A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Informação para a Gestão em Saúde: Rede Gaúcha de Informações em Saúde Participação no Seminário Nacional: Experiências Inovadoras no SUS. Brasília, 9.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Informação para a Gestão em Saúde: Rede Gaúcha de Informações em Saúde Participação no Seminário Nacional: Experiências Inovadoras no SUS. Brasília, 9."— Transcrição da apresentação:

1 Informação para a Gestão em Saúde: Rede Gaúcha de Informações em Saúde Participação no Seminário Nacional: Experiências Inovadoras no SUS. Brasília, 9 a 12 de setembro de Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Saúde

2 Informação como suporte à gestão: Gestão: “é a atividade e a responsabilidade de dirigir um sistema de saúde [municipal, estadual e federal] (...), mediante o exercício de funções de coordenação, articulação, negociação, planejamento, acompanhamento, controle, avaliação e auditoria” (NOB 1/96). Tecnologias compatíveis com uma realidade flexível, em constante transformação, heterogênea, desconhecida e dependente de diversos fatores fora da governabilidade. O trabalho com a informação precisa revelar possibilidades, subsidiar e fortalecer a gestão. Não aprisioná-la em mais um limite. A atenção e/ou assistência precisam ser pensadas desde a gestão.

3 Interesses específicos da SES/RS: Acompanhamento dos recursos repassados da SES/RS aos municípios (Municipalização e Regionalização Solidária da Saúde), aos prestadores de serviço (Saúde Solidária) e aos órgãos formadores de trabalhadores e associações técnico-científicas (Formação Solidária da Saúde); Monitoramento dos sistemas municipais, regionais e estadual de saúde (gestão, atenção e controle social); Organização do Relatório de Gestão do SUS/RS e do Perfil do Sistema Estadual de Saúde (OPAS), facilitando o monitoramento externo.

4 Distribuição do Coeficiente Médio da Mortalidade Infantil no Rio Grande do Sul 1998 a 2000

5 Coeficiente de mortalidade infantil, neonatal e pós-neonatal. RS, 1970 a 2000

6 Distribuição da população do Rio Grande do Sul segundo faixas etárias e sexo (2000) HOMENSMULHERES

7 Lógica de Gestão do SUS: Gestores de Saúde Conselheiros de Saúde Profissionais de Saúde Usuários Prestadores Planejamento Acompanhamento Controle Avaliação Auditoria INFORMA AÇÃO ParâmetrosParâmetros

8 Pressupostos: A realidade pode apenas ser conhecida parcialmente; A interpretação da realidade depende das nossas referências (sócio-culturais, ideológicas, religiosas etc.). O conhecimento sobre a realidade também depende das ferramentas que utilizamos e não existem ferramentas infalíveis, imparciais e completas. A realidade é complexa e está repleta de incertezas. Mesmo com as melhores informações possíveis não se pode predizer o futuro em toda sua complexidade.

9 dados informações avaliação tomada de decisão GestãoGestão Processos Parâmetros Proposta política * Pactuação * * Inclui a decisão sobre o nível de tecnologia que será oferecido

10 Associação de Bases de Dados: Agrupamento de dados dos diversos subsistemas de informação em saúde e validação pragmática na instância municipal ou regional; Associação das diferentes bases de dados pela identificação do usuário; Associação de bases de dados utilizando tecnologias de informática.

11 Estratégias utilizadas (1) : Etapa 0 – Sistemas fragmentados, infraestrutura precária, uso tênue da informação, informação “proprietária” de setores específicos; Etapa 1 – Qualificação dos sistemas, inclusão de informações de gestão, “agrupamento de informações” e devolução (Prontuário do Município, 1999);  Utilização de informações e parâmetros para a Pactuação Solidária da Saúde, para o monitoramento da rede assistencial e para a organização da gestão estadual (Municipalização Solidária da Saúde).

12 Estratégias utilizadas (2) : Etapa 2 – Georeferenciamento de informações para associação de SIS:  Pactuação 2001, validação do processo de regionalização do SUS/RS, análise de alguns indicadores específicos (Saúde do Trabalhador). Etapa 3 – Ampliação das parcerias e sofisticação da tecnologia envolvida:  UFRGS e uso de ferramentas de inteligência artificial.

13 Mineração de dados: Método computacional de análise de grandes bases de dados para descobrir relacionamentos e tendências entre eles, ou seja, técnica de extração de conhecimentos a partir de dados inicialmente não relacionados entre si. Projeto realizado em parceria com o Núcleo de Inteligência Artificial do Instituto de Informática da URFGS.

14 Produto da parceria: Desenvolvimento de uma tecnologia para extração de conhecimentos de grandes bases de dados para usuários não especialistas em Inteligência Artificial e Bancos de Dados. Sensibilização dos pesquisadores sobre especificidades e potencialidades da área da saúde.

15 Banco de dados Seleção Linguagem de consultas Objetos selecionados Dados transformados Pré-processamento Métodos de tratamento de dados Técnicas de aprendizagem Modelos de conhecimento Extração de conhecimento Data Mining Conhecimento Interpretação Especialista ou Técnicas Automáticas Processo de descoberta de conhecimentos em banco de dados Proposta política, metas e parâmetros pactuados

16 Produtos para a gestão: Controle e Avaliação de prestadores:  Identificar o padrão dos atendimentos dos serviços e compará-los com indicadores epidemiológicos, identificar indícios de seleção de clientela e cobranças indevidas e outros que demandam Auditoria (Saúde Solidária). Planejamento do Sistema:  Identificar mudanças no padrão de demanda em determinadas regiões, de custos, de oferta de ações e serviços, financiamento dos sistemas municipais etc. (Regionalização e Municipalização Solidária da Saúde).

17 Lembrete: Os padrões (indicadores/tendências) encontrados precisam ser confrontados com a realidade local e com a pactuação política para serem validados (parâmetros). A tecnologia de extração de conhecimentos tem como objetivo fortalecer a gestão em todos os níveis, não de substituí-la no processo de decisão.

18 Fase atual: Os pesquisadores e os técnicos da SES/RS aplicaram a metodologia nos bancos de dados do SIH, confrontando os dados com problemas encontrados nas auditorias e estão desenvolvendo tecnologias para aplicação automática. Estão sendo feitas associações com o SIA e com dados demográficos e de morbi-mortalidade. A demanda seguinte partiu do controle social e terá como base os dados dos relatórios de gestão municipal, particularmente no que se refere ao financiamento (SIOPS).

19 Artigos dos projetos inovadores da SES/RS disponíveis no site da RGIS:


Carregar ppt "Informação para a Gestão em Saúde: Rede Gaúcha de Informações em Saúde Participação no Seminário Nacional: Experiências Inovadoras no SUS. Brasília, 9."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google