A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tomás Girardi Rodrigues Fernando Garcia Thaís Pons Caio Mussolini 1Ciências Econômicas - UFRGS - 2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tomás Girardi Rodrigues Fernando Garcia Thaís Pons Caio Mussolini 1Ciências Econômicas - UFRGS - 2013."— Transcrição da apresentação:

1 Tomás Girardi Rodrigues Fernando Garcia Thaís Pons Caio Mussolini 1Ciências Econômicas - UFRGS

2  Objetivo:  Análise da qualidade da educação sobre o crescimento econômico  Teorias  Modelo  Dados  Resultados  Resultados: ◦ Dados 60 países  Educação-efetiva  Padrão Cresc. LP 2Ciências Econômicas - UFRGS

3  Premissa: Diferença de Renda = f (nível escolaridade)  Estudos : Papel do Capital Humano no crescimento econômico  FP  Ajuda a explicar a diferença de produtividade da MO de países destintos  Teorias:  Lucas / Mankiw  Inserção da variável L (K humano)  Dif. Renda entre países + Participação dos FP na renda nac.  Mas: L  Homogêneo  Premissa – trabalho homogêneo (qualif. e não qualif)  Um ano a mais na média de escolaridade da força de trabalho tem a mesma influência na renda para todos os países, independentemente da qualidade dessa educação. (Lucas)  Behrman e Birdsall/ Card e Krueger/ Heckman  Nível de Escolatidade + Qualidade da educação (var expl.)  Diferencial Produtividade e Renda  Qualidade Educação = f( alunos/prof. ; w prof. ; escore alunos)  Educação Efetiva: Escolaridade ajustada a qualidade da educação  Mensuração dos retornos da educação para um dado nível de qualidade 3Ciências Econômicas - UFRGS

4  Artigo  Linha Lucas  Mas: Qualificação da MO modifica L  Linha Behrman e Birdsall /Heckman  Fator de Ajuste “q” (qualidade escolaridade)  modifica impacto L sobre Y  Anos médios de escolaridade X ajuste da qualidade (q)  0 < q < 1 ; onde 1 = maior aproveitamento da escolaridade  Problema:  Endogeneidade de L  Dado L (cte)  K físico  Y  L (pois há mais renda para I em educ.)  Pode superestimar impacto S sobre Yper capita  Pode viesar estimativas de retorno da educação  Porém: omissão ajuste da qualidade da MO (q)  Erros (educ. s/ efeito sob Y LP) 4Ciências Econômicas - UFRGS

5  Modelo Teórico ◦ Função de Produção Solow Neutra  Y = f( I ; K ; A ; H)  I = Infra estrutua ; K = Capital Fisico ;A = Conhecimento ; H = Capital Humano  H = f ( escolaridade média da FT ; retorno da escolaridade)  Var K = sY – dK  k = sY- (n + g + d)  n= tx cresc. Dem ; g = tx cresc. Conhecimento ; d = depreciação  Produto por unidade de trabalho efetivo ◦ Análise Econométrica  Y (dados n, s, d, g), destacando a qualidade da educação no processo  Matematicamente: n, g, d  velocidade de convergência p/ estado estacionário  Equação de convergência condicionada:  Tx S  Cresc. Produto / unidade trabalho-efetivo  Escolariadade ou Infra estrutura  Cresc. Renda 5Ciências Econômicas - UFRGS

6  Amostra: 60 Países ◦ Produção Agregada: PIB (USD + PPP) ◦ População em idade ativa: Proxy da FT ◦ Investimentos: taxa I corrente (I/PIB) – moeda local ◦ Escolaridade ajustada à qualidade  Anos escolaridade média (proxy) x Índice de qualidade do ensino  Índice Qualidade:  Razão Professor/Aluno  Efeito positivo sobre Produtividade e Renda  Variação entre zero e um 6Ciências Econômicas - UFRGS

7  Dois Cenários ◦ Escolaridade (Proxy de H)  Apenas anos médios de escolaridade  Y (t-1): Significativa 1%, com sinal negativo  Endogeneidade comprovada nos modelos de efeito fixo e aleatório  I e I (brak-even): Significativos a 5%  I – efeito positivo / I break evem – efeito negativo  Aumento Tx cresc, pop ou da tx depreciação  Dminuem a velocidade de convergência  Pouca / Nenhuma significância para escolaridade  Nível de escolaridade (por sí só) não afeta Y dos países  Sem poder expl.  Hipótese: Impacto da escolaridade sobre Y depende da qualidade do ensino em cada país  Um ano a mais de ensino médio no Brasil é diferente da Suécia 7Ciências Econômicas - UFRGS

8  Dois Cenários ◦ Escolaridade Ajustada à Qualidade (Proxy de H)  Escolaridade Média x Índice de Ajuste  Educação Ajustada: Significativa 1%  + 1 ano (esc. me Aj)  + 0,3% tx cresc Y LP  Desenvolvidos  Maior Esc me Aj.  Espera-se maior tx Y LP  Padrão de convergência entre desenvolvidos  Próxima escolaridade ajustada  Parte da divergência de renda entre os países  explicada por dif. de esc. Aj  Diferença de políticas educacionais e formação de capital humano  Evidência empírica  Comprovação da hipótese inicial  Importância da qualidade do ensino para explicar o impacto de H sobre Y (não apenas esc. me) 8Ciências Econômicas - UFRGS

9 9


Carregar ppt "Tomás Girardi Rodrigues Fernando Garcia Thaís Pons Caio Mussolini 1Ciências Econômicas - UFRGS - 2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google