A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

De Beijing a Lhasa UM TRIBUTO AOS CONSTRUTORES DE CAMIMHOS DE FERRO Author: Eddy Cheong.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "De Beijing a Lhasa UM TRIBUTO AOS CONSTRUTORES DE CAMIMHOS DE FERRO Author: Eddy Cheong."— Transcrição da apresentação:

1 De Beijing a Lhasa UM TRIBUTO AOS CONSTRUTORES DE CAMIMHOS DE FERRO Author: Eddy Cheong

2 DESAFIOS Desde a fundação da República da China pelo Dr. Sun Yat-sol em 1911 tem sido o sonho da China ter um sistema ferroviário nacional que ligue todas as províncias do país. Tibete tornou-se a última província a ser ligada, devido a grandes obstáculos difíceis de superar. frágil

3 Esta é a "mãe de milhares de Montanhas". O lendário escritor americano Paul Theroux uma vez profetizou que esta "formidável cadeia de montanhas que separa o Tibete do resto da China seria uma garantia de que uma linha de comboio para Lhasa - que a China tem sonhado desde os anos 1950, nunca seria construída ". Cerca de 85 por cento da via férrea está localizada na "zona proibida., também conhecida como a "Zona da Morte" por causa do ar, clima severo e imprevisível, tempestades ferozes e radiação UV alta. A temperatura média anual é de menos zero graus, chegando a atingir os -45 graus C. A altitude média de via férrea aqui é metros acima do nível do mar. O ponto mais alto é metros tornando-se a linha mais elevada do mundo. Ao construir o Tunnel, Mountain Fenghuo – metros acima do nível do mar - os trabalhadores tiveram que ser equipados com cilindros de oxigénio. Uma estação produtora de oxigénio para "alimentar" o túnel foi construído. Dezassete dessas estações foram construídas ao longo da linha ferroviária equipada com cabines de alta pressão de oxigénio para os trabalhadores poderem recuperar. Como construir uma linha ferroviária nestas montanhas para província mais remota da China, o Tibete?

4 Havia metros de altas montanhas para escalar, vales com 12 km de largura, centenas de quilómetros de gelo perene e lama que nunca poderiam apoiar carris e comboios. Como pode alguém abrir um túnel através da rocha com 40 graus negativos e com a dificuldade de oxigénio?

5 Há um total de 550 km de gelo ao longo do percurso ferroviário. O gelo não é compacto e o solo fica húmido no verão,- um pesadelo para os engenheiros ferroviários. A solução mais viável é a construção de diques de contenção de pedra para a fundação da linha ferroviária. Nalguns lugares, os engenheiros enterraram tubos de ventilação no chão para permitir que o ar frio circule por baixo. Em outros pontos, um tubo chamado de termossifão é afundado a 5 metros do chão e cheio na parte inferior com amónio. O amoníaco torna-se gás a baixa temperatura, dando um vapor que retira calor a partir da parte inferior do tubo e descarrega-o para fora do topo. A construção de uma ponte sobre o gelo. Isto tem o menor impacto sobre a área, mas é também o mais caro. Por exemplo, a 11,7 km Qingshuihe Bridge é a ponte mais longa no mundo construída em solo gelado. Um sistema de monitoramento foi instalado para manter informação sobre a mudança de temperatura ao longo do troço de 550 km de solo gelado da rota.

6 Proteção ambiental dos ecossistemas: Alguns RMB2.54 bilhões foram investidos pelas autoridades chinesas na proteção ambiental do projeto. A proteção do ambiente ecológico foi uma preocupação essencial do projeto. As rotas foram selecionadas para que pudessem manter-se longe dos principais habitats de animais selvagens. Por exemplo, a rota original foi abandonada porque passava pelas reservas de grues de pescoço negro. Enquanto noutros lugares, como a seção cortando o Hohxil, Qumar e reservas naturais Soga, os projetistas minimizaram a perturbação para as reservas naturais de antílopes tibetanos ameaçados de extinção e burros selvagens através da construção de 25 passagens de animais selvagens com base no seu hábito de migração. Reduzir o impacto negativo sobre o meio ambiente ecológico ao mínimo durante a construção ferroviária, foi uma preocupação constante. Em todos os vagões do combóio foram instalados como amigos do ambiente - banheiros, tanques de depósito de águas residuais e instalações de tratamento de lixo para proteger o meio ambiente ao longo da rota

7 Beijing West – aqui começa nossa história

8 Beijing West Railway Station é a primeira etapa da nossa aventura de combóio para Lhasa

9 Companheira de viagem, Joey aponta para o sinal que diz, "Beijing West para Lhasa".

10 Tendo em conta a proteção ambiental, todos os combóios que entram no Tibete, vindos da China província estão equipados com compactadores de lixo e banheiros a vácuo. Nenhum lixo pode ser deixado para trás depois dos combóios sairem. Nesta foto, pode ver um trabalhador recolhendo os resíduos sanitários de um combóio na Qinghai-Tibet Railway utilizando tecnologia de vácuo instalada na estação de Golmud.

11

12 A proteção do meio ambiente foi uma prioridade importante para projetistas ferroviários da China

13 Joey aprecia as paisagens que vão mudando ao longo da viagem

14 Tibete é a província mais remota da China e tem sido parte da China desde a época do Imperador Kublai Khan. O Planalto de Qinghai-Tibete é a casa do chiru - antílope tibetano. Chiru é um animal altamente protegido na China. Quatro áreas protegidas foram reservadas especificamente para proteger as espécies da vida selvagem no planalto tibetano, incluindo as populações Chiru e Habitat: Chang Tang Nature Reserve, Xianza Natureza, Kekexili National Reserve, e Shan Arjin Reserva Natural Apesar da proteção legal, a população de chiru está continuamente em declínio e hoje esta espécie está extremamente ameaçada de extinção. A caça ilegal é a principal ameaça. Os chirus estão a ser abatidos ilegalmente por causa da sua lã, que é conhecida no mercado internacional como "shahtoosh" ou "rainha da lã." Devido ao afastamento no entanto, essas reservas naturais são incapazes de proteger eficazmente o chiru ou seu habitat.? Shahtoosh é considerada uma das melhores fibras animais no mundo e xales e cachecóis shahtoosh tornaram-se símbolos de status alta moda no Ocidente, à venda por até US $ cada. A lã é contrabandeada do Tibete, principalmente para a Caxemira, onde é tecida em um tecido extremamente fino a partir do qual os xales e cachecóis são tecidas. Embora o chiru seja protegido na China, ainda é legal para tecer shahtoosh na Índia..

15 Cozinha ocidental está disponível no menu

16 O serviço de combóio é excelente. Simpático, fornece bebidas diárias de frutas, lanches e bebidas, com um sorriso.

17 Os passageiros não sofrem a doença de altura elevada, porque as carruagens são totalmente climatizadas e pressurizadas como nos aviões. Máscaras de oxigênio também estão disponíveis nos seus quartos de dormir, bem como ao longo dos corredores do combóio e banheiros.

18 Um cenário bonito e saudáveis refeições quentes estão disponíveis no seu menu.

19 Direcionados para as questões ambientais do Planalto do Tibete, as autoridades orçaram cerca de 8% do custo total de construção - pelo menos RMB2.54 bilhões (EUA $ 180 milhões) - para a preservação ecológica, o maior valor de todos os projetos de construção ferroviária da China. Como a maioria de gado e vida selvagem pastoreiam em liberdade, a linha foi elevada na maioria dos lugares.

20 Túneis na montanha

21 Building A construção de uma ponte sobre o solo de gelo. Isto tem o menor impacto sobre a área, mas é também o mais caro. A 11,7 km Qingshuihe Bridge é a ponte mais longa no mundo construída em solo gelado.

22

23

24 Animais pastam pacificamente - alheios à nossa passagem de combóio

25 Sempre que possível, a linha férrea é elevada para permitir a passagem de espécies migratórias (por exemplo, antílopes selvagens) e para minimizar qualquer impacto adverso sobre o outro ambiente natural

26 Beleza intemporal do Lago Namtso

27

28 O combóio sobe a uma altitude superior a metros.

29 O comprimento total do Qingzang ferroviário é de 1956 km. A linha inclui a passagem de Tanggula, a m, acima do nível do mar, a linha mais alta do mundo ferroviário. A m de túnel Fenghuoshan encontra-se o túnel ferroviário mais alto do mundo, a m acima do nível do mar. O túnel Yangbajing 3345-m é o maior túnel na linha.

30 Parando para tirar uma foto com gelo como pano de fundo

31 O nosso combóio passa por gelos e montanhas cobertas de neve no caminho para Lhasa

32

33 Desde o início, os departamentos de design protegeram a migração dos antílopes

34 A vida selvagem, tais como ursos e burros selvagens já se adaptaram com sucesso à presença da linha ferroviária.

35 Iaques pastando pacificamente indiferentes à passagem do combóio

36

37 Beleza encantadora do Lago azul de Yamdrok

38 O nosso combóio passa pelo Mosteiro Patola no caminho para a Estação Ferroviária de Lhasa

39 Com a abertura da linha de caminho de ferro Qinghai-Tibet e do novo aeroporto de Nyingchi, houve uma inundação turistas para o Tibete, atingindo os 4 milhões no ano passado, um aumento de 60 por cento.

40 Interior da Estação Ferroviária de Lhasa

41 Saída da estação de Lhasa

42 Exterior da Estação ferroviária de Lhasa

43 A Estação de Lhasa – mais parecendo um terminal do aeroporto de primeira-classe do que uma estação ferroviária. De acordo com o meu guia de turismo local tibetano quando eu estava em Lhasa, disse-me que a economia do Tibete nunca foi auto- suficiente, o bastante para dar o seu povo uma vida significativa. Todos os anos, o Tibete sofre um déficit orçamentário permanente e, portanto, baseia-se forte e totalmente do financiamento federal a partir do Governo central. Graças a Pequim, o desenvolvimento e prosperidade chegou finalmente nesta remota província chinesa. Eu vi estradas impressionantes, pontes, linhas de caminho de ferro e infra- estrutura de alto nível. O Governo Central aplicou mais de US $ 4 bilhões para a construção deste sistema ferroviário sozinho - o mais caro do mundo.

44 Tibete é a província mais remota da China. Faz parte da China desde a dinastia Yuan ( AD). O Governo Nacionalista Kuomintang de Chiang Kai-Shek era pobre demais para cuidar de si - muito menos uma província montanhosa distante, como o Tibete. Ao contrário da propaganda ocidental, no Tibete, com o Dalai Lama era uma sociedade escravizada, onde os lamas tinham o privilégio de tudo. Os Tibetanos foram doutrinados por Lama Budismo a aceitar suas vidas como servos e escravos para as lamas poderosos e ricos que viveram uma vida de luxo. O Presidente Mao mudou tudo isso, quando estabeleceu o controle efetivo e administração depois que derrotou Chiang e proclamou a fundação da República Popular da China, em outubro de Com o apoio secreto da CIA, o Dalai Lama fugiu para a Índia em 1950, com um punhado de seguidores.

45 A nova ponte sobre o rio Tsangpo para a estação ferroviária

46 Área de recepção do hotel at Lhasa

47 FIM A ponte do Rio Lhasa liga o centro de Lhasa com a nova estação ferroviária Copyright reserved: E. Cheong New Huaren Federation 16 February 2011


Carregar ppt "De Beijing a Lhasa UM TRIBUTO AOS CONSTRUTORES DE CAMIMHOS DE FERRO Author: Eddy Cheong."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google