A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

E ainda nos achamos superiores O massacre de nove gorilas no Congo expõe os riscos de extinção da espécie Edição 2023 29 de agosto de 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "E ainda nos achamos superiores O massacre de nove gorilas no Congo expõe os riscos de extinção da espécie Edição 2023 29 de agosto de 2007."— Transcrição da apresentação:

1 E ainda nos achamos superiores O massacre de nove gorilas no Congo expõe os riscos de extinção da espécie Edição de agosto de 2007

2 O Parque Nacional de Virunga, na República Democrática do Congo, é o principal santuário dos gorilas-das-montanhas na África. Lá vive metade dos 700 animais da espécie que restam no mundo. Assim como os gorilas das planícies, mais numerosos, eles vêm sendo eliminados sistematicamente por caçadores e pela destruição de seu habitat. Os gorilas são hoje uma das espécies de animais do planeta ameaçadas de extinção.

3 Causou choque e revolta a execução sumária de nove gorilas do Parque de Virunga nos últimos sete meses. Os animais não foram mortos por caçadores profissionais, já que os corpos foram abandonados na selva, alguns deles parcialmente queimados. Além disso, foram encontrados junto a eles, vivos, dois gorilas bebês, que valeriam dólares no mercado negro de animais selvagens. Os guardas do parque logo elucidaram a charada: os matadores foram capangas dos madeireiros e carvoeiros da região, impedidos de entrar na reserva para derrubar árvores e afeitos a barbáries desse tipo como forma de retaliação e intimidação.

4 Os caçadores se multiplicam e se tornam mais ousados porque a caça de animais selvagens nunca foi um negócio tão lucrativo. A demanda por pele, dentes, presas e até pela carne dos animais da floresta é cada vez maior. Na Inglaterra, no ano passado, funcionários da alfândega apreenderam produtos e objetos feitos com partes de animais selvagens, muitos deles ameaçados de extinção.

5 O maior volume de apreensões foi de remédios da medicina oriental. O uso de tecidos, órgãos e glândulas de animais na medicina, a opoterapia, é um costume arraigado na cultura da China há muito tempo. Os chineses atribuem aos ossos do tigre poderes antiinflamatórios e aos testículos, propriedades afrodisíacas. Um tigre morto e dividido em pedaços pode render até dólares. Os animais selvagens também vão parar na mesa das populações pobres da África. Para muita gente, sua carne constitui a única forma de adicionar proteínas à dieta.

6 A experiência mostra que as ações de proteção aos animais e os parques de preservação são eficazes para evitar a extinção das espécies. As baleias jubarte, que costumam aparecer na costa brasileira, quase foram extintas nos anos 60. A pesca fez sua população cair de para animais. Com a ação de grupos de proteção, hoje já existem baleias jubarte nos oceanos. No sul da África, a população de rinocerontes-brancos, que há um século era de apenas cinqüenta, está em , graças à criação de parques nacionais e ao remanejamento de animais. A preservação de espécies não é tarefa fácil. Cada uma exige um projeto especial, dependendo de suas características e das ameaças sofridas.

7 Em vários países africanos, especialmente no Quênia, a opção para evitar a extinção de animais foi investir no TURISMO, transformando os safáris de caça em safáris fotográficos. Assim, as populações locais e estrangeiras se conscientizam da necessidade de manter os animais vivos. O mesmo foi feito no Parque Nacional de Virunga, onde os turistas pagam 500 dólares para passar uma hora ao lado dos gorilas e fotografá-los. Mesmo assim, os animais do parque congolês continuam a sofrer as investidas dos caçadores e, como se viu após o massacre de nove gorilas, dos capangas dos donos de madeireiras.

8

9

10

11


Carregar ppt "E ainda nos achamos superiores O massacre de nove gorilas no Congo expõe os riscos de extinção da espécie Edição 2023 29 de agosto de 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google