- O mercado de bens e serviços.

79 As empresas AurizôniaPotióleoQuantra

80 ANP – BIDS 2002(BID04): POTIÓLEO 2003 (BID05): AURIZÔNIA 2004 (BID06): AURIZÔNIA + QUANTRA 2005 (BID07): AURIZÔNIA + QUANTRA + Phoenix

81 Acordo Operacional Acordo Operacional Acordo operacional para otimizar recursos e obter ganhos de escala em contratos. Dividir custos operacionais; Dividir estratégias exploratórias.... Operações e contratações conjuntas de: Aerogeofísica Aquisição Sismica Processamento Sísmico Sonda de perfuração Sonda de completação Aquisição de dados geoquímicos Estratégias de logística em conjunto.

82 DestaquesDestaques Importante carteira de projetos em E&P; Divisão equilibrada de risco exploratório entre bacias e objetivos distintos; Vantagem Competitiva: Detem um nicho de conhecimento no Nordeste em: Exploração Produção Logistica

83 Rápido ciclo de E&P; Posicionada para se tornar uma importante operadora independente terrestre; Estrutura operacional já em funcionamento e com previsão de crescimento contínuo com o aumento da produção de óleo e gás. VantagensVantagens

84 O mercado nacional da empresas independentes ainda é pequeno, frágil e dependente das ações da Petrobrás e da ANP…….. mas o potencial de crescimento é imenso…….


Carregar ppt "Exploração de óleo e gás no Brasil: A visão de uma empresa independente Renato Marcos Darros de Matos Diretor E&P QUANTRA PETRÓLEO AURIZÔNIA PETRÓLEO POTIÓLEO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google