A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Bases físicas da audição Fga. Pierangela Nota Simões Maio de 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Bases físicas da audição Fga. Pierangela Nota Simões Maio de 2006."— Transcrição da apresentação:

1 Bases físicas da audição Fga. Pierangela Nota Simões Maio de 2006

2 Aparelho auditivo

3 Funções do ouvido Transmissora: mecanismos que permitem a adequada transmissão da energia acústica Protetora: elementos capazes de atenuas intensidades sonora excessivas Transdutora: transforma energia mecânica em elétrica e nervosa

4 Ouvido externo pavilhão auricular conduto auditivo externo membrana timpânica

5 Ouvido externo

6 Pavilhão auricular captação dos sons localização do som canalização dos sons para o C.A.E. saliências e reentrâncias: ressonância

7 Conduto auditivo externo canal em forma de S aproximadamente 2,5 cm ressonância com freqüências entre e 3000 hz amplificação entre 10 e 15 dB

8 Membrana timpânica forma de um cone estrutura delgada, côncava e transparente 1,5 cm de diâmetro sai do equilíbrio em movimento vibratório igual ao do estímulo sonoro

9 Ouvido Médio cadeia ossicular tuba auditiva

10 Cadeia ossicular

11 Ossículos martelo, bigorna e estribo casamento de impedâncias transformador mecânico  preservação da energia sonora  manutenção das característica físicas do som

12 Sistema de alavanca interfixa amplifica a força das vibrações  eixo de rotação: bigorna  força motriz: martelo  resultante: janela oval força 1,3 vezes maior ao nível da janela oval

13 Sistema de redução de área concentração de pressão sonora sobre a janela oval que tem uma área 17 vezes menor que a membrana timpânica força transmitida aumentada em 17 vezes

14 Amplificação mecânica sistema de alavanca + sistema de redução de área = força 22 vezes maior ao nível da janela oval 2,5dB + 27dB = 99% da energia acústica compensada

15 Janelas cocleares seleção de entrega de energia acústica para uma das janelas cocleares compressão dos líquidos cocleares movimentação das células ciliadas

16 Tuba auditiva canal que estabelece a ligação entre a cavidade timpânica e a nasofaringe renovação de ar na om equilíbrio da pressão no OM abre-se no bocejo e na deglutição

17 Reflexo acústico sistema de proteção acionado no caso de estímulos sonoros com intensidade de 70 a 90 dB acima do limiar auditivo contração do músculo estapédio altera o padrão de vibração do estribo na janela oval prevenção de lesões nas estruturas de OM e OI

18 Reflexo acústico som → ouvido externo → ouvido médio → ouvido interno → nervo coclear → tronco cerebral → nervo facial → músculo estapédio

19 Ouvido interno canais semicirculares: equilíbrio cóclea: audição

20 Cóclea cone achatado em forma de caracol 35 mm de extensão líquidos cocleares  Perilinfa (Na+)  Endolinfa (K-)

21 Membrana tectórica tecido gelatinoso suspenso acima do Órgão de Corti estimula as células ciliadas ao movimentar-se

22 Membrana basilar contém cerca de células ciliadas (Órgão de Corti) elasticidade e massa suficientes para retornar à forma e posição originais após sofrer qualquer deslocamento ou deformação

23 Analisador harmônico sofre um decréscimo de vezes em sua rigidez desde sua base até o ápice, deteminando sua função fundamental de análise de freqüências

24 Base da cóclea menor quantidade de massa maior rigidez ressonância com freqüências altas

25 Ápice da cóclea maior quantidade de massa maior elasticidade ressonâncias com freqüências baixas

26 Meios de condução do som ouvido externo → condução aérea ouvido médio → condução mecânica (sólido) ouvido interno → condução hidráulica (líquido) células ciliadas → impulsos nervosos (elétrico)

27

28


Carregar ppt "Bases físicas da audição Fga. Pierangela Nota Simões Maio de 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google