A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Psicologia Organizacional – Unidade 2. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Psicologia Organizacional.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Psicologia Organizacional – Unidade 2. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Psicologia Organizacional."— Transcrição da apresentação:

1 Psicologia Organizacional – Unidade 2

2 Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Psicologia Organizacional

3 Cronograma: Turma ADG 0096 Psicologia Organizacional DataAtividade 31/05 2º Encontro 1ª Avaliação Disciplina 24/05 1º Encontro 14/06 3º Encontro 2ª Avaliação Disciplina 21/06 4º Encontro 3ª Avaliação Disciplina (FINAL) 07/06 FERIADO

4 Unidade 2 PESSOAS NO CONTEXTO ORGANIZACIONAL

5 Objetivos da Unidade: Compreender o fenômeno da liderança e os estilos de liderança atuais; Identificar as variáveis que compõem o trabalho em grupos e em equipes, compreendendo suas diferenças ; Entender o processo de conflito interpessoal e de negociação; Identificar os elementos que compõem o processo de comunicação;

6 TUTORIAL 2/45 Tópico 1 03 Indicação do Tópico Página da apostila Numeração do slide

7 TÓPICO 1 1/67 Liderança

8 1 Introdução 2/67 89 Unid. 2 Tópico 1 Liderança pode ser considerada como a capacidade de influenciar um grupo em direção à realização de metas e é necessária em todos os tipos de organização humana. É um tema extremamente atual, apesar de ser discutido há muito tempo.

9 1 Introdução 3/67 89 Unid. 2 Tópico 1 Quando se aborda o tema liderança, faz-se necessário também falar em poder. A liderança pode ser considerada um fenômeno do poder, afinal, quando uma pessoa influencia outra, ela está, de alguma forma, exercendo poder sobre ela.

10 2 Conceitos de Liderança 4/67 89 Unid. 2 Tópico 1 Liderança é a capacidade de conseguir que outras pessoas ultrapassem espontaneamente o estabelecido formalmente. Liderança é influência!

11 2 Conceitos de Liderança 5/67 92 Unid. 2 Tópico 1 O líder eficaz não é alguém amado e admirado. É alguém cujos seguidores fazem as coisas certas. Popularidade não é liderança. Resultados, SIM! (Peter Drucker)

12 2 Conceitos de Liderança 6/67 92 Unid. 2 Tópico 1 Liderança é um comportamento aprendido. Ela não é inata ou destinada a alguns escolhidos. Desenvolve-se mediante a experiência e as habilidades de liderança, devendo ser aprendida por meio da prática. Portanto, pessoas que não possuem características relacionadas à liderança podem desenvolvê-las.

13 3 Estilos de Liderança 3.1 Liderança Autocrática, Liberal e Democrática 7/67 94 Unid. 2 Tópico 1 * Liderança autocrática: o líder é duro e impositivo. Autoritário. Individualista. * Liderança liberal: o líder deixa todos à vontade. * Liderança democrática: o líder é atuante, consultivo e orientador. Há participação dos liderados no processo decisório. Liderança voltada para as pessoas.

14 3 Estilos de Liderança 3.2 Liderança Situacional 8/67 96 Unid. 2 Tópico 1 Essa teoria tenta identificar qual dos fatores situacionais é mais importante, e dentro destes utiliza-se o estilo de liderança mais adequado. Assim, a liderança é entendida dentro de um contexto mais amplo.

15 3 Estilos de Liderança 3.3 Liderança Servidora 9/67 97 Unid. 2 Tópico 1 O Líder Servidor sabe que nem todos se desenvolvem da mesma maneira; que as pessoas têm talentos naturais e, portanto, têm habilidades para encorajar esses dons; tem gentileza no trato com as pessoas e, para isso, demonstra humildade; possui respeito para com os outros, procurando entender seus pontos de vista, moldando novas ideias a partir dessa realidade.

16 3 Estilos de Liderança 3.4 Liderança Carismática 10/67 99 Unid. 2 Tópico 1 O Líder Carismático considera as necessidades dos seguidores acima de suas próprias, atuando como um modelo, comportando-se de uma maneira consistente, com ética, princípios e valores.

17 3 Estilos de Liderança 3.4 Liderança Carismática 11/67 99 Unid. 2 Tópico 1 Nessa perspectiva, o líder é admirado e desperta identificação. O líder carismático considera as necessidades dos seguidores acima de suas próprias, atuando como um modelo, comportando-se de uma maneira consistente, com ética, princípios e valores.

18 3 Estilos de Liderança 3.5 Liderança Transacional 12/67 99 Unid. 2 Tópico 1 A Liderança Transacional é uma transação pura e simples. Baseia-se na promessa e concessão de recompensas como forma de induzir as pessoas a se comportar da maneira que a administração espera ou pretende.

19 3 Estilos de Liderança 3.5 Liderança Transacional 13/ Unid. 2 Tópico 1 Na liderança transacional, existe uma troca (seja política, econômica, psicológica) entre o líder e o seguidor, enquanto ambos acreditarem que isso irá beneficiá- los. O líder oferece recompensas como: promoções, aumentos salariais, autonomia, etc.

20 3 Estilos de Liderança 3.6 Liderança baseada em Valores 14/ Unid. 2 Tópico 1 Na liderança baseada em valores, os líderes possuem oito características perceptíveis e que orientam a sua atuação:

21 3 Estilos de Liderança 3.6 Liderança baseada em Valores 15/ Unid. 2 Tópico 1 1.Estão continuamente aprendendo. 2. estão voltados para o serviço. 3. Irradiam energia positiva. 4. Acreditam nas outras pessoas. 5. Suas vidas são equilibradas. 6. Encaram a vida como uma aventura. 7. São sinérgicas. 8. Exercitam-se pela autorrenovação.

22 4 Inteligência Emocional 16/ Unid. 2 Tópico 1 Inteligência Emocional é um conjunto específico de aptidões utilizadas no processamento e conhecimento das informações relacionadas à emoção.

23 4 Inteligência Emocional 17/ Unid. 2 Tópico 1 Na história da psicologia moderna, o termo inteligência emocional expressa um estágio na evolução do pensamento humano: a capacidade de sentir, entender, controlar e modificar o estado emocional próprio ou de outra pessoa de forma organizada.

24 4 Inteligência Emocional 18/ Unid. 2 Tópico 1 * Autoconsciência; * Autocontrole ou autodisciplina; * Motivação; * Empatia; * Habilidade Social.

25 TÓPICO 2 19/67 Comunicação

26 1 Introdução 20/ Unid. 2 Tópico 2 Comunicação vem do latim communis, que significa tornar comum. Pode ser entendida como a transmissão de uma informação de uma pessoa a outra. Também pode ser definida como o processo pelo qual uma informação é intercambiada, compreendida e compartilhada. Compreende-se, então, que a comunicação envolve transações entre pessoas.

27 2 Conceitos de Comunicação 21/ Unid. 2 Tópico 2 Transferência e compreensão de mensagens. * O ser humano ouve 4 a 5 vezes mais rápido do que fala; * Geralmente, fala-se em média, 90 a 120 palavras por minuto; * 80% do tempo de uma pessoa é gasto em comunicação: 4% lendo, 11% escrevendo, 22% falando e 63% ouvindo.

28 3 Processo de Comunicação 22/ Unid. 2 Tópico 2 A primeira tentativa de comunicação do homem foi através dos símbolos e dos sinais. Após, utilizou-se da fala e a linguagem e, em seguida, a escrita e a impressão. Atualmente, vive-se na era digital e a comunicação acontece por diversos meios. A velocidade e a distância não são mais obstáculos para o processo de comunicação.

29 3 Processo de Comunicação 23/ Unid. 2 Tópico 2 O processo de comunicação é composto de sete partes: a fonte, a codificação, o canal, a decodificação, o receptor, a retroação (feedback) e o ruído.

30 3 Processo de Comunicação 24/ Unid. 2 Tópico 2 * Comunicação Verbal: é o modo mais familiar e mais frequentemente usado. A fala é um código de signos regulados por convenções. Tem como característica ser rápida, imediata e flexível.

31 3 Processo de Comunicação 25/ Unid. 2 Tópico 2 * Comunicação Não Verbal: a comunicação também acontece através de signos como gestos, sinais, entre outros que dizem muito a respeito de nossas atitudes e sentimentos.

32 3 Processo de Comunicação Comunicação Não Verbal 26/ Unid. 2 Tópico 2 * Linguagem do Corpo: há uma grande quantidade de informações que são transmitidas aos outros através da postura e expressão de nosso corpo. Inclui cinco elementos: gestos, expressão, postura do corpo, espaço e proximidade do corpo, toque.

33 3 Processo de Comunicação Comunicação Não Verbal 27/ Unid. 2 Tópico 2 * Paralinguagem: refere-se à entonação, ritmo, tom de voz e outros aspectos da fala.

34 3 Processo de Comunicação Comunicação Não Verbal 28/ Unid. 2 Tópico 2 * Vestuário: a forma de se vestir de uma pessoa também é considerada uma característica de comunicação, visto que revela informações sobre a personalidade da pessoa e, em muitos casos, a identidade do grupo ou subgrupos a que pertencem.

35 3 Processo de Comunicação 29/ Unid. 2 Tópico 2 * Simbólica: esse canal de comunicação se refere aos símbolos usados pelas pessoas e que revelam informações sobre elas e suas atitudes. O local em que moram, a decoração de sua casa, o local que escolhem para uma reunião podem se constituir em fontes de informação.

36 3 Processo de Comunicação 3.1 Barreiras à Comunicação 30/ Unid. 2 Tópico 2 Barreiras são restrições ou limitações que ocorrem dentro ou entre as etapas do processo de comunicação. O processo de comunicação está sujeito à influência de um conjunto de variáveis que o influenciam, podem barrar ou constituir fontes de ruído. O quadro 10 expõe estas barreiras.

37 3 Processo de Comunicação 3.2 Feedback 31/ Unid. 2 Tópico 2 É a comunicação a uma pessoa ou grupo no sentido de fornecer-lhe informações sobre como sua atuação está afetando outras pessoas.

38 3 Processo de Comunicação 3.3 Como Melhorar a sua Comunicação 32/ Unid. 2 Tópico 2 A escolha do veículo para a transmissão de uma mensagem é fator importantíssimo para torná-la efetiva. A escolha correta do canal é fator determinante da efetividade da comunicação.

39 3 Processo de Comunicação 3.3 Como Melhorar a sua Comunicação 33/ Unid. 2 Tópico 2 * Use múltiplos canais; * Procure ter empatia com os outros; * Pratique a escuta ativa; * Utilize o feedback; * Use linguagem apropriada e direta; * Forneça informações claras e completas; * Use comunicação face a face.

40 TÓPICO 3 34/67 Grupos e Equipes de Trabalho

41 1 Introdução 35/ Unid. 2 Tópico 3 A habilidade para trabalhar em equipe é fundamental para qualquer pessoa que esteja inserida no mercado de trabalho e é uma competência profissional exigida por praticamente todas as organizações.

42 1 Introdução 36/ Unid. 2 Tópico 3 Entretanto, trabalhar com outras pessoas nem sempre é tarefa fácil. É preciso controlar a impulsividade, saber comunicar-se, administrar questões pessoais e, principalmente, manter o foco nas metas e objetivos a serem alcançados.

43 2 Grupos de Trabalho 37/ Unid. 2 Tópico 3 Um grupo é constituído por duas ou mais pessoas que interagem entre si, de tal maneira que o comportamento e o desempenho de uma delas são influenciados pelo comportamento e desempenho da outra. (SHAW, 1971 apud CHIAVENATO, 2005, p. 133).

44 2 Grupos de Trabalho 2.1 Tipos de Grupos 38/ Unid. 2 Tópico 3 Os grupos Formais são aqueles que surgem de uma determinação da organização, com a definição de uma tarefa específica a ser cumprida. Ex.: comissões, grupos de auditoria, etc.

45 2 Grupos de Trabalho 2.1 Tipos de Grupos 39/ Unid. 2 Tópico 3 Ainda podem ser: * Grupos de comando; * Grupos de tarefa; * Grupos temporários com prazos definidos.

46 2 Grupos de Trabalho 2.1 Tipos de Grupos 40/ Unid. 2 Tópico 3 Os grupos Informais são aqueles que surgem espontaneamente devido às relações de interação entre as pessoas, tais como: grupos de estudo, de amigos, panelinhas, etc.

47 2 Grupos de Trabalho 2.1 Tipos de Grupos 41/ Unid. 2 Tópico 3 Ainda podem ser: * Grupos primários; * Grupos de interesse; * Grupos de amizade; * Coalizões.

48 2 Grupos de Trabalho 2.2 Coesão Grupal 42/ Unid. 2 Tópico 3 É definido como a harmonia e o equilíbrio entre as partes de um todo ou os membros de um grupo. A coesão de uma equipe é um processo dinâmico, refletido na tendência do grupo em se unir na direção de objetivos e metas.

49 3 Equipes de Trabalho 43/ Unid. 2 Tópico 3 Entende-se que uma equipe é, essencialmente, formada por pessoas que possuem uma meta comum, pela qual são guiadas e para a qual congregam ações e esforços.

50 3 Equipes de Trabalho 44/ Unid. 2 Tópico 3 Sinergia: é o efeito resultante da ação de vários agentes que atuam da mesma forma, cujo valor é superior ao valor do conjunto desses agentes, se atuassem individualmente. Portanto, quando as pessoas atuam em grupo.

51 3 Equipes de Trabalho 3.1 Estágios de Desenvolvimento de uma Equipe 45/ Unid. 2 Tópico 3 1. Formação: etapa em que as pessoas ingressam na equipe. 2. Tormenta: nessa etapa surge o conflito intergrupal.

52 3 Equipes de Trabalho 3.1 Estágios de Desenvolvimento de uma Equipe 46/ Unid. 2 Tópico 3 3. Normalização: desenvolve-se um estreito relacionamento entre as pessoas da equipe. 4. Desempenho: etapa em que a estrutura da equipe já está totalmente definida, é funcional e aceita por seus membros.

53 3 Equipes de Trabalho 3.2 Tipos de Equipes 47/ Unid. 2 Tópico 3 Podem existir vários tipos de equipes em uma organização de trabalho. As equipes podem ser divididas em: verticais, horizontais, com propósito especial e autodirigidas.

54 3 Equipes de Trabalho 3.3 Equipes Altamente Eficazes 48/ Unid. 2 Tópico 3 Uma verdadeira equipe de trabalho precisa de tempo para que seus membros possam, por exemplo, ajustar suas diferenças individuais (de percepção, de forma de trabalhar, de relações...).

55 4 Diferenças entre Grupos e Equipes de Trabalho 49/ Unid. 2 Tópico 3 Toda equipe é um grupo, mas nem todo grupo pode ser considerado uma equipe. Um grupo é formado por um conjunto de pessoas com objetivos comuns, que, em geral, se reúnem por afinidades.

56 4 Diferenças entre Grupos e Equipes de Trabalho 50/ Unid. 2 Tópico 3 Equipe é um conjunto de pessoas com objetivos comuns, atuando no cumprimento de metas específicas, que só podem ser alcançadas com o esforço de todos os seus integrantes.

57 TÓPICO 4 51/67 Conflito e Negociação

58 1 Introdução 52/ Unid. 2 Tópico 4 Um conflito pode ser entendido como a oposição de ideias, sentimentos ou interesses. Duas pessoas são suficientes para o início de um conflito, mas as possibilidades de atritos aumentam na dimensão direta da quantidade de pessoas envolvidas.

59 1 Introdução 53/ Unid. 2 Tópico 4 Pode-se afirmar que onde houver mais de uma pessoa haverá algum tipo de conflito, pois pessoas têm diferentes percepções sobre fatos e situações, valores éticos e morais, culturais e interesses.

60 2 Conceitos de Conflito 54/ Unid. 2 Tópico 4 Segundo Chiavenato (2005, p. 391), Conflito é um processo de oposição e confronto que pode ocorrer entre indivíduos ou grupos nas organizações quando as partes exercem poder na busca de metas ou objetivos valorizados e obstruem o progresso de uma ou mais das outras metas.

61 3 Conflito 55/ Unid. 2 Tópico 4 Algumas situações que podem levar ao surgimento de um conflito: * Experiência de frustração; * Diferenças de personalidade; * Metas diferentes; * Diferenças em informações e percepções.

62 3 Conflito 3.1 Condições Antecedentes de Conflitos 56/ Unid. 2 Tópico 4 * Diferenciação: cada grupo se especializa mais na busca de eficiência. Esse processo acaba diferenciando os grupos dentro da organização, que passam a ter objetivos e interesses diferentes.

63 3 Conflito 3.1 Condições Antecedentes de Conflitos 57/ Unid. 2 Tópico 4 * Recursos compartilhados e limitados: a percepção da necessidade e da forma como deverão ser distribuídos e alocados esses recursos podem gerar diversos conflitos.

64 3 Conflito 3.1 Condições Antecedentes de Conflitos 58/ Unid. 2 Tópico 4 * Interdependência de atividades: ocorre quando um grupo não pode realizar a sua tarefa, a menos que o outro grupo realiza a sua.

65 3 Conflito 3.2 Tipos de Conflito 59/ Unid. 2 Tópico 4 * Conflito latente: não é declarado; * Conflito percebido: existe o conflito mas não há manifestação; * Conflito sentido: já existe e é sentido em ambas as partes; * Conflito manifesto: já atingiu ambas as partes, é percebido por terceiros e pode interferir na dinâmica da organização.

66 3 Conflito 3.3 Níveis de Abrangência dos Conflitos 60/ Unid. 2 Tópico 4 * Conflito Intergrupal: ocorre entre grupos organizacionais; * Conflito Interpessoal: ocorre entre uma pessoa e outra; * Conflito Intraindividual: ocorre intimamente, dentro da pessoa.

67 3 Conflito 3.4 Resolução de Conflitos 61/ Unid. 2 Tópico 4 A resolução do conflito pode ocorrer por meio de processos, tais como: * Fuga ou evitação; * Impasse; * Ganhar/Perder; * Conciliação; * Integração.

68 3 Conflito 3.5 Consequências dos Conflitos 62/ Unid. 2 Tópico 4 Efeitos benéficos dos conflitos: * Aumento da coesão grupal; * Inovação; * Mudança; * Mudança na relação entre os grupos conflitantes.

69 3 Conflito 3.5 Consequências dos Conflitos 63/ Unid. 2 Tópico 4 Efeitos maléficos dos conflitos: * Frustração; * Perda de energia; * Decréscimo da comunicação; * Confronto.

70 3 Conflito 3.5 Consequências dos Conflitos 64/ Unid. 2 Tópico 4 Manter a calma pode ser crucial diante de situações de conflito. Quando se mantém a calma diante de um conflito consegue-se avaliar melhor a questão, é possível colocar-se no lugar do outro, buscando uma nova forma de percepção.

71 4 Conceitos de Negociação 65/ Unid. 2 Tópico 4 Negociação é um processo de tomada de decisão entre as partes interdependentes que não compartilham preferências idênticas. É através da negociação que as partes decidem o que cada um deve dar e tomar em seus relacionamentos.

72 5 Processo de Negociação 66/ Unid. 2 Tópico 4 1. Buscar soluções integrais; 2. Preparar-se para o melhor acordo possível; 3. Saber ouvir e aprender; 4. Ir além do impasse; 5. Evitar armadilhas.

73 5 Processo de Negociação 67/ Unid. 2 Tópico 4 Em uma negociação estão em jogo diversos interesses, entretanto, as negociações também envolvem ética. O negociador precisa ter credibilidade e que para garantir tal credibilidade é importante não se utilizar de mentiras bem como dizer não às propostas antiéticas.

74 Parabéns!!! Terminamos a Unidade.

75 PRÓXIMA AULA: Psicologia Organizacional 3º Encontro da Disciplina 2ª Avaliação da Disciplina (Dez questões sem consulta)


Carregar ppt "Psicologia Organizacional – Unidade 2. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Psicologia Organizacional."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google