A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MERCHANDISING OUSAR E CRIAR, SEM DESRESPEITAR A LEGISLAÇÃO, É UMA ARTE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MERCHANDISING OUSAR E CRIAR, SEM DESRESPEITAR A LEGISLAÇÃO, É UMA ARTE."— Transcrição da apresentação:

1

2 MERCHANDISING

3 OUSAR E CRIAR, SEM DESRESPEITAR A LEGISLAÇÃO, É UMA ARTE

4 HISTÓRICO É uma atividade muito antiga - IDADE MÉDIA = Exposição de mercadorias pelos portões e depois pelas paredes nas principais ruas da cidade; = Intensificou com o auto-serviço nos Estados Unidos, Sucesso de vendas as mercadorias expostas em vitrines; = Com a chegada dos supermercados o próprio layout era feito para dar destaque as mercadorias fortalecendo ainda mais o merchandising;

5 MERCHANDISE = MERCADORIA MERCHANDISER = NEGOCIANTE MERCHANDISING = OPERAÇÃO COM MERCADORIAS

6 MERCHANDISING : - No PDV é a mídia mais rápida e eficaz. - Conta com 3 elementos para concretizar a venda: 1- O CONSUMIDOR 2- O PRODUTO 3- O DINHEIRO - As ferramentas estimulam a compra por impulso, despertam o desejo do consumidor em adquirir o produto.

7 A)CONCEITOS - É uma ação promocional ligada a presença física do produto; - É a operação de planejamento necessária para se pôr no mercado o produto ou serviço certo, no lugar certo, no tempo certo, em quantidade e preço certo; - É o conjunto de técnicas que são usadas para acelerar a decisão de compra do consumidor no PDV de maneira tal que aumente sua rotatividade; - É qualquer técnica, ação ou material promocional usado no PDV que proporcione informação e melhor visibilidade a produtos, marcas ou serviços, com o propósito de motivar e influenciar as decisões de compra dos consumidores; - É responsável pela apresentação destacada de produtos na loja, criando espaço e visibilidade, de maneira tal que acelere sua rotatividade.

8 É A VENDA SEM PALAVRAS

9 Portanto, o que os olhos vêem, o coração sente

10 OS CINCO SENTIDOS HUMANOS ( PERCEPÇÃO ) Aprendemos: 1,0% pelo PALADAR; 1,5% pelo TATO; 3,5% pelo OLFATO; 11,5% pela AUDIÇÃO; 83,0% pela VISÃO. Fonte: Veronis, Shler & Assoc.

11 MARKETING EXPERIENCIAL É ORIENTADO PARA A CRIAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS, PELA ESTIMULAÇÃO DA MENTE DO CLIENTE, DE SEUS SENTIDOS E DO SEU CORAÇÃO.

12 MARKETING EXPERIENCIAL OS VALORES: - SENSORIAIS; - EMOCIONAIS; - COGNITIVOS; - COMPORTAMENTAIS; - RELACIONAIS SUBSTITUEM OS VALORES FUNCIONAIS.

13 MARKETING EXPERIENCIAL ESTUDOS AFIRMAM: 30% DOS CONSUMIDORES DEFINEM A MARCA DO PRODUTO QUE COMPRARÃO NA PRÓPRIA LOJA; 10% DELES MUDAM DE IDÉIA E COMPRAM UMA MARCA DIFERENTE ; 20% COMPRAM CATEGORIAS QUE NÃO TINHAM A INTENÇÃO DE COMPRAR ANTES DE CHEGAR AO PDV.

14 MARKETING EXPERIENCIAL AS CORES SÃO FONTES DE - INFORMAÇÃO - SENSAÇÃO - LEMBRANÇAS

15 MARKETING EXPERIENCIAL VISÃO SIGNIFICADO DAS CORES O preto está associado à ideia de morte, luto ou terror, também se liga ao mistério e à fantasia. Hoje em dia com valor de uma certa sofisticação e luxo. Significa também dignidade. O associa-se à ideia de paz, de calma, de pureza. Também está associado ao frio e à limpeza. Significa inocência. O cinzento pode simbolizar o medo ou a depressão, mas é também uma cor que transmite estabilidade, sucesso e qualidade. O Bege é uma cor que transmite calma e passividade. Está associada à melancolia e ao clássico. O Vermelho é a cor da paixão e do sentimento. Simboliza o amor, o desejo, mas também simboliza o orgulho, a violência, a agressividade ou o poder.

16 MARKETING EXPERIENCIAL SIGNIFICADO DAS CORES O Vermelho escuro significa elegância, requinte e liderança. O Verde significa vigor, juventude, frescor, esperança e calma. O Verde-escuro está associado ao masculino, lembra grandeza. É uma cor que simboliza tudo o que é viril. O Verde-claro significa contentamento e proteção. O Amarelo transmite calor, luz e descontração. Simbolicamente está associado à prosperidade. É também uma cor energética, ativa que transmite otimismo. Está associada ao Verão. O Laranja é uma cor quente, tal como o amarelo e o vermelho. É pois uma cor ativa que, significa movimento e espontaneidade.

17 MARKETING EXPERIENCIAL SIGNIFICADO DAS CORES O Azul é a cor do céu, do espírito e do pensamento. Simboliza a lealdade, a fidelidade, a personalidade e sutileza. Simboliza também o ideal e o sonho. É a mais fria das cores frias. O Azul-escuro, é considerada uma cor romântica, talvez porque lembre a cor do mar, no entanto é uma cor que se associa a uma certa falta de coragem ou monotonia. O Azul claro significa tranquilidade, compreensão e frescor. O Castanho é a cor da Terra. Esta cor significa maturidade, consciência e responsabilidade. Está ainda associada ao conforto, estabilidade, resistência e simplicidade. O Roxo transmite a sensação de tristeza. Significa prosperidade, nobreza e respeito. O Lilás, significa espiritualidade e intuição.

18 MARKETING EXPERIENCIAL SIGNIFICADO DAS CORES O Rosa significa beleza, saúde, sensualidade e também romantismo. O Rosa claro está associado ao feminino. Remete para algo amoroso, carinhoso, terno, suave e ao mesmo tempo para uma certa fragilidade e delicadeza. Está ainda associado à compaixão. O Salmão está associado à felicidade e à harmonia. O prateado ou cor prata é uma cor associada ao moderno, às novas tecnologias, à novidade, à inovação. O Dourado ou cor ouro está simbolicamente associado ao ouro e à riqueza, a algo majestoso.

19 MARKETING EXPERIENCIAL ILUMINAÇÃO

20 MARKETING EXPERIENCIAL ESPELHOS

21 MARKETING EX PE RI EM CIAL VITRINES

22 MARKETING EXPERIENCIAL TATO

23 MARKETING EXPERIENCIAL OLFATO

24 MARKETING EXPERIENCIAL AUDIÇÃOAUDIÇÃO

25 PALADARPALADAR

26 OBJETIVOS Criar um cenário para o produto/serviço no ponto de venda, proporcionado maior giro nos estoques.

27 - 1 - Atrair mais clientes;

28 B) OBJETIVOS 2 - Vender mais por cliente;

29 B) OBJETIVOS Baixar os custos operacionais;

30 B) OBJETIVOS 4 - Aumentar a rotatividade dos produtos;

31 B) OBJETIVOS Obter maiores lucros

32 C) TÉCNICAS DE MERCHANDISING 1– NA COMUNICAÇÃO As indicações e identificações = Satisfação do cliente Placas suspensas que definem o grupo de produtos: - as de propaganda - as de vantagensTODAS BEM VISÍVEIS E LEGÍVEIS - as de oferta Placas verticais com algo escrito de baixo para cima têm 67,2% de boa visão, enquanto algo escrito de cima para baixo só tem 32,8%

33 2 - PREÇO - É o maior fator estimulador de compra por impulso; - Sem a etiqueta de preço o consumidor perde o impulso; - Preço baixo = giro ( anúncio em letras bem grande ); - Preço alto = valoriza o produto ( anúncio discreto ); - R$5,99 = confunde o consumidor - R$5,95 = efeito positivo

34 3) VANTAGENS A INFORMAR - Descontos, brindes, prêmios devem ser anunciados de forma simples e esclarecedora: errado: Compre aqui e ganhe uma surpresa Estamos com descontos sensacionais certo: Compre aqui e ganhe um super chaveiro Esta semana tudo com 20% de desconto

35 VISIBILIDADE CRIA VENDAS Vantagens de uma exposição bem feita: a) Para o consumidor: - Facilita a compra; - Economiza tempo; - Lembra necessidades; b) Para o varejista: - Cria fidelidade à loja; Atrai novos consumidores; Aumenta sua lucratividade Valoriza o espaço de sua loja c) Para o fornecedor: - Aumenta a rotatividade dos produtos Cria fidelidade ao produto e à marca

36 4) EXPOSIÇÃO E AMBIENTAÇÃO DE LINHAS - Ambientes externos e as vitrines = atraem consumidores - Ambientes internos = informam, seduzem e aclimatam o consumidor - Existem dois tipos de exposição/ambientação: a) A Promocional/Cenográfica: Visa apenas aumentar o giro de produtos ou de categorias inteiras. ex.: decoração de verão ( linha de bronzeadores, guarda-sóis, biquinis, etc... ), produtos infantis

37 4) EXPOSIÇÃO E AMBIENTAÇÃO DE LINHAS b) A Institucional: São feitas para criar o clima e cultivar a simpatia dos clientes. ex.: Papai Noel, Carnaval, Copa do Mundo ( benefício para a loja, altamente positiva e cativa o cliente).

38 5) TABLÓIDES E MALAS DIRETAS São considerados a melhor mídia do PDV: Manter sincronia – Produto ofertado, desejo do consumidor e a região. Bairros populares tablóides POPSos preços são os mesmos em ambos os bairros, muda o Bairros classe A tablóides TOPS destaque promocional

39 6) MATERIAL PROMOCIONAL: DEVEM TER: - Comunicação simples e objetiva; - Cores vibrantes ou contrastantes; - Texto curto, fácil, letras grandes;

40 6) MATERIAL PROMOCIONAL MATERIAL MAIS COMUM: Displays, cartazes, bandeirolas indicadoras, placas, manequins, stands, letreiros, faixas de gôndola, móbiles CRITÉRIOS BÁSICOS PARA ATINGIR O MÁXIMO DE EFICÁCIA: - Colocar em áreas de maior tráfego de público; - Evitar conflito exposto x anunciado; - Material no ângulo visual; - Produto acessível ao consumidor

41 7) NO LAY OUT DE LOJA - Criar um fluxo estimulante entre corredores e espaços; - Deve ser montado levando em conta o tipo e a classe de consumidor que se quer atingir; - Sempre vão existir áreas positivas e negativas ÁREAS POSITIVAS: - Pisos ( escorregadios x abrasivos ); - Na parte central das gôndolas; - 4m depois da entrada da loja; - Pontas de gôndola; - Ilhas baixas; - Corredores largos; - Perto dos produtos de alta procura; - Corredores de Fluxo obrigatório; - Prateleiras na altura dos olhos;

42 ÁREAS NEGATIVAS: - Entrada da Loja; - Saída da loja; - Início das gôndolas ( primeiros 40 cm ); - Final das gôndolas ( últimos 40 cm ); - Atrás dos balcões promocionais; - Corredores apertados; - Atrás de colunas ou perto de portas de acesso; - Atrás de pilhas ou ilhas altas; - à de 50 cm do chão; - mais de 1,80 cm do chão; - Perto do estacionamento dos carrinhos; - áreas fora do fluxo normal OBSERVAÇÃO:

43 8) DISPOSIÇÃO DE PRODUTOS Demonstração do Produto: - Existe para que o consumidor sinta ou experimente o produto;

44 8) DISPOSIÇÃO DE PRODUTOS Degustação do Produto: - Quando for alimento;

45 8) DISPOSIÇÃO DE PRODUTOS Espaço no PDV: - Quanto maior a participação do produto na gôndola, maiores serão os resultados da venda;

46 8) DISPOSIÇÃO DE PRODUTOS Estoque no PDV: - Alimentos = bom estoque Roupas = mostrar exclusividade

47 8) DISPOSIÇÃO DE PRODUTOS Posição do Produto: - A altura do consumidor. Ponta de gôndola, Ilha;

48 8) DISPOSIÇÃO DE PRODUTOS Preço: - Preço baixo = giro Preço alto = valoriza o produto.

49 8) DISPOSIÇÃO DE PRODUTOS Embalagem: - Visual constrói o cenário; Ajuda a vender; Cor; Design; Tecnologia.

50 QUATRO OBJETIVOS: - SEPARAÇÃO: Sexo, cor, tamanho, preço e estilo; VISIBILIDADE: 3m de distância; ACESSIBILIDADE: Fácil, não deve ser muito embaixo nem muito acima; DISPONIBILIDADE: Facilita a compra; Economiza tempo; Lembra necessidades; Quebra a monotonia.

51 9) PONTOS PRINCIPAIS A SEREM OBSERVADOS EM UMA EXPOSIÇÃO Localização = melhor trânsito

52 9) PONTOS PRINCIPAIS A SEREM OBSERVADOS EM UMA EXPOSIÇÃO Agrupamento = separação por categoria de produto; Posicionamento = altura para olhar, alcance para pegar;

53 9) PONTOS PRINCIPAIS A SEREM OBSERVADOS EM UMA EXPOSIÇÃO Comunicação = Sinalização com preço, oferta; Volume = Quantidade de mercadoria

54 10) TÉCNICAS PARA EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS OU EXIBITECNICA Criar um clima para que o consumidor veja o produto: VITRINESILHASFEIRAS EXPOSIÇÕESSHOW ROOMSTANDS SHOWSTV Ponto Normal: - Produto é colocado de forma permanente e onde o consumidor está acostumado a encontrá-lo. Localização junto à categoria à qual o produto pertence ex; vinho = no corredor de bebidas fortes

55 11 ) PONTO PROMOCIONAL OU EXTRA Local onde o produto é exposto por tempo limitado: ex: vinho = colocado na ponta de gôndola do corredor dos queijos. 12) LOCALIZAÇÃO JUNTO OU LONGE DA CATEGORIA Expor o carvão junto com: espetos, farofa, molhos, aventais, alcool, todos próximos ao açougue.

56 13) DURAÇÃO DE EXPOSIÇÃO EM PONTO EXTRA No máximo por 30 dias, de preferência 15 e mudar o ponto por mais 15 dias. 14) AGRUPAMENTO Agrupar produtos por categoria ou segmento. O consumidor quer ver todas as opções, marcas e preços juntos. ex.: Todas as cafeteiras da Arno devem estar juntas pois são todas cafeteiras.

57 15) ASSOCIAÇÃO - Calças perto dos cintos; - Molhos perto das massas; - Xampu perto dos sabonertes; - Camisa perto dos ternos; A ASSOCIAÇÃO DEVE ESTAR SEMPRE NA MENTE DE QUEM VAI MONTAR UMA VITRINE 16) IMPULSORES - Produtos de consumo obrigatório ou Líderes de mercado; - Para desovar produtos encalhados colocar sempre à direita do líder

58 17) EMPILHAMENTO Para construir uma pilha de produtos no chão devemos observar: - Isolar do chão ( paletes) ; - Fazer uma boa base; - A linha de cima deixar incompleta; - Arrumações perfeitas inibem o comprador; - Deixar sempre um ponto de pega ao alcance do consumidor.

59 18) VOLUME - Ter bom volume de estoque; - Quanto for roupas: mostrar exclusividade - Deve ser compatível com a rotação; - Ter previsão; - Combinar com a promoção ( encher os olhos dos consumidores)

60 19) ÂNGULO DE VISÃO E PONTO DE PEGA Altura máxima para colocar um produto = 2 metros Altura dos olhos = ângulo de visão, melhor local para expor ( 1,60 metros ); Altura das mãos ( ponto de pega ) = de 1 à 1,60 metros; Altura mínima = 0,50 cm.

61 20) ARRUMAÇÃO EM GÔNDOLA - Preencher todos os espaços com a altura adequada; - Seguir o movimento natural dos olhos como se estivesse lendo jornal: da esquerda para direita – de cima para baixo; - Produtos maiores a direita; - Produtos menores à esquerda; - Estar sempre à direita dos concorrentes; - Dar noção de ordem e alinhamento.

62 21) VERTICALIZAÇÃO De cima para baixo ocupando todas as prateleiras. Proporciona impacto e clareza visual. 22) HORIZONTALIZAÇÃO Deve ser evitada, confunde visualmente 23) EM BLOCOS -- Complica na escolha; - Difícil visualização; -- Serve para completar buracos ( está prevalecendo )

63 24) RODÍZIO FIFO OU PEPS 25) LIMPEZA Estar em perfeitas condições de higiene 26) LOCAIS DE EXPOSIÇÃO - Gôndolas ou prateleiras;vascas ou cestões ilhas

64 Displays Ponta de Gondola Prateleira encostada na parede

65 StandsCorner Balcões/Mesas com roda Vitrines ( externa e interna)

66 27) VITRINISMO - Identificação com o consumidor; - Tem que ser dinâmica e atrair olhares: - Trocar de 15 em 15 dias; - Refletem a imagem e o estilo da loja; Estilo leva a julgar os preços

67

68 Considerar: Profundidade, comprimento, lado do trânsito de veículos, fluxo de pedestre. distância entre produtos e o transeunte; Decorar com cetim ou papel crepom empobrece; Efeitos de iluminação, cores, temas;

69 Usar materiais inovadores, fundos e texturas que não apareçam mais que os produtos; Evitar lotear o espaço entre diversos fornecedores e sim criar um plano único de imagem para compor um mesmo ambiente;

70 Vitrine sazonal precisa ser ousada e fazer as pessoas pararem e pensarem; Ser fiel a alguma campanha na mídia, reviver os detalhes, criar ligação entre a imagem da propaganda e o merchandising;

71 Não expor produtos que não tem mais estoque, frusta o consumidor; Não entupir de produtos.

72 D) MERCHANDISING X PROPAGANDA - Merchandising é um recall da propaganda; - Reforça uma campanha na mídia; - Mantém o consumidor atento; - Propaganda sem ação no PDV = resultado duvidoso; - Campanha bem feita x PDV sem expressão e concorrente com melhor merchandising = RISCO; - 85% da decisão do consumidor é no PDV ( POPAI ); O MERCHANDISING É O ÚLTIMO ESFORÇO DE MARKETING QUE AS EMPRESAS UTILIZAM PARA O CONSUMIDOR LEVAR SEU PRODUTO

73 E) DICAS PARA UM BOM PLANO DE MERCHANDISING 1) Pesquise os pontos fortes e fracos da embalagem do material promocional, display e da localização; 1) Encontre o diferencial entre o seu produto e o dos concorrentes; 1) Identifique e atenda as necessidades de seu consumidor; 1) Trace objetivos e planos de trabalho para os PDCs e calcule a porcentagem esperada; 1) Faça avaliação dos resultados para medir acertos, erros, perdas, tendências sazonais e calcular riscos nas próximas ações; 1) Ouça o consumidor e o varejista sobre o seu produto e o trabalho de merchandising;

74 7) Invista em novidades; 8) Crie materiais simples, fáceis de montar, compreensíveis e que não poluam as lojas; 9) Parceria com o trade ( varejo ) e desafie os limites impostos pelo varejista frente ao merchandising; 10) Agilidade para repor estoque; 11) Estimular a equipe a alcançar metas possíveis; 12) Dê cobertura a sua equipe; 13) Visita semanal aos PDVs.

75 14) Flexibilidade e descentralização de decisões; 15) Nâo corrigir falhas na política de preços com promoções. Promove o concorrente; 16) Exigir da agência contratada o feedback de atuação dos PDVs.

76 F) MATERIAIS DE MERCHANDISING TEMPORÁRIOS São aqueles que ficam temporariamente no PDV. Materiais de vida curta, tempo de uma campanha: CARTAZES BANNER

77 FAIXA ADESIVO BALÃO INFLÁVEL MÓBILEDISPLAY

78 STOPPER FLOOR STICKER ( Película de vinil auto adesiva antiderrapante impressa com o logo do expositor para instalação no piso das áreas de circulação)

79 PERMANENTES Possuem uma vida longa, o tempo de permanência no PDV independe do tema da campanha. EXPOSITOR VERTICAL FREEZER GELADEIRA RACK LUMINOSO

80 PLACA TOLDO JOGOS DE MESA GUARDA-SOL

81 G) ATMOSFERA DE COMPRA Como criar uma atmosfera de compra: ATMOSFERA = Percepção do ambiente por meio de: - Iluminação; - Cores; - Música; - Aromas para estimular respostas emocionais e percepções;

82 PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ATMOSFERA NA LOJA Existem 5 princípios básicos para agradar o consumidor: 1) Como o consumidor vê o PDV ( decoração / visibilidade ); 2) Como se sente nele ( conforto, facilidades ); 3) Como é atendido ( simpatia e disposição dos funcionários ); 4) Como espera encontrar os produto ( localização, qualidade e preços ); 5) Qual a impressão que vai levar, comprando ou não. IMPORTANTE: Os consumidores avaliam o PDV e os Produtos como um conjunto e é muito importante que ele se sinta bem dentro da loja (fidelizar). O merchandising no PDV é realizado por meio da criação de uma atmosfera que induza à compra por impulso.

83 ITENS NECESSÁRIOS PARA CRIAR UMA ATMOSFERA DE COMPRA - Fachadas, luminosos, vitrines, arquitetura; - Música ambiente; - Perfume ou aromas característicos; - Iluminação, movimento, cores; - Decoração, ambientação de cada seção; - Pilhas de promoções, ofertas; - Cartazes, sinalização; - Exposições de mercadorias em balcões ou vitrines; - Espaços apropriados para andar sem bater nos outros; - Ar condicionado, paisagismo; - Uniforme dos funcionários; - Variedade de produtos; - Estacionamento fácil; - Banheiros, áreas de descanso...; - Bom atendimento;

84 CORES As combinações de cores devem atrair o público-alvo ou destacar mercadorias específicas: Crianças = Vermelho, azul, amarelo e verde; Adolescentes = Cores fortes e quentes; Esportistas = Cores radicais e vivas; Mulheres ( lingerie ) = Tons claros; Executivos = Cores cinza, azul-marinho, preto Importante: - Estar atento para a cor da moda ou estação; - Para grandes lojas, o importante é a clareza nas paredes, teto branco para economizar luz e os elementos de informativos dão a coloração necessária.

85 SOM ACRESCENTA A música cria envolvimento ATMOSFERA indispensável no ambiente. DEPRECIA O ritmo da música consegue controlar o ritmos do tráfego da loja; Manhã = músicas suaves e calmas ( ex. Pessoas maduras, 3ª idade ) Hora do Almoço = Compras rápidas rítmo acelerado ( trabalhadores em geral ) Tarde = Compras do mês ritmo atual mas leve ( ex. donas de casa ) Entre 17 e 19 hs = Hora do rush ritmo acelerado – compras rápidas p/ evitar filas Noite = ritmo suave e sossegado ( Lojas em geral, cliente tem tempo ) ritmo pesado ( entretenimento jovem )

86 LUZ A ILUMINAÇÃO É RESPONSÁVEL POR: - Clarear o ambiente - Destacar mercadorias, - Decorar espaços especiais - Acompanhar o estilo e personalidade local - Transmitir sensação de limpeza - Disfarça partes desagradáveis - Mudar a cor do produto ( cosméticos ) - Muda o humor e o comportamento Pouca luz ou muita luz = atrai ou não atrai o cliente. Desestimula entrar = à comprar IMPORTANTE: Um plano de iluminação pode sugerir: CLASSE, PRIVACIDADE, ATENDIMENTO PERSONALIZADO ou AUTO-SERVIÇO, PRATICIDADE, DESCONTRAÇÃO

87 AROMA OBSERVAÇÃO: A maioria das decisões de compra é baseada na necessidade ou na emoção. 1º VISÃO 2º OLFATO QUE PROVOCA MAIS EMOÇÕES. ex. Perfume = Personalisa o ambiente; Lembra pessoas, desejos e sentimentos ( fome, saudade, desagrado, felicidade ) Supermercados: - Nas gôndolas de pipoca = Cheiro a pipoca Nas gôndolas dos salgadinhos = Cheiro de bacon ou similar Nas gôndolas dos sanitários = Cheiro forte de flores ( Provoca aumento de + / - 20% nas vendas )

88 AROMA EVITAR CHEIROS FORTES = TESTÁ-LOS ANTES PARA O AMBIENTE GERAL Cheiros desprezíveis = Peixaria, açougue = afastam e criam desconfiança na limpeza e conservação. Cheiros apetitosos = Forno de pães, pizzas, bolos. Máquina de assar frangos etc. reforçam a vontade e o apetite = APROVEITAR ESTA OPORTUNIDADE PARA AS VENDAS

89 MOVIMENTO Adicionar movimento a uma decoração promocional podem aumentar as vendas 107% Decoração promocional sem movimento podem aumentar as vendas. 54%

90 MERCHANDISING BÁSICO É FÁCIL, MAS PRECISA SER FEITO COM ATENÇÃO E DETALHAMENTO EM TODOS OS PONTOS DE VENDA QUE CONSEGUIR. ASSIM, FREQUENTANDO AS LOJAS, A CONSUMIDORA SE ACOSTUMARÁ COM SUA MARCA, SEUS PRODUTOS E SEUS SERVIÇOS, TORNANDO-SE FIEL E LEVANDO SUA EMPRESA AO SUCESSO. REGINA BLESSA

91 TER IDÉIAS E DESENVOLVER ESTRATÉGIAS É IMPORTANTE, MAS O QUE CONTA MESMO É A CAPACIDADE DE REALIZÁ-LAS. Percy Barvenik

92


Carregar ppt "MERCHANDISING OUSAR E CRIAR, SEM DESRESPEITAR A LEGISLAÇÃO, É UMA ARTE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google