A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tratamento invasivo e não invasivo. cálculos ou sialolitos  Doença das glândulas salivares caracterizada pela formação de cálculos ou sialolitos no interior.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tratamento invasivo e não invasivo. cálculos ou sialolitos  Doença das glândulas salivares caracterizada pela formação de cálculos ou sialolitos no interior."— Transcrição da apresentação:

1 Tratamento invasivo e não invasivo

2 cálculos ou sialolitos  Doença das glândulas salivares caracterizada pela formação de cálculos ou sialolitos no interior dos ductos ou do próprio parênquima.

3  Classificada em 2 grupos  Retenção salivar  Devido à fatores morfoanatômicos:  Esteonose e  diverticulação do tubo salivar  Composição salivar:  Alta saturação  cristalização ou  déficit de inibidores

4  Não há predileção por raça  Mais comum em adultos de meia idade do gênero masculino  Pode acometer jovens e idosos  Raramente ocorre em crianças  Glândula submandibular mais comumente acometida (83 a 94%)  Seguida pela glândula parótida (4 a 10%) e  Sublingual (1 a 7%)  Raramente atinge as glândulas salivares menores.

5  Devido às suas características anatômicas  Comprimento e trajeto longo, tortuoso e ascendente do ducto de Wharton  Saliva mais alcalina  Apresenta maior concentração de cálcio  Localizada numa posição topográfica inferior ao seu canal excretor  Apresenta maior viscosidade salivar, quando comparada às outras.

6  Rara incidência na glândula sublingual:  ducto curto e com múltiplas aberturas, capazes de drenar a saliva de forma mais eficiente.  Na parótida:  Músculos da expressão facial ajudam no fluxo salivar, além de o ducto de Stenson se encontrar em direção horizontal.

7  Crescem por deposição e evoluem lentamente • 1a 1,5 mm por ano  São massas duras  Geralmente unilaterais, podendo ser simples ou múltiplos,  Redondos, ovais ou cilíndricos, predominantemente de coloração amarela  Geralmente solitários

8  Aumento de volume é o sinal mais frequente  Dor e “inchaço” da glândula afetada durante as refeições ou quando há estímulos salivatórios.  Assintomática, geralmente, quando a obstrução não é completa.  Obstrução completa causa dores e edemas constantes, podendo estar presentes drenagem purulenta e os sinais sistêmicos de infecção.  Obstruções por períodos longos → infecções que levam a atrofia glandular com alterações na função de secreção salivar e, por último, à fibrose da glândula.

9  Anamnese  Exame clínico:  palpação, inspeção, manipulação da glândula (para verificar a quantidade de saliva excretada)  exames por imagem: radiografias oclusal, panorâmica, telerradiografia lateral e lateral oblíqua de mandíbula.  Objetivo: observar com precisão a localização,o tamanho, formato e, o grau de mineralização do sialolito.

10  cálculos salivares apresentam imagens radiopacas nas regiões das glândulas ou de seus condutos.  Outros métodos de imagens para o diagnóstico:  tomografia computadorizada, ultra-som, ressonância magnética, sialografia e a endoscopia do ducto.  As radiografias convencionais são bastante precisas, apesar de nem todos os cálculos serem visíveis devido ao grau de calcificação de algumas lesões.

11 Tomografia Computadorizada. Reconstrução panorâmica e transversal. Imagem hiperdensa nos cortes compatível de sialolíto (indicado pela seta)

12 Tomografia Computadorizada. Reconstruções tridimensionais. Sialolito posteriormente ao corpo da mandíbula do lado direito

13  Dependerá da glândula afetada,tamanho e localização do cálculo.  Se o sialolito é encontrado ao acaso (durante tomada radiográfica de rotina) e não possui sintomatologia, não se faz necessário o tratamento → acompanhamento.

14  Para os sialolitos pequenos  hidratação do paciente,  ordenha e massagem leves na glândula  estimulação com alimentos ácidos,como gotas de fruta ácida (limão),  prescrição de sialogogos como a Pilocarpina e a Cevimelina,  quando os cálculos estiverem localizados próximos ao orifício ductal → pode ser realizada a remoção através da dilatação por meio de um cateter.

15  indicadas para cálculos salivares maiores e/ou localizados no parênquima glandular  acesso cirúrgico intra-oral:  indicado para aqueles que são palpáveis na boca e localizados na distal do ducto ou  não mais que 2cm do óstio do ducto submandibular A:Abertura cirúrgica do ducto submandibular(sialodoctomia) e remoção do cálculo(sialolitectomia) B:Segue-se a isso a modificação do ducto salivar, na qual o ducto é suturado à mucosa do assoalho da boca(sialodocoplasia) A:Abertura cirúrgica do ducto submandibular(sialodoctomia) e remoção do cálculo(sialolitectomia) B:Segue-se a isso a modificação do ducto salivar, na qual o ducto é suturado à mucosa do assoalho da boca(sialodocoplasia)

16

17  Técnica tem sido utilizada com sucesso:  pouco invasiva e  promove maiores chances de preservação da função da glândula após a cirurgia, embora,  Apresente maiores dificuldades para ser realizada:  campo cirúrgico restrito e  grande risco de lesar o nervo lingual.  Remoção da glândula associada se torna necessária quando:  cálculo estiver localizado na proximal do ducto ou parênquima glandular  quando houver alguma alteração inflamatória ou infecciosa no interior da mesma. remoção de glândula submandibular especime de glândula submandibular e cálculo associado

18  Litotripsia (fragmentação do cálculo),  remoção do cálculo com sondas guiadas por ultra-som ou associadas à endoscopia  Sialitectomia • feita com CO2 e laser  Limitações: cálculos grandes, principalmente se a glândula estiver infectada.  Sialoendoscopia  para o tratamento da sialolitíase intraglandular:  evita a necessidade de excisão da glândula salivar  só é possível quando o sialolito de glândula submandibular ou parótida apresentem, respectivamente, diâmetro máximo de 4 mm e 3 mm em plano perpendicular ao ducto, caso contrário necessita de fragmentações prévias.

19  Satisfatório:  sialolitos pequenos  geralmente não recidivam, desde que, o paciente não apresente alguma alteração sistêmica ou de consistência salivar que favoreçam a formação de novos sialolitos.  Na maioria dos pacientes, a função da glândula melhora após a remoção do cálculo, exceto nos casos em que tenha sido necessária a exérese da glândula salivar envolvida.

20  Sialolitíase: Aspectos clínicos e sócio-demográficos de 10 casos _ RBO- Revista Brasileira de Odontologia  Tratamento de sialolitíase em glândulas submandibulares: relato de dois casos_Robrac.- Revista de odontologia do brasil central  Fundamentos da Estomatologia_ Gilberto Marcucci  Patologia Oral e Maxilofacial _ Neville BW, Damm DD, Allan CM, Bouquot JE.  Livro:Cirurgia Oral e Maxilofacial Contemporanea(autores:James R Hupp, Edward Ellis III, Myron R Tucker)  CONSIDERAÇÕES ATUAIS DA SIALOLITÍASE DE DUCTO DE  GLÂNDULA SUBMANDIBULAR Gláucia Resende SOARES;Alan Roger dos Santos SILVA;Ana Maria Pires ;Glauco Issamu MIYAHARA  Cirurgia Bucomaxilofacial diagnostico e tratamento Roberto Prado/ Martha Salim  Glandulas-Salivares.pdf Glandulas-Salivares.pdf 

21  Elaine Larissa  Erica Gonçalves  Erika Baggi  Fernanda S. Yoshida  Flávia Kapos  Flávio Souza  George Gomes  Genilson Nakanishi  Giovanna Tavares  Gustavo Escudeiro  Gustavo B. Guerra  Gustavo Myashita  Hee Jung Yu  Heloísa Almeida


Carregar ppt "Tratamento invasivo e não invasivo. cálculos ou sialolitos  Doença das glândulas salivares caracterizada pela formação de cálculos ou sialolitos no interior."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google