A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tecnologia, multimídia e aprendizagem : como aprendemos e como ensinamos? Fundação CECIERJ - Desenvolvimento Instrucional Cristine Costa Barreto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tecnologia, multimídia e aprendizagem : como aprendemos e como ensinamos? Fundação CECIERJ - Desenvolvimento Instrucional Cristine Costa Barreto."— Transcrição da apresentação:

1 Tecnologia, multimídia e aprendizagem : como aprendemos e como ensinamos? Fundação CECIERJ - Desenvolvimento Instrucional Cristine Costa Barreto

2 • Teoria da carga cognitiva; • Aprendizagem multimídia; • Aprendizagem baseada em jogos. Richard Mayers Marc Prensky

3 O que é tecnologia?

4 Para que, a tecnologia, na Gestão Escolar?

5 Tecnologia a serviço da narrativa

6 Gênero: Ficção País de origem: EUA Ano de lançamento: 2004 Duração: 115 minutos Direção: Alex Proyas Roteiro: Jeff Vintar, Akiva Goldsman Estudio: Fox Films

7 Adaptação de uma coletânea de 9 contos sobre a utilização das Leis da Robótica História inédita, baseada nos conceitos, universo e alguns personagens do livro

8 O que podemos saber dessa história?

9 1ª lei: Um robô não pode ferir um ser humano ou, por omissão, permitir que um ser humano sofra algum mal. 2ª lei: Um robô deve obedecer às ordens que lhe sejam dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens contrariem a Primeira Lei. 3ª lei: Um robô deve proteger sua própria existência, desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira e Segunda Leis. Baseada nas 3 leis da Robótica

10 Quando se passa a história?

11 Onde se passa a história?

12 1. Spooner é apegado a ícones do “passado”; 2. Não confia em robôs 3. É detetive de homicídios da polícia de Chicago, enviado para investigar a morte de um cientista 4. Suspeita que o Dr. Alfred Lanning não tenha cometido suícidio Em 15 minutos, sabemos:

13 “Eu, robô” faturou U$ 52 milhões em dois dias

14 Linguagem cinematográfica baseada em estrutura de roteiro, de narrativa, com tecnologia a seu serviço

15 Linguagem provocativa, interativa

16 • • técnicas e conhecimentos, processos e materiais usados para resolver problemas ou facilitar sua solução.

17

18

19

20 O que é multimídia?

21 Pro pace et fraternitate gentium Pela paz e irmandade entre os homens A quem estamos nos referindo?

22

23 Los Angeles Sacramento San Francisco San Diego “O fisiculturismo é um esporte em que cada detalhe ou estratégia pode determinar a exata diferença entre o primeiro e o segundo colocado. Uma das estratégias mais conhecidas e utilizadas atualmente é a realização da super- compensação de carboidratos antes do evento. Esse método tende a tornar o atleta mais volumoso e definido, o que certamente contará muitos pontos positivos na competição.” A quem estamos nos referindo?

24

25 Multimídia é aprender a partir de imagens e palavras

26

27 COMO NOSSO CÉREBRO APRENDE?

28 MEMÓRIA DE LONGO PRAZO MEMÓRIA DE TRABALHO + COMO NOSSO CÉREBRO APRENDE?

29 Se nada tiver sido alterado na memória de longo prazo, nada foi aprendido. MEMÓRIA DE LONGO PRAZO

30 Lida com informações novas, apresenta severas limitações. MEMÓRIA DE TRABALHO

31 COMO AUMENTAR A CAPACIDADE DE NOSSA MEMÓRIA DE TRABALHO? Lida com informações novas, apresenta severas limitações.

32 COMO AUMENTAR A CAPACIDADE DE NOSSA MEMÓRIA DE TRABALHO? Com conhecimento educacional; Com conhecimento científico; Com conhecimento tecnológico; Com fazer empreendedor.

33 COMO AUMENTAR A CAPACIDADE DE NOSSA MEMÓRIA DE TRABALHO? Com conhecimento educacional; Com conhecimento científico; Com conhecimento tecnológico; Com fazer empreendedor. AMBIENTAÇÃO EM NOVASTECNOLOGIAS

34 Tecnologia, multimídia e Você, Gestor

35 “Essa invenção causará esquecimento nas mentes daqueles que aprenderem como usá-la, porque não irão praticar suas memórias. A confiabilidade em algo externo, que não é parte deles mesmos, irá desencorajar o uso da memória dentro deles.”

36 “Essa invenção causará esquecimento nas mentes daqueles que aprenderem como usá-la, porque não irão praticar suas memórias. A confiabilidade em algo externo, que não é parte deles mesmos, irá desencorajar o uso da memória dentro deles.”

37 Mito de Theuth e Thamus, Recontado por Sócrates a Fedro (Diálogos de Platão, 399 a 347 a.c.) “Essa invenção causará esquecimento nas mentes daqueles que aprenderem como usá-la, porque não irão praticar suas memórias. A confiabilidade em algo externo, que não é parte deles mesmos, irá desencorajar o uso da memória dentro deles.”

38 Mito de Theuth e Thamus, Recontado por Sócrates a Fedro (Diálogos de Platão, 399 a 347 a.c.) “Essa invenção causará esquecimento nas mentes daqueles que aprenderem como usá-la, porque não irão praticar suas memórias. A confiabilidade em algo externo, que não é parte deles mesmos, irá desencorajar o uso da memória dentro deles.”

39 Angústias e desconfianças que marcam, na Grécia, o aparecimento da escrita e a sua divulgação. “Essa invenção causará esquecimento nas mentes daqueles que aprenderem como usá-la, porque não irão praticar suas memórias. A confiabilidade em algo externo, que não é parte deles mesmos, irá desencorajar o uso da memória dentro deles.”

40 Angústias e desconfianças que marcam, na Grécia, o aparecimento da escrita e a sua divulgação. “A seus estudiosos, você oferecerá a aparência da sabedoria e não a verdadeira sabedoria, porque lerão muitas coisas, sem instrução e, portanto, parecerão saber muitas coisas, quando serão, na verdade, ignorantes de sua maior parte. Além disso, serão de trato difícil, por terem a aparência de sábios e não o serem verdadeiramente.”

41 “A seus estudiosos, você oferecerá a aparência da sabedoria e não a verdadeira sabedoria, porque lerão muitas coisas, sem instrução e, portanto, parecerão saber muitas coisas, quando serão, na verdade, ignorantes de sua maior parte. Além disso, serão de trato difícil, por terem a aparência de sábios e não o serem verdadeiramente.” Angústias e desconfianças que marcam, na Grécia, o aparecimento da escrita e a sua divulgação.

42

43

44 Não podemos deixar que os alunos do ensino médio usem calculadoras, ou eles irão esquecer como dividir e multiplicar números de 3 dígitos. Por que você iria querer a Internet para o uso dos alunos? Eles têm que usar a biblioteca. Desliguem e guardem todos os telefones celulares, iPods, e dispositivos eletrônicos durante a aula!

45

46

47 MOTIVAÇÃO É MAIS IMPORTANTE PARA NÓS QUE O CONTEÚDO! Como nos engajar? GAMES! Queremos jogos não porque são jogos… …mas porque são a coisa mais engajadora, intelectualmente, que temos!

48 10 mil horas Video Games 250 mil s 10 mil horas celulares 20 mil horas TV (incl. MTV) < 5000 horas leitura de livros - Seu bebê está se desenvolvendo muito bem. Você gostaria de lhe enviar um ? NATIVOS DIGITAIS

49 Os professores estão “parados” no século 20. Alunos migraram rapidamente para o século 21. Como as instituições de ensino podem alcançar e prover os alunos com uma Educação relevante? IMIGRANTES DIGITAIS

50 Os professores estão “parados” no século 20. Alunos migraram rapidamente para o século 21. Como as instituições de ensino podem alcançar e prover os alunos com uma Educação relevante? Estamos indo no caminho certo?

51 Algumas escolas americanas trouxeram tecnologia para seus programas (e.g. provendo laptops para todos os seus alunos), mas não acharam que a tecnologia estava ajudando, então retiraram os equipamentos. (“Seeing No Progress, Some Schools Drop Laptops” The New York Times, May 4, 2007.) Nessas escolas, os governantes e gestores escolares não propuseram estratégias para que os professores revissem seus métodos de ensino.

52 Muitos professores resistem a serem capacitados no uso de tecnologias. Professores não deveriam resistir, porque não são eles que devem usar a tecnologia para ensinar os alunos, mas os alunos é que devem utilizá-la para aprender. O papel do professor não é tecnológico, mas intelectual – o de prover os alunos com contextualização, qualidade, e apoio individualizado.

53 Os alunos rotineiramente abusam (segundo os professores) da tecnologia na sala de aula. Os jovens têm em suas mãos poderosas ferramentas que não têm oportunidade de utilizar para a aprendizagem na escola.

54 Tecnologia como meio de aprimorar nossas mentes “Eu não quero estudar Roma na escola. Eu construo Roma todos os dias no meu jogo online (Caesar III).” – Colin, 16 anos

55 Tecnologia como meio de aprimorar nossas mentes

56  Resolver problemas mais difíceis;  Fazer melhores previsões;  Cuidar de nossos corpos;  Criar mais;  Produzir mais;  Planejar e priorizar melhor;  Se concentrar mais.

57 Homo sapiens digital

58 Tecnologia, multimídia e Você, Gestor Na sua escola: • • o que é necessário, em termos de tecnologia? • • qual a melhor maneira de utilizá-la? • • quais as ações pedagógicas mais alinhadas com o perfil dos seus professores e alunos? • • como avaliar ainda melhor as ações desenvolvidas?

59 Tecnologia, multimídia e Você, Gestor Na sua escola: • • Decisões constantes, que envolvem recursos humanos, financeiros, tecnológicos, educacionais. Está no centro do fazer empreendedor

60 Ambientações em Novas Tecnologias Encontro presencial: Estágio 1 – Acesso e Motivação. Bem vindos!

61 Obrigada Cristine Barreto Diretora de material didático Fundação CECIERJ


Carregar ppt "Tecnologia, multimídia e aprendizagem : como aprendemos e como ensinamos? Fundação CECIERJ - Desenvolvimento Instrucional Cristine Costa Barreto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google