A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Belo Horizonte Maio de 2005 HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG Fonte: Assessoria de Planejamento do HC/UFMG, 2004.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Belo Horizonte Maio de 2005 HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG Fonte: Assessoria de Planejamento do HC/UFMG, 2004."— Transcrição da apresentação:

1

2 Belo Horizonte Maio de 2005

3 HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG Fonte: Assessoria de Planejamento do HC/UFMG, 2004

4 HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG Aspectos assistenciais e de ensino 95% clientela é SUS referência municipal, metropolitana e estadual internações/mês consultas ambulatoriais/mês 300 partos/mês cirurgias/mês funcionários 1400 alunos Medicina em atividades no complexo HC/UFMG 200 teses em andamento Distribuição da receita FATURAMENTO SUS: R$ ,00 4FATURAMENTO PLANOS DE SAÚDE E PARTICULARES: R$ ,00

5 PROJETO DAS UNIDADES FUNCIONAIS NO HC/UFMG HISTÓRICO DO PROCESSO DE REORGANIZAÇÃO NO HC/UFMG O PROJETO DAS UNIDADES FUNCIONAIS A INSERÇÃO DO HC NO SUS

6 OBJETIVOS DO PROJETO MELHORIA DO DESEMPENHO DO HC (ENSINO, PESQUISA E ASSISTÊNCIA) OTIMIZAÇÃO DA CAPACIDADE INSTALADA DESENVOLVIMENTO AUTO SUSTENTÁVEL

7 PRINCÍPIOS DO PROJETO DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVO- GERENCIAL DEMOCRATIZAÇÃO DO PROCESSO DE DECISÃO E DE GESTÃO DESENVOLVIMENTO DO PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO ESTRATÉGICO DEFINIÇÃO DE RESPONSABILIDADES E COMPROMISSOS ENTRE A DIREÇÃO E UF

8 ESTRATÉGIAS ADOTADAS COMPOSIÇÃO DAS UF POR AGREGAÇÃO DE SERVIÇOS AFINS CURSO DE CAPACITAÇÃO GERENCIAL DESENVOLVIMENTO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SITUACIONAL COM A ELABORAÇÃO DE DIAGNÓSTICO E PLANO DE TRABALHO POR UNIDADE FUNCIONAL DEFINIÇÃO DE INDICADORES E METAS

9 ESTRATÉGIAS ADOTADAS REESTRUTURAÇÃO GERENCIAL COM DEFINIÇÃO DE FUNÇÕES ESTRATÉGICAS DESCENTRALIZAÇÃO DO PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA PARA AS UNIDADES FUNCIONAIS IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICA DE INCENTIVO AO DESEMPENHO ATRAVÉS DO PID E DE RETORNO FINANCEIRO PARA A UNIDADE FUNCIONAL

10 1. PRONTO ATENDIMENTO 2. CLÍNICA MÉDICA - Clínica Médica de adulto - Dermatologia - DIP - CTI Adulto - Endocrinologia - Neurologia - Reumatologia 3. HEMATOLOGIA - Agência Transfusional - Hematologia - Oncologia - Quimioterapia - Transplante de Medula 4. MULTIPROFISSIONAL E PROMOÇÃO À SAÚDE - Fisioterapia - Psicologia - Terapia Ocupacional - Servico Social UNIDADES FUNCIONAIS 5. GINECO/OBSTETRÍCIA/NEO - Ginecologia - Obstetrícia - Neonatologia 6. CENTRO CIRÚRGICO 7. PEDIATRIA 8. CLÍNICO CIRÚRGICA I - Cardiologia/Cirurgia Cardiovascular - Nefrologia/Urologia - Pneumologia/Cirurgia Torácica - Transplante Renal 9. CLÍNICO CIRÚRGICA II - Cirurgia Plástica - Neurocirurgia - Ortopedia 10. GEN-CAD 11. SÃO GERALDO - Oftalmologia - Otorrinolariongologia 12. AMBULATÓRIOS BIAS FORTES E BORGES DA COSTA 13. APOIO DIAGNÓSTICO 1 - Anatomia Patológica - Laboratório de Patologia Clínica 14. APOIO DIAGNÓSTICO 2 - Radiologia - Medicina Nuclear 15. FARMÁCIA 16. NUTRIÇÃO E DIETÉTICA 17. CONVÊNIO/PARTICULAR 18. PROCESSAMENTO DE ROUPAS E MATERIAIS 19. INFRA-ESTRUTURA 20. FINANCEIRO 21. MATERIAL 22. ENGENHARIA HOSPITALAR 23. RECURSOS HUMANOS

11 ESTRUTURA DAS UF Estrutura gerencial – gerente e coordenações (médica, enfermagem e administrativa) Colegiado interno Diagnóstico e plano de trabalho incorporando indicadores e metas de desempenho por UF Planejamento e execução do orçamento por UF

12 ESTRUTURA DAS UF Gestão dos recursos existentes – RH, financeiros, assistencial, material e medicamentos Contrato de gestão com a Diretoria Avaliação semestral (Termos aditivos) com pagamento de prêmio por desempenho e retorno financeiro para a UF

13 INDICADORES UTILIZADOS  GERAIS  Absenteísmo  Relação faturamento/custo para as unidades assistenciais ou redução do custo para unidades administrativas  Satisfação de usuários  Ensino, pesquisa e extensão

14 INDICADORES UTILIZADOS  ESPECÍFICOS Definidos a partir dos processos de trabalho específicos e problemas encontrados no diagnóstico elaborado pela UF

15 INDICADORES UTILIZADOS  NAS UNIDADES ASSISTENCIAIS  Taxa de ocupação  Média de permanência  Produtividade ambulatorial  Taxa de cancelamento de cirurgias – p/ UF Cirúrgicas  Protocolos assistenciais  Tempo de espera para consulta*  Tempo de espera para cirurgia*  Taxa de infecção hospitalar*  Eventos adversos: úlcera de pressão, falta de abastecimento de gases medicinais, etc  Glosa de AIH*  Tempo decorrido entre a alta e entrega do prontuário para faturamento*

16 INDICADORES UF PEDIATRIA INDICADORES GERAIS 1-Absenteísmo 2-Relação Faturamento/Custo 3- Satisfação do usuário externo (ASV, CTI Pediátrico e Unidade de Internação) 4- Indicador de ensino e pesquisa 5- Média de permanência (Alas Leste, Sul e CTI) 6- Taxa de ocupação (Alas Leste, Sul e CTI)

17 INDICADORES ESPECÍFICOS 7- Elaboração de protocolos médicos 8- Elaboração de protocolos enfermagem 9- Redução Mortalidade CTI Pediátrico 10- Redução da taxa de infecção hospitalar CTI 11- MEDICAMENTOS SENTINELAS -Cefalosporina 4ª geração -Gamaglobulina - Interferon - Ciprofloxacina venosa -Anfotericina poliribossomol PROCEDIMENTOS E EVENTOS SENTINELAS 12- Nutrição parenteral prolongada (acima de três semanas) 13- Escaras 14- Realização de plenária multiprofissional 15- Redução do prazo para entrega de prontuário para faturamento INDICADORES UF PEDIATRIA

18 INDICADORES UF GESTÃO DE MATERIAIS INDICADORES % META AJUSTADA GERAIS Absenteísmo2% Custo DiretoCumprir orçamento proposto Satisfação do usuário80%

19 INDICADORES ESPECÍFICOSMETA AJUSTADA % Itens essenciais atendidos 97 % Tempo médio para realização do processo de compra Expediente 150 dias Higiene e Limpeza150 dias Filmes radiográficos100 dias Fios cirúrgicos 150 dias Órteses e próteses150 dias Médico-hospitalar 210 dias Medicamentos210 dias Laboratorial/Químico210 dias Gêneros Alimentícios180 dias Gases Medicinais180 dias Tecidos e Uniformes180 dias Bens Móveis180 dias Expediente 120 dias Higiene e limpeza120 dias Filmes radiográficos120 dias Fios cirúrgicos 120 dias Órteses e próteses120 dias Impressos gráficos120 dias Materiais permanentes105 dias Médico- hospitalar 150 dias INDICADORES ESPECÍFICOSMETA AJUSTADA Medicamentos105 dias Laboratorial – Químico150 dias Gêneros Alimentícios120 dias Óleo combustível80 dias Expediente 60 dias Higiene e limpeza60 dias Fios cirúrgicos 55 dias Órteses e próteses55 dias Gás de cozinha45 dias Impressos gráficos45 dias Médico- hospitalar75 dias Medicamentos 75 dias Laboratorial – Químico75 dias Gêneros Alimentícios 60 dias PREGÃO - Médico- hospitalar90 dias PREGÃO - Medicamentos90 dias PREGÃO - Químico- Laboratorial90 dias PREGÃO - 90 dias PREGÃO - Gases Medicinais70 dias PREGÃO - Material Permanente60 dias % de amostras analisadas dentro do prazo estipulado número de amostras enviadas para análise96 % Meta para o próximo semestre: criar novo indicador INDICADORES UF GESTÃO DE MATERIAIS Expediente 60 dias Higiene e limpeza60 dias Fios cirúrgicos 55 dias Órteses e próteses55 dias Gás de cozinha45 dias Impressos gráficos45 dias Médico- hospitalar75 dias Medicamentos 75 dias Laboratorial – Químico75 dias Gêneros Alimentícios 60 dias

20 AVANÇOS Descentralização do planejamento e da gestão com maior conhecimento e intervenção sobre a realidade Democratização institucional com maior participação dos trabalhadores na gestão e processo decisório Maior conhecimento do funcionamento do hospital (organização dos serviços; orçamento, custo e faturamento; relação com o SUS) Aumento da eficiência e otimização dos recursos existentes com melhoria do desempenho institucional

21 AVANÇOS Avaliação sistemática e pactuada do desempenho institucional Reflexão sobre a missão do HU e seu papel no SUS – relação com as unidades acadêmicas Revisão do modelo assistencial e de ensino no HC/UFMG

22 DIFICULDADES Relações de poder no HU (cultura e práticas autoritárias, burocráticas e verticalizadas) Relação unidades acadêmicas e papel assistencial do HC- modelo ensino ainda desarticulado do modelo de assistência desenvolvido Descompasso entre a reformulação feita no modelo de gestão e os modelos de assistência, ensino e pesquisa existentes Frágil rede de contratualidades entre as unidades Tensa relação com o gestor municipal

23 DIFICULDADES Lógica do cuidado subsumida pelas lógicas das profissões e adocrática – necessidade de rever modelo assistencial e de ensino Pequena participação das unidades acadêmicas no processo de implantação de algumas diretrizes institucionais Inadequação e insuficiência da política de financiamento RISCO DE BUROCRATIZAÇÃO DO PROCESSO RISCO DE BUROCRATIZAÇÃO DO PROCESSO

24 SITUAÇÃO ATUAL ASSINATURA DE 22 CONTRATOS DE GESTÃO

25 SITUAÇÃO ATUAL ASSINATURA DE 22 CONTRATOS DE GESTÃO OUTUBRO/2002 MULTIPROFISSIONAL NOVEMBRO/2002 PROCESSAMENTO DE ROUPAS E MATERIAIS DEZEMBRO/2002 HEMATOLOGIA APOIO DIAGNÓSTICO II (Imagem) AGOSTO/2003 APOIO DIAGNOSTICO I(Lab e Anat. Patol) SETEMBRO/2003 CLÍNICO-CIRÚRGICA I JANEIRO/2004 AMBULATORIAL ABF/ABC DEZEMBRO/2004 HSG; PA MAIO/2005 CLÍNICA MÉDICA

26 PROGRAMA DE INCENTIVO AO DESEMPENHO - PID SEGUNDA AVALIAÇAO PID - 1 O SEMESTRE 2002

27 INSERÇÃO DO HC/UFMG NO SUS 1- PAPÉIS DE REFERÊNCIA PRODUÇÃO DO CUIDADO E REFERÊNCIA PARA ATENDIMENTO DE URGÊNCIA, TRANSPLANTES, MATERNO-INFANTIL, ONCO-HEMATOLOGIA, AIDS, FIBROSE CÍSTICA, REPRODUÇÃO HUMANA PRODUÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS EM SAÚDE BALISAMENTO DE PROCEDIMENTOS E DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

28 HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG 2- IMPORTÂNCIA DO PRONTO ATENDIMENTO 3- RELAÇÃO COM AS CENTRAIS DE REGULAÇÃO: MARCAÇÃO E INTERNAÇÃO 4- CONTRATO DE GESTÃO COM O SUS/BH

29 CONTRATO DE GESTÃO COM O SUS/BH 1. COMPROMISSOS GERAIS 80% LEITOS PARA O SUS CENTRAL DE INTERNAÇÃO - FLUXO DAS CIRURGIAS ELETIVAS CENTRAL DE MARCAÇÃO CONSULTAS - 80% 1as CONSULTAS E REDUÇÃO RETORNOS 2. INDICADORES DE DESEMPENHO TAXA OCUPAÇÃO - MÍNIMO DE 80% MEDIA PERMANÊNCIA - 6 DIAS PRODUÇÃO AMBULATORIAL - PA 24 horas - COM ACOLHIMENTO E PA OFTALMOLOGICO IMPLANTAR CRONOGRAMA DE TREINAMENTO EM SERVIÇO E EDUCAÇÃO CONTINUADA PARA PROFISSIONAIS DA REDE MUNICIPAL

30 CONTRATO DE GESTÃO COM O GESTOR MUNICIPAL TAXA DE MORTALIDA MATERNA - 40 POR NV TAXAS DE INFECÇÃO HOSPITALAR POR SETOR TAXA DE MORTALIDADE HOSPITALAR - 2 % SATISFAÇÃO DE USUÁRIO AMBULAT E INTERNAÇÃO =ACIMA DE 80% 3. RECURSOS FINANCEIROS – PORTARIAS MEC/MS CONVÊNIO GLOBAL: VALORES PRÉ-FIXADOS DA MÉDIA COMPLEXIDADE VALORES DE PRODUÇÃO DA ALTA COMPLEXIDADE VALORES INTERMINISTERIAIS E INCENTIVOS

31 CONTRATO DE GESTÃO COM O GESTOR MUNICIPAL AVALIAÇÃO DO PROCESSO  RICO QUE POSSIBILITOU MELHORIA NAS RELAÇÕES E MAIOR INSERÇÃO NO SUS  TENSO PELOS DIFERENTES LUGARES E INTERESSES/DEMANDAS APRESENTADAS NEM SEMPRE ATENDIDAS - DIFICULDADES OPERACIONAIS DE AMBOS OS LADOS  NECESSIDADE DE GERIR TODO UM SISTEMA MUNICIPAL X GESTÃO DE UMA INSTITUIÇÃO HIPERCOMPLEXA COMO O HU (RELAÇÕES DE PODER, ENSINO X ASSISTÊNCIA, MODELOS DE GESTÃO, ASSISTÊNCIA E ENSINO)


Carregar ppt "Belo Horizonte Maio de 2005 HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG Fonte: Assessoria de Planejamento do HC/UFMG, 2004."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google