A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Conhecido por Abu Táleb; nobre homem o qual criou o Profeta Muhammad(S), após a morte de seu avô Abdel Muttâleb.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Conhecido por Abu Táleb; nobre homem o qual criou o Profeta Muhammad(S), após a morte de seu avô Abdel Muttâleb."— Transcrição da apresentação:

1

2 Conhecido por Abu Táleb; nobre homem o qual criou o Profeta Muhammad(S), após a morte de seu avô Abdel Muttâleb.

3 Foi Fátima Bent Assad Ibn Háchem, a qual foi uma das primeiras a crer no Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua Linhagem e os saudou ). O profeta Mohammad(s.a.a.s) dizia: "Ela é minha mãe depois de minha mãe". Quando ela morreu o Profeta(s.a.a.s)chorou muito envolvendo-a com a própria camisa ao ser enterrada e rezou muito por sua alma.

4 Fátima Bent Assad sentiu as primeiras contrações e orou a DEUS, para ajuda-la. Nem acabara sua oração, as paredes da Caaba se abriram e ela se adentrou nela, para depois, as mesmas paredes, voltassem ao seu estado normal. Fátima Bent Assad permaneceu dentro da Caaba por três dias, comendo dos frutos do paraíso; e no quarto dia, ela saiu dali carregando seu filho Ali nos braços.

5 Quando o Imam Ali (A paz esteja com ele) atingiu mais ou menos a idade de seis anos, o Mensageiro de Deus, propôs-lhe a seu tio a guarda e a educação do pequeno Ali levando-o para sua casa onde o garoto cresceu e se desenvolveu. Entao Ali foi criado desde pequenino junto com o Profeta Muhammad (s.a.a.s).

6 Vós sabeis do meu conceito através do Mensageiro de Deus, o qual o abençoou e a gente de sua casa, pelo estreito parentesco e a posição especial, e que me carregava no colo, quando eu era menino e abraçava e acarinhava paternalmente e fazia-me dormir em seu leito. Quantas vezes ele mastigou a comida e me alimentava. Jamais o decepcionei. Eu o seguia tal qual como o faz a cria que segue o rastro de sua mãe. A cada dia, ele me elevava com seu caráter e conhecimento, exigindo de mim que os cumprisse a risca. Inicialmente, eu era o único que o via se dirigir todo ano para Herá e, na ocasião, não havia um lar que tivesse abraçando o Islam, exceto o Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua Linhagem e os saudou), Khadija e eu, que via a luz da Al-Uahí (Revelação) e ouvia a mensagem divina, sentindo o aroma do profetismo".

7 Por ordem de Deus, o Profeta Mohammad (s.a.a.s) o uniu em matrimônio a Fátima "Azzahrá" Senhora de todas as mulheres; para que a descendência do Mensageiro de Deus seja por intermédio de ambos. Profeta Mohammad (s.a.a.s) falava: "Deus fez a prole de cada Profeta de sua própria descendência e fez da minha prole pela descendência deste Referindo-se ao Imam Ali(a.s) Em outra ocasião, o Profeta (Deus o abençoou e a sua Linhagem e os saudou) disse: "Todo filho se vincula ao seu pai exceto o filho de Fátima, porque eu sou o seu progenitor e seu vínculo". E ate o final dos tempos vira o ultimo Imam que e da descendencia dos filhos de Fatima Azzahra(a.s) e Imam Ali(a.s), e o Imam Mahdi, que DEUS apresse seu retorno. Ambos sunitas e xiitas acreditam na vinda de Mahdi (que Deus apresse seu retorno_.

8 Ali Ibn Abi Táleb e sua esposa, Fátima Bent Mohammad "Azzahrá", tiveram quatro filhos: Os dois Imámes Al-Hassan e Al-Hussein e duas meninas, Zeinab e Omm Colçum. (a.s)

9 NASCEU NA CAABA!

10 Cresceu e se desenvolveu no seio do lar do Mensageiro De Deus (S.A.A.S)

11 Jamais se inclinou ou se ajoelhou diante de algum ídolo e não adorou outra divindade além de Deus Único.

12 Foi o primeiro a abraçar o islam!

13 Quando Deus Supremo ordenou o Seu Profeta de advertir os que lhe eram mais próximos para segui-lo em sua missão, o Profeta reuniu a todos e os admoestou dizendo: "Aquele de vós que me seguir nessa incumbência será considerado meu irmão, o meu recomendado, meu ministro, o meu herdeiro e sucessor". Entretanto, todos silenciaram exceto o Imam Ali(a.s) que aliás, era na ocasião o mais novo dentre todos, que se levantou exclamando: Eu o seguirei nesta incumbência ó Mensageiro de Deus! O Profeta Mohammad (s.a.a.s) olhou para o primo e disse-lhe: "Sente-se,pois és meu irmão, o meu recomendado, o meu ministro, meu herdeiro e sucessor depois que eu for."

14 O Profeta Muhammad (s.a.a.s),estava sendo ameacado de morte, Imam Ali(a.s) resgatou o Mensageiro de Deus com a própria vida ao permanecer em seu leito, quando Deus ordenou ao Seu nobre Profeta para emigrar a cidade de Medina, seguindo-o depois de ter concluídoa devolução dos valores aos seus próprios donos.

15 Quando o Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua Linhagem e os saudou) confraternizou os muçulmanos entre os emigrantes e os aliados (Al-Ansari) na cidade de Medina, tomou Ali como seu fraterno dizendo-lhe: És meu irmão nesta vida e na eternidade.

16 A história testemunha sobre a sua bravura e coragem tão ímpar e tão zelosa defesa do islam e seu nobre Profeta. Não havia uma batalha em que o Imam (A paz esteja com ele) não tivesse participação fortemente ativa tanto é, muitos chegavam a ouvir uma voz vinda dos céus proclamando: Não há jovem como Ali e não a espada como a Zul Fiqar.

17 Deus o privilegiou para que a descendência do Mensageiro de Deus seja por intermédio através de sua união com Fátima "Azzahra", filha do Profeta Mohammad. O Profeta Mohammad disse certa vez: "Toda semente de um Profeta, Deus a conservou em sua descendência, e a minha, a transformou da firmeza deste homem" aludindo ao seu primo e posteriormente genro, Ali Ibn Abi Táleb (A paz esteja com ele).

18 O Mensageiro de Deus o incumbiu de sua lavagem e apresto após a sua morte, dizendo-lhe: Ó Ali, serás tu quem se incumbirá da minha preparação depois do meu fim; e quando o Profeta faleceu, o Imam se empenhou de lavá- lo pessoalmente e prepará-lo para sua viagem derradeira e após a oração pela alma do Profeta e Mensageiro de Deus, Ali o sepultou no mesmo local onde morreu. Além do que mencionamos, competem-se vários outros obséquios ao Imam Ali Ibn Abi Táleb (A paz esteja com ele) e elevadas distinções infindáveis, apesar dos malefícios praticados contra ele por seus opositores e inimigos, que se empenhavam em extingui- las e sufocá-las.

19 Ninguém obteve no islam o que o Imam Ali (A paz esteja com ele) obteve em louvor e majestade diante de Deus Supremo. Até o A Alcorão Sagrado o menciona em aproximadamente trezentos versículos tal qual citou Ibn Abbás, sendo também apontado nos Hadis do Profeta Mohammad. O próprio Profeta Mohammad o reunia ora com a justiça ora com o Alcorão Sagrado fazendo com que o amor por Ali seja símbolo da fé e o desprezo por ele em conceito de hipocrisia. O Mensageiro de Deus fez do Imam Ali ( a porta da metrópole da sabedoria. Ninguém era tão reconhecido como o foi o Imam Ali em relação ao Mensageiro de Deus dizendo sempre: "Me questionem antes de me perderem, pois o Mensageiro de Deus me abriu mil portas de sabedoria e cada uma se me abriu em outras mil". Eis que citaremos a seguir alguns ditos do Mensageiro de Deus:

20 -Ali está com a justiça e a justiça está com Ali, e ambos não se separaram até o Dia do Juízo Final. (Quenzel Ummal, Cap. 6, pag.157 e Tafsir Arrazo, Cap.1, pag.111.)

21 - Ali é a porta do meu conhecimento, revelador a minha nação, o que propaguei em missões depois que me for. O amor por ele é símbolo de fé e o desprezo por ele é símbolo de hipocrisia. (Al-Hamuiyin, no livro Al Qaed ua Dilmi Fi Fardous Al- Akhbar e Al- Huliya, de Abu Naim)

22 - Ali complementou minha nação. (Arriyad Annasra, de Quinji Chafec, Cap.2, pag 198 e Al-Fucul Al Muhimma, de Ibn Assabagh Al- Maliki)

23 Para cada Profeta há um recomendado e um herdeiro e Ali é o meu recomendado e herdeiro. (Quenzel Ummal,Cap.6, pag. 154 e Yanabi Al-Mauadda, de Suleiman Al- Hanafi, das virtudes de ibn Hanbal)

24 Se os Céus e a Terra estiverem numa escala e a fé de Ali em outra, prevalecer-se-á a fé de Ali. (Quenzel Ummal,Cap.6, pag 56 e Arriyad Annadra, Cap. 2, pag 226.

25 Irmaos e irmas, ambos sunitas e xiitas reconhecem que houve um discurso nesse dia, dia de al ghadir, no entanto cada escola interpretou tal ocorrido de sua maneira, mas para entendermos, e analisarmos, vamos ver o que ocorreu nesse dia: Mais de cem Companheiros do Profeta Mohammad confirmaram o fato em Al Ghadir, em seus fundamentos e expressões (Assánid Wa Ibárát).

26 No ano de 630 d.C. setenta dias antes de sua morte e um pouco depois de realizar a peregrinação (Hajj) de despedida, sob instruções de Allah, num lugar conhecido como Ghadir Khum, o Profeta nomeou Ali como seu sucessor e instruiu os muçulmanos que estavam presentes a prestar juramento de fidelidade a ele como o Comandante dos Crentes e líder deles depois do Profeta(S.A.A.S). A revelação de Allah nesse dia, concernente a essa questão particular, foi: Ó Mensageiro! Proclama o que tem sido revelado a ti por Teu Senhor e se Tu não o fizeres, não terá transmitido Sua Mensagem; e Allah te protegerá das pessoas. Certamente, Allah não ilumina os incrédulos. (Alcorao Sagrado 5: 67. ) Depois da revelação acima, o Mensageiro de Allah declarou: Aquele para quem eu sou o mestre, Ali também é seu mestre e líder. Ó Senhor nosso! Ajude aquele que ajuda Ali e Se opõe àquele que se oponha a Ali. Ali é meu califa e sucessor sobre vós depois de mim. No que todos vieram e cumprimentaram Imam Ali, dizendo voce sera nosso Mawla. Os historiadores dizem que o número daqueles presentes em Ghadir Khum que prestaram juramento de fidelidade ao Imam Ali como Comandante dos Crentes e sucessor do Profeta Muhammad, totalizava mais de homens e mulheres. Para confirmar e concluir esse momentoso evento, Allah então revelou: Hoje Eu aperfeiçoei a vossa religião, completei Meu favor sobre vós e sancionei o Islam como uma religião para vós. (Alcorao Sagrado 5:3 )

27 Deus Supremo infligiu o sofrimento sobre aquele que negar a sucessão de Ali e sua glória e omitir o testemunho sobre essa sucessão. O acontecimento foi registrado nos livros de história, em que, após a nomeação de Ali Ibn Abi Táleb pelo Mensageiro de Deus para "Califa", isto é, sucessor Imam e governante dos muçulmanos, o Profeta Mohammad ordenou que cada um dos presentes notifique os ausentes. Certo homem chamado Al-Hareth Ibn Naaman, não ficando satisfeito com esta decisão, foi ter com o Mensageiro de Deus na Mesquita e disse-lhe: "Ó Mohammad (Deus o abençoou e a sua Linhagem e os saudou), tu nos ordenastes de que não há divindade além de Deus e que és o seu Mensageiro e nos aceitamos; nos ordenastes rezarmos cinco orações todos os dias e jejuarmos no mês de Ramadan e peregrinar a Caaba e pagarmos o Zacat e concordamos com tudo isto, porém, como se não bastasse, agora vens impor- nos o vosso primo como sucessor, preferindo-o a todos os demais dizendo-nos: Aquele que eu sou seu soberano Ali o será também! Afinal, isto vem de vós ou vem de Deus?

28 O Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua Linhagem e os saudou) olhou-o firme e, com os olhos vermelhos pela indignação lhe respondeu: " Por Deus! Que não há divindade além Dele, que isto é de Deus e não de mim!" repetindo a frase por três vezes. Al-Hareth se levantou dizendo: Por Deus! Se o que Mohammad falou é verdadeiro, que caia sobre mim pedras do céu ou que se apodere de mim o pior dos sofrimentos! Saindo dali em seguida. Logo depois, o Mensageiro de Deus contou "... eu vos juro que ele nem chegou a alcançar a sua camela, caiu-lhe do céus uma pesada pedra, atingindo-o em cheio na cabeça, matando-o imediatamente". Posteriormente, desceu uma revelação que diz: "Alguém inquiriu sobre um castigo iminente/ indefensável para os incrédulos Surata Al-Maarej 70 versículo 1 e 2. Muitos dos teólogos mencionaram o acontecimento e quem quiser ampliar seus conhecimentos, eis que citaremos abaixo algumas fontes: "Chauáhed Al-Tanzil" do Al-Mascati, Cap. 2, pág. 286; "Tafsír Al-Thaalaby" na Surata "Sa-alá sá-elon ben-azáben uáqueen...", referentes aos dois versículos acima; "Tafsír Al-Qartaby" __ Cap. 18. Pág.278; "Tafsír Al-Manár" de Rachid Reda __ Cap. 6, pág.464; "Yanábi Al-Mauadda" de Al-Qunduzi Al-Hanifi, pág. 328; "Al-Háquem no que se referiu sobre os As-Çahihín (Os Infalíveis) Cap.2 pág.502.

29 Em outra ocasiao foi quando o Imam Ali estava na Mesquita de Al-Cufá, durante o seu califado,ele convocou o povo e falou-lhe do púlpito: Deus conjurou todo muçulmano que ouviu o Mensageiro de Deus no dia de Al-Ghadir Khom dizer: "Aquele que lhe sou soberano, Ali o será também", uns se levantaram e confirmaram o que ouviram e outros que ouviram e viram, não se levantaram. Os que se levantaram foram trinta, dos quais dezesseis participaram da Batalha de Badr e divulgaram que o Profeta, tomou Ali pela mão e indagou aos presentes: Sabeis que sou benemérito pelos crentes mais do que eles sobre si mesmo? E todos responderam-lhe afirmativamente. Então o Profeta Mohammad prosseguiu: Aquele que lhe sou soberano, este o será. Deus aprovará quem o aprovar e amaldiçoará aquele que se inimizar com ele... Dentre eles se encontrava Anas Ibn Málek. O Imam Ali (A paz esteja com ele), desceu do púlpito e dirigiu-se à Anas questionando-o diante da multidão:

30 -Por que, ó Anas, não te levantaste com os Sahábas (Companheiros) do Mensageiro de Deus e confirmaste o que ele afirmara na ocasião, como o fizeram os demais? Encabulado, Anas falou: - Ó Príncipe dos Crentes, eu estou com a idade muito avançada e já me esqueci deste fato. O Imam Ali (A paz esteja com ele) o olhou de frente e disse-lhe: - Se estiveres mentindo, Deus te punirá com a lepra e o teu turbante não bastará para esconder o teu mal. Nem acabou de sair na Mesquita e a terrível doença começou a se manifestar sobre o homem, que lamentava em gemidos: - Deus ouviu a imprecação do servo fiel, porque menti e omiti o testemunho da sua sucessão!

31 Este notável acontecimentos foi mencionado por Ibn Qotaiba, em seu livro intitulado "Al-Maáref", como também o mencionou o Imam Ahmad Ibn Hanbal em seu preceito, no capítulo 1, página 119, de que a demanda do Imam (A paz esteja com ele) atingiu três pessoas por terem omitido a confirmação à sua sucessão e que foram: Anas Ibn Malek, Al-Barrá Ibn Ázeb e Juair Ibn Abdullah Al-Bajali. Este fato, que os livros históricos mencionam, sucedeu vinte e cinco anos após o acordo de Al-Ghadir para que o Imam Ali (A paz esteja com ele) reivindicasse diante do povo o seu direito a sucessão e a importância de sua personalidade depois do Profeta Mohammad para que, tanto, no presente como no futuro saibam da veracidade dos fatos.

32 O famoso comentador e escolástico Ahlel-Sunnet, Fakhurd-din ar- Razi em seu Tafsir-rul-kabir, (vol. 12, pp 49-50) escreve que o Profeta tomou Ali pela mão e disse: Aquele para quem eu sou o Mawla (mestre) dele, Ali também o é. Ó Allah! Seja amigo de quem é amigo dele, e seja inimigo de quem é inimigo dele; ajude aquele que ajuda Ali, e abandona aquele que abandona Ali. Ele (Ar- Razi) escreve, além disso, que Abu-Bakr e Umar parabenizaram Ali nas seguintes palavras: Parabéns! Ó filho de Abu Talib! Nesta manhã, você se tornou meu mawla (mestre) e mawla de todos os homens e mulheres crentes.

33 Apos a morte do Mensageiro de Deus, o Imam não quis reivindicar os seus direitos na ocasião, para que não houvesse cisão entre os muçulmanos, a fim de preservar a sua união. Com isto, os Sahábas reconheceram a sua benevolência tão beneplácita e, em consideração ao seu parentesco com o Mensageiro de Deus e a importância de sua sabedoria em solucionar a sucessão pacificamente, passaram a procurá-lo para que se possa resolverem todas as questões jurídicas, sociais e religiosas, sendo apoiado para tal pelo primeiro Califa Abu Bakr, que dizia, conforme se nos relata a história: Para qualquer problema que me era imposto por Deus, não teria a sua solução sem Abu Al-Hassan! Aludindo ao Imam Ali (A paz esteja com ele). Segundo Califa Omar Ibn Al-Khattáb também chegou a falar diante de mais de setenta questões jurídicas e ocorrências sócio- econômicas: Não fosse Ali, Omar teria sucumbido!

34 Assim, o Imam Ali (A paz esteja com ele) permaneceu à disposição das diretrizes, nas pregações, mantendo a harmonia entre o povo e a nação islâmica, por longos vinte e cinco anos, isto é, até o assassinato do terceiro Califa Othman Ibn Affan, quando a multidão se reuniu para ajustar com ele a recusa à sucessão; mas o Imam Ali,desta vez, estava decidido em tomar posse de seus direitos no Califado, cumprindo com os direitos humanos dos fiéis e estendendo a justiça e a igualdade entre as pessoas, pois na ocasião, o povo convivia com o preconceito e diferenças das camadas sociais, o que era contrário do que o Mensageiro retratava e propagava. E mesmo como quarto califa ainda achou oposicao ao seu direito, mas no final ele gracas a DEUS, finalmente foi aceito como o califa por todos os muculmanos.

35 Hadith al-Tashbih Quem desejar ver Adão em seu conhecimento, Noé em sua piedade, Abraão em sua indulgência, Moiséis em sua força e Jesus em sua devoção e adoração, deve olhar para Ali ibn Abu Talib. Referência Sunni: - al-Muhibb al-Tabari, em al Riyad al Nadirah, ii, 218, 208; - al-Muttaqi, em Kanz al-Ummal, i, 226; - Ibn Abi al-Hadid, Sharh Nahj al Balaghah (Egito), x, 168; - al-Qunduzi, Yanabi al-Mawaddah (Instambul), p.214, 312; - Ibn Asakir, Tarikh Dimashq, Tarjumat al-Imam Ali ibn Abu Talib, ii, 280; - Fakhr al-Razi, Tafsir, ii, 700; - Ibn al-Maghazili, Manaqib, 212; - Ibn al-Sabbagh al-Maliki, al-Fusul al-Muhimmah, 107;

36 Hadith al-Noor O Profeta Sagrado (saa) disse: Quatorze mil anos antes que Adão – que a paz esteja com ele – fosse criado, eu e Ali éramos uma luz na presença de Allah. Quando Allah criou Adão – que a paz esteja com ele – Ele o dividiu em duas partes. Eu sou uma das partes e Ali é a outra parte. Referência Sunni: - al-Muhibb al-Tabari narrou essa tradição do Profeta (saa) na autoridade de Salman (ra), em al-Riyad al-Nadirah, ii, 163; - Ahmad ibn Hanbal, em al-Fadail; - Sibt ibn al-Jawzi, em Tadhkirat al-Akhawass, 46; - Abu Hatim Muhammad ibn Idris al-Razi, em Zayn al-Fata fi tafsir Surata Hal ata, MS; - Abd Allah ibn Ahmad ibn Hanbal, em Zawaid manaqib Amir al-Muminin, MS; - Essa tradição também foi narrada por Ibn Mardawayh, Ibn Abd al-Barr, al-Khatib al-Baghdadi, Ibn al-Maghazali, al-Asimi, Shiruyah al-Daylami e outros de Imam Ali (as), Salman (ra), abu Dharr (ra), anãs ibn Malik (ra), Tabir ibn abd allah (ra) e outros companheiros.

37 Hadith al-Rayah (Alam) Al-Bukhari menciona essa tradição em seu Sahih, Kitab al Jihad wa al Siyar: Sahl ibn Sad disse: O Profeta (saa) disse no dia da (vitória de) Khaybar: Amanhã eu darei o estandarte para um homem, por cuja mão Allah conquistará (Khaybar). Ele ama Allah e Seu Mensageiro e Allah e Seu Mensageiro o amam. O povo passou a noite curioso para saber quem iria recebê-lo e todo mundo estava esperançoso de obtê-lo. (No dia subseqüente) o Profeta (saa) declarou: Onde está Ali?. Foi lhe dito: Ele está sofrendo uma dor nos olhos. (Quando Ali chegou) o Profeta colocou sua saliva em seus olhos e orou por ele. Ali se recuperou como não houvesse sentido dor antes. Então, o Profeta (saas) o (estandarte) deu a ele... Outras referências sunni: - Muslim, em seu Sahih, Kitab al-jihad wa al-Siyar e Kitab tadail al-Sahabah; - al-Tirmidhi, em seu Sahih, i, 218; - Ibn Majah, em Sunan (Matbaat al-Faruqi, Delhi) bab fadail ashab Rasul Allah (s); - al-Hakim, em Mustadrak, iii, 38, 437; - Imam Ahmad ibn Hanbal, em Musnad, i, 99, 133, 185, 320, iv, 51, v, 353; - Abu Nuaym, em Hilyat al awliya, i, 26, 62; - al-Nasai, em seu Khasair, 4, 5, 7, 8, 32; - al-Muttaqi, em Kanz al-Ummal, v, 283, 285, vi, 394, 395, 405; - al-Haythami, em Majma al-Zawaid, vi, 150, 151, ix, 115, 123, 124; - Ibn Hajar, Tahdhib al-Tahdhib, vii, 337, 339; - al-Muhibb al-Tabari, al-Ryad al-Nadirah, ii, 185, 187, 203; - al-Tabari, Tarikh, ii, 300; - Ibn Sad, al-Tabaqat, ii, parte um, 80; - Ibn Abd al-Barr, al-Istiab (Hyderabad, 1336), ii, 450; - al-Bayhaqi, em Sunan, vi, 362.

38 Hadith Madinat al-Ilm O Profeta Sagrado (saa) disse: Eu sou a cidade do conhecimento e Ali é seu portal; quem desejar entrar na cidade deve fazê-lo pelo seu portal. Referência sunni: - al-Hakim, em seu Mustadrak, iii, 126, 127; - al-Khalib, em Tarikh Baghdad, ii, 348, 377; vii, 172; xi, 48, 49; - al-Muhibb al-Tabari, em al-Riyad al-Nadird, ii, 193; - al-Muttaqi, em Kanz al ummal, vi, 152, 156, 401; - Ibn Hajar, em al-Sawaiq al-Muhriqah, 73; - al-Manawi, em Kunuz al-Haqaiq, 43 e Fayd al-Qadr, iii, 46; - Ibn al-Athir, em Usd al-Ghabah, iv, 22 e Tahdhib al-Tahdhib (Hyderabad, 1325), vi, 152; - assim como em al-Uqayli, Ibn Adi e al-Tabarani.

39 Hadith al-Tayr Al-Tirmidhi em seu Sahih relata que certa vez quando o Profeta (saa) sentou para comer uma ave que havia sido preparada para o seu jantar, ele orou para Allah: Ó Deus nosso, traga o mais amado dentre as Suas criaturas, que ele coma essa ave comigo. Então, Ali veio e o Profeta (saa) comeu junto com ele. Outras referências sunni: - al-Hakim, em Mustadrak, iii, 130, 131; - Abu Nuaym, em Hilyah, vi, 339; - al-Khatib, em Tarikh Baghdah, ii, 171; - al-Muhibb al-Tabari, em al-Riyad al-Nadirah, ii, 160, 161 e Dhakhair al-uqba, 61; - al-Haythami, em Majma al-Zawaid, ix, 125, 126; - al-Muttaqi, em Kanz al-Ummal, iv, 406; - Ibn al-Athir, em Usd al-Ghabah, iv, 30.

40 Hadith al-Wilayah O Profeta Sagrado (saa) disse: Certamente, eu e Ali somos inseparáveis e ele é o mestre (wali) de cada crente depois de mim. Referência sunni: - al-Tirmidhi, em seu Sahih, ii, 297; - Ahmad ibn Hanbal, em seu Musnad, iv, 437, v, 356; - Abu Dawud al-Tayalisi, em seu Musnad, iii, 111, xi, 360; - al-Haythami, Majma al-Zawaid, ix, 109, 127, 128, 199; - al-Khatib al-Baghdadi, Tarikh Baghdad, iv, 339; - al-Muhibb al-Tabari, al-Riyad al-Nadirah, ii, 203, 171; - al-Muttaqi al-Hindi, Kanz al-Ummal, vi, 154, 155, 396, 401; - Ibn al-Athir, em Usd al-Ghabah, v, 94; - Abu Nuaym, em Hilyat al-Awliya, vi, 294; - al-Nasai, Khasais, 19, 23; - assim como Ibn Abi Shaybah, al-Tabari, al-Tabarani, al-Daylami, Ibn Mardawayh, Ibn al-Jawzi, al-Rafii e Ibn Hajar

41 Hadith al-Manzilah É relatado que o Profeta Sagrado (saa) disse ao Imam Ali (as): Você não está contente em ter a posição (manzilah) em relação a mim como a que Araão tinha em relação à Moiséis? Referência sunni: - al-Bukhari, em seu Sahih (al-Matbaat al-Khayriyyah, Egito, 1320) em Kitab badal Khalq, Bab manaqib Ali ibn Abu Talib e Bab ghazwat Tabuk em dois lugares registram essa tradição; - Muslim, em seu Sahih (Matbaat Bulaq, 1290), Kitab fadail al-Sahabah, através de 3 correntes; - al-Tirmidhi, em seu Sahih, ii, 301; - Ibn Majah, em seu Sunan, p12; - al-Hakim, em Mustadrak, II, 337; - Imam Ahmad ibn Hanbal, em Musnad, i, 29, 170, 173, 174, 175, 177, 179, 182, 184, 185; 230, iii, 338, vi, 369; - al Nasai, em Khasais, 4, 14, 15, 16, 17, 19, 32; - Ibn Sad, em al-Tabaqat (Leiden, 1322), iii, parte um, 14, 15; - Abu Nuaym, em Hilyat al-Awliya, vi, 345, vii, 194, 195, 196, viii, 307; - al-Khatib, em Tarikh Baghdad, i, 324, iii, 288, iv, 71, 204, 382, vii, 452, viii, 52, ix, 394, x, 43, xi, 432, xii, 323; - al-Tabari, em seu Tarikh al-Ummal wa al-Muluk (Matbaat al-Istiqamah, Cairo, 1357), ii, 368; - Ibn al-Athir, Usd al-Aghabah, v, 8; - al-Muttaqi al-Hindi, Kanz al-Ummal, iii, 154, v, 40, vi, 154, 188, 395, 402, 404, 405, viii, 215; - al-Haythami, Majma al-Zawaid, ix, 109,110,111,119; - al-Muhibb al-Tabari, em al-Riyad al-Nadirah, i, 13, ii, 162, 163, 164, 175, 195, 203 e Dhakhair al-Uqba, 120.

42 Hadith al-Ghadeer do dia do Ghadir O Profeta (saa), enquanto retornava da sua última peregrinação, parou a caravana inteira em Ghadeer Khumm e fez o anúncio: Aquele para quem eu sou seu mestre (mawla), Ali também é seu mestre (mawla). Referência sunni: - al-Hakim, em Mustadrak ala al-Sahihayn, vol. iii, pp. 109, 110; - al-Tirmidhi, em seu Sahih (Bulaq, 1292), ii, 298; - Sunan ibn Majah (Matbaat al-Faruqi, Delhi), em bab Fadail ashab Rasul Allah (s) de al-Bara ibn Azib e Sad ibn Abi Waqqas; - al-Hakim, em Mustadrak (Hyderabad, 1313) de Zayd ibn Arqam (iii, 109, 533), Sad ibn Malik (iii, 116), de Rifaah ibn Ayas al-Dabbi (iii, 371) e de Buraydah al-Aslami (iii, 110; ii, 129); - Imam Ahmad ibn Hanbal, em seu Musnad, al Matbaat al Maymaniyyah, Egito, 1313, de al-Bara ibn Azib (iv, 281), Buraydah al-Aslami (v, 347, 350, 358), Zayd ibn Arqam (iv, 372, iv, 368, v, 307) ibn Abbas (i, 330), Abu al-Tufayl (iv, 270) e Ali ibn Abu Talib (as) (i, 84, 88, 118, 139, 152, v, 307, 366, 419); - Abu Nuaym al-Isfahani, em Hilyat al-Awliya (Egito: Matbaat al-Saddah, 1351), iv, 23, v, 26; - Fakhr al-Din al-Razi, em al-Tafsir al-Kabir (Dar Tibbat al-Amirah) sobre o versículo 5:67; - al-Khatib al-Baghdadi, em Tarikh Baghdad (Matbaat al-Saadah, 1360), vii, 337, viii, 290, xii, 343, xiv, 236; - al-Nasai, em Khasais (Matbaat al-Taqaddum al-Ilmiyyah, Egito, 1348), pp. 4, 21, 22, 23, 25, 26, 40; - al-Muhibb al-Tabari, em al-Riyad al-Nadirah (Matbaat al-Ittihad, Egito, primeira edição), ii, 169, 170, 172, 203 e Dhakhair al-Uqba (Egito 1356), 86; - Ibn Hajar al-Asqalani, em al-Isabah (Calcutá, 1835 DC), i, parte 1, 57, 319; iii, parte 1, 29; iv, parte 1, 14, 16; 61, 143, 169, 182; vi, 223, vii, parte1, 78, 156; - Ibn Hajar al-Asqalani, em al-Sawaiq al-Muhriqah (al-Matbaat Maymaniyyah, Egito, 1312), pp. 25, 26; - Ali al-Muttaqi al-Hindi, em Kanz al-Ummal (Hyderabad, 1312), i, 48, vi, 83, 153, 154, 390, 397, 398, 399, 403, 405, 406, 407; - Ibn al-Athir, em Usd al-Ghabah (al-Matbaat al-Wahbiyyah, Egito, 1285), i, 308, 367, 368, ii, 307, 233, iii, 92, 93, 321, 374, iv, 28, v, 205, 276, 383; - Ibn Qutaybah, em al-Imamah wa al-Siyasah (Matbaat al-Futuh al-Adabiyyah, 1331), 93; - al-Tahawi, em Mushkil al-Aathar (Hyderabad, 1333), ii, 307; - al-Manawi, em Fayd al-Qadir (Egito, 1356), vi, 218, 358 e Kunuz al-Haqaiq (Instambul, 1285), 92; - al-Haythami Majma al-Zawaid (Egito, 1352), vii, 17, ix, 103, 104, 105, 106, 107, 108, 119, 163, 164; - Ali ibn Sultan Muhammad al-Qari, em Mirqat al-Mafatih (al Matbaat al-Maymaniyyah, Egito, 1309), v, 568.

43 Hadith al-Muqatalah Al-Nasai, em Khasais, 40, relata essa tradição na autoridade de Abu Said al Khudri: Abu Said al-Khurdi relata: Nós sentamos à espera do Mensageiro de Allah (saa) quando ele veio se encontrar conosco. A tira da sua sandália estava quebrada e ele a jogou para Ali. Então, ele (saa) disse: Um homem dentre vós lutará contra as pessoas pela tawil (interpretação) do Alcorão da mesma maneira que eu lutei pela sua tanzil (revelação). Nisso, Abu Bakr disse Esse sou eu? O Profeta (saa) disse: Não. Então, Umar perguntou-lhe: Esse sou eu?, Não disse o Profeta (saa). Esse é o reparador da sandália (Ali). Outras referências sunni: - al-Hakim, em Mustadrak, iii, 122; - Ahmad ibn Hanbal, em seu Musnad, iii, 33, 82; - Abu Nuaym, em Hilyat al-Awliya, i, 67; - Ibn al-Athir, em Usd al-Ghabah, iii, 282, iv, 33; - Ibn Hajar, al-Isabah, i, 22, iv, 152; - Ibn Abd al-Barr, al-Istiab, ii, 423; - al-Haythami, Majma al-Zawaid, v, 186; - al-Muttaqi, Kanz al-Ummal, vi, 155, 390, 391.

44 O Profeta Sagrado (saa) disse: Que a misericórdia de Allah esteja sobre Ali. Ò Allah nosso, mantenha sempre a Haqq (verdade, retidão, justiça) com Ali. Referência sunni: - Sahih al-Tirmidhi, ii, 298; - al-Hakim, em Mustadrak, iii, 119, 124; - al-Khatib, em Tarikh Baghdad, xiv, 321; - al-Haythami, em Majma al-Zawaid, vii, 134, 235, 243; - al-Muttaqi, em Kanz al-Ummal, vi, 157.

45 Hadith al-Safinah O Profeta Sagrado (saa) disse: A parábola da minha Ahlul-Bayt é como o da Arca de Noé, quem embarca nela é salvo e quem se mantém longe dela é afogado. Referência sunni: - al-Hakim, em seu Mustadrak, ii, 343, iii, 150; - Abu Nuaym, em Hilyat al-Awliya, iv, 306; - al-Khatib, em Tarikh Baghdad, xii, 19; - al-Suyuti, em al-Durr al-Manthur (al-Matbaat al-Maymaniyyah, Egito, 1314) sobre o versículo 2:58; - al-Muhibb al-Tabari, em Dhakhair al-Uqba, 20; al-Manawi, em Kunuz al-Haqaiq, 132.

46 Outra coisa muito polemica, e quando falam que os xiitas nao seguem a sunnah, vamos ver se isso e verdade… Em primeiro lugar, a sunnah sao os ensinamentos do profeta, e os hadises, claro que os xiitas seguem a sunnah do profeta, no entanto, a sunnah que os sunitas seguem, apos a morte do Profeta, ficou na mao de alguns companheiros, e tb dos governantes, os omiadas no principio, e a sunnah que os xiitas seguem, depois que o profeta Muhammad(s.a.a.s)morreu, ficou nas maos dos ahlul bait. E em quem confiar? Confiaremos na nobreza do governo, que vivia de luxuria, e fornicacao? Ou confiaremos naqueles que o profeta nos recomendou, e aqueles que o Profeta mais amava e confiava que com certeza eram os ahlul bait. Nao ha duvidas, e voltando ao dito do profeta: Se os Céus e a Terra estiverem numa escala e a fé de Ali em outra, prevalecer-se-á a fé de Ali. A parábola da minha Ahlul-Bayt é como o da Arca de Noé, quem embarca nela é salvo e quem se mantém longe dela é afogado.

47 Depois de todas as perseguicoes que Ahlul Bait sofreram, todos os Imames, foram assassinados. E o senhor dos Martires Hussein, filho da Senhora de todas as mulheres do Mundo Fatima Azzahra(a.s) e Imam Ali (a.s) Principe dos Crentes, foi torturado e morto por Yazid filho de Muwaia, seu filho matou o neto do profeta, e o pai, tambem ha varios hadises sunitas e xiitas comprovando que Muwaia perseguiu Imam Ali(a.s). A prova mais clara foi de seu filho Yazid. O que se esperar de alguem que TORTUROU e MATOU, a familia do profeta????? Muitos tinham inveja pela posicao que tinha os ahlul bait em relacao ao Islam, e para muitos nao interessava o VERDADEIRO Islam e sim o Islam que os convinha.

48 O 1o. Califa Abu Bakr, foi eleito por alguns Companheiros (Sahába). O 2o. Califa Omar Ibn Al-Khattáb, foi designado pelo 1o. Califa. E, o 3o. Califa, foi eleito pelos seis membros do Conselho (Choura) impostos pelo 2o. Califa. Ou seja o profeta nao nomeou os quatro califas, mas com certeza, ele nomeou alguem, pois jamais deixaria sua umah sem decidir algo tao importante. Se ele realmente tivesse nomeado Abu Bakr como alguns dos muculmanos sunitas afirmam, a proposito com pouquissimo suporte, ele mesmo(Abu Bakr) e os outros nao teriam organizado uma eleicao, ja que ja estava decidido que fosse ele o califa. Mas como a nomeacao nao foi essa, e a nomeacao pelo proprio Profeta nao agradou a todos, houve uma eleicao, e tambem esta muito claro, que tem muitos hadises e provas indicando o califado para o Imam Ali(a.s) De qualquer modo cabe a cada um refletir e decidir, pois DEUS nos deu livre arbitrio.

49

50 " Dr. Ali Shariati em "Shiismo Vermelho diz: Relembre Ashura, para humilhar o grupo dominante que se auto-proclama herdeiro das tradições do Profeta, pois a relembrança de Ashura irá provar que eles são os herdeiros dos assassinos da família do Profeta. A relembrança de Ashura irá lhe mostrar um caminho de ação, e irá lhe dar uma resposta a questão de "o que deve ser feito?". A relembrança de Ashura irá lhe ajudar a decidir a melhor estratégia de ação contra a tirania dos dominadores. A relembrança de Ashura irá lhe afastar da aliança com a crueldade. A relembrança de Ashura irá lhe associar com a inquebrável continuidade da história. A relembrança de Ashura irá declarar uma luta sem fim entre os herdeiros de Adão e os herdeiros do mal. Ashura nos faz lembrar os ensinamentos que mostram o fato eterno de que a versão atual do Islam, é um Islam criminoso vestido nas vestes da tradição, e que o Islam real é um Islam oculto, oculto nas vestes vermelhas do martírio.

51 VOCE PODE NAO SER UM WAHABISTA, OU SALAFISTA, MAS ELES SAO OS DONOS DAS TRADICOES QUE VOCES SEGUEM! O MEU CONHECIMENTO NAO VEM DA ATUAL ARABIA SAUDITA!

52 "Al-Khoms", ou seja, o tributo, foi mencionado nas revelações de Deus Supremo: "E sabei que, de tudo quanto despojardes, a quinta parte pertence a Deus, ao Mensageiro e seus parentes...". Alcorão Sagrado (C. 8, V. 41). E dos tributos financeiros que o Islam impõe sobre os muçulmanos, há o tributo chamado "Al-Khoms", ou seja, o Islam determina uma taxa independente da "Azzacát", no valor de 20%. Se todos pagassem isso, o mundo nao teria tanta miseria. Mas ainda querem esconder?

53 Concluindo esse trabalhinho, gostaria de dizer, que e muita inocencia, acreditarmos que todos os governantes e muculmanos eram perfeitos, que o governo era perfeito, que nao teve problemas, acho isso inocencia demais. Para sabermos como foi o governo no passado, precisamos saber quem foi cada um, quem foi Abu Backer, Omar, Othman, Muwaia, e todos os demais, com quem eles trabalhavam no governo, qual era as acoes deles em todas as situacoes, o que eles conseguiam aguentar, a coragem, o medo, os pontos positivos e negativo. Temos que saber quem eles eram, o que fizeram, a fe desses homens estavam na mesma escala de ahlul bait? Fatima era a senhora de todas as mulheres do mundo, entao porque nao procuram saber quem foi ela, e o que ela falou ou estudar o que Ali falou, porque para chegar na cidade, Imam Ali e o portal! Irmaos, nos somos todos muculmanos, sunitas, xiitas, sufistas, mas e dever buscar o conhecimento, como diz o Profeta Muhammad (s.a.a.s): Procurais conhecimento desde o nascimento ate a tumba Estudem nao vejam apenas a opiniao de um sheik, ou de uma escola, e dever procurarmos entender bem a nossa religiao. Somos a religiao da abertura, do conhecimento, do dialogo, da busca e da verdade.

54 Livro sobre o Xiismo e sua história, escrita pelo grande sábio Sayyed Mohammad Hussein Al-Tabatabaí. Aquele para quem eu sou seu mestre (mawla), Ali também é seu mestre (mawla). /

55 OH TODOS IRMAOS MUCULMANOS: Que seu coracao seja cheio de amor aos ahlul bait, afinal quem ama o profeta ama sua familia! Parte do Hadis al Khisa, onde diz o Profeta Muhammad(s.a.a.s): Deus meu, esta e a gente de minha casa(ahlul bait), meus mais intimos e chegados, sua carne e minha carne, seu sangue e meu sangue. Me alegra os que os alegram, e me entristece aqueles que os entristecem, estou em guerra contra quem os combate, estou em paz com aquele que esta em paz com eles, sou inimigo de seus inimigos, e amo a quem os ama. Certamente que eles sao de mim, e eu sou deles.Dirije-nos sua bencao,Tua merce, Tua misericordia, Tua indulgencia e Tua satisfacao sobre mim e sobre eles.

56 Chadia Kobeissi Shadi Kobeissi QUE A PAZ ESTEJA COM O PROFETA MUHAMMAD, SUA FAMILIA, E SEUS COMPANHEIROS


Carregar ppt "Conhecido por Abu Táleb; nobre homem o qual criou o Profeta Muhammad(S), após a morte de seu avô Abdel Muttâleb."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google